Arquivos diários: 20/04/2017

Decepcionados com Alves, Maia e Robinson, estão fazendo romaria para Claudio Santos

Diante do desgaste da classe política potiguar, com uma grande fadiga de estrutura dos caciques políticos, existe um grande descontentamento com Alves, Maia e também com o governador Robinson Faria. Essas pessoas que já tiveram algum tipo de decepção com os tradicionais líderes das oligarquias, estão migrando para uma nova força política que discretamente está em gestação. O envolvimento dos caciques na Lava Jato contribui para o enfraquecimento eleitoral dos chamados dinossauros da política potiguar.

O desembargador Claudio Santos deverá ser o depositário dessas pessoas que não querem votar em Robinson, Alves e Maia..

Claudio Santos tem sido imensamente e espontaneamente  procurado por lideranças municipais afirmando apoio em caso dele ser candidato a governador.

Uma fonte do Blog do Primo disse que a romaria procurando do desembargador é grande.. Ele recebe todos, mas mantém a discrição exigida ao magistrado.

Hoje, tem gente afirmando que Claudio Santos poderá antecipar seu pedido de aposentadoria.

Senadora Fátima Bezerra solicita providências ao ministro do Turismo em favor do RN

ministro vemEm audiência com a presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo, senadora Fátima Bezerra, o ministro do Turismo, Max Beltrão, confirmou sua vinda à comissão no próximo dia 17 de maio. Na ocasião, o gestor da pasta apresentará as diretrizes e metas do ministério.

Fátima ainda apresentou as demandas do estado, na área de promoção do turismo, como a liberação de recursos para o Centro de Convenções de Natal e o Museu da Rampa. Também foram tratadas as demandas dos municípios, na área de projetos de infraestrutura turística, e o fortalecimento dos cinco polos turísticos do Rio Grande do Norte.

Léo Pinheiro afirma que Lula o orientou a dar sumiço em documentos

Fausto Macedo, Julia Affonso e Ricardo Brandt

O empresário Léo Pinheiro, da OAS, fez um relato devastador nesta quinta-feira, 20, sobre o apartamento triplex do Guarujá e que pode complicar a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, réu da Lava Jato.

Segundo Léo Pinheiro, o petista o teria orientado a destruir provas de pagamentos via caixa dois ao PT no exterior. “Se tiver destrua!”, foi a ordem de Lula, segundo o empresário.

 

Tríplex do Guarujá era da família de Lula, diz Léo Pinheiro a Moro na Lava Jato

Andressa Rovani, Bernardo Barbosa e Daniela Garcia Do UOL
Léo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS, disse nesta quinta (20) em depoimento ao juiz Sérgio Moro que o apartamento tríplex no edifício Solaris, no Guarujá (SP), pertenceria ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) –apesar de, no papel, ser de propriedade da empreiteira. A defesa de Lula nega.

A declaração foi dada ao magistrado dentro de ação penal da Operação Lava Jato em que Pinheiro e Lula são réus por ocultação de bens. Segundo Pinheiro, o imóvel nunca foi colocado à venda por estar reservado para a família de Lula.

“Nunca [o tríplex] foi colocado à venda pela OAS. Eu tinha a orientação para não colocar à venda, que pertenceria à família do presidente. Em 2009, foi dito pra mim: Essa unidade, não faça nenhuma comercialização sobre ela, ela pertence a família do presidente.”

Em diálogo com o juiz Sergio Moro, Pinheiro fala sobre a propriedade do tríplex:

Continue lendo Tríplex do Guarujá era da família de Lula, diz Léo Pinheiro a Moro na Lava Jato

Rosalba Ciarlini circula em Brasília ladeada pelos potiguares da Lava-Jato, mostra blogueiro Carlos Santos

Rosalba prioriza em Brasília defesa contra Operação Lava Jato

O desembarque da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) essa semana de novo feriadão, em Brasília, não tem apenas uma agenda administrativa em curso. Há uma delicada pauta política sendo cumprida distante das câmeras e do roteiro oficial. Não poderia ser diferente.

Sua citação como suposta beneficiária de Caixa 2 para a campanha estadual de 2010, com recursos proveniente do farto capital espúrio da Construtora Norberto Odebrecht (veja AQUI e AQUI), mexeu com a imagem da governante. Emocionalmente, também.

