Maior avião já construído, projetado para lançar satélites, inicia fase de testes nos EUA

Maior avião do mundo tem duas fuselagens, unidas por uma asa de 117 metros

AFP

Um gigantesco avião criado para colocar foguetes em órbita saiu pela primeira vez do hangar nesta quarta-feira (31) para iniciar a etapa de testes na Califórnia, informou o fabricante Stratolaunch.

“Isto marca o fim da fase inicial de construção da aeronave e o começo da fase de testes em terra (…), incluindo turbinas e taxiamento antes do primeiro voo”, disse Jean Floyd, CEO da empresa do magnata filantropo e cofundador da Microsoft Paul Allen.

O maior avião do mundo tem duas fuselagens, unidas por uma asa de 117 metros, e agora está estacionado fora do hangar em Mojave.

Utilizando seis turbinas, o avião de 227 toneladas foi projetado para lançar satélites e até humanos, algum dia, em órbitas baixas da Terra.

“Stratolaunch está prestes a realizar sua primeira demonstração de lançamento [ao espaço] em 2019”, revelou Floyd.

O plano é colocar em órbita um foguete Pegasus, usado normalmente para transportar satélites, que irá entre as duas fuselagens.

“Isto marca um passo histórico em nosso trabalho para realizar o sonho de Paul G. Allen de ampliar o acesso à órbita baixa da Terra”, destacou o executivo.

A companhia adquiriu dois Boeings 747 usados e os remontou em uma unidade capaz de decolar com uma carga de 590 toneladas.

O Stratolaunch também é chamado de “Ruc”, a ave mitológica persa capaz de levantar um elefante.

Governistas pedem que Fachin explique relação com Ricardo Saud, da J&F

Governistas querem explicações sobre ligação entre Fachin e Saud / Foto: ABrEstadão Conteúdp

Deputados governistas protocolaram nesta quinta-feira (1) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara um pedido de explicações ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato. No pedido, assinado por 32 deputados, o grupo questiona a relação de Fachin com o delator Ricardo Saud, do Grupo J&F, que o teria ajudado na campanha de 2015 para que ele fosse referendado no Senado como ministro da Corte.

O pedido é acompanhado de um requerimento para que o tema seja apreciado com urgência na CCJ. No documento, os parlamentares fazem cinco perguntas ao ministro: em que condições os pedidos de apoio aos senadores se fizeram e se deles resultou algum compromisso com parlamentares e a JBS; se na época o ministro tinha conhecimento das práticas criminosas da JBS, em especial a atuação de Saud; se o fato de estar acompanhado de Saud poderia implicar desabono de sua conduta como ministro ou comprometer o exercício de suas funções; qual o motivo da escolha de Saud para a “delicada missão” junto aos senadores; e quando e onde Fachin conheceu Saud e quantas vezes esteve com ele no Congresso ou fora dele.

Doria cria ‘Secretaria de doações’

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quinta-feira, 1, a criação da Secretaria Extraordinária de Investimento Social, uma pasta que tem como objetivo “viabilizar recursos do setor privado”, como doações, segundo descreve a gestão, para os programas sociais nas áreas de Educação, Saúde e Assistência Social.

O titular da pasta será Cláudio Carvalho de Lima, de 47 anos, que nos últimos 12 anos trabalhou na construtora e incorporadora Cyrela Brazil Realty, onde recentemente era vice-presidente executivo-corporativo. Em nota, a Cyrela informou que o desligamento de Lima da empresa ocorreu na quarta-feira, 31.

PSDB apoia e sustentará o governo, diz Aloysio Nunes em Washington

Resultado de imagem para aloysio nunes aecio neves
Neves e Nunes

Agência Brasil

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, afirmou hoje (1), em Washington, que seu partido, o PSDB está no governo e tem consciência de seus compromissos, entre eles, apoiar as reformas em curso. “[O PSDB], na sua linha dominante, é um partido que está no governo, que apoia o governo e que sustentará o governo”, disse.

