TJRN nega mais um pedido de Habeas Corpus para ex-governador Fernando Freire

camara_criminal

A Câmara Criminal do TJRN negou, na sessão desta terça-feira (12), o oitavo pedido de Habeas Corpus movido em favor do ex-governador do Estado, Fernando Freire. Com a decisão, à unanimidade dos votos e que teve a relatoria da desembargadora Maria Zeneide Bezerra, o órgão julgador manteve a prisão do ex-chefe do Executivo, que permanecerá detido no Comando Geral da Polícia Militar, em Natal.

A defesa requeria que fosse concedida a ordem de Habeas Corpus para revogar a prisão preventiva decretada ao réu, para que Freire pudesse aguardar em liberdade o trânsito em julgado da condenação, que é objeto da Ação Penal nº 0028191-84.2004.8.20.0001. Para os advogados, o réu não foi encontrado em apenas um feito e a manutenção da prisão tipificaria uma suposta prática de “dois pesos e duas medidas”.

No HC, o advogado Flaviano da Gama Fernandes, alegou, dentre outros pontos, que em nenhum momento foi “subtraída” a necessidade de aplicação da lei penal e pedia a imposição das medidas alternativas previstas no artigo 319 do Código de Processo Penal, a exemplo das reconhecidas e concedidas pelo Superior Tribunal de Justiça em outro processo.

Governador do estado no ano de 2002, Fernando Freire foi condenado a mais de seis anos de prisão, além de multa de R$ 217 mil, em sentença proferida pela 4ª Vara Criminal de Natal, a qual apreciou as acusações de que Freire, junto à servidora pública Katya Maria Caldas Acioly, desviou em esquema fraudulento, a importância de R$ 4.455,00 em seu proveito.

Avemaria: até a paróquia de São Pedro é suspeita de receber propina na Lava Jato

A paróquia São Pedro, em Taguatinga (DF), é alvo da Lava Jato
A paróquia São Pedro, em Taguatinga (DF), é alvo da Lava Jato

A 28ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Vitória de Pirro, estendeu as investigações à uma paróquia de Taguatinga (DF). Segundo denuncia, a paróquia São Pedro é investigada pelo recebimento de R$ 350 mil.

De acordo com as investigações, o ex-senador Gim Argello (PTB-DF), preso hoje, cobrou propina de duas construtoras (UTC e OAS) para evitar a convocação empreiteiros em CPIs da Petrobras. Os R$ 350 mil pagos pela OAS foram depositados em uma conta corrente da paróquia.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (12), Athayde afirmou que a igreja “sempre foi frequentada” pelo ex-senador. Por determinação de Argello, a paróquia recebeu o pagamento em uma conta própria.

“Os levantamentos dão conta de que a paróquia foi indicada para representantes da OAS fazerem depósito em maio de 2014. A OAS fez o pagamento de R$ 350 mil à paróquia, para uma conta corrente da própria paróquia.

Lilico Bezerra e Vovô Parnamirim também recebem parabéns pelos aniversários

Lilico

Hoje também estão aniversariando o pré-candidato a vereador de Natal e empresário Lilico Bezerra, filho do suplente de senador Theodorico Bezerra Neto e bisneto no major Theodorico Bezerra que foi vice-governador e deputado federal por vários mandatos além de ser presidente do antigo PSD do RN.

Outro aniversariante é o empresário da construção civil e engenheiro Carlos Magno, conhecido pelos amigos como “Vovô Parnamirim”.

Vovô Parnamirim

Vovô Parnamirim será homenageado no Café Pé de Moleque localizado no CCAB Norte num encontro, às 16hs, organizado pelo seu amigo Jorge o Grande e seu presente deverá ser pacotes de fraudas descartáveis  para idosos do abrigo Jovino Barreto

Quem quiser parabenizar Lilico pode ligar para o celular 99993-3500 e Vovô Parnamirim pelo celular 99811-0445.

Temer planeja lançar campanha pró-impeachment nas redes sociais, diz Mônica Bergamo

Michel Temer (PMDB-SP) deve se reunir nesta terça (12) com assessores para discutir campanha nas mídias sociais a favor do impeachment patrocinada pelo PMDB. Uma das ideias é a de divulgar ainda mais o áudio em que o vice-presidente fala como se o impedimento já tivesse sido aprovado, e que foi distribuído na segunda (11) a um grupo de parlamentares da legenda pelo próprio vice, por WhatsApp.

 

Primeira-dama parabeniza governador pelo natalício

Julianne Faria aproveitou o dia do aniversário de Robinson para dar um testemunho,  sobre seu marido, pai e como homem público, em seu perfil no facebook.

Será celebrada uma missa em Ação de Graças pelo aniversário do governador  às 19h, na Paróquia de Nossa Senhora da Esperança, na Rua Pernambuco, no bairro de Cidade da Esperança, em Natal.IMG_0463IMG_0464

Homem é preso com R$ 16 mil perto de manifestação em Brasília

Homem explicou a origem do dinheiro e foi liberado pela Polícia

José Carlos dos Santos, 44 anos, que carregava uma mochila com R$ 16 mil em espécie foi preso nesta segunda-feira (11) na área central de Brasília próximo de onde acontecem manifestações contra o impeachment. Ele foi levado para a 5ª Delegacia de Polícia, na área central da cidade, prestou seus esclarecimentos, declarou a origem do dinheiro e foi liberado.