Passou a ser prioridade que sejam estabelecidas estratégias de defesa judicial e reação no marketing pessoal-institucional, em face da dimensão que toma o rolo-compressor das delações premiadas de executivos da Odebrecht. Há uma metástase na classe política do país, com alcance de Mossoró e Rio Grande do Norte.

Depois de adernar, afundou sozinha. Vingou-se politicamente, ao avalizar em Mossoró a candidatura ao governo do seu vice-governador dissidente, Robinson Faria (PSD), contra o próprio Henrique, que recebeu apoio e fez aliança com Agripino. Eram as eleições de 2014.

Meses depois, Rosalba refluiu do afastamento. Começou novo processo de reaproximação de ambos, nos intramuros do delicado processo que colocava seus direitos políticos em jogo no âmbito do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Safou-se.

Rosalba, Henrique e Agripino juntos de novo

Henrique-com-Rosalba-em-audiência-no-Ministério-da-Cultura-com-ministro-19-04-17-300x198

Recomposição política fechada, Rosalba teve apoio de Henrique em minuciosa costura política às eleições municipais do ano passado, quando se elegeu pela quarta vez à Prefeitura de Mossoró. Agripino, por fissura nas relações entre Rosalba e sua liderada e ex-prefeita Cláudia Regina (DEM), ficou equidistante do prélio eleitoral. Contudo, sem se revelar alheio.

Agora e para 2018, os três estão umbilicalmente ligados por conjunção de interesses eleitorais e por apreensões relativas à Operação Lava Jato. A delação em escala industrial dos executivos da Odebrecht é apenas parte dos problemas que bate à porta dos três.

Informações de bastidores apontam que o pior se forma no tocante a outras delações, como dos executivos da construtora baiana OAS. Ela esteve à frente do consórcio que construiu o bilionário Arena das Dunas, equipamento multiuso utilizado em escassos jogos da Copa do Mundo de 2014.

Antes de qualquer hipotético embaraço com delações da OAS, Rosalba já vive às voltas com auditoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que produziu relatório que lhe compromete (veja AQUI e AQUI a sua posição sobre o caso). O problema veio à tona ano passado.

Por Carlos Santos

Dois assaltos são registrados na tarde desta quinta em Caicó

IMG_0917Ao menos dois assaltos foram registrados na tarde dessa quinta feira, 20 de abril, na zona oeste da cidade de Caicó. A PM agiu rápido e já conseguiu prender um dos suspeitos, e conduziu para a Delegacia.

De acordo com a polícia, o primeiro roubo aconteceu por volta das 13:20 horas, à Farmácia Barra Nova, que fica à margem da BR 427. Neste (foto acima) os bandidos conseguiram subtrair a quantia de R$ 1.000,00.

O segundo aconteceu por volta das 13:30 horas, na Panificadora Bom Sucesso, saída para o bairro Barra Nova. Um elemento chegou na garupa de uma moto, entrou sem tirar o capacete e anunciou o roubo com faca. O proprietário da Panificadora Bom Sucesso, Nélio, fez contato com o blog Jair Sampaio e confirmou que o local já registra o quarto assalto em 30 dias. “Este já soma o 4º assalto em apenas 30 dias”, disse o empresário.

Por Jair Sanpaio

Champs-Élysées é alvo de tiroteio às vésperas de eleições

Ansa

Tiros de arma de fogo foram ouvidos na noite desta quinta-feira (20) na Champs-Élysées, a avenida mais célebre de Paris, capital da França.

Segundo a emissora “BFMTV”, um policial teria morrido e outro estaria gravemente ferido. O autor dos disparos teria sido “abatido”. A região está sendo evacuada pelas forças de segurança, que pediram para a população evitar a zona, uma das mais movimentadas da capital francesa.

O episódio acontece a apenas três dias das eleições presidenciais na França e pouco mais de 24 horas depois da prisão de dois supostos terroristas que estariam planejando cometer atentados contra os candidatos.

Os suspeitos foram capturados em Marselha, onde a ultranacionalista Marine Le Pen faria um comício. Além disso, os serviços de segurança estão em alerta máximo para o risco de ataques na votação do próximo domingo (23). A França é o país da Europa que mais sofreu atentados terroristas nos últimos anos, incluindo o massacre na redação do jornal “Charlie Hebdo”, que matou 12 pessoas em janeiro de 2015, e a série de ataques na capital em novembro do mesmo ano, que fez 130 vítimas.

