Arquivos mensais: junho 2017

Jovem cria tumulto em tentativa de invadir o Palácio da Alvorada; Policia Federal foi acionada

Resultado de imagem para palacio da alvorada invasaoSÃO PAULO  –  Um automóvel conduzido por um jovem motorista não identificado foi alvejado na noite desta quarta-feira pela segurança do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, após uma tentativa de invasão do local, por volta de 19h.

A Polícia Federal (PF) foi acionada para periciar o local e deter o motorista que chegou a se esconder nos jardins do Palácio da Alvorada, após abandonar o veículo ao se aproximar do acesso ao hall de entrada da residência. Segundo relatos, o jovem aparentava estar fora de si quando foi localizado.

O presidente Michel Temer utiliza a residência oficial somente para encontros políticos e cerimônias. Temer e a família moram no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência, localizado próximo ao Alvorada.

Segue nota divulgada pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República sobre o assunto:

Incidente no Palácio Alvorada

Nota de Esclarecimento

Por volta das 19 horas de hoje, um veículo, após receber orientação para reduzir a velocidade e identificar-se, acelerou abruptamente e ultrapassou a grade de proteção que dá acesso ao Palácio Alvorada.

Foram realizados disparos de arma de fogo de advertência e, em seguida, contra o veículo que parou na área interna do Palácio.

O motorista, sem ferimentos e, aparentemente menor de idade, foi conduzido pela Polícia Federal, que realizará as investigações.

Atenciosamente, Assessoria de Comunicação Social do GSI Brasília, DF, 28 de Junho de 2017.

Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprova relatório da reforma trabalhista por 16 votos a 9

BRASÍLIA   – Em uma sessão que durou mais de 13 horas, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou na noite desta quarta-feira o relatório do senador Romero Jucá (PMDB-RR), pela constitucionalidade da reforma trabalhista. Foram favoráveis ao parecer 16 senadores, 9 votaram contra e houve uma abstenção.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), já disse que pretende colocar a reforma em votação pelo plenário na semana que vem. Para ir a sanção presidencial, a proposta precisa dos votos da maioria simples dos presentes à sessão.

Depois de votar o parecer de Jucá, a CCJ aprovou, por votação simbólica, requerimento de urgência para a tramitação da reforma. Segundo técnicos da CCJ, o pedido ainda tem que ser chancelado pelo plenário.

Se aprovado o requerimento, o presidente do Senado poderá colocar a matéria em votação após duas sessões. Além disso, a matéria em regime de urgência não retornará às comissões caso receba emendas em plenário.

Senadores de oposição, no entanto, acreditam que o requerimento só deve ser apreciado na terça, uma vez que ele não consta na pauta da sessão desta quinta. Assim, só seria possível que o plenário votasse a reforma a partir da quinta-feira, dia 6.

A reforma trabalhista em tramitação no Congresso modifica mais de cem artigos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Ela teve origem em negociações entre governo e centrais sindicais, que acertaram mudanças em sete artigos da legislação.

Uma vez encaminhada à Câmara, a proposta foi amplamente modificada pelo relator, Rogério Marinho (PSDB-RN), e perdeu apoio dos sindicalistas. Marinho incluiu, entre outras coisas, o fim da obrigatoriedade do imposto sindical.

Em seu texto, Marinho criou também figuras como o trabalho intermitente e a jornada de 12 horas por 36 de descanso, e regulamentou o chamado Teletrabalho, ou o trabalho à distância.

O presidente Michel Temer quer que a reforma passe inalterada pelo Senado. Caso os senadores modifiquem o texto, ele teria que retornar à Câmara, o que retardaria a tramitação.

Para evitar que isso aconteça, Temer propôs fazer ajustes no texto via medida  provisória e vetos. Eles foram acertados entre o presidente e o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), relator da proposta nas Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e na de Assuntos Sociais (CAS).

