Arquivos diários: 08/06/2017

Conselheiro do TCE RN, Papau de Garibaldi, poderá se complicar com seu primo Henrique Alves

Resultado de imagem para Paulo Roberto Alves
Conselheiro Paulo Roberto Alves, o ‘Papau’

A investigação que apura o envolvimento do ex-deputado Henrique Alves em supostas tramóias na construção da Arena das Dunas poderá pegar um membro do Tribunal de Contas do RN.

O conselheiro que teve seu nome envolvido na investigação é Paulo Roberto Alves, o famoso ‘Papau’, irmão do senador Garibaldi Alves que na época da construção da Arena das Dunas era presidente do Tribunal de Contas do RN.

A investigação mostra que sua campanha recebeu aportes, via caixa 2 e propinas, da OAS e da Odebrecht. Os investigadores identificaram 206 ligações telefônicas entre Henrique Alves e Léo Pinheiro, presidente da OAS e em muitas mensagens aparece o nome do conselheiro Papau Alves.

Crise política e manifestações violentas deixam exército alerta

IMG_4943O Exército está mais preocupado do que parece com a crise política e as manifestações de rua, cada vez mais violentas. Para discutir esses temas, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, reuniu vários generais no QG do Exército, terça (6).

Um deles, Augusto Heleno, um dos mais admirados no Exército, admitiu essa preocupação e disse que os “black-blocs” têm praticado um “quase terrorismo”. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Os serviços de inteligência identificaram nos atos violentos técnicas de guerrilha e terrorismo que deixaram o Exército em estado de alerta.

O próprio comandante do Exército informou a reunião em sua página no Twitter, definindo seus participantes como “pró-ativos”.

Raniere Barbosa derrubou 2 secretários da SEMSUR em menos de 10 dias

Resultado de imagem para daniel Bandeira semsur
Daniel Bandeira não esquentou a cadeira

Não demorou 10 dias para a turma de Raniere Barbosa na SEMSUR derrubar o ex-novo-secretário Daniel Bandeira que foi nomeado na semana passada para substituir Jerônimo Melo.

Segundo o soldado Vasco, a turma de Reniere que ainda continua ocupando cargos estratégicos, derrubou Jerônimo Melo e Daniel Bandeira e derrubará qualquer um que o prefeito Carlos Eduardo Alves nomeie.

O presidente da Câmara Raniere tem total controle sobre 90% dos cargos de confiança da SEMSUR.

Jonny Costa deixa o Gabinete Civil e foi nomeado para substituir o advogado Daniel Bandeira que volta para exercer o cargo de secretário-adjunto da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo.

Vamos esperar para saber se Jonny Costa vai suportar a turma de Raniere.

Receita libera hoje consulta ao 1º lote de restituições do IR 2017

A Receita Federal libera nesta quinta-feira (8), a partir das 9h, a consulta ao primeiro lote de restituições do Imposto de Renda 2017. Também estão no lote restituições de 2008 a 2016 que haviam caído na malha fina e foram regularizadas.

Como checar?

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar o site da Receita ou ligar para o Receitafone, no número 146.

Temer crê em vitória no TSE e se arma para barrar investigação no Congresso

mônica bergamoMônica Bergamo

O governo de Michel Temer já se prepara para o dia seguinte à votação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Convencido de que o presidente será absolvido pela corte, ministros dele já estudam dar demonstração de força no Congresso para enterrar de vez qualquer possibilidade de investigação contra o peemedebista.

A primeira providência seria derrotar Rodrigo Janot no parlamento. O procurador-geral da República deve oferecer denúncia contra Temer. Mas, para que ela siga adiante, é preciso autorização do Congresso. O governo acredita que derruba a iniciativa com cerca de 250 votos.

Depois dessa segunda eventual vitória, o governo partiria para a terceira, e que considera a última: a votação de recurso de algum deputado de oposição pedindo que as propostas de impeachment contra Temer tramitem na casa. A bancada governista derrotaria a ideia no voto, evitando que novos pedidos voltassem a tramitar, ao menos no médio prazo.
Superada essa terceira, digamos, batalha, Temer falaria à nação. E pediria trégua para se dedicar exclusivamente a governar.

Pivô no mensalão, Jefferson oferece ‘ombro’ a Temer e o chama de ‘amigo’

BRASILIA, DF, BRASIL, 13-04-2017, 14h30: Entrevista com o Presidente PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) Roberto Jefferson Monteiro Francisco, na sede do partido em Brasília DF (Foto: Igo Estrela/Folhapress, PODER)***EXCLUSIVO*** ***ESPECIAL***GUSTAVO URIBE

Folha de São Paulo

Condenado e pivô do escândalo do mensalão, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, disse nesta quarta-feira (7) que, diante da atual crise política, ofereceu o ombro ao presidente Michel Temer, a quem chamou de “amigo”.

