Arquivo diários:03/07/2018

Dispara o número de mulheres militares que vão concorrer às eleições

militaresCongresso em Foco

Como milhões de mulheres no país, Fátima Souza chefia seu lar desde o divórcio, há 11 anos. Ela conta que, desde então, é “pai e mãe” e cuidou sozinha dos cinco filhos enquanto lutava contra uma depressão. “Quando o pai separa da mulher, ele esquece também que é pai. Muitas passam por isso”, conta ao Congresso em Foco a cabo da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP), que dá palestras e é instrutora do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd). E, como se isso não bastasse, é uma das cerca de 200 mulheres ligadas às forças militares que deverão disputar algum cargo eletivo em outubro.

O número estimado de mulheres militares na corrida eleitoral em 2018 deve crescer 57% na comparação com o total desse tipo de candidatura registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2014, quando 127 da ativa concorreram.

Aos 50 anos de idade, dos quais 20 dedicados à PM, Fátima deverá concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados em outubro pelo PSL. Mas DEM e PR são as outras legendas que abrigam aliados e simpatizantes à candidatura do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), militar da reserva, ao Palácio do Planalto.

O partido de Bolsonaro deve lançar cerca de 20 candidatas militares da ativa e da reserva apenas em São Paulo, o equivalente a pelo menos 10% do total esperado de candidaturas de militares femininas neste ano.

O número de mulheres deve satisfazer o mínimo de 30% exigidos por lei dos aproximadamente 600 candidatos ligados ao serviço militar. São policiais, bombeiros e membros do Exército que devem se candidatar aos cargos deputado estadual, federal e senador, de acordo com as contas do deputado Major Olímpio (PSL-SP), presidente do partido em São Paulo e responsável pela coordenação das candidaturas dos militares. O número já havia sido adiantado pelo próprio Major Olímpio ao Congresso em Foco, em meados de junho. Esse pode não ser o número real. As candidaturas ainda não foram registradas e os 30% de mulheres dependem de cada partido.

Sindicalistas pedem fim da reforma trabalhista de Rogério Marinho e preparam mobilização

Resultado de imagem para Rogério Marinho
Rogério Marinho com Aécio Neves
Por Fabio Murakawa | Valor

BRASÍLIA  –  Sindicalistas reunidos na Câmara dos Deputados anunciaram para o dia 10 de agosto um “dia do basta”, de mobilização contra a reforma trabalhista, a lei que instituiu o teto de gastos e outras medidas do governo Michel Temer. As centrais se reúnem nesta quarta-feira (4) na sede do Dieese em São Paulo para fechar a pauta do movimento, que deve incluir também o rechaço à terceirização ampla aprovada pelo Congresso, à reforma da Previdência e à privatização de estatais.

Em seminário sobre os Impactos da Aplicação da Nova Legislação Trabalhista no Brasil, nesta terça-feira (3), eles pediram a revogação da reforma, que entrou em vigor em novembro do ano passado.

As medida, que alterou mais de cem artigos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), atingiu em cheio as centrais, com o fim da obrigatoriedade do imposto sindical. Alguns representantes de entidades presentes ao encontro estimaram em cerca de 80% a perda de suas receitas. Eles apontam, no entanto, prejuízos ao trabalhador para justificar sua luta contra a nova legislação.

“Já se fazem sentir efeitos dessa reforma na vida das pessoas, mulheres, jovens, idosos. E foi muito mais rápido do que imaginávamos sentir os impactos negativos dessa barbárie”, afirmou Edson Carneiro, o Índio, secretário-geral da Intersindical.

Ele apontou como efeitos da legislação, que flexibilizou normas e permitiu a prevalência do negociado sobre a própria lei, a explosão do desemprego e a migração de postos formais de trabalho, “que foram transformados em bico”.