Nesta quinta, horas antes da votação na CCJ, Temer enviou carta aos senadores se comprometendo a fazer as mudanças acertadas com senadores da base

Governador Robinson Faria compra R$ 8,3 milhões em equipamentos de comunicação

As forças de segurança pública do Rio Grande do Norte receberam ontem, quarta-feira (28), uma suplementação para auxiliar no combate à violência no estado, com o investimento de R$ 8.3 milhões em equipamentos de comunicação e um veículo do tipo plataforma.

A entrega dos materiais foi feita pelo governador Robinson Faria, pela secretária de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), Sheila Freitas, pelo secretário de Metas e Projetos, Vagner Araújo, e pelo comandante Geral da Polícia Militar, comandante André de Azevedo, e representantes da Polícia Civil, nesta tarde, na Escola de Governo.

Os materiais foram adquiridos com recursos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial, via Governo Cidadão, e englobam rádios móveis digitais (R$ 3 milhões), veículo tipo plataforma (R$ 339 mil), utilizado para realizar a manutenção de todas as câmeras, e equipamentos de sistema de comunicação do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), com valor de R$ 4,971 milhões.

As regiões beneficiadas com os equipamentos e com o sistema de amplia​​​​​​​​ção da comunicação serão Natal e Mossoró, e as áreas metropolitanas das respectivas cidades.

Os equipamentos do Ciosp servirão para digitalizar a comunicação da área de inteligência dos órgãos de segurança. Além disso, os canais existentes entre as polícias serão aumentados. Em Natal e Região Metropolitana, por exemplo, serão 34 canais ao invés dos 17 existentes. O Ciosp de Mossoró também será beneficiado com os investimentos, deixando de ser analógico e passando a ser digital.

Temer quer denúncias contra ele sejam votadas num pacote

Resultado de imagem para Temer e Garibaldi
Temer, Garibaldi e Henrique Alves

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), informou, ontem, quarta-feira (28), que o presidente Michel Temer pediu aos líderes de partidos aliados que votem de forma conjunta as denúncias que a Procuradoria Geral da República oferecer contra ele.

Aguinaldo deu a informação logo após participar de uma reunião com Temer, parlamentares da base e ministros.

Nesta semana, o presidente foi denunciado pelo Ministério Público Federal pelo crime de corrupção passiva com base nas delações da JBS e a expectativa no meio político é que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também denuncie Temer pelos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa.

Polícia Civil do Rio de Janeiro faz megaoperação contra a corrupção na PM

Do UOL, em São Paulo

A Polícia Civil do Rio de Janeiro realiza na manhã desta quinta-feira (29) uma megaoperação contra a corrupção policial no Estado. Batizada de Calabar, ela está sendo considerada a maior da história do Rio no combate à criminalidade dentro da Polícia Militar.

Centenas de agentes estão nas ruas de São Gonçalo e Niterói, na região metropolitana do Rio, desde pouco antes das 5 horas da manhã, para cumprir 96 mandados de prisão contra policiais militares e 70 contra traficantes. Há outros 100 mandados de busca e apreensão.

Segundo a GloboNews, investigações desvendaram esquema de uma quadrilha de policiais que pedia propina a traficantes de várias comunidades do Rio, muitas vezes pessoalmente, e movimentava cerca de R$ 1 milhão por mês. Cada equipe receberia, em média, de R$ 1 mil a R$ 5 mil por semana.

Os policiais alvos da operação estão sendo procurados em batalhões e em suas residências, e vários deles já teriam sido presos, segundo o canal de TV. Eles irão responder por organização criminosa e corrupção ativa. Os traficantes responderão por organização criminosa e corrupção passiva.

Jader Barbalho: ‘Que autoridade o Fachin tem para afastar Aécio?’

Resultado de imagem para Jader Barbalho
Jader Barbalho

Por Gabriel Mascarenhas

A classe política tem todos os motivos para se apavorar com a Lava Jato, alguma figuras mais do que outras. O conhecidíssimo Jader Barbalho estava ensandecido ontem no Senado.

