Dilma conclui que não há espaço para todos os ministros do PMDB, diz jornal

O jornal Folha de São Paulo noticiou que a presidente Dilma Rousseff concluiu na noite da quarta-feira (30) que não há espaço na nova reformulação do governo para acomodar os seis ministros peemedebistas que informaram à petista que pretendem seguir em seus cargos.

Em reunião com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente avaliou que boa parte deles terá de deixar as pastas para dar espaço a partidos como PP, PR e PSD.

Nas palavras de um assessor presidencial, nem a permanência do ministro da Saúde, Marcelo Castro, está garantida.

Vídeo: deputados discutem impeachment trocando empurrões na Comissão

Em clima tenso, ocorreu a primeira audiência pública da comissão especial que analisa o pedido de impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff. Após os depoimentos dos juristas Miguel Reale Junior e Janaína Paschoal, autores da denúncia contra Dilma, e do pronunciamento de alguns líderes partidários, o presidente da comissão, deputado Rogério Rosso (PSD-DF), encerrou a reunião devido ao início da Ordem do Dia do Plenário da Câmara. Vários parlamentares que ainda não haviam discursado reclamaram. Houve troca de empurrões entre o líder do PSOL, deputado Ivan Valente (SP), e o deputado Caio Nárcio (PSDB-MG).

 

STF decide hoje se investigações sobre Lula continuam com Moro

O Supremo Tribunal Federal (STF) decide hoje (31) se o juiz Sérgio Moro, responsável pela investigação da Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal, continuará na condução dos inquéritos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A Corte vai decidir se referenda decisão proferida na semana passada pelo ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo. O ministro suspendeu as investigações que envolvem Lula, por entender que cabe à Corte analisar se o ex-presidente tem foro privilegiado e deve ser processado pelo tribunal.

A polêmica sobre a nomeação de Lula para ocupar o cargo de ministro da Casa Civil do governo Dilma não deverá ser decidida pelos ministros, porque o processo no qual a posse foi suspensa está sob a relatoria do ministro Gilmar Mendes e não está pautado.

Na decisão, que atendeu a pedido da Advocacia-Geral da União (AGU), Teori suspendeu, com base em jurisprudência da Corte, a divulgação das interceptações envolvendo a Presidência da República e fixou prazo de dez dias para que Sérgio Moro preste informações sobre a divulgação dos áudios do diálogo entre a presidenta Dilma Rousseff e Lula, tornados públicos após decisão do juiz.

Em nota, advogados mossoroenses discordam ‘ veementemente’ do posicionamento da OAB

Oab mossoró


Advogados mossoroenses promoveram um manifesto, ontem (30), contra a decisão da OAB que passou apoiar a abertura do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. 

MANIFESTO DA ADVOCACIA MOSSOROENSE PELO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

Nós, abaixo-assinados, advogados e advogadas, regularmente inscritos na Subseccional de Mossoró – RN, vimos pelo presente, de público, manifestarmo-nos pela supremacia dos valores republicanos e pelo exercício pleno da democracia em nosso país, o que fazemos em consonância com as normas constitucionais vigentes, nos termos a seguir: Em que pese a grave crise vivenciada no particular contexto histórico atual, bem como a pressão social de combate à impunidade, à posição assumida pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, divulgada em 18 de março de 2016, favorável ao pedido de impeachment da Senhora Presidente da República, não representou, pois, consenso entre os membros da classe, razão pela qual deliberamos em DISCORDAR, veementemente, do posicionamento da entidade.

A análise dos requisitos para o início do processo de impedimento da Chefe do Poder Executivo ou impeachment é de cunho jurídico e não político, devendo, necessariamente, ser fundamentado em argumentos técnicos, sob à luz dos sagrados princípios constitucionais da ampla defesa e do contraditório. Na presente hipótese, entendemos que inexiste qualquer prova de crime de responsabilidade cometido pela então Presidente Dilma Rousseff no exercício do seu mandato, conforme exige a Constituição Federal.