Nunes também afirmou que há clima político no Brasil para aprovar as mudanças em andamento: “o presidente Temer, mais do que ninguém, tem hoje condições de angariar maioria parlamentar para aprovar as reformas”.

“Todos compreendem que estamos vivendo um momento de turbulência política no Brasil. Isso é inegável. Mas não há turbulência institucional. As instituições funcionam e é isso que conta nas relações externas dos países”, disse o ministro, após reunião com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, que também reiterou que as instituições no Brasil estão funcionando e que os poderes continuam mantendo sua independência.

Volta a valer lei que permite apenas um reajuste por ano no preço de remédios

AGÊNCIA SENADO

Está cancelada a autorização para aumentar preços de remédios em qualquer época do ano. A nova regra estava prevista na Medida Provisória (MP) 754/2016, que perdeu a eficácia. O ato declaratório do Congresso sobre a perda de validade foi publicado no Diário Oficial da União nessa quarta-feira (31).

A MP foi editada em 19 de dezembro pelo presidente Michel Temer. No entanto, ainda faltava a aprovação na Comissão Mista da MP, e depois nos plenários da Câmara e do Senado.

Com o cancelamento, voltou a valer a legislação anterior à edição da MP, que estabelece o reajuste dos preços dos remédios somente uma vez por ano. A decisão sobre aumentar ou reduzir o valor e definir o percentual de reajuste ainda cabe ao Conselho de Ministros da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos.

O texto da MP não era consenso entre autoridades, empresas da indústria farmacêutica e tampouco entre parlamentares. Entre as preocupações a respeito da medida estavam a alta dos preços e a perda de equilíbrio do mercado. Em abril a Comissão Mista da MP promoveu uma audiência pública, ocasião em que ficou evidenciada a falta de consenso sobre o conteúdo da medida.

Opinião: É isto a justiça?

Em meio a grave crise, a agenda nacional foi contaminada pelo pressuposto de que o País só será salvo se a classe política for desbaratada, como se fosse uma quadrilha. Isso não costuma dar boa coisa,

frases-sobre-desordem-2

O Estado de S.Paulo

O juiz federal Sérgio Moro defendeu as delações premiadas, dizendo que, sem elas, “não teria sido possível descobrir os esquemas de corrupção no Brasil”. Segundo o magistrado, “a ideia é usar um criminoso menor para chegar ao maior, para pegar os grandes”. Quanto ao fato de os delatores terem sua pena abrandada ou até ganharem a liberdade, Sérgio Moro afirmou que “é melhor você ter um esquema de corrupção descoberto e algumas pessoas punidas do que ter esse esquema de corrupção oculto para sempre”, ou seja, “é melhor ter alguém condenado do que ninguém condenado”.

Trata-se de uma visão muito peculiar de justiça. Não se pode negar que as delações premiadas foram importantes para puxar o fio da meada que levou o País a conhecer o petrolão, maior esquema de corrupção da história nacional. O problema é que, atualmente, a julgar pelo que chega ao conhecimento do público, as múltiplas acusações feitas pelo Ministério Público contra figurões do mundo político estão baseadas somente, ou principalmente, nas delações, sem que venham acompanhadas de provas materiais suficientes para uma condenação. Quando muito, há provas testemunhais, nem sempre inteiramente dignas de crédito ou confiança.

Criou-se um ambiente em que as delações parecem bastar. Se é assim, o objetivo não é fazer justiça, mas uma certa justiça. Aliás, ensinava o juiz Oliver W. Holmes que juiz não faz justiça, aplica a lei. Há tempos ficou claro que certos membros do Ministério Público têm a pretensão de purgar o mundo político daqueles que consideram nocivos. Para esse fim, basta espalhar por aí, por meio de vazamentos deliberados, que tal ou qual político foi citado nesta ou naquela delação para que o destino do delatado esteja selado, muito antes de qualquer tribunal pronunciar sua sentença.

