Arquivo diários:06/06/2018

Governo promete reforçar oferta de energia durante jogos da Copa

Por Rafael Bitencourt | Valor

BRASÍLIA  –  O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu nesta quarta-feira (6) que serão adotadas medidas para aumentar a segurança do suprimento de energia elétrica durante a transmissão dos jogos da Copa do Mundo FIFA 2018, que será realizada neste mês na Rússia.

A estratégia de garantir um “grau adicional de segurança” ao sistema elétrico durante os jogos foi apresentada hoje pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), em reunião do comitê.

“O intervalo de operação especial terá início duas horas antes e finalizará duas horas depois dos jogos do Brasil e de outros eventos também identificados como de grande relevância, tais como cerimônia de abertura e o jogo final”, informou o CMSE, em nota.

O ONS planeja manter um número maior de unidades geradoras (turbinas) sincronizadas nas hidrelétricas. Esta decisão visa “preservar o equilíbrio” entre a demanda e a geração de energia elétrica durante as “rampas de consumo” no intervalo e no fim dos jogos

Lascou: Polícia Federal pede ao Supremo quebra do sigilo telefônico de Temer, Moreira e Padilha

Estadão Conteúdo

A Polícia Federal solicitou a quebra do sigilo telefônico do presidente da República, Michel Temer, e dos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha (MDB), e de Minas e Energia, Moreira Franco (MDB) ao Supremo Tribunal Federal. O pedido foi no âmbito do inquérito para apurar as revelações de delatores da Odebrecht sobre o repasse de R$ 10 milhões para o grupo político do presidente. O repasse teria sido acordado em uma reunião no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente da República. A informação foi revelada pelo jornal O Globo e confirmada pelo O Estado de S. Paulo.

O ministro Edson Fachin, relator do inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), será responsável por decidir se acolhe ou não a solicitação da Polícia Federal. O pedido abrange o período de 2014, quando teria ocorrido a reunião e os repasses por meio de operadores da empreiteira baiana. A quebra de sigilo telefônico não possibilita a recuperação do conteúdo das conversas, mas consegue mapear em qual horário e para quem foram feitas ligações do número do presidente e de seus aliados.

O objetivo desse tipo de quebra de sigilo é mapear se os investigados se comunicaram na época em que a propina foi negociada e quando os repasses foram feitos.

A autoridade policial também pediu a quebra do sigilo telefônico de operadores da empreiteira que teriam realizado as supostas entregas do dinheiro. No caso dos R$ 10 milhões, segundo a Odebrecht repassados ao grupo político do presidente, as entregas teriam sido feitas por um operador do Rio Grande do Sul e no escritório do amigo e ex-assessor de Temer, o advogado José Yunes.

O jornal O Estado de S. Paulo revelou em 2016 que planilha apreendida pela Polícia Federal na 23ª fase da Lava Jato revela pagamento de R$ 1 milhão para o codinome ‘Angorá’ na época em que o delator Cláudio Melo Filho relata ter repassado valores para o ministro da Casa Civil Eliseu Padilha. O documento atrela ao operador Antônio Cláudio Albernaz Cordeiro, codinome Tonico, a entrega dos valores, em 18 de agosto de 2014, na cidade de Porto Alegre.

Histórico

No início de março, o ministro Luís Roberto Barroso autorizou a quebra de sigilo bancário e fiscal de Temer no âmbito do inquérito que investiga irregularidades na edição do Decreto dos Portos, assinado por ele em maio de 2017. A decisão atendeu a um pedido do delegado da Polícia Federal Cleyber Malta, responsável pelo inquérito. O delegado reiterou a necessidade da quebra de sigilo e disse que a medida era imprescindível para a investigação. Segundo ele, sem o acesso aos dados bancários, não seria possível alcançar a finalidade da investigação.