Segundo a Polícia Militar, o homem foi preso ainda no início do protesto. Ele foi abordado porque estava sozinho em uma esquina e carregando uma mochila. Os agentes o abordaram a procura de armas brancas e acabaram por encontrar a quantia em dinheiro.

José Carlos afirmou que o dinheiro é fruto de uma indenização trabalhista que recebeu por um acidente de trabalho. De acordo com a PM, os argumentos não convenceram e o homem apresentava sinais de embriaguez.

José Carlos dos Santos, 44 anos, carregava R$ 16 mil em espécie

Em nota, o Movimento Sem Terra (MST), que organizou as manifestações contra impeachment nesta segunda, afirmou que “José Carlos não integra o movimento, nem sua base militante e nem suas instâncias diretivas”. O MST aproveitou repudiar a “tentativa de criminalização do movimento”

Lula quer pegar Henrique Alves pelo pé

lula_discurso

Em discurso no Rio de Janeiro na noite de ontem (11), antes do show de encerramento do ato da Cultura pela Democracia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nomeou os homens que, segundo ele, estão por trás da conspiração golpista contra a presidenta Dilma Rousseff: “Vejam quem quer tirar a Dilma. Primeiro, Temer; segundo, Eduardo Cunha; terceiro, Geddel (Vieira Lima); quarto, Henrique Eduardo Alves; quinto, Wellington Moreira Franco, que foi governador deste estado”.

Todos são do PMDB. Geddel, com Lula, Moreira Franco e Eduardo Alves (com Dilma), este até duas semanas atrás, foram ministros dos governos petistas. “Nunca imaginei que, eu, aos 70 anos, a gente ia ver golpista tentando tirar uma presidente eleita”. O ex-presidente afirmou que a vitória da oposição na Comissão Especial do Impeachment, por 38 a 27, “não quer dizer nada”. “(A decisão) é domingo no plenário”, afirmou. Para aprovar o impeachment, a oposição precisa de 342 votos.

Henrique Alves quer voltar por cima da carne seca com a queda de Dilma

O ex-deputado Henrique Alves está dedicando todo seu tempo nas articulações para Temer derrubar Dilma. Ele está até fazendo campana no hotel onde o ex-presidente Lula instalou um escritório para articular apoios de deputados contra o impeachment.

Derrotado na eleição passada para o governo do RN, exonerado do Ministério do Turismo, Henrique enxerga a posse de Temer na Presidência da República como uma maneira de voltar por cima da carne seca.

Se Dilma cair ele sobe, caso ela não caia, ele vai prestar contas com Lula que disse ontem na manifestação dos artistas a favor de Dilma que vai pegar ele pelo pé.

Governista solitário defendeu Collor em comissão do impeachment que derrotou presidente de lavada

24-08-1992: Fernando Henrique Cardoso; José Genoino e José Dirceu durante a leitura do relatório da CPI do PC Farias, em Brasília (DF). (Foto: Aílton de Freitas/Folhapress)

POR RODRIGO VIZEU

A oposição venceu de lavada na comissão especial que analisou o pedido de impeachment de Fernando Collor.

O parecer do deputado Nelson Jobim (PMDB-RS), favorável ao afastamento do presidente, foi aprovado por 32 votos.

O presidente da comissão, o governista Gastone Righi (PTB-SP), se absteve. Só um parlamentar votou contra o relatório: o líder do governo, Humberto Souto (PFL-MG), que anos depois seria ministro do Tribunal de Contas da União.

Com exceção de Souto, ninguém defendeu o governo Collor na sessão de votação do colegiado ocorrida em 24 de setembro de 1992.

O líder governista atribuiu parte do movimento pró-impeahment a “grandes interesses” contrariados pela “corajosa política de modernização do país” de Collor.

Os demais membros da base aliada se retiraram, computando 15 ausências na votação.

Entre os ausentes que ainda hoje integram o cenário político, estavam os governistas Roberto Jefferson (RJ), pivô do mensalão e condenado sob acusação de integrar o esquema, Pedro Corrêa (PE), condenado no mensalão e no petrolão, e Abelardo Lupion (PR), ruralista hoje no DEM.

Votaram pelo impeachment Aldo Rebelo (PC do B), atual ministro da Defesa, e os petistas Hélio Bicudo, José Dirceu e José Genoino, os dois últimos condenados no julgamento do mensalão (e na foto acima com o então senador Fernando Henrique Cardoso).

Apesar do resultado numericamente confortável, a oposição se inquietou com o fato de não ter alcançado o quórum de dois terços dos votos, exigido para o impeachment quando a votação ocorresse no plenário, o que se previa que ocorreria em 29 de setembro.

Temer teve contato telefônico com Fábio Faria

O deputado federal Fábio Faria estava com seu colega deputado Hugo Mota que recebeu uma ligação do vice-presidente Michel Temer.

Temer ao saber que Fábio estava perto, pediu ao deputado Hugo para cumprimentar Fábio e conversar com ele aproveitando a ligação. Fábio que tem muita influência no PSD conversou com Temer sobre a atual situação política do Brasil.