Pacto das Traíras em Caicó começou a aparecer

O Pacto da Traíras entre o prefeito Roberto Germano e o presidente da Câmara, vereador Nilson Dantas em Caicó denunciado aqui no blog pelo soldado, Vasco para lascar o ex-deputado, Vivaldo Costa e o deputado Álvaro Dias começou a dar sinais de publicidade. Hoje o primo Xerife, Robson Pires já publicou declaração do presidente da Câmara queimando o primo e ex-prefeito Bibi Costa que deverá ser candidato a prefeito em 2016.

Confira post publicado pelo Xerife:

O voto arrependido de Nildson Dantas para Bibi Costa

nildson_bibi

Por duas vezes o atual presidente da Câmara de Caicó, Nildson Dantas, empenhou seu voto para o ex-prefeitoBibi Costa. Hoje, ele está arrependido da decisão. “A cidade até hoje sofre as mazelas deixadas por ele. Irei discutir com o povo o processo eleitoral do próximo ano, ouvindo e debatendo os problemas da nossa cidade”, disse.

Deputado Gustavo da Ponte solicita implantação do PROERD em Almino Afonso

Gustavo da Ponte

Atendendo requerimento do vereador Regicélio Alves de Oliveira, subscrito pelos seus pares, o deputado estadual Gustavo Carvalho (PROS) solicitou na Assembleia Legislativa que o governador Robinson Faria (PSD) e o comandante da Polícia Militar no estado, coronel Ângelo Dantas, implantem o Programa Educacional de Resistência às Drogas – PROERD nas escolas das redes municipal e estadual de Almino Afonso.

Segundo o deputado, os vereadores da cidade oestana fazem esse apelo para tentar diminuir o consumo de drogas entre os jovens, grave problema que afeta praticamente todos os municípios brasileiros. “O PROERD tem conquistado bons resultados no RN. A prevenção através de um trabalho educativo é, no nosso entendimento, uma das alternativas mais eficazes no combate ao uso de drogas pelas crianças, jovens e adultos”.

Assembleia Legislativa aprova PEC e abre caminho para reeleição de Ezequiel

A Assembleia Legislativa votou em aprovou emenda ao parágrafo quarto, do artigo 42 da Constituição Estadual do RN que altera o texto de impedia a reeleição do presidente da Mesa Diretora na mesma legislatura.

Assim o caminho da reeleição do presidente da Assembléia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza está totalmente aberto.

Ezequiel deverá ser reeleito presidente por unanimidade.

Não é o impeachment: os alvos são a esquerda, Lula e o PT, por Antônio Augusto de Queiroz

Oposição e poder econômico não querem o impeachment da petista, mas sangrá-la até o final para ganhar em duas frentes, diz analista: arrancar dela tudo que for possível em concessões na área econômica e ainda fazer o sucessor em 2018

 

Antônio Augusto de Queiroz
Antônio Augusto de Queiroz

Informações de bastidores dão conta de que o establishment, embora tenha batido e pretenda bater sem piedade na presidente Dilma, não tem interesse em seu impeachment. Mas tem todo o interesse em inviabilizar política e eleitoralmente a esquerda brasileira, especialmente o PT e o ex-presidente Lula. Só enveredarão por outro caminho, apoiando eventual pedido de impedimento, se houver provas absolutamente contundentes do envolvimento direto da presidente com algo ilegal.

O raciocínio do poder econômico é que uma presidente fraca, impopular e sem apoio político fará concessões em termos de marcos regulatórios que nenhum outro faria, nem mesmo alguém com perfil liberal, como Aécio Neves. Os exemplos de concessões seriam a mudança no pré-sal, com o fim do regime de partilha, a eliminação da exigência de conteúdo nacional na aquisição de bens e serviços pela Administração Pública, entre outros que atualmente dificultam a entrada do capital privado ou limitam sua margem de retorno.

Ainda segundo essa visão, o afastamento da presidente não interessaria à oposição nem mesmo ao PSDB, porque se houvesse o impedimento o partido seria obrigado moralmente a apoiar o sucessor e se inviabilizaria como alternativa de poder para 2018. Mas eventual pedido de impeachment, mesmo que sem chances de prosperar, poderia servir ao propósito de também macular moralmente a presidente Dilma e mantê-la impopular até o fim do mandato.

Também não interessaria ao próprio PMDB, que sendo parte do governo, sem a titularidade, tem todos os bônus sem nenhum ônus, já que não lhe será debitado ou atribuído eventual fracasso do governo. No exercício da Presidência da República, além de maior fiscalização da sociedade, as bancadas da Câmara e do Senado não teriam a mesma liberdade que têm para exigir concessões do governo.

Por essa lógica, uma coisa já seria certa para eles em 2018: o PT não faria o sucessor. O fundamento para tanto seria, de um lado, a impopularidade e a deslegitimação do governo, incapaz de estancar a onda de mudanças nos marcos regulatórios (e até mesmo podendo aderir a ela, para buscar o apoio empresarial e da mídia), inclusive nas relações de trabalho, e, de outro, pela força da liderança dos ministros da Fazenda, da Industria e Comercio Exterior, da Agricultura e das Pequenas e Micro Empresas, que defendem a agenda liberal no Governo.

