Arquivo diários:01/07/2018

Menino de 8 anos é aprovado em universidade na Bélgica

BBC

Um menino belga se formou no ensino médio e foi aprovado em universidades aos 8 anos – idade que deveria estar cursando a segunda série do ensino fundamental. O garoto conseguiu a façanha de pois de completar 6 anos de estudo em apenas um ano e meio, concluídos graças a aulas particulares.

Laurent Simons, cujo pai é belga e sua mãe holandesa, tem um QI de 145, de acordo com seus pais, e pegou seu diploma em meio a uma turma de estudantes de 18 anos. Na Bélgica, segundo a imprensa local, 2,5% da população é considerada de alto potencial com um QI de 130 ou mais.

Em entrevista à rádio RTBF, da Bélgica, Laurent disse que sua matéria favorita é matemática “porque é muito vasta, com estatística, geometria, álgebra”.

Laureny já foi sondado por diversas universidades, segundo seu pai Alexander. “Ainda estamos no processo de nos orientar. Recebemos muitas ofertas, inclusive do exterior”, afirmou.

O garoto, porém, ainda não escolheu uma instituição. Ele vai aproveitar os dois meses de férias escolares para definir seu futuro e descansar.

Tédio na escola

O pai do menino contou que o filho até insistia em brincar com outras crianças quando era mais novo, mas não se interessava pelos brinquedos.

O próprio garoto afirmou que ficava entediado em sala de aula. “Às vezes, os outros alunos demoravam muito para responder, então eu respondia por eles”, disse ele a jornalistas durante sua primeira coletiva de imprensa.

Laurent disse que considerou se tornar um cirurgião e um astronauta, mas agora estava pensando em mergulhar no universo dos computadores.

“Se ele decidisse que amanhã seria um carpinteiro, isso não seria um problema para nós, contanto que ele estivesse feliz”, disse o pai.

Juízes não devem ser remunerados por palestra, diz presidente do TRF-4

Resultado de imagem para desembargador Thompson Flores

Por Fernanda Valente

O pagamento a juízes por palestras é incompatível com o cargo. A opinião é do desembargador Thompson Flores, presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (PR, SC e RS). Segundo ele, esse é um fenômeno recente no Poder Judiciário que deve ser evitado.

“Na Suprema Corte dos Estados Unidos, houve o caso de um juiz que renunciou ao cargo porque foi apontado que ele recebeu honorários por palestra. Nesse sentido, acredito que o juiz só deve ser remunerado pelos cofres públicos e a cobrança por palestras é inadmissível”, afirmou nesta sexta-feira (29/6), durante almoço organizado pelo Instituto dos Advogados de São Paulo (Iasp).

No Brasil, a participação de magistrados como palestrantes foi autorizada pelo Conselho Nacional de Justiça em 2016. O entendimento é que as palestras são equivalentes ao exercício do magistério.

A docência é permitida aos magistrados pela Constituição Federal, no entanto, a Lei Orgânica da Magistratura (Loman) estabelece que o juiz pode sofrer sanção por exercer qualquer outra função.

sérgio moro palestras tucanos dinheiro adequado
Sergio Moro diz que dinheiro que recebeu por palestras foi “adequado”

Tiroteios em Niterói e Copacabana assustam população do Rio

Por Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil   Rio de Janeiro

Dois tiroteios, logo nas primeiras horas deste sábado (30), em Niterói e no Rio de Janeiro, deixaram assustados os moradores, que acordaram aos som dos disparos. Em ambos os casos, segundo a Polícia Militar (PM), os confrontos foram entre policiais e traficantes.

Em Niterói, uma operação da PM na comunidade da Grota, no bairro de São Francisco, resultou em tiroteio com os criminosos. Segundo a polícia, os traficantes abriram fogo contra a tropa e depois acabaram fugindo. A operação não resultou em prisões ou apreensões.

Na zona sul do Rio, em Copacabana, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) dos morros Pavão e Pavãozinho entraram em confronto com criminosos, durante uma ação de combate ao tráfico de drogas no local. Como os morros ficam muito próximos dos prédios, moradores acordaram ao som dos tiros. Não há informações sobre os resultados da operação.