‘Não sou candidato a nada, nem a governador’, diz Doria em Lisboa

Auditório de seminário em Lisboa lotou com palestra do prefeito João Doria, solicitado para fazer selfies GIULIANA MIRANDA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, EM LISBOA

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a criticar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Partido dos Trabalhadores.

As declarações foram feitas durante passagem por relâmpago por Portugal para participar do 5º Seminário Luso-Brasileiro de Direito, organizado em Lisboa pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes.

“O Lula toda hora alfineta a população brasileira, mentindo e dizendo que vai voltar para salvar o Brasil. Salvar do quê? Dos três anos de recessão que ele e Dilma Rousseff entregaram de presente? Salvar os 13 milhões de desempregados que ele deixou na rua, os trabalhadores que ele devia defender?”, disse o tucano, em conversa com jornalistas depois do evento.

O prefeito aproveitou para criticar a corrupção no Brasil, afirmando que “R$ 8 billhões foram surrupiados” da Petrobras, além de mais R$ 42 bilhões de outras estatais.

“O maior assalto ao dinheiro público da história”, classificou.

João Doria voltou a falar que Lula deveria viajar para Curitiba, em uma alusão às complicações do petista com a Lava Jato e o juiz Sergio Moro.

“Lula quer salvar a imagem brasileira que ele colocou no chão internacionalmente? Ah, Lula, vá visitar Curitiba que você vai se dar melhor lá”, finalizou.

NEGOU CANDIDATURA

Apesar das críticas ao PT e ao ex-presidente Lula, o tucano negou que vá se candidatar a alguma coisa.

“Não sou candidato a nada, nem a governador nem a presidente da República. Sou candidato a ser um bom prefeito da minha cidade, a agir de forma correta, inovadora, honesta e transparente. É assim que vou dar a minha demonstração que o Brasil não precisa de Lula e não precisa de PT”,

Em entrevista a jornal dos EUA, Dilma compara Trump a Doria e Bolsonaro

A ex-presidente Dilma Rousseff durante palestra sobre o ataque à democracia e aos Direitos Humanos no Brasil no The Murphy Institute, em Nova YorkFOLHA DE SÃO PAULO

Em entrevista ao jornal americano “Washington Post”, publicada nesta quinta (20), Dilma Rousseff disse que é “muito possível” que o Brasil eleja um “outsider” equivalente ao presidente Donald Trump.

“Há alguns anos, diria que é impossível. Agora, acho que é muito possível. Na verdade, posso apontar algumas figuras que se parecem com ele”, afirmou.

Ela mencionou o prefeito paulistano João Doria (PSDB), descrito pelo jornal como um “empresário rico que já apresentou a versão de ‘O Aprendiz’ no país”. E Jair Bolsonaro (PSC), um político de “extrema-direita”, segundo o diário, que “saudou Trump publicamente e atualmente é um dos líderes para 2018 nas pesquisas de opinião”.

“Quando um governo se torna irrelevante, a política se torna irrelevante. Abre espaço para salvadores da pátria, para políticos que usam os símbolos e o marketing político e têm estratégias baseada na pós-verdade”, disse a petista.

A ascensão de figuras como Bolsonaro não a surpreende, segundo afirmou. Na entrevista, disse que o apoio a ele é parte do mesmo sentimento de raiva contra o status político, o que considera perigoso.

Ela atrelou sua deposição pelo Congresso ao futuro da democracia do Brasil e ressaltou a necessidade de realizar novas eleições para substituir o governo de seu vice, Michel Temer (PMDB).

Neste mês, Dilma tem percorrido universidades e outras instituições americanas em palestras. A agenda começou na Brazil Conference, realizada pela Universidade de Harvard e pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts). Também participaram do evento outras personalidades brasileiras, como o juiz Sergio Moro, Marina Silva, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes e o ator Wagner Moura.

Ao ordenar que Lula compareça a 87 audiências, Moro tem atitude rasteira

janio de freitasjanio de freitas*

A exigência de mais acusações a Lula, como condição para reconhecer ao ex-presidente da OAS o direito à delação premiada, de uma parte indica que à Lava Jato continuam faltando provas de muitas ilegalidades que atribuiu (e difundiu) ao seu principal alvo; de outra, reacende o problema do facciosismo com que procuradores deturpam a função constitucional do Ministério Público. A Lava Jato quer, além de novidades acusatórias, saciar a sua obsessão com o mal afamado apartamento no Guarujá, que Leo Pinheiro diz ser da OAS, não se efetivando a compra que Marisa iniciou e Lula rejeitou.