O instituto do impeachment perfaz medida anômala e excepcionalíssima, cuja banalização deve ser rechaçada, sendo certo que, no momento, seus efeitos são presumivelmente mais danosos para nossa recente democracia advinda após duros e sofridos 21 (vinte e um) anos de regime militar. Nossa maior resposta aos anseios sociais, neste período conturbado, deve ser a defesa intransigente e radical das garantias constitucionais, considerando que o Estado Democrático de Direito sofre severa ameaça com a adoção de outra posição.

A classe advocatícia deve permanecer fiel à Constituição Federal e à solidez do Estado Democrático de Direito, não podendo compactuar com sua mitigação por qualquer seguimento da sociedade civil ou instituição jurídico-política. Por oportuno, registramos que a discordância em relação à posição do Conselho Federal, não representa, em absoluto, a intenção de dividir a nossa valorosa Ordem dos Advogados do Brasil, mas tão somente externar a posição pessoal enquanto cidadãos de seus signatários, que ora se faz divergente daquela adotada pela OAB.

Por ocasião, esclarecemos que somos favoráveis às investigações instauradas por meio da chamada “Operação Lava Jato”, desde que sejam atendidos os parâmetros legais, em que toda e qualquer denúncia de corrupção, envolvendo a quem quer que seja, deva, impreterivelmente, obedecer às premissas da legalidade e do Estado Democrático de Direito. Posicionamo-nos, finalmente, pela defesa do Princípio da Legitimidade Popular, conquanto a atual Presidente da República foi democraticamente eleita, em votação livre, direta e com a expressiva marca de mais de 54 milhões de votos, o que deve ser soberanamente respeitado; caso contrário, representaria inegável retrocesso na luta pela democracia.

Assim, estamos juntos em favor do Estado de Democrático de Direito e da Constituição Federal brasileira, afirmando que essa é nossa maior bandeira, nosso maior partido.

Familiares de um desembargador teriam recebido R$ 1.5 milhão da nossa Assembleia Legislativa

Enquanto a Gol tem um prejuízo enorme, um desembargador potiguar está tranquilo e sua família não tem prejuízo.

O magistrado que não perde nada, segundo informações colhidas no Portal da Transparência da Assembleia Legislativa, sua esposa, uma filha e mais uma enteada teriam recebido aproximadamente R$ 1.5 milhão.da Assembleia, de 2011 até 2016.

O soldado Vasco, está investigando tal informação e sendo verdadeira vai publicar o nome do desembargador que não estaria perdendo nada no erário potiguar.

Parece que a esposa pediu demissão  para ser candidata à prefeitura de um município do interior.

 

 

Gol tem prejuízo de R$1,13 bi no 4º tri e revisa projeção de corte de decolagens

Reuters

A aérea Gol apurou prejuízo líquido de 1,13 bilhão de reais no quarto trimestre, aumento de 79 por cento ante o resultado negativo de um ano antes, influenciado por menores receitas e maiores custos, o que a fez revisar projeção de corte na oferta em 2016.

Em 2015, a Gol teve prejuízo de 4,29 bilhões de reais, aumento de 284 por cento sobre o resultado negativo de 2014, afetado pelo impacto da desvalorização do real e do bolívar venezuelano frente ao dólar nas despesas operacionais e sobre o saldo dos passivos financeiros.

De outubro a dezembro, a empresa teve geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e aluguel de aeronaves (Ebitdar) de 398,9 milhões de reais, queda de 17,3 por cento contra o mesmo trimestre um ano antes.

A receita operacional líquida totalizou 2,65 bilhões de reais no trimestre, baixa de 2,8 por cento sobre os últimos três meses de 2014, resultado do menor volume de passageiros.

O resultado vem após uma queda de 8,8 por cento na demanda total e recuo de 4,8 por cento na oferta total de assentos da companhia no quarto trimestre, com baixa de 3,3 pontos percentuais na taxa de ocupação das aeronaves.

O yield, indicador que mede preços de passagens, subiu 4,5 por cento.

Os custos e despesas operacionais avançaram 7,3 por cento no quarto trimestre na comparação anual, a 2,75 bilhões de reais.

