Quando uma vice-prefeitura vira uma mercadoria

O negócio está em curso, os Alves sabendo que nesta eleição não haverá doações de empresas, apenas de pessoas físicas, o modo de captação de recursos mudou de lado: em vez das grandes empresas, agora é a vez dos comerciantes e pessoas físicas.

Para isso, os Alves, Garibaldi, Henrique e Carlos Eduardo, estão negociando a vice-prefeitura com Marcelo Queiroz que é presidente licenciado da FECOMÉRCIO representante de todos os comerciantes do RN.

O pleno é o seguinte: o comerciante Marcelo Queiroz terá que listar 500 grandes comerciantes para colaborar, cada um, com R$ 6 mil, em três parcelas de R$ 2 mil, e mais 1.000 médios comerciantes com 3 parcelas de R$ 1 mil. É um verdadeiro crediário político.

Com isso , Marcelo da FECMÉRCIO vai arrecadar R$ 6 milhões e adquirir o direito de ser o candidato a vice-prefeito de Carlos Eduardo Alves.

Como todo mundo tá vendo na Lava Jato, ninguém dá nada a político de graça, sempre tem alguma coisa em troca, dizem as más línguas que no caso de Marcelo Queiroz assumindo à Prefeitura de Natal ele vai facilitar o pagamento dos milhares de comerciantes que estão devendo ao erário municipal. O dinheiro os impostos devidos pelo comércio que iria para saúde, educação, transporte, pavimentações de ruas e recuperação de praças, voltarão para os cofres dos comerciantes que colaboraram financeiramente na campanha de Carlos Eduardo Alves.

Henrique, Garibaldi e Carlos Eduardo Alves, segundo o soldado Vasco, já teriam transformado vendido a vice-prefeitura.

Os deputados Hermano Morais e Álvaro Dias que não tem grana para para comprar a vice, serão apenas cabos eleitorais..

 

Outra sede do PT é depredada em São Paulo

Sede do PT é depredada em São Paulo - Alexandre Padilha/TwitterA sede do Diretório Nacional do PT, localizada na região central de São Paulo, foi depredada na madrugada desta quinta-feira (30). Uma porta de vidro ficou completamente destruída. Segundo a assessoria de imprensa do PT, por volta de 1h15, um segurança ouviu um barulho e viu um homem quebrando a porta com uma picareta.

Ainda segundo o partido, um carro da Polícia Militar apareceu logo em seguida e levou o suspeito para registrar um boletim de ocorrência. Procurada pela reportagem, a Secretária de Segurança Pública de São Paulo disse não ter informações sobre o ataque

Defendendo o produtor de leite Cição Bandido dispara: “só quem está mamando é o político, o povo tem que mamar também”

O POVO TEM QUE MAMAR TAMBÉM, DIZ CIÇÃO BANDIDO

Depois de ter uma votação consagradora para deputado federal em Caicó, Cição Bandido caminha a passos largos para uma candidatura a vereador.

Cição não vai apoiar nenhum candidato a prefeito, ele vai fazer uma campanha independente defendendo os produtores de leite que estão sacrificados com o baixo preço praticado e as restrições sanitárias que impede a comercializações do queijo e demais produtos artesanais derivados produzidos em Caicó e região.

“O leite é uma grande e importante fonte de renda para o pequeno produtor do Seridó, temos que valorizar esse produto para melhorar a qualidade de vida do nosso vaqueiro”. afirma Cição.

“Aqui no Estado e no Seridó, só quem estão mamando são os grandes políticos, vamos mudar essa realidade em Caicó, o povo tem que mamar também”, disse o primo Cição.

Quando Cição Bandido diz que apenas os políticos estão mamando, ele quer dizer que o povo também tem que receber atenção dos poderes públicos segundo ele o dinheiro público só está servindo para beneficiar os políticos em detrimento dos pobres.

Pelo visto Cição poderá repetir uma votação consagradora em Caicó.

 

 

Atendendo Túlio Lemos, o deputado Fábio Faria intercede junto ao Governo Federal para não fechar posto da Receita Federal em Macau

Atendendo pedido do pré-candidato a prefeito de Macau, Túlio Lemos (PSD), o deputado federal Fábio Faria (PSD) encaminhou ao Ministério do Planejamento pedido de informação sobre o fechamento do posto de atendimento da Receita Federal na cidade.

No requerimento protocolado junto à Mesa Diretora da Câmara, Fábio solicita que a Receita reconsidere a decisão de fechar a unidade, marcada para o dia 1o.