Foi exatamente o que aconteceu no episódio envolvendo o presidente Michel Temer. Em mais um vazamento de material em poder do Ministério Público, chegou ao conhecimento dos brasileiros uma gravação feita pelo empresário Joesley Batista com Temer na qual o presidente, segundo se informou, teria avalizado a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha. Quando a íntegra da gravação foi finalmente liberada, dias depois, constatou-se que tal exegese era, no mínimo, controvertida. Mas em todo o episódio prevaleceu a interpretação feita pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para quem o diálogo é expressão cabal de uma negociata – e isso bastou para Temer ser visto por muitos como imprestável para permanecer no cargo de presidente. Assim é a política, como bem sabem os vazadores.

Enquanto isso, o empresário Joesley Batista, por ter grampeado o presidente da República para flagrá-lo em suposto ato de corrupção e por ter informado ao Ministério Público que deu dinheiro para quase 2 mil políticos com o objetivo de suborná-los, não passará um dia sequer na cadeia nem terá de usar tornozeleira eletrônica. Poderá até morar nos Estados Unidos, para onde já levou a maior parte de seus negócios. Isso, nos termos do escandaloso acordo de delação endossado pelo sr. Janot.

Se é verdade, como diz o juiz Sérgio Moro, que o objetivo dos paladinos do Ministério Público é “pegar os grandes” criminosos, como explicar que alguém que confessa crimes dessa magnitude, como fez Joesley Batista, não será punido? A resposta é muito simples: o objetivo não é pegar os grandes criminosos, mas apenas aqueles que, na visão dos procuradores da República, devem ser alijados da vida nacional – isto é, os políticos. Ainda que nenhuma prova apareça para corroborar as acusações, o estrago já estará feito. E, no entanto, há muitos políticos honestos neste país.

Assim, as delações se tornaram instrumentos eminentemente políticos. Na patética articulação em curso para encontrar um “substituto” para Temer caso o presidente caia, a primeira qualificação exigida é que o nome do candidato não tenha sido sussurrado por nenhum delator. Só então será considerada sua capacidade de governar o País. Essa é a prova de que a agenda nacional, em meio a uma das mais graves crises da história, foi definitivamente contaminada pelo pressuposto de que o Brasil só será salvo se a classe política for desbaratada, como se fosse uma quadrilha. Isso não costuma dar boa coisa.

Do Blog do Primo: quem me acompanha sabe que venho dizendo isso há muitos anos. O Ministério Público brasileiro faz qualquer negócio para condenar um politico. Os membros do MP sabem que o Brasil tendo um Legislativo fraco e suspeito fica muito fácil para eles conseguirem ampliar suas vantagens e atribuições. Deputados e senadores novatos são presas fáceis para turma do MP imporem suas vontades e invadirem competências.  Nesta pisada, tem quem garanta que o Ministério Público quer instituir no Brasil uma republica onde eles fiscalizarão a lei, legislarão, policiarão, executarão e julgarão. O ex-ministro do STF e Procurador Geral da República, Sepúlveda Pertence revelou numa entrevista — (“Vou contar uma história, outro episódio com o presidente Sarney, para ilustrar esse papel e a responsabilidade que me atribuem pelo gigantismo dos poderes do MP. Foi a última audiência como procurador-geral, apenas para formalizar o pedido de exoneração e levar-lhe o convite para a posse no Supremo Tribunal Federal. Nessa conversa eu disse: “Sarney, você me deixou solto”, comecei. E havia uma frase, atribuída ao general Golbery [do Couto e Silva], que dizia “eu criei um monstro”, em relação ao SNI [Serviço Nacional de Informações, criado em 1964 como braço de espionagem da ditadura militar]. Por isso disse ao Sarney: “Não sou o Golbery, mas criei um monstro!” Um ou dois anos depois, recebi em casa o Sarney e ele me disse: “Você se lembra de ter falado aquela história de que não era Golbery? Na hora eu pensei ‘isso é só uma frase de efeito do Zé Paulo’. Agora estou vendo que ela é verdadeira.”)

Depois que fui condenado num processo sem nenhuma prova e testemunha contra mim, e, em outro processo também sem provas e até com testemunhas da acusação, ou seja, do Ministério Público depondo a meu favor, entendi que não estava-se julgando processo, estava sendo julgada minha pessoa, Renato Dantas.

