Temer diz estar “animadíssimo”: “essas coisas que acontecem me vitalizam”

Resultado de imagem para animado gif

Luciana Amaral e Gustavo Maia

Do UOL, em Brasília

O presidente da República, Michel Temer, declarou nesta segunda-feira (3) que “essas coisas que acontecem me vitalizam” ao se referir à grave crise política instalada no país desde a delação do grupo J&F ao MPF (Ministério Público Federal). No entanto, Temer não citou um episódio específico. A declaração foi dada ao programa “O É da coisa”, do jornalista Reinaldo Azevedo, na rádio BandNews.

Segundo o presidente Michel Temer, que ligou para a emissora espontaneamente, notícias de que ele e sua família estariam abatidos são falsas. Ao contrário, está “animadíssimo”, disse. De acordo com a jornalista Mônica Bergamo, da “Folha de S.Paulo”, Temer teria demonstrado abatimento a amigos próximos.

“[A semana foi passada] foi boa, viu? E você sabe que eu estou animadíssimo. Aliás, essas coisas, e já tive a oportunidade de dizer, penso que até no seu programa, que essas coisas que acontecem me vitalizam”, declarou.

“Até pensei, nós temos um cachorro lá [no Jaburu], será que o cachorro também está abatido? É uma coisa realmente irreal”, complementou, ironicamente, antes de citar o andamento das reformas propostas pelo governo no Congresso e a melhora de dados econômicos.

Durante a entrevista, o jornalista Reinaldo Azevedo optou por não questionar Temer sobre a prisão do ex-ministro de seu governo, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), anunciando a decisão já com o presidente no ar.

As ligações que ajudaram a levar Geddel, o ‘Carainho’, à prisão

Geddel Vieira Lima - 24/05/2016

veja-logo

Entre os motivos que levaram o juiz federal Vallisney Souza de Oliveira a decretar a prisão preventiva do ex-ministro Geddel Vieira Lima, nesta segunda-feira, estão insistentes ligações do peemedebista baiano a Raquel Albejante Pitta. Mulher do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, preso em Brasília há um ano, Raquel recebeu 12 telefonemas de Geddel entre os dias 17 de maio e 1º de junho. Os contatos do ex-ministro, ou “Carainho”, como estava identificado no celular da mulher de Funaro, eram sondagens sobre a disposição do operador financeiro em aderir a um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal.

“Que estranha alguns telefonemas que sua esposa tem recebido de Geddel Vieira Lima, no sentido de estar sondando qual seria o ânimo do declarante em relação a fazer um acordo de colaboração premiada”, diz o relatório do depoimento de Funaro à PF, prestado no dia 2 de junho. A mesma oitiva explica a inquietação de Geddel com o que Funaro tem a revelar: o doleiro declarou à PF que intermediou ao ex-ministro 20 milhões de reais em propina do esquema de corrupção na Caixa Econômica Federal.

Leia Mais

Desembargador Claudio Santos diz que o governo do estado está mentindo

Resultado de imagem para claudio Santos

Na entrevista que o desembargador Claudio Santos concedeu na 96.7 FM de Natal nesta segunda-feira (03), ao ser perguntado sobre os indicadores de violência, ele disse que o governo está utilizando técnica de propaganda nazista de repetir uma inverdade várias vezes até que a mentira vire verdade.

“O RN é campeão em crimes violentos no Brasil, nosso aparato policial está desmontado e falido e inoperante”, disse o desembargador..

Apresentando ideias para o governo fazer recursos e investir nos serviços básicos, ele sugeriu que o governo do estado iniciasse um processo de privatizações para recapitalizar o erário público. ” O estado deveria vender o Aeroclube, o estadio Juvenal Lamartine, Ceasa e tantos imóveis para investir em Segurança e Saúde”, indicou o desembargador dizendo que o Estado tem 3.500 imóveis – um sério levantamento tem que ser feito para identificar desses 3.500 imóveis os que não tem serventia pública e vende-los imediatamente, o que não pode é faltar viaturas para polícia e insumos e medicamentos nos hospitais, estamos hoje com 157 pessoas nos corredores dos hospitais públicos no TN, sugeriu Claudio Santos

O desembargador Claudio Santos também cobrou a aplicação dos R$ 22 milhões que ele repassou para o poder executivo na sua gestão como presidente do TJRN para construir um presídio que até agora não foi iniciado.