Com isso, a Gol informou projeção de reduzir entre 15 e 18 por cento o volume total de decolagens em 2016. A projeção anterior da empresa era reduzir de 4 a 6 por cento o volume de decolagens nacional no primeiro semestre.

A oferta total deve cair entre 5 e 8 por cento no ano.

Seridó alegre com muitas chuvas

Rio Sabugi (foto: Israel Galvão)
São João do Sabugi – Serra do Mulungu (foto: Israel Galvão)

Nosso Seridó potiguar está debaixo d’água. Segundo o blog do primo Robson Pires nos últimos dias foram registradas grandes precipitações. Vários reservatórios de pequeno e médio porte sangraram, os grandes reservatórios foram realimentado e receberam bons volumes de água.

Mantida à tendencia de chuvas, teremos um inverno regular.

210 mm: Sítio Marca (Jardim do Seridó)
175 mm: Comunidade Rajada (Carnaúba dos Dantas)
145 mm: Açude Gargalheiras (Acari)
130 mm: Sitio Picos
122 mm: Riacho dos Cavalos/PB
110 mm: Barro Vermelho
105 mm: Fazenda Jerusalém e sitio Arapuá
100 mm: Sítio Barra da Maniçoba
98 mm: Serra Negra do NOrte (zona urbana) e sítio Entre Serras
97 mm: Fazenda Rolinha
90 mm: Brejinho
89 mm: Ipueira (zona urbana)
85 mm: Sítio Volta (Timbaúba dos Batistas) e sítio Frutuoso
80 mm: Barra do Caimbra
78 mm: Furna da Onça
75 mm: Sítio Pitombeira
72 mm: Casa NOva de Brejinho
70 mm: Sítio Água Doce e Logradouro dos Enéas
60 mm: Equador (zona urbana), sítio Volta do Som (Timbaúba dos Batistas), Riacho da Roça e sítio Riacho da Roça (Caicó)
59 mm: Sítio Cachos
55 mm: Sítio Saquinho
50 mm: Sítio Poção e Ouro Branco (zona urbana)
40 mm: Distrito Palma
39 mm: Sítio Alecrim
38 mm: Brejo do Cruz/PB
30 mm: Sítio Conceição
25 mm: Brasilgás (Caicó) e Varzea Redonda
23 mm: Sítio Umarizeiro (São Fernando)
15 mm: São José do Seridó (zona urbana)
16 mm: Maynard (Caicó)
14 mm: Boa Passagem (Caicó)
12 mm: Barra da Espingarda
10 mm: Jucurutu (zona urbana)

O Blog do Primo tinha razão

O Blog do Primo deu em primeira mão e depois Vera Magalhães da Veja Online publicou.

Pressão de correligionários forçou demissão de Henrique Alves

Por Vera Magalhães


A decisão de Henrique Eduardo Alves de se antecipar à reunião do PMDB sobre o rompimento com o governo e entregar o Ministério do Turismo foi praticamente arrancada a fórceps.
Um dos mais próximos aliados do vice Michel Temer, Alves empreendeu esforços hercúleos para virar ministro, quando as relações entre o vice e Dilma Rousseff ainda eram boas.
Diante dos vários estremecimentos posteriores, ignorou iniciativas como a do colega Eliseu Padilha, que deixou o governo ainda no ano passado.
Agora, Alves seguia o mesmo roteiro, mas se viu pressionado, além da tropa de choque de Temer, por correligionários do Rio Grande do Norte. A cobrança aumentava e o constrangimento também.
Há alguns dias, Garibaldi Alves, que é primo de Henrique e, assim como ele, foi ministro de Dilma, se deixou fotografar recebendo um pixuleco do ex-presidente Lula.
Diante do quadro, só restou a Henrique entregar a chorosa carta de demissão.

Bom entendedor de bola, deputado saco preto Rogério Marinho é membro da CPI da Fifa

Muitas bolas por trás de Micarla e Rogério Marinho

A Câmara dos Deputados instalou nesta terça-feira (29) a comissão parlamentar de inquérito para investigar as denúncias de crimes cometidos por dirigentes da Fifa, entre eles o brasileiro José Maria Marin, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Três tucanos são integrantes titulares: Otavio Leite (RJ), Silvio Torres (SP) e o deputado saco preto, Rogério Marinho do RN, este último escolhido como vice-presidente do colegiado.

