Arquivo diários:04/04/2018

Ministro da Defesa ameniza declaração do general Vilas Bôas

Resultado de imagem para general Joaquim Silva e Luna,O ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, também tentou minimizar a publicação do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que condenou a impunidade no Twitter. Ao Globo, Luna disse que as palavras de Villas Bôas foram contrárias ao uso da força, para tranquilizar a população.

“O general Villas Bôas tem mostrado coerência. Ele tem preocupação com preceitos constitucionais”, afirmou.

Fux adia depoimento de Bolsonaro, que estava marcado para o mesmo dia de HC do Lula

O MITO O deputado Jair Bolsonaro  é o segundo político com mais seguidores nas redes sociais. Ele aposta em discursos radicais e contundentes, salpicados por memes em que seguidores o bajulam, chamando-o de Bolsomito (Foto: Igo Estrela/Estadão Conteúdo)

MARCELO ROCHA

REVISTA ÉPOCA

O deputado federal e pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro(PSL-RJ) tinha compromisso no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira (4), dia em que a Corte analisará o habeas corpus do ex-presidente Lula. Bolsonaro tem que prestar depoimento na ação penal por incitação ao crime movida contra ele pela Procuradoria-Geral da República.

A pedido da defesa do parlamentar, o ministro Luiz Fux adiou o interrogatório até que sejam ouvidas as testemunhas de defesa indicadas pelo réu em outro processo do STF. As duas ações estão relacionadas ao caso envolvendo a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS).

Legalista, Gilmar Mendes diz que condenação de Lula ‘mancha imagem do País’ e HC causará ‘incompreensão’

Gilmar MendesCélia Froufe, enviada especial / Lisboa, O Estado de S.Paulo

LISBOA – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, tido como legalista, afirmou em Lisboa que a decisão da Corte sobre o pedido de habeas corpus (HC) da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá ser conhecida amanhã mesmo ou na quinta-feira e poderá gerar incompreensão. Ele disse ainda que a condenação de Lula “mancha a imagem do Brasil” e alertou: “Se alguém torce para prisão de A, precisa lembrar que depois vêm B e C”.

O ministro falou com a imprensa na capital portuguesa, onde participa do VI Fórum Jurídico de Lisboa – Reforma do Estado Social no Contexto da Globalização, organizado pelo seu Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP) e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).”Ter candidato condenado, mas que lidera as pesquisas é fator mais grave para coquetel (de violência).

Tenho a impressão de que mancha a imagem do Brasil no curto prazo”, afirmou o ministro, explicando que “conceder HC para alguém irrita muitas pessoas, mas estamos protegendo essas pessoas.