Dentro do plenário, ele vociferou à vontade. Depois, numa conversa reservada ao fim da sessão sobre o afastamento de Aécio Neves, Jader desancou o Supremo, criticou Eunício Oliveira e deixou aparamente o pavor que assola a ele e seus pares: ser o próximo.

“Que autoridade o Supremo tem para afastar (o Aécio)? E isso vai um por um, vai um por um, rapaz. Que autoridade o Edson Fachin tem para afastar um senador? Se eu fosse presidente do Senado, eu receberia a representação (que determinava o afastamento) e mandaria devolvê-la”, esbravejou.

Jader deixou para o final do desabafo a verdadeira razão de sua ira: “Na marcha que vai, não sobra um”.

Fonte: Revista Veja

Gilmar ataca PGR e Lava Jato em voto sobre delação da JBS

Gilmar Mendes

veja-logo

Por João Pedroso de Campos

O ministro Gilmar Mendes foi a primeira voz dissonante no julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) que decide sobre validade dos termos do acordo de delação premiada da JBS, se o ministro Edson Fachin continua como relator do caso e se ele poderia ter homologado a delação monocraticamente. Nas sessões realizadas na semana passada, os ministros Fachin, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, Rosa Weber e Dias Toffoli decidiram para que as cláusulas do acordo não sejam alteradas, o relator seja mantido na relatoria e pudesse ter validado o acordo sem submetê-lo aos colegas. Votam hoje, além de Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e a presidente do Supremo, Cármen Lúcia.

Gilmar concordou apenas com a continuidade de Edson Fachin à frente das delações e defendeu a tese de que a homologação dos acordos caiba não mais ao relator, mas às Turmas do STF, ambas compostas por cinco ministros, e que as cláusulas da colaboração possam ser revistas ao final dos processos. Neste ponto, refutou e ironizou o argumento de que revisões gerariam “insegurança jurídica”. Para ele, a possibilidade “frustraria os bandidos”.

O ministro argumentou que, se Joesley Batista, dono da JBS, não pode ser denunciado – como foi acertado pela Procuradoria no acordo de colaboração -, não há como o procurador-geral, Rodrigo Janot, provar se ele era ou não o líder da organização criminosa, posição que, pela lei, impede o fechamento de delação premiada. Gilmar comparou Joesley a líderes das facções criminosas PCC e Comando Vermelho. “Talvez um acordo de colaboração, para desenvolvermos a ideia ad absurdum, possa ser apto a rescindir as sentenças quase centenárias de Fernandinho Beira-Mar [líder do CV] ou de Marcola [chefe do PCC] com as premissas que estão sendo assentadas. Basta que o Ministério Público diga que eles não são líderes da organização”.

Ministro do STF critica “índole pessoal” em fala de Temer sobre Janot

Celso de Mello participa de sessão no Supremo Tribubal Federal
Celso de Mello

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Celso de Mello criticou nesta quarta-feira (28) a “índole pessoal” das críticas feitas pelo presidente Michel Temer (PMDB) ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Temer insinuou nesta terça-feira que Janot poderia ter sido beneficiado financeiramente com o acordo de leniência da JBS, além de ter classificado a denúncia apresentada contra ele de “ficção” ao afirmar que a acusação está baseada em “ilações”.

“Eu lamento que haja essa discussão de índole pessoal”, disse o decano.

“Hoje nós temos uma acusação formal que será apreciada pelo Supremo Tribunal Federal, ensejando-se a quem sofre essa acusação a possibilidade de exercer em plenitude o direito de defesa. A questão não se resolve fora do âmbito do tribunal. Juridicamente, cabe a definição da matéria ao tribunal, desde que a Câmara dos Deputados, pelo voto da maioria qualificada de dois terços, autorize ao Supremo Tribunal Federal instaurar esse procedimento penal”, afirmou Celso de Mello.

