Arquivo diários:10/06/2018

Geraldo Melo nas ondas de rádios

Resultado de imagem para Geraldo Melo rádioO pré-candidato a senador pelo PSDB, ex-governador Geraldo Melo está mergulhando nas pequenas emissoras de rádios dos municípios do interior.

Bom de bico, falando com simplicidade e numa linguagem de fácil entendimento, Geraldo Melo com um microfone é um mestre em convencimento..

Nessa pisada ele vem crescendo em todas pesquisas..

Bitcoin amplia perdas

Por Bloomberg

SEUL E HONG KONG  –  O Bitcoin ampliou as perdas pelo terceiro dia consecutivo, caindo até 6% nesse domingo, enquanto o Coinrail, da Coreia do Sul, disse que houve uma “intrusão cibernética” em seu sistema. A maior das criptomoedas caiu 4,6%, para 7,277 a partir das 10 horas da manhã, sua queda mais grave desde 23 de maio, de acordo com dados compilados pela Bloomberg, da Bitstamp.

Isso aumenta as perdas do Bitcoin no ano para 49%. As criptomoedas Ethereum e Ripple caíram 5% e 6,6%, respectivamente.

Por meio de um comunicado, a Coinrail disse em seu site que está revendo seu sistema devido a ameaças de hackers.

A bolsa diz que conseguiu congelar todas as moedas expostas NPXS, NPER e ATX, e que outras criptomoedas estão agora sendo mantidas em uma carteira fria. A declaração é o único conteúdo disponível no site da bolsa, que negocia mais de 50 criptomoedas diferentes.

Áustria vetou minuto de silêncio a Maria Esther Bueno

A ex-tenista Maria Esther Bueno é homenageada em Viena, no Estádio Ernst-Happel, antes de partida amistosa entre Brasil e Áustria - 10/06/2018

Revista Veja

VIENA – Maria Esther Bueno, a lenda do tênis brasileiro que morreu na última sexta aos 78 anos, foi homenageada no telão do estádio Ernst Happel, em Viena, pouco antes da vitória da seleção brasileira por 3 a 0 sobre a Áustria

O objetivo da Confederação Brasileira de Futebol, no entanto, era realizar um minuto de silêncio em respeito à ex-tenista, mas o pedido foi negado pela federação austríaca.

Os dirigentes locais alegaram que este tipo de deferência em jogos de futebol devem se limitar a personalidades do mesmo esporte. A rigidez dos austríacos surpreendeu a CBF, que buscou então a alternativa do telão. Foi mostrada uma foto da tricampeã de Wimbledon, que recebeu muito aplausos dos torcedores austríacos.

Multas por preço abusivo nos postos devem demorar a sair

Por Agência O Globo

RIO  –  Em 20 dias, desde o início da greve dos caminhoneiros, em 21 de maio, os Procons já autuaram mais de 2.500 postos e cerca de 200 supermercados Brasil afora, a maioria por indícios de prática de preços abusivos. E as multas? É o que querem saber os consumidores indignados diante dos abusos cometidos pelo comércio nas últimas semanas. Sophia Vial, vice-presidente da Procons Brasil, esclarece que a punição pode demorar.

É preciso comprovar que o vendedor obteve vantagem excessiva sobre a clientela e, para isso, é preciso confrontar o valor de venda às notas de compra e outros custos, antes de aplicar a multa que pode chegar a R$ 10 milhões.

” Em casos flagrantes de abuso, como o posto que vendia gasolina a R$ 10, os Procons puderam atuar cautelarmente. Mas, nos demais casos, é preciso aguardar que a empresa apresente a sua defesa para avaliarmos. A autuação tem que ser pedagógica para que a prática não se repita”, diz Sophia. Ela relembra que na época do desastre de Mariana, em Minas Gerais, também foram feitas denúncias de aumentos de preços da água.