Investigação feita pela Justiça dos Estados Unidos aponta para a existência de um esquema mundial de propinas e subornos relativo a comercialização de jogos e direitos de marketing de competições de futebol. Juntamente com outros seis cartolas, o cartola brasileiro foi detido em maio do ano passado na Suíça, mas hoje cumpre prisão domiciliar em Nova York. “Vamos nos debruçar sobre os fatos divulgados e a implicação de tudo isso no futebol brasileiro. Vamos fazer nosso trabalho no sentido de modernizar, qualificar e dar maior transparência ao nosso futebol”, disse Rogério Marinho.

O deputado está na lista da Odebrecht apreendida pela Polícia Federal onde supostamente estão 316 pessoas que teriam recebido propinas da construtora.

#RenunciaTemer é a hashtag mais comentada no Twitter

Do UOL, em São Paulo

A hashtag #RenunciaTemer, que desde a manhã desta terça-feira (29) estava entre os assuntos mais comentados pelos brasileiros no Twitter, ganhou ainda mais força após o PMDB oficializar a sua saída do governo.

O termo que ocupava a sexta posição assumiu a liderança no ranking do microblog. Por volta das 16h50, mais de 47,3 mil tuítes citavam hashtag, alguns deles acusando Michel Temer de traidor e outros defendendo a postura do vice-presidente contra o PT.

O assunto também foi tratado com muito humor e ganhou muitos memes.

PMDB rompe com o Governo Federal e Cunha comemora

R PMDB

Ao anunciar a saída do PMDB da base do governo, o senador Romero Jucá (RR), que a classificou como “histórica”, afirmou que nenhum integrante do partido está autorizado a ocupar cargos no governo em nome da legenda.

O rompimento do PMDB com o governo vinha sendo defendido há alguns meses por integrantes do partido como o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que, em julho de 2015, anunciou seu afastamento pessoal da base governista. O PMDB é o maior partido do Congresso Nacional com 68 deputados federais e 18 senadores.

A decisão foi por aclamação.

Aécio diz que saída do PMDB “fecha caixão” do governo; mostra disposição a colaborar com Temer

Reuters

BRASÍLIA – O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse nesta terça-feira que o desembarque do PMDB do governo da presidente Dilma Rousseff fecha o caixão da gestão da petista, e afirmou que os tucanos estão dispostos a colaborar em um eventual governo liderado pelo vice-presidente Michel Temer.

Dilma é alvo de um pedido de abertura de processo de impeachment que tramita em comissão especial na Câmara dos Deputados, e o rompimento do PMDB com o governo, que deve ser oficializado nesta terça, complica as chances de o governo ter os votos necessários para barrar o impedimento.

“O governo Dilma acabou. A saída do PMDB fecha a tampa de um caixão de um governo moribundo que não tem mais condições mínimas para sinalizar o que todos nós queremos, a retomada do crescimento, a geração de empregos, a melhoria dos indicadores sociais”, disse o tucano em entrevista a correspondentes estrangeiros.

“A saída do PMDB levará com ele outras forças partidárias que ainda sustentavam o governo”, acrescentou.

Aécio disse ter se reunido com Temer e oferecido ao vice, que também preside o PMDB, apoio em um governo de transição, que assumiria o país em caso de impeachment de Dilma. O tucano garantiu que não condicionou o apoio a cargos, alegando que ocupar ministérios em um eventual governo Temer “não é prioridade para o PSDB”.

“A nossa primeira aliança deve ser em torno de um programa mínimo e emergencial”, disse. “Nós estaremos dispostos a construir um ambiente adequado para que essa agenda emergencial possa ser colocada em curso.”

O PMDB reunirá nesta tarde seu diretório nacional e deve decidir por aclamação pelo rompimento do partido, o maior da base aliada, com o governo da presidente Dilma Rousseff.

(Reportagem de Anthony Boadle)