Renan renuncia à liderança do PMDB e diz que não vai ceder ao governo Temer

Eunício Oliveira (d) confirmou que Renan Calheiros renunciará à liderança do PMDB no Senado

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) renunciou nesta quarta-feira (28) à liderança do PMDB no Senado. Em discurso no plenário, o político voltou a criticar o governo Temer, como vinha fazendo há semanas.

“Deixo a liderança do PMDB”, foi a primeira frase do senador. “Procurei exercer [a liderança] com dignidade, sempre orientado pelos objetivos do país”.

Renan disse também que renuncia por não compactuar com as ideias do governo e as reformas propostas pelo poder Executivo. “Não estou disposto a liderar o PMDB atuando contra os trabalhadores e estados mais pobres da Federação”, disse ele. “Não vou ceder a um governo que trata o partido como um departamento do poder Executivo”.

Mais cedo, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), havia afirmado que Renan Calheiros (PMDB-AL) renunciaria porque se “perdeu o ambiente”.

“[Renan] esteve comigo ontem e na conversa que nós tivemos ele me disse que tinha perdido o ambiente de liderar a bancada e achava melhor ir cuidar do mandato”, contou Eunício antes de entrar no plenário nesta quarta. “Por esse motivo ele iria fazer um pronunciamento e na sequência faria uma reunião da bancada para a decisão final, que é da escolha da saída dele e da escolha de um novo líder”, declarou.

Na avaliação de Eunício, a saída de Renan não tem “nada a ver” com o aprofundamento da crise política no país que atinge principalmente o presidente da República Michel Temer desde a revelação da delação de executivos e ex-executivos da JBS, em 17 de maio.

“Pelo contrário, acho que o Renan está tendo a grandeza de pedir para sair exatamente para unificar e harmonizar a bancada”, argumentou.

Na terça-feira, Renan teve um bate-boca ríspido com o presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), que o ameaçou de tirá-lo da liderança do partido no Senado caso Renan quisesse votar contra a reforma trabalhista. O alagoano retrucou e disse que se fosse para tirar direitos dos trabalhadores, preferiria deixar a liderança da legenda.

Ao longo das últimas semanas, Renan Calheiros tem feito diversas críticas ao governo Temer. No discurso de ontem, no plenário, acusou o presidente de se render aos desmandos do ex-deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso, e disse que Michel Temer deveria seguir uma sugestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSBD) e renunciar ao mandato.

Cotados para sucessão rejeitam possível indicação

Nesta tarde, com os rumores cada vez mais fortes de que Renan Calheiros renunciaria à liderança do partido no Senado, o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) disse que lamentava a decisão, mas ressaltou que a atitude era exclusivamente de cunho pessoal do alagoano.

“Lamento se isso ocorrer. Considero que o Renan é um excelente líder e eu vou lamentar se ele tiver de deixar. Mas é uma decisão. Se dependesse de mim, Renan não sairia da liderança”, afirmou.

O nome de Barbalho estava sendo considerado nos bastidores como um dos cotados para substituir Renan na liderança da sigla. O senador, porém, afirmou que “está fora de cogitação” e que recusará um eventual convite.

Segundo Barbalho, o motivo para as discórdias dentro do partido é o “ambiente” político, sem dar mais detalhes.

Ex-primeira-dama da Paraíba tem fotos íntimas vazadas

A ex-primeira-dama da Paraíba, Pâmela Bório, teve fotos íntimas vazadas na internet. De acordo com ela, as imagens foram extraídas de um celular hackeado em 2013 e 2014, quanto ela ainda era casada com o governador Ricardo Coutinho (PSB).

Pâmela disse também que vai apresentar denúncia à Polícia Federal (PF) de crime cibernético com base na “Lei Carolina Dieckmann”. A assessoria da PF no Estado informou ao G1 que ainda não recebeu nenhuma comunicação do caso.