Por causa de um legislativo fraco e encurralado que no RN chegamos ao absurdo de pagarmos verdadeiros salários de marajás aos membros do Ministério Público Estadual. 

Veja como estão ganhando os membros do MP do RN, os que gostam de serem chamados de ‘caçadores de corruptos’. Vivemos num país em que o direito e legal não é o justo. 

Confira como foram remunerados no mês de abril do 2017 os membros do Ministério Público do RN: primeira

18835735_1664992860194860_1449352959145435497_n

 

doistres

quatro

cinco

seis

sete

oito

nove

 

 

EUA aprovam verificação mais rígida para vistos, incluindo checagem de redes sociais

Reuters

O governo Donald Trump lançou um novo questionário a ser preenchido por pessoas que solicitam um visto norte-americano em todo o mundo que pede por dados de redes sociais dos últimos cinco anos e informações pessoais de até 15 anos atrás.

As novas perguntas, que fazem parte de um esforço para tornar mais rígida a verificação de potenciais visitantes dos Estados Unidos, foram aprovadas em 23 de maio pelo Escritório de Gestão e Orçamento, apesar de críticas de diversas autoridades de educação e grupos acadêmicos durante um período de debate público.

Críticos argumentaram que as novas perguntas seriam excessivamente incômodas, levariam a longos atrasos no processo de obtenção de visto e ao desencorajamento de estudantes e cientistas internacionais ante os Estados Unidos.

De acordo com os novos procedimentos, autoridades consulares podem requisitar aos solicitantes de visto todos os números de passaportes anteriores, cinco anos de dados de redes sociais, endereços de e-mail e números de telefone e até 15 anos de informações pessoais incluindo endereços e histórico de empregos e viagens.

As autoridades requisitarão as informações adicionais quando determinarem que “essas informações são necessárias para confirmar a identidade ou conduzir uma verificação de segurança nacional mais rigorosa”, informou uma autoridade do Departamento de Estado na quarta-feira (31).

O Departamento disse anteriormente que a verificação mais rígida se aplicaria a solicitantes “que justificaram a investigação adicional em conexão com terrorismo, ou outra inviabilidade de visto relacionada à segurança nacional”.

Fechamento: Henrique Alves só será candidato se não for fechado num presídio e se a lista de candidaturas for fechada

Imagem relacionadaUm bacurau antigo disse ao Blog do Primo que só existem duas possibilidades do ex-deputado federal Henrique Alves ser candidato à Câmara dos Deputados na próxima eleição. Uma possibilidade é caso não seja preso, a outra é se o Congresso Nacional aprovar a  lista fechada para candidaturas ao Legislativo. Sem lista fechada ele não tem a menor chance de ser eleito, disse o bacurau antigo.

O bacurau velho disse que muitos prefeitos e lideranças historicamente ligados ao ex-deputado já estão fechando apoios com outros deputados, eles dizem que não tem como pedir votos para Henrique – segundo os eles o desgaste é muito grande.

Os prefeitos, ex-prefeitos e lideranças que já se definiram não votar em Henrique estão ganhando tempo para anunciarem os nomes de seus novos deputados.

Palocci pode citar mais de 20 empresas em delação premiada, diz Mônica Bergamo

SÃO PAULO,SP,26.09.2016:OPERAÇÃO-OMERTÀ - O ex-ministro Antonio Palocci deixa a sede da Polícia Federal, em São Paulo (SP), após ser preso durante a 35ª fase da Operação Lava Jato, intitulada "Omertà", deflagrada na manhã desta segunda-feira (26). Ao todo, foram expedidos 45 mandados judiciais, sendo 27 de busca e apreensão, três de prisão temporária e 15 de condução coercitiva. (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Folhapress) *** PARCEIRO FOLHAPRESS - FOTO COM CUSTO EXTRA E CRÉDITOS OBRIGATÓRIOS ***A colunista da Folha de São Paulo, jornalista Mônica Bergamo informa que o ex-ministro Antonio Palocci pode citar mais de 20 empresas no acordo de delação premiada que faz com o Ministério Público Federal.
Segundo Mônica, Palocci revelou o número a interlocutores com quem conversou recentemente em Curitiba. Palocci calcula que essa foi a quantidade de companhias com quem negociou contribuição em caixa dois para o PT.