Estão convencidos de que a tática de sangrar a presidente será infalível. Não temem o que ocorreu com Lula em 2006, porque, diferentemente de Dilma, ele e seu governo se recuperaram por força do carisma pessoal do ex-presidente e pelo fato de seu governo ter sido beneficiado pelo crescimento econômico mundial, o que, na avaliação deles, não acontecerá com a presidente.

Além disto, considerando a transição que estaria sendo feita pelos ministros da área econômica, fosse quem fosse o próximo presidente da República, ele não teria como reverter as mudanças em bases neoliberais que seriam levadas a efeito na gestão Dilma.

Portanto, a opção de manter uma presidente fraca seria a solução mais adequada, porque eles ganhariam em qualquer hipótese. Ou seja, arrancariam dela tudo que fosse possível em termos de concessões e ainda fariam o sucessor. Esse é o cenário com que trabalham as forças de mercado.

Realmente, o risco de retrocesso é grande, especialmente porque o governo, nos últimos 12 anos, apesar de ter criado as condições para a ascensão social e ter promovido importantes avanços econômicos e sociais no país, negligenciou a politização da sociedade e sua conscientização cívica. Ou seja, não informou que o ambiente para a geração de emprego e renda, assim como para a criação e manutenção de programas sociais e de acesso à educação custeados pelo Estado, dependem das opções ou políticas governamentais.

Com a alienação dos segmentos beneficiados, resta aos setores progressistas e de esquerda – independentemente de sua posição em relação ao atual governo – liderar um processo de formação política e de resistência, além de pressionar o governo e o Parlamento para que não se deixem dominar pelas forças de mercado, como demonstra a desenvoltura do presidente da Câmara dos Deputados e dos ministros da área econômica. Ou os partidos de esquerda e os movimentos sociais atuam para alterar a correlação de forças, ou as forças conservadoras e neoliberais conseguirão revogar as conquistas econômicas e sociais dos últimos anos.

Microsoft lança site que ‘adivinha’ idade de pessoas em uma foto

Ferramenta da Microsoft tenta adivinhar idade de pessoas em uma fotoA Microsoft liberou nesta quinta-feira (30) a ferramenta de inteligência artificial How-Old.ne tque, por meio de algoritmos, dá um gênero e uma idade para rostos retratados em uma imagem.

Para usar, basta entrar no site (how-old.net) e selecionar uma fotografia no computador (é preciso baixar os arquivos antes, caso sejam imagens disponíveis em redes sociais). O tamanho máximo para upload é de 3 Mbytes.

Em rápido teste, a ferramenta foi mal nas idades. Errou grosseiramente para cima e para baixo quão velhos eram rostos tanto de homens quanto de mulheres.

O divertido site, que dá o resultado instantaneamente, está repercutindo rapidamente nas redes sociais.

A companhia demonstrou a tecnologia durante sua conferência anual para desenvolvedores, que está sendo realizada nesta semana em San Francisco.

O How-Old.net faz parte do laboratório de pesquisa Project Oxford e, segundo a companhia, será aprimorada ao que mais usuários enviam suas imagens.

Em uma página on-line dedicada ao seu desenvolvimento, a empresa explica parte do funcionamento do robô desenvolvido.

No RS Dilma tem desaprovação maior que Micarla em Natal teve em Natal

Levantamento realizado pelo instituto Paraná Pesquisas, revela que 80% dos gaúchos rejeitam a administração de Dilma Rousseff (PT) e cerca de 60% dos entrevistados acredita que a petista tinha conhecimento do esquema de corrupção instalado na Petrobras e agiu de forma negligente. O Rio Grande do Sul é o berço político da Presidente.

Dos 1.340 entrevistados, 82% afirmaram que a Operação Lava Jato revelou o maior escândalo de corrupção do país. O instituto simulou um “terceiro turno” das eleições gerais de 2014. A população gaúcha declarou que, caso o pleito ocorresse hoje, 53%  dos entrevistados não escolheriam Dilma. Esta média é praticamente igual ao percentual de votos obtidos por Aécio Neves (PSDB)  no Estado ano passado.

O desempenho de Dilma em seu segundo mandato, de acordo com 78% dos gaúchos, é pior do que eles esperavam. A faixa etária que mais rejeita a administração da presidente é a de adultos entre 25 e 34 anos. Quando se considera o nível de escolaridade, pessoas que possuem ensino médio ou superior são as mais contrárias à gestão da petista. A pesquisa tem margem de erro de aproximadamente 2,5%.