A secretária-chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha estava monitorando a entrevista passando informações para apresentadores pelo WhatsApp.

Quem ouviu a entrevista, gostou da clareza e firmeza do desembargador que tem seu nome lembrado para ser candidato a governador.

Sobre sua provável candidatura, Claudio Santos disse que ninguém pode fazer previsão no Brasil por mais de um mês. “O futuro é desconhecido e só Deus sabe o que poderá acontecer” finalizou ..

RN sangrando: mais um policial militar foi assassinado em Natal

RN sangrando VIOLENCIA 1Na onda de violência descontrolada do RN, na tarde desta segunda-feira (03), o policial militar Noberto de Souza Câmara foi violentamente assassinado a tiros na rua Leão Veloso.

Segundo testemunhas, o policial teria sido perseguido por dois homens que efetuaram os disparos. Atingido por oito tiros nas costas e um na cabeça.

Um dia depois que o governo do estado anunciou uma redução de 17% nos indicadores de crimes violentos no mês de junho comparado com o mesmo período do ano passado o policial Noberto foi assassinado..

 

Fachin nega novo pedido de liberdade de Eduardo Cunha

Ex-deputado Eduardo Cunha

Breno Pires/Brasília

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um recurso apresentado pela defesa do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) contra uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em que havia sido negado um pedido de liberdade do ex-presidente da Câmara. A decisão foi tomada na sexta-feira (30).

A defesa de Cunha, que está preso desde outubro de 2016, sustentava que não se fazem presentes os requisitos autorizadores da prisão preventiva. Fachin afirmou que não enxergou ilegalidade na decisão recorrida que justificasse a concessão de liminar.

“A matéria articulada é de imbricação a recomendar análise mais aprofundada em sede oportuna. Sendo assim, prima facie, não verifico ilegalidade evidente, razão pela qual, sem prejuízo de ulterior reapreciação da matéria no julgamento final do presente recurso, indefiro a liminar”, afirmou Fachin.

Fachin concluiu a decisão pedindo informações sobre a situação de Cunha ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, e ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre.

Cunha foi condenado, no mês de março, por Moro, a 15 anos e quatro meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, por ter recebido US$ 1,5 milhão, equivalente a mais de R$ 4,5 milhões, obtidos depois de a Petrobras fechar contrato de exploração de petróleo no Benin, na África. O caso tramita agora no TRF-4.

Temer volta atrás e decide ir à reunião do G20 na Alemanha

O presidente da República, Michel Temer, voltou atrás e decidiu ir à reunião do G20, grupo que reúne as 20 maiores potências mundiais, que acontecerá nos próximos dias 7 e 8 de julho (sexta-feira e sábado) em Hamburgo, na Alemanha.

A informação foi dada pela Presidência da República na tarde desta segunda-feira (3).

Pelo segundo dia, Câmara não tem deputados suficientes para sessão

Apesar de o Palácio do Planalto dizer ter pressa na tramitação da denúncia contra o presidente Michel Temer, a Câmara, novamente, não teve deputados suficientes para abrir sessão nesta segunda-feira (2) e, assim, fazer andar o calendário da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

Em plena segunda-feira, apenas 19 deputados apareceram na Câmara. Para que haja sessão, são necessários 51 dos 513 deputados.

Ex-ministro Geddel Vieira Lima é preso pela PF na Bahia

Michel Temer (e) e o então ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima

Felipe Amorim, Gustavo Maia e Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) foi preso pela Polícia Federal nesta segunda-feira (3), na Bahia, Estado onde mora. A prisão foi determinada pela Justiça Federal de Brasília, e está ligada às investigações da Operação CuiBono?.