Apesar da intimidação a Leo Pinheiro, a expectativa da Lava Jato está mais no grupo de funcionários e ex-dirigentes que o acompanhariam na delação. É a continuada prioridade às delações, em detrimento de investigações. Só o atual estágio de “negociação” com Leo Pinheiro e a OAS já consumiu quatro meses. Nem parece que a Polícia Federal recolheu numeroso material na empreiteira e na cooperativa financiadora do apartamento, para base documental de investigações e eventuais provas.

Por essas e muitas outras no gênero, tem sentido a preocupação no Judiciário com a probabilidade de muitas prescrições.

Assim como têm razão os ministros do Supremo que negam a responsabilidade do tribunal na lentidão judicial desse caso. O ritmo de valsa está no Ministério Público, tanto na Lava Jato como na Procuradoria Geral da República.

Estava com endereço errado, por exemplo, a pressa cobrada do ministro Edson Fachin para examinar, decidir caso a caso e liberar o pacotaço proveniente de delações da Odebrecht.

O acúmulo desse material na Lava Jato, em vez da remessa ao Supremo em lotes sucessivos, resultou em atraso nas duas pontas. A Lava Jato acumulou para ser retumbante na entrega. É a prioridade ao escândalo.

O retorno da Lava Jato à fase em que tinha controle sobre seus rumos, sem envolver o PSDB e o PMDB como a Odebrecht obrigou, não se deu só em procuradores e policiais.

O juiz Sergio Moro ofereceu mais uma demonstração de como concebe o seu poder e o próprio Judiciário. Palavras suas, na exigência escrita de que Lula compareça às audiências das 87 testemunhas propostas por sua defesa:

“Já que este julgador terá que ouvir 87 testemunhas da defesa de Luiz Inácio Lula da Silva (…), fica consignado que será exigida a presença do acusado Luiz Inácio Lula da Silva nas audiências na quais serão ouvidas as testemunhas arroladas por sua defesa, a fim de prevenir a insistência na oitiva de testemunhas irrelevantes, impertinentes ou que poderiam ser substituídas, sem prejuízo, por provas emprestadas”. É a vindita explicitada.

Um ato estritamente pessoal. De raiva, de prepotência. É uma atitude miúda, rasteira. Incompatível com a missão de juiz. De um “julgador”, como Moro se define.

O Judiciário não é lugar para mesquinhez.

*Colunista e membro do Conselho Editorial da Folha, é um dos mais importantes jornalistas brasileiros. Analisa as questões políticas e econômicas. Escreve aos domingos e quintas-feiras

Secretária de Segurança, delegada Sheila Freitas começou muito mal executando operação pífia

Operação midiática – muita entrevista e pouco resultado

Foto Portal BO

Um dia depois de assumir a Secretaria de Defesa Social e Segurança Pública, a delegada Sheila Freitas, para mostrar que ‘chegou chegando’ e causando impacto, montou uma operação policial ‘espetacularizada’ e precipitada com um aparato policial avantajado sem efeitos positivos.

Avida para mostrar serviço, segundo fontes do Blog do Primo, a secretária Sheila passou por cima de alguns procedimentos operacionais e comprometeu a eficiência de uma investigação que estava sendo feita há dois anos. O açodamento da secretária teria comprometido toda investigação afugentando e  alertando os possíveis traficantes que agora estarão prevenidos.

O resultado foi pífio, foi apreendida apenas uma quantidade pequena da maconha e poucos comprimidos que a policia não conhece, pressupondo que suja droga, pode ser até medicamento em forma de comprimidos, o material foi para o ITEP para analise laboratorial ..

Para ser ter uma ideia da desmantelada e apresada operação, uma busca com mandado de prisão foi realizada num imóvel que há dois meses não morava mais ninguém..

 

Admiradores do grande Djalma Marinho estão decepcionados com atuação indignosa do seu neto Rogério Marinho

Resultado de imagem para djalma marinho
Djalma Marinho um dos vultos do Congresso Nacional

Quem diria que um neto do saudoso Djalma Marinho iria se transformar num vassalo dos grandes empresários retirando direitos dos trabalhadores brasileiros e inimigo dos professores.