A “Lei Carolina Dieckmann”, em vigor desde 2 de abril de 2013, criminalizou a invasão de aparelhos eletrônicos para obtenção de dados particulares. A lei foi apelidade com o nome da atriz após a divulgação de fotos dela nua na internet.

Pelo Facebook, a vítima contou que recebeu fotos pessoais antigas e que vai rastrear o emissor. Veja:

Registro da Delegacia da Mulher, onde estão diversas denúncias, entre elas o hackeamento do meu celular entre 2013 e 2014, até a implantação de um dispositivo de gravação acoplado no telefone fixo do meu criado-mudo da suíte principal da residência oficial, onde eu dormia nesse período até março de 2015, quando finalmente eu consegui me divorciar e sair da Granja Santana.
Aos desavisados ou ignorantes, saibam que até quem compartilha comete crime cibernético e eu tenho receb

Ver mais

 

Bomda: advogado preso diz que Joesley armou armadilha para agradar a Janot

Resultado de imagem para Operação Patmos, Willer Tomaz
Willer Tomaz

Ex-advogado da J&F preso na Operação Patmos, Willer Tomaz acusa Joesley Batista e o diretor do grupo Francisco Assis e Silva de terem armado uma armadilha para ele e o procurador Ângelo Goulart Villela, também preso, para agradar ao procurador-geral Rodrigo Janot e assim conseguir prêmios mais vantajosos na delação. Em carta escrita para a Folha de S.Paulo de dentro do batalhão da Polícia Militar na penitenciária Papuda, Tomaz relata que Joesley e Assis provocaram situações como forma de criar provas de que ele e o procurador atuavam juntos, sem a anuência oficial da Procuradoria. O advogado nega que tenha repassado R$ 50 mil a Villela, como acusaram os delatores, mas admite que entregou gravação de uma negociação de delação premiada entre procuradores e um ex-sócio da J&F inimigo de Joesley, como forma de pressionar o empresário a fechar um acordo de colaboração. Segundo Tomaz, Villela também entregou pautas de reuniões da equipe do Ministério Público Federal com o mesmo intuito. Tomaz disse que não se constrangeu em repassar o conteúdo de caráter reservado. “Esse áudio não trata de vazamento de nada sigiloso. Simplesmente demonstra que, se o Joesley não fizesse a delação, seu inimigo iria fazer.

Continue lendo Bomda: advogado preso diz que Joesley armou armadilha para agradar a Janot

Filha de Fachin é abordada por homem em loja e acaba se surpreendendo

Resultado de imagem para Filha de FachinUma das filhas do ministro do Supremo Tribunal Federal (#STF) e relator da Lava Jato, #Edson Fachin, passou por momentos de raiva durante uma compra na cidade de Curitiba, Paraná. Ela estava em uma loja escolhendo um produto que queria comprar e se dirigiu ao caixa.

No momento em que entregou o cartão ao vendedor, ele perguntou se ela tinha algum parentesco com o ministro Edson Fachin. Ela confirmou que era filha dele. O vendedor acabou a surpreendendo ao dizer que era primo do ex-deputado Rocha Loures. O ex-deputado foi preso após decisão de Edson Fachin.

A filha do ministro acabou ficando incomodada com a situação. Ela pegou o cartão, deixou a compra de lado e abandonou o local sem efetuar a compra.

Fonte: http://br.blastingnews.com

Fachin determina que denúncia contra Temer seja encaminhada à Câmara

Resultado de imagem para Edson Fachin

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

O ministro do STF Edson Fachin determinou nesta quarta-feira (28) que a denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) seja encaminhada diretamente à Câmara dos Deputados, sem que a defesa do peemedebista seja ouvida previamente.

Caberá à presidente do STF, Cármen Lúcia, remeter o processo aos parlamentares.

Fachin entendeu que só deveria ser apresentada a defesa jurídica ao processo no STF se a Câmara de fato autorizar o processo.