Temer comemora resultado do PIB: “Acabou a recessão!”

Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil

O presidente Michel Temer comemorou, em sua conta no Twitter, o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), que cresceu 1% no primeiro trimestre de 2017, em comparação ao último trimestre de 2016: “Acabou a recessão!”. Os dados sobre a economia brasileira foram divulgados hoje (1°) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado anunciado nesta quinta representa a primeira alta do índice, após dois anos consecutivos de queda. Na mensagem publicada na rede social, o presidente cita as medidas já adotadas pelo governo e as reformas em análise no Congresso Nacionalo. “Acabou a recessão! Isso é resultado das medidas que estamos tomando. O Brasil voltou a crescer. E com as reformas vai crescer mais ainda”, diz o twitte do presidente.

Edição: Denise Griesinger

Deu na Tribuna do Norte: Ministério Público do RN desembolsa em abril R$ 18,5 milhões com ‘extras’

Do Blog do Primo: Enquanto faltam medicamentos e insumos nos hospitais públicos, recursos para combater crimes e violência, recuperar estradas e pagar os servidores em dia, o Ministério Público gasta com extras pagando vantagens a seus procuradores e promotores.
Da redação com Tribuna do Norte
Por Ricardo Araújo – Repórter
O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) desembolsou R$ 18,5 milhões a mais, no mês de abril passado, para pagar valores relativos às férias e licenças-prêmio não gozadas por necessidade do serviço a 567 servidores efetivos (incluindo membros do MPRN) e comissionados. O benefício é chamado de pecúnia e teve seu pagamento regulamentado através da Resolução nº 078/2017 da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ). No conjunto de beneficiados estão procuradores, promotores, analistas e técnicos concursados, além dos ocupantes de cargos em comissão com mais de cinco anos, contados até 2014, de serviços prestados ao órgão ministerial. Os Tribunais de Justiça e de Contas do Estado (TJ e TCE/RN) também procederão com o pagamento, mas ainda não sabem quantos servidores e quais valores estão envolvidos.
“Em algum momento, esses valores seriam pagos. Seja numa exoneração ou na aposentadoria do trabalhador. Os pagamentos dessas indenizações ficariam muito caros ao órgão. Nós antecipamos um pagamento que seria feito em algum momento. Em abril, a gente viu que seria possível e o pagamento foi feito. Isso é fato regulamentado em vários órgãos e o impacto financeiro foi menor agora”, explicou o procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis Lima. Ele destacou, ainda, que “não há possibilidade desse tipo de pagamento ser feito todo ano”, pois as férias e licenças prêmio não gozadas tendem a diminuir com o passar do tempo.