 

“A Agência da Receita Federal de Macau atende a uma população de cerca de 84 mil habitantes, tendo jurisdição não somente em Macau, mas nos municípios de Pendências, Alto do Rodrigues, Guamaré, Galinhos e Jandaíra. São prejuízos incalculáveis à população que depende dos serviços que são prestados exclusivamente pela Receita”, justifica Fábio Faria.

 

Fábio requereu uma planilha de custos de manutenção do Posto, benefícios e impactos sociais esperados com o fechamento da agência.

Primo Carlinhos Cachoeira foi novamentepreso pela Polícia Federal

Cachoeira e sua esposa de férias na Bahia

O empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foi preso na manhã desta quinta-feira (30), no condomínio de luxo em que mora, em Goiânia. Um vídeo exclusivo da TV Anhanguera mostra o momento em que ele deixa o local. O contraventor é um dos alvos da Operação Saqueador, que visa prender pessoas envolvidas em uma esquema de lavagem de R$ 370 milhões em verbas públicas.

A ação é realizada pelo Ministério Público Federal em parceria com a Polícia Federal. Também há mandados de prisão contra Adir Assad e Fernando Cavendish, que é dono da empresa Delta Construções. O ex-diretor da Delta Cláudio Abreu foi preso em outro condomínio de luxo de Goiânia.

Advogado de Cachoeira, Antônio Nabor Bulhões disse que ficou sabendo da prisão no início da manhã, após uma ligação da esposa do cliente, Andressa Mendonça. O advogado informou que irá se inteirar do caso para se pronunciar.

Por volta das 7h, a PF esteve na casa de Fernando Cavendish, mas os agentes descobriram que empresário está no exterior. A casa de Cavendish fica na Rua Delfim Moreira, um dos endereços mais caros do Rio de Janeiro. Os policiais chegaram ao local por volta das 6h25.

Além de Goiás e Rio de Janeiro, a operação é realizada em São Paulo. Segundo o Ministério Público Federal, dentre os denunciados estão executivos, diretores, tesoureira e conselheiros da empreiteira, além de proprietários e contadores de empresas fantasmas, criadas por Carlinhos Cachoeira, Adir Assad e Marcelo Abbud.

Depois de ter seu nome citado por delator da Lava Jato, senador Garibaldi Alves quer se limpar nas águas do São Francisco

Garibaldi Alves ainda está entalado com a delação de Sérgio Machado

Depois de aparecer na delação do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, como beneficiário de dinheiro das empresas da Lava Jato, o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), para despistar e sair na mídia positiva, invetou de  comemorar anúncio do governo de Michel Temer de que terão continuidade algumas obras iniciadas em governos anteriores. Ele informou que a transposição do Rio São Francisco é uma dessas obras, ressaltando que essa obra é essencial para o Nordeste, que vive a pior seca dos últimos 50 anos. Ele disse que os reservatórios da região estão exauridos, estando alguns com menos de 20% de sua capacidade.

Para desviar o assunto do seu nome e do seu filho Walter Alves na Lava Jato,  Garibaldi lembrou que a obra de transposição foi iniciada no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, teve continuidade na gestão de Dilma Rousseff e, agora, faltam apenas 15% para conclusão da etapa civil das obras. Ele disse que é também essencial a conclusão de obras auxiliares para que as águas do Rio São Francisco cheguem a quem delas necessita.

Caso os políticos, como ele, envolvidos na Lava Jato não tivessem recebido tando dinheiro das construtoras, certamente as obras de transposição do Rio São Francisco já estariam concluídas, disse o soldado Vasco indignado com a sabedoria de Garibaldi.

Prefeito Carlos Eduardo Alves não paga débito e hospital suspende cirurgias

O PREFEITO AVON SÓ TEM GRANA PARA GASTAR COM FESTAS E MAQUIAGENS EMBELEZANDO CANTEIROS, DISSE UM CIRURGIÃO PREOCUPADO COM PACIENTES IDOSOS QUE ESPERAM CIRURGIAS

A gestão do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves,  não pagou o débito financeiro que tem com o Hospital Memorial, que suspendeu as cirurgias ortopédicas para o Município.

A administração do hospital destaca que, mesmo diante desse quadro, algumas cirurgias vinham sendo realizadas. “Agora, os pacientes mais graves também ficarão sem atendimento a partir desta quarta-feira, 29/06, já que as cirurgias ortopédicas dependem da grade completa de numeração das próteses e itens especiais [que estão em falta]”.