A defesa de Temer já havia pedido a Fachin que não abrisse prazo para a defesa antes da análise da autorização da denúncia pela Câmara.

Aliados do presidente no Congresso pretendem acelerar a tramitação do processo na Câmara como forma de reduzir o desga

PMDB do RN deixa de ser presidido por um preso e passa a ser presidido por um investigado

Resultado de imagem para Walter Alves Henrique alves
Preso e investigado

O velho PMDB do RN está vivendo um momento muito complicado, o presidente do Diretório Estadual, Henrique Eduardo Alves que está preso impedido de exercer á presidência do partido foi substituído pelo vice-presidente, deputado federal Walter Alves que é investigado pela Polícia Federal suspeito de ter recebido propina quando foi citado da delação do ex-senador Sérgio Machado.

Walter Alves é um dos relacionados na famosa Lista de Fachin..

Paulinho da Habitação trabalha para Zenaide mudar de casa

Resultado de imagem para Paulinho da habitação
Paulinho da Habitação conhece tudo do sertão a capital

O prefeito de São Gonçalo do Amarante tem sido um importante articulador político no processo de consolidação da candidatura da deputada federal Zenaide Maia ao Senado.

Com uma larga experiencia politica e muito habilidoso, Paulinho da Habitação tem cochichado com muitas pessoas.

Paulinho que foi prefeito de São Fernando no Seridó e agora é prefeito de São Gonçalo do Amarante  conhece bem todas estradas do RN..

Pode? CNJ aprova uso do WhatsApp em intimações judiciais

Resultado de imagem para whatsappO Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou nesta terça-feira, por unanimidade, que o aplicativo de mensagens WhatsApp pode ser utilizado como ferramenta para fazer intimações em processos, segundo informações da revista Veja.

A decisão do CNJ vale para todas as instâncias do Judiciário e se deu no julgamento de um Procedimento de Controle Administrativo (PCA) de um juiz da cidade de Piracanjuba (GO) contra uma decisão da Corregedoria do Tribunal de Justiça de Goiás, que proibira o uso judicial do aplicativo.

Pesquisa aponta novidade no RN

Resultado de imagem para PesquisaCircula nas rodas políticas o vazamento dos números da pesquisa do Instituto Gama de Fortaleza apontando uma novidade no quadro sucessório estadual para governador.

O novo é o surgimento do nome do desembargador Claudio Santos num patamar respeitável do 8% muito perto dos candidatos caciques ..

Sem partido e não dispondo de apoio de nenhum grande cacique, proibido de falar sobre política partidária por ser magistrado, o desembargador Claudio Santos tem a seu favor sua trajetória como gestor público.

No interior do RN o nome do desembargador tem fama de ser corajoso, honesto e competente, o povo lembra que ele quando secretário de Segurança teve força para acabar com os crimes cometidos pelos Carneiros de  Caraúbas e outras organizações criminosas no RN.

Já tem muita gente boa apostando no desembargador..

Nas pesquisas compradas por caciques, o nome de Claudio Santos nunca foi incluído..

 

 

Para falante procurador da República tudo atrapalha a Lava Jato

Após suspensão de passaporte pela PF, procurador da Lava Jato faz críticas a Temer
Resultado de imagem para Carlos Fernando dos Santos Lima
Ele está sempre procurando falar mais – pense num homem falador

Elisa Clavery, O Estado de S.Paulo

O procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos responsáveis pela Operação Lava Jato no Paraná, criticou o governo de Michel Temer, um dia após a suspensão pela Polícia Federal da emissão de passaportes. Lima criticou, ainda, a redução da equipe responsável pela operação e sugeriu que isso pudesse prejudicar as investigações pelo País.

“O governo Temer sufoca a Polícia Federal. Nem dinheiro para a emissão de um documento necessário como o passaporte”, escreveu o procurador em sua página no Facebook. “Imagine como está a continuidade das diversas investigações pelo País.”