Djalma Marinho foi um potiguar que honrou e brilhou no Congresso Nacional pela sua independência e defesa das minorias comparado a Blilac Pinto, Otávio Mangabeira, Raul Pilla, Carlos Lacerda, Darcy Ribeiro, Petrônio Portela, Teotônio Vilela, Tancredo Neves, Ulysses Guimarães e tantos outros.

Mesmo sendo da ARENA, partido que dava apoio ao Regime Militar, Djalma funcionava como um parlamentar que amenizava os excessos dos militares encastelados no poder. Nosso Djalma muitas vezes enfrentou os militares quando eles tentavam sufocar o Congresso retirando prerrogativas dos parlamentares na tentativa processar o deputado Márcio Moreira Alves por ter feito um discurso considerado ofensivo aos militares – Foi neste momento que Djalma proclamou a frase de Calderón de la Barca “Ao rei tudo, menos a honra”.

Já seu neto, Rogério Marinho não consegue ter a mesma honorabilidade do avô, vive metido em negócios suspeitos e por isso é investigado  respondendo processos.

Rogério Marinho tem se caracterizado como o terror dos professores e agora dos trabalhadores brasileiros como relator da Reforma Trabalhista, que segundo juízes e procuradores da Justiça do Trabalho retira direitos dos trabalhadores e atende desejos dos grandes e poderosos empresários.

Muitos admiradores da memória do grande Djalma Marinho estão decepcionados com o comportamento e conduta do deputado ‘Saco Preto’, que para eles é indignosa sua atuação parlamentar.

 

José Serra volta a ser internado no Sírio Libanês em SP

 

Agência Brasil

O senador José Serra (PSDB-SP) voltou hoje (18) a ser internado no hospital Sírio Libanês, no bairro da Bela Vista, na capital paulista. Em dezembro, o ex-ministro das Relações Exteriores foi submetido no mesmo hospital a uma cirurgia de descompressão da coluna cervical. O Sírio-Libanês não confirmou o motivo da internação de hoje.

Segundo o hospital, após a cirurgia Serra apresentou boa evolução e melhora importante do quadro de dor. Ele recebeu alta hospitalar no final de dezembro.

Serra pediu demissão do cargo de ministro em 22 de janeiro, alegando problemas de saúde. Ele estava à frente do Itamaraty desde o início do governo de Michel Temer, em setembro do ano passado.

Segundo o jornalista Josias de Souza, tem ministro do STJ encrencado na Lava Jato

O Poder Judiciário está prestes a ser lançado no caldeirão da Lava Jato. A construtora OAS planeja entregar pelo menos um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) na colaboração judicial que negocia com a Procuradoria-Geral da República, informa o jornal Valor, em notícia veiculada nesta quarta-feira.

Farão parte do rol de delatores da empreiteira mais de 20 executivos. A lista inclui o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro; o dono da empresa, Cesar Mata Pires; e dois filhos do empresário. Há oito meses, o procurador-geral da República Rodrigo Janot suspendera a negociação de acordo com a OAS.

Janot irritara-se com o vazamento de dados relacionados ao ministro Dias Toffoli, do STF. Avaliou-se à época, na Procuradoria, que as informações não teriam potencial para encrencar Toffoli. O procurador-geral pisou no freio por avaliar que a própria OAS levara o nome do ministro às manchetes, para pressionar a Procuradoria a fechar o acordo. Por isso, levou o pé à porta.

Deputado Rafael Motta recebe Condecoração Ordem do Rio Branco no Palácio Itamaraty

Reconhecido como um grande parlamentar, o deputado federal e potiguar Rafael Motta (PSB) será homenageado nesta quinta-feira (20), em Brasília. O parlamentar receberá a Condecoração Ordem de Rio Branco no grau de Grande Oficial, em solenidade programada para ocorrer, às 12h, no Palácio Itamaraty.

A Ordem de Rio Branco é uma condecoração do Palácio do Itamaraty e foi instituída no ano de 1963, com o objetivo de estimular a prática de ações e feitos dignos de honrosa menção.
“Sinto-me muito honrado em receber essa homenagem, é o reconhecimento do trabalho que temos desempenhado na Câmara dos Deputados, buscando sempre realizar ações que visam o desenvolvimento do Brasil. O nosso mandato tem procurado atender os pleitos dos brasileiros, principalmente dos potiguares”, disse Rafael Motta.