A quebra de sigilo bancário abrange o período entre 2013 e 2017. A solicitação feita pelo delegado, em dezembro do ano passado, diverge do pedido da procuradora-geral da República Raquel Dodge, que solicitou quebras de sigilo no âmbito do inquérito dos Portos, mas não incluiu entre os alvos o presidente Temer.

Casal Protásio também rompe com o prefeito Álvaro Dias

Imagem relacionada
Casal Protásio vai para oposição por que perdeu os cargos

A informação que chegou de pessoas do gabinete do prefeito de Natal, Álvaro Dias ao Blog do Primo, dá conta que a vereadora Ana Paula Protásio tinha 28 cabos eleitorais indicados por ela e seu esposo ex-vereador Júlio Protásio exercendo cargos comissionados na Prefeitura.

Diante de tanta fartura, o prefeito Álvaro Dias comunicou ao casal Protásio que iria retirar a metade para atender outros vereadores. O casal Protásio não aceitou e rompeu com o prefeito.

Como o casal Protásio não aceitou a ‘meia cabeleira’, Álvaro Dias raspou a cabeça como é dito na linguagem bem humorada da política..

Vereadora Júlia Arruda não aceita ‘chave de rodas’ e rompe com o prefeito Álvaro Dias

Resultado de imagem para vereadora Júlia Arruda do
Júlia Arruda

A vereadora Júlia Arruda do PDT do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves resolveu não aceitar levar a famosa ‘chave de rodas’ e rompeu com o prefeito de Natal Álvaro Dias.

Júlia já não vinha votando nas matérias de interesse do prefeito Álvaro Dias..

O prefeito pressionou a vereadora sobre sua independência, mas ela não cedeu, neste caso, como disse um assessor de Álvaro – vereador que não obedecer terá a cabeça pelada, ou seja, todos os cabos eleitorais nomeados na prefeitura serão demitidos.

A vereadora publicou uma nota oficial rompendo com o prefeito Álvaro Dias:

Nota

1- Em respeito aos meus princípios, com a coerência, firmeza e transparência que sempre marcaram minha atuação na Câmara Municipal de Natal e que são as bases da minha conduta e da minha vida pública;

2- Alinhada aos interesses da população natalense, que me confiou três mandatos, tendo sido inclusive a primeira mulher reeleita vereadora na história da nossa cidade, e com o compromisso de continuar sendo a diferença numa política marcada por práticas ainda tão arcaicas;

3- Convicta de que nunca aceitei, não aceito e jamais aceitarei abrir mão de exercer meu mandato de acordo com o que acredito, de que pressão nenhuma foi ou será capaz de violar meus princípios e de que minha autonomia é inegociável;

4- E após ser surpreendida por um movimento claramente articulado e rasteiro, uma verdadeira “chave de roda” apelidada pela gestão de “realinhamento da bancada”, que levou vereadores das mais diversas matizes políticas para um constrangedor confessionário com o Sr. Prefeito.

Anuncio meu rompimento com a administração do prefeito Álvaro Dias, do MDB. Decisão que tomo com a mesma tranquilidade que sempre caracterizou meu posicionamento na Câmara Municipal de Natal, e com coragem e disposição renovadas para seguir FAZENDO A DIFERENÇA. Um trabalho que me permite ser bem recebida nos quatro cantos da cidade, de cabeça erguida, olhando nos olhos das pessoas, e com a certeza de que estou do lado certo. Porque, para mim, respeito e credibilidade não são moeda de troca.

Júlia Arruda

Vereadora de Natal

Emissora de TV revela envolvimento de Carlos Eduardo Alves no esquema criminoso da Operação Cidade Luz

Matéria exibida em jornal local mostra o envolvimento do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves no esquema denunciado pelo Ministério Público do RN que supostamente desviou recursos públicos proveniente da COSIP – Contribuição Social de Iluminação Pública da Prefeitura de Natal e recebimento de propinas por agentes públicos.