Na saída de reunião com o peemedebista, ele afirmou que as acusações contra o presidente são “absolutamente injustas” e que seu partido se posicionará contra uma eventual denúncia apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República).

“Eu vim encostar o ombro com ele. Amigo tem de ser em todos os momentos, na alegria e na tristeza. Nós viemos encostar o ombro com ele e dizer que nós estamos juntos”, disse.

O encontro é o quarto de Jefferson com Temer no Palácio do Planalto apenas neste ano. A reunião desta quarta-feira (7) teve também as presenças de deputados e senadores da legenda.

O petebista considerou que seria “inoportuno” o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) cassar o mandato do peemedebista. Segundo ele, causaria uma “crise gravíssima”, que jogaria o país no passado.

“Ele é acusado nessa hora de maneira muito grave e entendemos que de maneira muito injusta, muito açodada. E dizemos que apoiamos institucionalmente ele, que está sendo castigado”, afirmou.

Ele disse ainda ter certeza que uma denúncia contra o peemedebista “será barrada” e que o partido, que reúne uma bancada de 17 deputados federais, votará pela sua recusa caso seja apresentada.

Joaquim Barbosa defende eleições diretas e não descarta candidatura, diz Folha de São Paulo

Resultado de imagem para Joaquim BarbosaLETÍCIA CASADO
DE BRASÍLIA

O ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa disse nesta quarta (7) que não descarta se candidatar a presidente da República. Ele defende eleições diretas no caso de uma eventual substituição de Michel Temer.

Questionado por jornalistas sobre “o apelo de parte da sociedade” em sair candidato à Presidência, respondeu que “é uma decisão difícil de tomar”.

Indagado se a possibilidade está descartada, Barbosa afirmou: “Olha, eu sou cidadão brasileiro, cidadão pleno, há três anos livre das amarras de cargos públicos. Portanto, a decisão de me candidatar ou não está na minha esfera de deliberação”.

Joaquim Barbosa disse que já conversou com líderes de partidos políticos sobre o assunto. Citou Marina Silva, do Rede Sustentabilidade, “no ano passado”, e disse que “mais recentemente” teve conversas com PSB.

“Mas nada concreto, mesmo porque não sei se eu decidiria dar esse passo”, completou.

Antes das declarações, durante evento no STF, o ministro Luís Roberto Barroso lembrou que Barbosa já despontou em pesquisas eleitorais como presidenciável e destacou seu “trabalho exemplar” como relator do mensalão.

“Vossa excelência é frequentemente lembrada como um possível candidato à Presidência da República. Não importa se vossa excelência não tem vontade ou interesse. A lembrança, por si só, é lisonjeira. Demonstra que a nação reconhece que vossa excelência é, tanto no plano simbólico, quanto no plano real, o jovem humilde que saiu de Paracatu de Minas para se tornar um orgulho para o Brasil”, disse Barroso.

Barbosa afirmou que o país passa por “momento tempestuoso” na política, em que os “representantes eleitos não cumprem bem sua missão constitucional”. Segundo ele, cabe ao Supremo, “como órgão de calibragem e moderação, ter uma vigilância redobrada”.

DIRETAS

Para o ex-presidente do tribunal, não há “tabu” em alterar a Constituição “em uma situação de emergência como essa para dar a palavra ao povo”, no caso de vacância do cargo de presidente da República.

“Já defendi isso, antes do impeachment. Naquele momento era constitucionalmente viável, mas faltou liderança para o país”, disse ele a jornalistas.

“Acho que o momento é muito grave. Caso ocorra a vacância do presidente da República, a decisão correta a tomar é essa”, acrescentou.

Ingratidão: Walter Alves quer derrubar Henrique da presidência do PMDB

Resultado de imagem para Walter Alves e Henrique Alves
Henrique Alves sempre foi o operador financeiro para finaciar eleições de Garibaldi e Walter Alves

Incrivelmente a ingratidão existe com muita força na família Alves.

As torcidas do ABC e América sabem que Henrique Alves sempre levou o PMDB nas costas, em momentos de dificuldades sempre foi Henrique que mobilizau recursos para enfrentar crises e eleições.

Agora preso, seu primo e deputado federal, Walter Alves, que recebeu dinheiro em suas eleições viabilizado por Henrique, quer derruba-lo da presidência do Diretório do PMDB do RN.

O soldado Vasco informou ao Blog do Primo que o filho de Garibaldi está orientando pessoas ligadas a ele para sugerir a renuncia de Henrique Alves.

Amigos de Henrique estão abismados com o comportamento de Walter e Garibaldi.

Segundo um amigo de Henrique, caso ele seja defenestrado da presidência do PMDB, seria como uma primeira condenação pelo próprio PMDB antes mesmo de uma condenação pela Justiça Federal.