Restaurante em Brasília cria ‘mesa pet’ e serve ração e cerveja para cães

Gustavo, com o rotweiller Ornion; o casal Felipe e Mariana, com o buldogue francês Chiva
Gustavo, com o rotweiller Ornion; o casal Felipe e Mariana, com o buldogue francês Chiva

Enquanto os donos apreciam uma massa e um bom vinho, o cachorro come sua ração e bebe uma cervejinha. Todos podem curtir juntos a refeição, sem incomodar os outros clientes.

A cena é comum em um restaurante italiano que funciona dentro de um shopping de Águas Claras, na região administrativa do Distrito Federal.

O restaurante chama-se Piccolo Emporium. A dona, Julieta Maron, 41, conta que sentiu na pele a dificuldade de encontrar lugares onde pudesse levar seus dois cachorros, um vira-lata e um springer spaniel. Por isso, decidiu liberar a entrada de bichos no estabelecimento, inaugurado em outubro do ano passado.

“Hoje, o animal faz parte da família. O que queremos é aproximá-los cada dia mais de nós”, diz.

Segundo ela, o local recebe cerca de 15 animais por semana.

Produtos de R$ 4 a R$ 14

Os clientes que levam os bichos são acomodados na “mesa pet”, que fica na área externa do restaurante.

Para os animais, são vendidos produtos como ração, petiscos, sorvete e cerveja (especiais para cães), servidos em recipientes descartáveis. Os produtos custam entre R$ 4 e R$ 14.

Família completa e novas amizades

Um dos clientes é o veterinário Gustavo Fedosseeff, 35, dono de oito cachorros, entre eles o rottweiler Ornion, de 5 anos. “Achei a iniciativa maravilhosa, com certeza à empresa saiu na frente das outras”, diz.

Gustavo conta que ficou surpreso ao saber que poderia jantar “com a família completa” no restaurante. “Só podíamos fazer trilhas com ele. Aqui em Brasília, há apenas um shopping em que é permitido a entrada de cães, mas tem que ser de raça pequena”, conta.

O casal Felipe Mamare e Mariana Nogueira, 33, são donos do Chivas, um buldogue francês de 3 meses.

Eles contam que já fizeram muitas amizades com outros donos de bichos por causa do restaurante. “É uma interação muito boa entre nós e também com eles. Sempre buscamos locais que aceitem a presença de animais”.DSCN5109

 

Dilma não vai falar no 1º de Maio porque não tem o que dizer, afirma Renan

Henrique Alves com Renan

Na véspera do Dia do Trabalho, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), voltou a criticar a presidente Dilma Rousseff (PT). “Não há nada pior do que a paralisia, do que a falta de iniciativa, do que o vazio. Nós fizemos a democracia para deixar as panelas falarem. As panelas precisam se manifestar. Nós precisamos todos ouvir o que as panelas dizem. Certamente a presidente Dilma não vai falar no dia 1º de Maio por que não tem o que dizer. Por isso eu estou proponho um pacto em defesa do emprego”, afirmou Renan em referência ao panelaço que ocorreu no Dia Internacional da Mulher durante o pronunciamento em rádio e TV da presidente.

Ele classificou de “retrocesso” e “coisa ridícula” o governo não ter o que dizer no Dia do Trabalho. A presidente Dilma Rousseff não fará pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV em 1º de Maio. Conforme o governo, ela se manifestará por meio das redes sociais.

Dilma diz que regulamentar terceirização é urgente, mas é preciso manter direitos

BRASÍLIA (Reuters)

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira que é “necessário” e “urgente” regulamentar a terceirização no país, mas disse que seu governo tem o compromisso de manter as garantias e os direitos trabalhistas.

Em reunião com representantes de centrais sindicais, a presidente afirmou ainda que deve haver uma diferenciação para contratação de mão-de-obra terceirizada em atividades-fim e atividades-meio de uma empresa.

“O esforço e o compromisso do meu governo é no sentido que ao final desse processo os direitos e as garantias dos trabalhadores sejam mantidos… e tudo faremos para contribuir para isso através do princípio do diálogo”, disse a presidente na abertura da reunião, transmitida pela TV oficial do governo NBR.

“Eu sei e vocês sabem que é urgente e necessário regulamentar o trabalho terceirizado no Brasil”, afirmou, referindo-se a projeto que regulamenta a terceirização recentemente aprovado na Câmara dos Deputados e em tramitação no Senado.

Maurício Marques recebe Prêmio Juscelino Kubitschek

IMG_0103-0Prefeito do município que obteve o melhor  Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 0,766 do Rio Grande do Norte e quinto do Nordeste, ocupando a 274ª posição no ranking dos 5.565 municípios brasileiros, o  prefeito de Parnamirim, Maurício Marques foi premiado.

Ele foi a Foz do Iguaçu para receber o Prêmio Juscelino Kubitschek 2015.

Parnamirim foi o município que deu a maior contribuição para a melhoria da qualidade de vida da Grande Natal na década passada, segundo o Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras, lançado no dia 25 de novembro de 2014.

Maurício Marques está preparando à candidatura do seu secretário de Obras, Naur Ferreira para ser seu sucessor em 2016.