Questionado como a PGJ angariou os recursos necessários para efetuar o pagamento das pecúnias, Rinaldo Reis Lima listou as ações de redução de gastos e o Programa de Incentivo à Aposentadoria Voluntária (PIAV) como importantes recursos. Além disso, ele comentou que os aumentos previstos para servidores e membros no orçamento deste ano, mas não realizados, também gerou uma espécie de sobra orçamentária. “Nós montamos o orçamento pensando no aumento que seria concedido à magistratura, mas que não ocorreu. Está em tramitação em Brasília desde o ano passado”. Rinaldo Reis Lima garantiu, ainda, que não houve nenhum dano ao patrimônio público. “Nós só pagamos pois fizemos ajustes, reduzimos cargos e despesas. Nós não recorremos ao Estado para complementar valores e não sacrificamos o nosso planejamento interno. Foi tudo fruto de ajustes internos”, disse.
De acordo com a Diretoria de Gestão de Pessoas do Ministério Público do Rio Grande do Norte, nem todos os servidores tem direito ao recebimento da pecúnia. Para fazer juz ao benefício, o trabalhador precisa ter férias ou licenças prêmio não gozadas até o ano de 2014, num limite de até três de meses de férias ou licenças-prêmio por membro ou servidor. Em seguida, o pagamento deve ser requerido junto à Diretoria. Após o preenchimento dos dados, um processo administrativo é gerado e nele constam informações funcionais do trabalhador requerente. Com todas as informações colecionadas no processo, a documentação segue para análise do procurador-geral, que defere ou não o pedido.
O mesmo processo deverá ocorrer no Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN). Em nota, o órgão informou que “disciplinou por meio de resolução a programação das férias por parte de membros e servidores. Períodos não gozados por necessidade do serviço deverão ser usufruídos desde que não tragam prejuízo ao andamento dos trabalhos do órgão. Mediante pedido expresso do servidor, dentro da condição financeira e orçamentária e reconhecida a necessidade do serviço, ficou autorizada a possibilidade de conversão de férias vencidas em pecúnia. Precedentes do Supremo Tribunal Federal reconhecem o direito do servidor público e o dever da administração de indenizar as férias não usufruídas em razão da necessidade do serviço”.
O TCE/RN ainda não efetuou pagamentos dessa natureza e somente o fará dentro de critérios que não prejudiquem a saúde financeira e orçamentária do órgão. O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte foi procurado para comentar o caso, mas não respondeu aos questionamentos da reportagem.
Valores
Gasto do MPRN para o pagamento das pecúnias
R$ 11.890.692.58
143 membros (promotores e procuradores de Justiça)
R$ 6.663.875,61
425 servidores (entre efetivos e comissionados)
Total: R$ 18.554.568,19
567 servidores
Fonte: MPRN

Agente Peppa Pig investiga o Ministério Público do RN

Imagem relacionadaNa madrugada de hoje (01), uma peso pesado do Poder Executivo promoveu uma reunião secreta com várias pessoas para levantar informações de dados sobre algumas coisitas do Ministério Público do RN que servirá para mostrar a sociedade.

Segundo o soldado Vasco, a agente-chefe da turma, que tem o codinome de Peppa Pig que tem um pé do Executivo, outro no Legislativo e um bucho no Judiciário, contratou até um detetive para acompanhar alguns membros do MP nas suas noitadas.

Além dos gastos do MPRN, está sendo feito um minucioso levantamento das presenças dos promotores nas Promotorias no interior do Estado.  Prefeitos e lideranças politicas estão informando sobre frequências dos promotores atendendo solicitação de Peppa Pig.

Tem muitos casos que promotores só estão comparecendo nos municípios sede de suas promotorias apenas quatro dias durante o mês, isso embolsando o famigerado auxílio-moradia. Segundo Vasco,  Peppa Pig vai fazer isso chegar ao conhecimento da sociedade potiguar.

Está sendo investigado nos plantões judiciais, suspeitas que pareceres de promotores estejam sendo emitidos e enviados por e-mails já que o promotor não comparece na sede da comarca nos plantões de finais de semana..

O levantamento feito pela prima Peppa Pig será fornecido aos veículos de comunicação e blogs chapa-branca, caso o MPRN continue querendo fazer média com a opinião pública.

 

Por R$ 30, Azul é primeira companhia aérea a cobrar bagagem em voo nacional

Todos a Bordo

A cobrança de bagagem em voo nacional será colocada em prática nesta quinta-feira (1º) pela primeira vez no Brasil. Liberada pela Justiça há mais de um mês, a companhia aérea Azul será a primeira a iniciar a cobrança pela bagagem despachada em voos nacionais. A medida vale para passageiros que comprarem o bilhete a partir desta quinta-feira. A Latam já reduziu os limites de malas em voos internacionais.

Nos voos nacionais, a empresa criou uma nova classe tarifária, chamada de Azul. Os passageiros que comprarem o bilhete na nova tarifa não terão direito ao transporte de bagagem, somente a mala de mão de até 10 kg. Caso decidam levar uma mala de até 23 kg no porão do avião, o valor adicional cobrado será de R$ 30.