Procons orientam consumidor a exigir nota fiscal discriminada com valor por litro de combustível. Especialista em direito do consumidor, Ricardo Morishita diz que a legislação é feita justamente para garantir a normalidade em momentos de crise. Desde 1962, lembra o especialista, a Lei Delegada nº 4 coíbe aumento de preço abusivo. O conceito é reafirmado no artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) e por várias decisões do Superior Tribunal de Justiça

Tite fala em orgulho por atuação, mas evita confirmar time da estreia

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Viena (Áustria)

A convincente vitória da seleção brasileira por 3 a 0 contra a Áustria, neste domingo em Viena, rendeu reconhecimento de Tite. Apesar do bom desempenho ofensivo sem causar exposição em demasia para a linha de defesa, o treinador brasileiro manteve o hábito de evitar projeções imediatamente após as partidas. Segundo ele, será preciso esperar mais para saber a equipe que estreia no domingo que vem contra a Suíça.

Confira mais declarações da entrevista coletiva de Tite:

Evolução de Neymar
Eu não sei nem o limite do Neymar. Eu não sei. As capacidades técnica e criativa são impressionantes e quando a gente consegue acionar no último terço do campo ela é letal. Mas ainda procurando, readquirindo, ele vai oscilar. Eu falei para ele abrir e finalizar e depois eu pensei: será que não vai (machucar)…e fiz a substituição.

Avaliação da performance da Áustria. Vai ser tão fácil assim na Copa?
A Áustria fez a mesma coisa contra a Alemanha, marcou alto, a estratégia é a mesma. Triangular, passes curtos vão gerando desgaste na equipe adversária. Isso vai minando a equipe adversária. E aí vamos utilizando a qualidade técnica que tem. Daí começa a entender o resultado. Contra a Suíça, vamos começar a pensar agora. Temos uma forma de jogar e ela se ajusta depois. A equipe tem que jogar automático sem pensar, criar triângulos, jogamos com dois triângulos e dois pivôs, então a gente tenta repetir isso pra quando vier a pressão a gente encontrar soluções.

Estratégia no jogo
Acelera, desacelera, triangula, o adversário vai cansar. A mobilidade que essa equipe tem é impressionante. Eles tiram das virtudes técnicas e físicas o melhor.

Elogios para o banco
Eu vou falar um pouquinho. O técnico sente bastante orgulho quando troca o atleta e o atleta que entra mantém o nível bom. É maior orgulho de sentir que a gente ajudou a equipe de trabalho. quando vem o Sylvinho aqui falar não é porque o técnico não quer falar, mas é pra mostrar que a equipe de trabalho é muito forte. É quando o Neymar faz o gol e abraçou o doutor [Rodrigo Lasmar], o Ricardo [Rosa, preparador]. A gente sabe o quanto é gostoso estar na seleção, mas sabemos o quanto representamos e tentamos fazer a mobilização.

Fred, Renato Augusto e Neymar: condição
O doutor fará maiores detalhes do Fred, mas a previsão é que durante a semana ele já esteja trabalhando. Se fosse a Copa hoje, Renato estaria no banco. Neymar, deixa ele ir pro jogo para adquirir ritmo, mas e se me acontece algo? Eu ficava: ‘mais um pouquinho, mais um pouquinho, deixa ele’. Até que uma hora eu falei: ‘agora chega’. Se acontecesse algo com ele ou Couto…

Álvaro Dias mandou limpar as praias de Natal acabando com podridão insuportável

Situação da semana passada

Antes de ir no sábado fazer pré-campanha para seu candidato a governador em Caicó, o prefeito de Natal mandou limpar toda orla urbana de Natal que estava suja com podridão tomando conta de tudo. De Areia Preta até a Praia do Forte, Dias mandou passar a vassoura.. Com Álvaro ninguém brinca..

Lixo, ratos, gatos, lagartixas, animais mortos e muitas moscas estavam recepcionando os turistas que visitavam Natal, uma vergonha..

O Blog do Primo denunciou, o prefeito se tocou e mandou limpar..

Agora e manter as praias limpas, se sujar o soldado Vasco vai fotografar e denunciar..