 

Continue lendo Sindicalistas pedem fim da reforma trabalhista de Rogério Marinho e preparam mobilização

A segunda lista

Resultado de imagem para lista gifAmigo Primo,
Como vc e outras tantas pessoas bem sabem, trabalhei por décadas na Assembléia Legislativa, em quase todos os setores, desde Gabinetes, Presidência, Diretoria e assessorias interna e externa. Conheço bem todos os andares daquele Poder poderoso. Cada recanto e esquina, reeentrância e fojos. Lá estive trocando lero com muitos amigos que ainda transitam nos estreitos corredores cheios de lideranças e funcionários-lideranças, e até com uns poucos Deputados.
Demorei mais no subsolo, onde a rádio-peão funciona diuturnamente, com locutores e ouvintes os mais variados, desde os inúmeros bajuladores aos policiais mais antigos, garçons e jovens elegantes que desfilam em sapato salto 15.
E a conversa que ainda trepida sorrateira é a da lista da mulher poderosa, que reforçou a sua imagem de inteligente, competente e diligente ao fazer a delação premiadíssima, recebendo antecipadas ofertas significativas de vários perdões antes de qualquer e mínima comprovação da veracidade das denúncias.
Mas a conversa com um terceirizado antigo lá que mais me chamou a atenção foi a da existência de várias listas de funcionários que trabalhavam, outros que não trabalhavam ou o faziam externamente nas assessorias político-eleitoreiras, e os que foram incorporados ao quadro efetivo a partir de cargos comisssionados, e a lista para eventuais operações policiais.
E eu perguntei afirmando: as listas estavam com a diretoria?. Agora, quem mandava fazer tais listas, onde eram guardadas, como se sabia quem trabalhava ou não etc, pois são cerca de dois mil funcionários! Quem indicava etc, até porque em todos os órgãos e poderes do Estado existem listas das pessoas que ocupam os cargos comissionados e de gratificações apontando quem é o padrasto, o padrinho, o responsável pela nomeação, desde o tempo de Pedro Velho de Albuquerque Maranhão. Ainda hoje.
Nessa sequência de conversas à base de café cozinhado e bolacha de jucurutú, soube até que havia indicadores de funcionários que foram colocados na lista apreendida para responsabilizar determinadas autoridades, até e principalmente do Judiciário, porque o magistrado não atendia os pedidos de alguns deputados. Inclusive quanto às ações judiciais do MP, que tramitam na Justiça Estadual, que pretendem exonerar aqueles importantes parentes que foram efetivados no quadro. Ou se alegaram suspeitos ou julgaram pela exoneração. Daí, entraram na lista como castigo de responsabilização.
Contaram até casos de pessoas que trabalharam há cerca de 10 anos por apenas seis meses e, como eram amigas de Magistrados ou Conselheiros ou Promotores de Justiça, ficaram na tal lista emergida, e fizeram os anotados saberem que aquela indicação teria sido sua, até para criar constrangimento familiar, em determinados casos!
Mas o assessor jurídico que goza de minha antiga amizade foi mais além. Disse que os perguntadores da Sra. Delatora não estavam tão somente atrás de respostas, mas também de deixar dúvidas para possibilitar novas e diversas apurações, como parte de uma estratégia de subjugar outras autoridades públicas, não sem antes denegrir a imagem de todos.
Quando a entrevistada respondia levantando uma dúvida, aquele ponto não era aprofundado de propósito, exatamente para possibilitar novas investigações dentro da ânsia insana de revolver a vida de todos que deveriam servir cegamente à causa político-ideológica a que divinamente acreditam gerenciar aqui na terra.
Por exemplo: fulano não trabalhava, era fantasma. Como a Sra. sabe disso? acompanhava um por um?, deveria ter perguntado. Há algum documento comprovando, de quem foi a ordem, quem mandou etc. E a diretora não cobrava a presença diária desses funcionários por que? Mas essa omissão é improbidade, é ato de ofício! Essas pessoas que “indicaram” funcionários teriam prestado algum serviço a deputados? Enfim, por que não exauriam as denúncias?? Os perguntadores tem 5 anos para processar a Delatora por improbidade ou anular mais na frente a delação. Há estratégia…
As conversas também giraram em torno das eleições deste ano e das assessorias dos deputados. Parece que seis vão deixar a AL, pelos cálculos locais. Mas todos partem com mais de 15 mil votos desde os empregos das lideranças nos gabinetes e presidência. Até Padre tem lá!! Pastor? nem se fala… parece que 17 pastores e mais de 100 ovelhas próprias, que são chamadas de obreiras. rsrs
E a premiadíssima Delatora tem muita carta da manga ainda pra soltar, caso o Judiciário resolva anular a denúncia, até porque envolve autoridades com foro privilegiado, e foi autorizada por Juiz de piso. Nem sabia o que significava Juiz de Piso, mas é de entrância primeira, como me disse gargalhando esse jurisconsulto de alto coturno. rsrs
O fato é que a rádio peão anda com a corda toda. Disseram tantos casos de manipulação dessa tal lista – e outras duas ainda estão entocadas, inclusive com nomes de parentes de pessoas das instituições mais vestais – que não me lembro mais, a não ser que os responsáveis pelas listas queriam e trabalhavam para ter uma espécie de seguro, principalmente na Justiça Estadual e no TCE.
E de quem era a empresa que prestava serviço empregando os funcionários terceirizados? me disse perguntando a copeira antiga, ainda do tempo em que a AL era nos fundos do IPE, alí na Jundiaí.
Saí da AL com a sensação de que a situação mudou muito para ficar com sempre esteve. Uma estrutura voltada para proporcionar reeleição permanente, pois parece que favores em troca de cargos não foram bem realizados, a não ser os eleitoreiros, pois desde o meu tempo na ativa existiam lideranças de todos – sem exceção – os municípios do Estado, cada qual com seu cada qual deputado.
Sim, já quase quando ia saindo, me encontrei com a chefe-mor da fofoca, uma baixinha inteligente e de olhos pequenos e apertados, sabida que só matuto de Olho d’Agua do Borges, que me disse baixinho no pé da orelha ” aqui o povo é mais corajoso do que os mulçumanos”, e eu caí na risada!!!
Quando a minha falha memória me ajudar, relato os outros detalhes das minhas abundantes conversas, embora pareçam frioleiras, pois tudo continua mudando para ficar como antigamente.
(Francisco Beltrão, da beira do Riacho do Maxixe).