A matéria mostra o envolvimento do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, do presidente da Câmara Municipal de Natal, vereador Raniere Barbosa e do atual secretário da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos da atual gestão do prefeito Álvaro Dias, Jonny Costa, que segundo delatores recolhia as propinas para entregar a ex-prefeito e pré-candidato a governador Carlos Eduardo Alves.

Veja a matéria:

 

BNDES expande financiamento de energia solar a pessoas físicas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou mudanças no Programa Fundo Clima. A partir de agora, no subprograma Máquinas e Equipamentos Eficientes, pessoas físicas terão acesso a financiamentos para a instalação de sistemas de aquecimento solar e sistemas de cogeração (placas fotovoltaicas, aerogeradores, geradores a biogás e equipamentos necessários). Os recursos poderão ser contratados em operações indiretas somente por meio de bancos públicos.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou mudanças no Programa Fundo Clima. A partir de agora, no subprograma Máquinas e Equipamentos Eficientes, pessoas físicas terão acesso a financiamentos para a instalação de sistemas de aquecimento solar e sistemas de cogeração (placas fotovoltaicas, aerogeradores, geradores a biogás e equipamentos necessários). Os recursos poderão ser contratados em operações indiretas somente por meio de bancos públicos.

Prefeito de Natal Álvaro Dias continua dando ‘chave de rodas’ nos vereadores

Resultado de imagem para Chave de rodasPolítico experiente, o prefeito de Natal Álvaro Dias está colocando ‘ordem no galinheiro’, como diz o matuto.

Orientado pelos vereadores Felipe Alves e Kleber Fernandes que também é seu chefe de gabinete, Álvaro Dias está sendo claro nas suas conversas com os vereadores: ou o eles votam nas matérias de interesse do prefeito ou terão a ‘cabeça raspada’ como é dito na linguagem política. Quem se atrever de votar contra o prefeito não terá seus cabos eleitorais indicados para ocuparem cargos comissionados na Prefeitura.

Os vereadores estão indo conversar com Álvaro bem mansinhos, todos até agora afrouxaram, nenhum enfrentou o prefeito..

Tem vereadores que além de jurarem lealdade ao prefeito ainda estão dizendo que votarão no filho de Álvaro Dias, o delegado Adjuto Neto,  para deputado estadual..

Uma boa chave de rodas, como diz Manuel de Brito, faz milagres..

Até o primo Cícero Martins que denunciou o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves de fazer “uma politica atrasada” está calado, não falou nada sobre o assunto.

O soldado Vasco alerta: ninguém brinque com Álvaro..

Câmara aprova proibição de casamento de menores de 16 anos

Por Heloisa Cristaldo – Repórter da Agência Brasil  Brasília

O plenário da Câmara aprovou na noite de ontem (5), em votação simbólica, o Projeto de Lei 7119/17, que proíbe o casamento de menores de 16 anos. Atualmente, o Código Civil permite o casamento em caso de gravidez. A matéria será agora analisada pelo Senado.

De acordo com a autora do projeto, deputada Laura Carneiro (DEM-RJ), um estudo do Organização Não Governamental Promundo aponta que 877 mil mulheres brasileiras se casaram com até 15 anos de idade e, atualmente, existiriam cerca de 88 mil meninos e meninas com idades entre 10 e 14 anos em uniões consensuais, civis ou religiosas no Brasil.

“Cumpre notar que se trata de legislação incompatível com os avanços da ciência e das políticas públicas, que já demonstraram, respectivamente, os prejuízos psicológicos e sociais deste tipo de união, incompatível com o nível de desenvolvimento psicossocial de crianças. Cumpre notar, ainda, que se trata de política discriminatória, uma vez que incide de modos distintos sobre meninos e meninas”, justificou Laura Carneiro.

O Código Civil autoriza ainda, no artigo 1517, o casamento de pessoas de 16 ou 17 anos mediante autorização dos pais. A partir dos 18 anos, não há restrições.