O problema da Prefeitura de Natal é que os secretários do prefeito Álvaro Dias ao ver ele fazendo campanha para Carlos Eduardo Alves, querem fazer também.. Quando o ex-prefeito Carlos Alves está atrás de votos, os secretários municipais, pensando uma boquinha no governo, abandonam suas secretarias e vão fazer campanha no interior..

Fotos do sábado:

“Advogadas conquistaram direitos, mas estão longe da igualdade com homens

Por Sérgio Rodas

CONJUR

Apenas a segunda mulher a presidir o Instituto dos Advogados Brasileiros em 175 anos de existência, Rita Cortez acredita que seu exemplo pode ajudar a advocacia a diminuir a desigualdade entre os gêneros. Com isso, ela espera que mais mulheres liderem escritórios e entidades como as seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil.

Rita, que é especialista em Direito Trabalhista e sócia do AJS – Cortez & Advogados Associados, assumiu a presidência do instituto no começo de maio. Ela substituiu o criminalista Técio Lins e Silva, que, para ela, “recolocou o IAB como uma entidade de destaque no cenário nacional”.

Mas mesmo com todos esses esforços, o momento atual do Brasil é sombrio para a classe, aponta a presidente do IAB. Segundo ela, há uma “criminalização da advocacia” em curso. E os principais alvos dessa cruzada são os profissionais que atuam nas áreas penal e trabalhista.

À frente do tradicional instituto, Rita Cortez busca lutar pelas garantias dos advogados e pela afirmação dos direitos fundamentais. Porém, essa tarefa não cabe apenas à categoria. Para ela, somente com uma educação forte é que os brasileiros vão compreender a importância dessas garantias constitucionais.

Leia a entrevista:

 

Continue lendo “Advogadas conquistaram direitos, mas estão longe da igualdade com homens

Papéis revelam ação de ditaduras contra EUA

O presidente norte-americano Jimmy Carter (à esq.) conversa com o presidente Ernesto Geisel durante jantar no Palácio da Alvorada, em Brasília (DF).
O presidente norte-americano Jimmy Carter (à esq.) conversa com o presidente Ernesto Geisel durante jantar no Palácio da Alvorada, em Brasília (DF). – 29.mai.1978/Folhapress
Rubens Valente
FOLHA DE SÃO PAULO/BRASÍLIA

Uma série de 16 documentos inéditos revela uma operação secreta nos anos 1970 entre ditaduras da América do Sul contra o governo do então presidente dos EUA, Jimmy Carter (1977-81).

Segundo os papéis, os militares montaram uma reação em bloco, do qual o Brasil não quis participar, contra críticas de Carter sobre as violações de direitos humanos que ocorriam na região.

Os documentos, que têm carimbo de secreto, foram obtidos pelo pesquisador Matias Spektor, colunista da Folha e professor de relações internacionais da Fundação Getúlio Vargas.

Os textos descrevem uma operação de codinome Faro a partir de 9 de maio de 1977, quando o presidente Ernesto Geisel recebeu uma carta do colega uruguaio. Aparicio Méndez (1904-1988) anunciou uma missão de seu enviado ao Brasil, o general Gregorio Alvarez (1925-2016), então chefe de divisão do Exército e que viria a governar o Uruguai em 1981 —o país sofreu um golpe de Estado em 1973.

Geisel recebeu a cartas das mãos de Alvarez em audiência no Palácio do Planalto.

O uruguaio disse que seu governo estava preocupado com “as posições políticas assumidas pelo presidente Carter desde sua posse”, em especial “a campanha relativa aos direitos humanos e as medidas concretas levadas a efeito contra alguns governos latino-americanos”.

Alvarez disse a Geisel que havia um “perigo” entre medidas analisadas no Banco Mundial e no Banco Interamericano de Desenvolvimento, pois os EUA queriam vincular a proteção dos direitos humanos à liberação de recursos. Propôs uma reunião dos presidentes da região e disse que o plano já tinha o apoio de Argentina, Paraguai e Chile.