A cobrança acontece, inicialmente, em 14 rotas da companhia. A intenção é implementar as novas regras para todos os voos da Azul de forma gradativa ao longo dos próximos meses.

Além da cobrança, a empresa também anunciou a redução do limite máximo de peso das malas nos voos para Estados Unidos e Europa. Os passageiros que adquirirem passagem a partir de agora poderão transportar duas malas de até 23 kg. Pelas regras antigas da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), as empresas eram obrigadas a aceitar duas malas de até 32 kg por passageiro.

Nos voos internacionais da Azul para destinos da América do Sul, o limite de bagagem despachada permanece em apenas uma mala de 23 kg. Nesse caso, no entanto, não haverá cobrança adicional.

Em caso de excesso de peso nos voos nacionais, a Azul manterá a política atual de cobrar por quilo a mais. O valor muda de acordo com a rota. Em um voo entre os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, o valor é de R$ 23 por quilo.

Nos voos para os Estados Unidos, o valor cobrado pelo excesso de peso ou volume extra será reduzido de US$ 150 (R$ 484) para US$ 100 (R$ 322). No caso de viagens para Europa, a taxa cai de € 150 (R$ 544) para € 100 (R$ 362). Para a América do Sul, o excesso de bagagem custa US$ 50 (€ 50 no caso dos voos para Caiena, na Guiana Francesa).

A Latam também reduziu o limite de peso das bagagens nos voos internacionais, permitindo também apenas duas malas de até 23 kg cada. Nos voos para os Estados Unidos e Europa, a multa por excesso varia de acordo com o peso da mala. Entre 24 kg e 33 kg, o valor é de US$ 100 (R$ 322). Entre 34 kg e 45 kg, a taxa cobrada é de US$ 200 (R$ 644).

Tese de que TSE absolverá Dilma e Temer ganha forças, aponta jornal

De acordo com coluna Painel, da Folha de S. Paulo, Tribunal pode adotar uma solução “salomônica” sobre a ação

Resultado de imagem para dilma e temer campanha

Coluna Painel

Ganhou força no Congresso e no Judiciário a aposta de que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pode adotar uma solução salomônica ao julgar o pedido de cassação da chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer.

Os ministros não devem acolher a tese de separação das contas da campanha de 2014, mas sim a de que a ação teve seu objeto excessivamente ampliado no curso do processo. Haveria, aí, brecha para o argumento de que a acusação inicial não é forte o suficiente para condenação.

Intramuros A tese foi discutida após sessão da corte eleitoral desta terça (30).

Em outros tribunais superiores, magistrados dizem que a falta de opção para o Planalto caso Temer perca o mandato pesa sobre o TSE.

Unidos A defesa de Dilma foi a primeira a contestar a adição, por exemplo, de delações da Lava Jato aos autos do TSE.

Na reta final do processo, advogados de Temer colocaram peso no argumento e anexaram três pareceres sobre o assunto ao caso.

Nada definido Nenhum cenário, porém, é visto como definitivo.

Há forte expectativa sobre a possibilidade de Temer ser alvo de uma denúncia da PGR.

O ministro Edson Fachin, relator do caso no STF, deu 10 dias para o encerramento do inquérito.

A defesa recorreu.

Senadora Fátima Bezerra destaca aprovação da isenção do frete no sal

IMG_4520O Plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (31), a Medida Provisória 762/2016, que prorrogou a isenção do Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante sobre as mercadorias transportadas pelas navegações de cabotagem interior que tenham como origem ou destino os estados do Norte e Nordeste do país. A senadora Fátima Bezerra comemorou a aprovação da prorrogação da isenção do frete, pois, como lembrou, a medida é especialmente importante para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte, já que beneficia diretamente a indústria salineira, que responde por parte significativa da economia do estado.

Fátima ressaltou que a isenção do frete no sal foi prioridade nos governos Lula e Dilma, que editaram sucessivas prorrogações da medida. “O presidente Lula teve a sensibilidade de entender que incentivar a indústria do sal beneficia indiretamente boa parte da indústria brasileira que utiliza o produto em sua cadeia produtiva”, destacou a senadora.