A Secretaria Municipal de Saúde alega falta de recursos para sanar a situação. No entanto, o hospital memorial diz que o valor correspondente para cobrir as despesas já foi liberado pelo governo federal.

Fernando Lucena dispara: “O prefeito tem usado o TJ como bode expiatório”

lucena

Agora RN

 

O prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), através da Ação Direta de Inconstitucionalidade, se posicionou contrário aos novos critérios para cobrança administrativa e judicial dos créditos tributários e não-tributários do ente público, situação proposta pelos vereadores da Câmara Municipal de Natal em plenário.

Os desembargadores que integram o Pleno do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) e que votaram pela procedência do pedido feito pelo prefeito foram taxados pelo vereador Fernando Lucena (PT) como ‘bodes expiatórios’. O parlamentar acusa, ainda, que o prefeito quer ‘sugar’ os pobres enquanto deixa de fiscalizar órgãos como, por exemplo, o Seturn.

“Infelizmente, nós vemos um ódio grande do prefeito contra os pobres. Enquanto isso, as empresas de ônibus correm frouxas sem pagar quase nada. A STTU segura 90 e prescreve 40% das multas, e nesse jogo vai embora alguns milhões. O prefeito prefere ir atrás dos miseráveis, que ganham e sobrevivem com um salário mínimo. E o que é mais grave: ele está usando o TJ e seus desembargadores como verdadeiros bodes expiatórios”, atacou.

Entre as cobranças da Ação Direta, figuram o IPTU, a Taxa de Limpeza Pública (TLP) e a Taxa de Iluminação Pública (TLP).

Aécio Neves está fugindo do saco preto Rogério e marsupial Márcia Maia

Rogério e Márcia

Pensando em ser candidata à prefeita de Natal, a deputada Mércia Maia condicionou sua candidatura ao compromisso do senador Aécio Neves conseguir dinheiro para ela gastar na campanha.

Tanto ela como o deputado saco preto, Rogério Marinho tentaram falar com o senador Aécio, mas não foram recebidos.

Aécio tirou o corpo de banda e não recebeu a marsupial Márcia Maia e o saco preto Rogério Marinho.

Falar em dinheiro com Aécio neste momento de delação para campanha é o mesmo que falar em corda na casa de enforcado, diz o soldado Vasco.

 

Amigo de Henrique Alves e delator Fábio Cleto, disse que Eike Batista pagou propina a Cunha

AGUIRRE TALENTO
MÁRCIO FALCÃO
DE BRASÍLIA

Em sua delação premiada, o ex-vice da Caixa Econômica Federal, amigo e indicado por Henrique Alves,  Fábio Cleto ,relatou que uma empresa de Eike Batista pagou propina a ele próprio e ao deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para obter recursos do fundo de investimentos do FGTS.

Cleto era integrante do conselho do FI-FGTS e opinava nas liberações dos recursos para empresas. Sua delação premiada foi homologada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) há duas semanas e está sob sigilo.

Os citados negam envolvimento com irregularidades.

A Folha apurou junto a investigadores que a delação aponta pagamento de propina para uma aquisição de debêntures de R$ 750 milhões da empresa LLX, braço de logística do grupo de Eike, que já foi considerado o homem mais rico do Brasil.

As debêntures da LLX, que são uma espécie de título de dívida, foram adquiridas pelo fundo de investimentos do FGTS em 2012. Depois disso, o FI-FGTS liberou recursos para a construção de um porto, à época um dos megaprojetos de Eike.

Em sua delação, Fábio Cleto afirmou que a liberação desses recursos envolveu o pagamento de propina pela empresa, mas não disse ter tratado diretamente com Eike Batista sobre o assunto.

A Folha apurou junto a pessoas próximas das investigações que Cleto detalhou ter recebido ao menos R$ 240 mil da LLX e afirmou que Cunha também recebeu propina, mas sem detalhar os repasses ao peemedebista por não ter participado da operacionalização do pagamento.

Segundo Cleto, o operador de Cunha era o corretor de valores Lúcio Bolonha Funaro, aliado do peemedebista.

A cobrança dos valores, de acordo com Cleto, era feita diretamente por Cunha. Segundo seu relato, Cleto só se reunia com integrantes das empresas para tratar de questões técnicas sobre o projeto e a deliberação no FI-FGTS, mas não conversava com eles sobre pagamentos.

O ex-vice da Caixa também relatou que a maior parte da propina recebida por ele nessas operações ocorria por meio de contas no exterior, como no Uruguai.