No mesmo dia, segundo os documentos, Geisel convocou uma reunião no Alvorada com o chanceler brasileiro, Azeredo da Silveira, e os ministros e generais João Baptista Figueiredo (SNI), Hugo Abreu (Casa Militar) e Golbery do Couto e Silva (Casa Civil). Geisel decidiu que sua participação no esforço contra Carter seria “inoportuna e inconveniente”.

“O quadro político brasileiro não é idêntico aos dos demais países do cone sul, que estão passando por uma etapa indispensável da repressão da subversão”, disse.

Além disso, “o Brasil sempre seguiu a política de não criar blocos [e] não participar de blocos” regionais, e um grupo como o sugerido “criaria desconfianças”. Para Geisel, “é muito mais eficaz que os países atingidos por alguma dessas medidas tenha ação concertada, mas não pública”.

No encontro, o general afirmou que Alvarez lhe explicou que a ideia era “uma ação destinada a convencer o governo norte-americano da necessidade de corrigir algumas de suas diretrizes, de modo a fortalecer o mundo ocidental”.

Geisel ponderou: “O resultado aparente final será a criação de um grupo para combater a atual administração norte-americana, o que trará graves danos à política bilateral com os EUA e o relacionamento dos países do cone sul com os demais do Ocidente”.

Para ele, “o que importava e ainda importa é quebrar o ‘impetus’ inicial da administração norte-americana, o que parece estar acontecendo”.

Em seguida, Geisel determinou que o general Octavio Aguiar de Medeiros (1922-2005) levasse pessoalmente sua resposta durante reunião em Montevidéu de 12 a 16 de maio de 1977, com representantes do Uruguai, Argentina, Bolívia, Chile e Paraguai.

Medeiros disse depois que procurou mostrar, no encontro, “as dificuldades e os inconvenientes” de uma ação contra os EUA.

O general Alvarez retrucou falando do “desrespeito dos EUA à soberania” dos países e “a ameaça crescente da subversão e da expansão comunista no Ocidente”.

Segundo a documentação, naquele momento ficou claro que a iniciativa do bloco partira na verdade do Chile, que “propôs ao Uruguai que a patrocinasse”. Sob a ditadura de Augusto Pinochet (1915-2006), o Chile já havia desencadeado na mesma época a Operação Condor, associação entre países latinoamericanos para localizar e matar opositores dos regimes militares locais.

Ao final da reunião, os participantes se manifestavam em favor da aliança. O Brasil, último a falar, se disse contrário, para surpresa dos presentes. O representante da Argentina disse que seu país também não faria parte da aliança.

Medeiros escreveu que “a situação de isolamento e abandono a que se sentem, principalmente esses dois países [Chile e Uruguai], em face da política exterior do atual governo dos EUA é a causa principal da iniciativa tomada”.

“Qualquer referência” ao assunto “deverá ser feita, entre os países participantes, pela designação código Operação Faro”, continuou, sem explicar o porquê do nome.

Para Spektor, a decisão de Geisel se explica porque, “quando o regime militar brasileiro fazia sua abertura, os do Chile, Uruguai e Argentina estavam se fechando”.

Jair Krischke, presidente do Movimento de Justiça e Direitos Humanos gaúcho, disse que os papéis mostram uma contradição da ditadura brasileira. “Poucos meses antes, em março, o Brasil havia denunciado o acordo militar com os EUA porque o governo Carter criticara o país por sua política de direitos humanos”.

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 14 milhões na 4ª feira

Ninguém acertou as seis dezenas – 10, 19, 26, 35, 38 e 39 – do concurso 2048 da Mega-Sena, sorteadas neste sábado (9), em Goiás.

O próximo concurso, o de número 2049, a ser realizado na próxima quarta-feira (13), pode pagar R$ 14 milhões. As informações são do site da Caixa Econômica Federal.

Leia também no Blog do Primo: Delação requentada de Ritinha é para desviar atenção para Operação Cidade Luz que evolve Carlos Eduardo Alves

A Quina teve 36 apostas ganhadoras com R$ 57.189,69 para cada uma. A Quadra registrou 3.611 apostas ganhadoras com R$ 814,50 para cada uma delas.