A operação investiga irregularidades na liberação de créditos da Caixa, banco estatal no qual Geddel ocupou a Vice-presidência de Pessoa Jurídica (2011-2013). Geddel foi ministro da Secretaria de Governo de Temer. As investigações da Polícia Federal e do MPF (Ministério Público Federal) apontam que Geddel e o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) atuaram na liberação de ao menos R$ 1,2 bilhão em empréstimos para empresas, em troca de propina.

O pedido de prisão preventiva, apresentado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal, acusa Geddel de atuar para atrapalhar investigações em andamento, ao tentar evitar que o ex-deputado Eduardo Cunha e o corretor Lúcio Funaro firmassem um acordo de delação premiada.

Além da prisão preventiva, a Justiça também autorizou a quebra dos sigilos fiscal, bancário e telemático de Geddel. Diferentemente da quebra do sigilo telefônico (que permite a interceptação das conversas), o levantamento do sigilo telemático permite o acesso ao registro das ligações efetuadas, mensagens e e-mails.

A investigação teve origem na análise de conversas registradas em um aparelho de telefone celular apreendido na casa do então deputado Eduardo Cunha. O teor das mensagens indicam que Cunha e Geddel atuavam para garantir a liberação de recursos por vários setores da CEF a empresas que, após o recebimento, pagavam vantagens indevidas aos dois e a outros integrantes do esquema, entre eles Fábio Cleto. Cleto, que ocupou por indicação de Eduardo Cunha a vice-presidência de Fundos de Governo e Loterias, foi quem forneceu as primeiras informações aos investigadores. Em meados do ano passado, ele fechou acordo de colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República.

O pedido de prisão foi baseado em depoimentos recentes do corretor Lúcio Funaro e dos delatores Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, e do diretor jurídico do J&F, Francisco de Assis e Silva.

A ordem de prisão partiu do juiz da 10ª Vara Federal de Brasília Vallisney de Souza Oliveira.

Eduardo Cunha é o marmiteiro do Complexo Médico Penal de Pinhais

Resultado de imagem para eduardo cunha gif animadoA rotina do ex-presidente da Câmara começa às 6h. Cunha e cinco internos são liberados de suas celas para receber no portão da galeria um carrinho com pães untados com margarina, café com leite e uma fruta. O carrinho entra na ala, e Cunha então separa as marmitas comuns das que são preparadas para os presos com restrições alimentares. Coloca tudo em uma maca improvisada como mesa.

São 32 celas no pavilhão. Cunha vai de cubículo em cubículo entregando a comida, o que na gíria da cadeia é chamado de “pagar boia”. Ele passa canecas, pães e frutas por uma pequena janela recortada no meio da porta de ferro.

Os presos fazem as refeições dentro das celas e depois são soltos para circular pela ala, onde ficam até as 17h30. Internos –como o ex-senador Gim Argello e os ex-deputados Luiz Argolo e André Vargas– caminham de um extremo ao outro do pavilhão, que mede cerca de 50 metros.

Cunha costuma, segundo fontes ouvidas pela Folha, sentar-se numa das três cadeiras emendadas que ficam na saída da ala. Cruza as pernas e, segurando uma caneca azul na mão, ouve outros presos que se sentam ao seu lado para conversar ao pé do ouvido.

Apesar de o peemedebista não ser advogado, alguns detentos da Lava Jato o consultam sobre seus processos.

Deputado Dison poderá ser monitorado por tornozeleira eletrônica

O juiz de Execuções Penais de Natal, Henrique Baltazar, decidiu propor ao deputado estadual Dison Lisboa optar em dormir num presídio ou ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

O deputado foi preso na madrugada do sábado (1º) atendendo a um mandato de prisão aberto contra ele pela Comarca de Goianinha, na Região Metropolitana da capital. Ele segue detido no Comando da Polícia Militar.