Após decisão de Toffoli, Moro cancela uso de tornozeleira para Dirceu

Resultado de imagem para Moro e Aécio Neves

Por André Richter – Repórter da Agência Brasil  Brasília

O juiz federal Sérgio Moro cancelou hoje (3) sua decisão que determinou ao ex-ministro José Dirceu o uso de tornozeleira eletrônica. A decisão foi motivada por um despacho do ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ontem, Toffoli esclareceu que Dirceu está em liberdade após a decisão da Corte que o beneficiou com um habeas corpus.Ao decidir a questão, Moro disse que determinou o uso da tornozeleira por entender que, ao ser beneficiado pelo habeas corpus, Dirceu voltou à situação processual em que estava antes da decisão do STF, quando cumpria medidas cautelares, como o monitoramento eletrônico.

Ao ser intimado sobre a decisão de Dias Toffoli, Moro diz que lamenta que o caso tenha sido entendido como descumprimento da decisão do STF. “Entretanto, este juízo estava aparentemente equivocado pois recebida agora decisão de revogação das cautelares exarada pelo relator da Reclamação 30.245 e esclarecendo que a suspensão da execução provisória não significou o retorno à situação anterior, mas, sim, a concessão de “liberdade plena” ao condenado na pendência do recurso especial”, disse.

Agripinistas preparam o troco para Rosalba

Ninguém pense que os agripinistas ficarão sem dar o troco aos arquitetos da exclusão do ex-senador da chapa dos Alves, Carlos Eduardo e Garibaldi.

Rosalba e Carlos Augusto Rosado estão na mira dos verdadeiros agripinistas, garante um velho amigo do finado ex-governador Tarcísio Maia..

Os agripinistas estão calados, mas, Garibaldi Alves e Carlos Eduardo Alves serão também prejudicados com o enfraquecimento da chapa que trocou Agripino por Antonio Jácome.

O procurador Deltan Dallagnol agride novamente ministro do STF

Resultado de imagem para Deltan DallagnolO procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava-Jato no Paraná, continua agredindo magistrados que contrarie sua opiniões,  ele usou o Twitter para criticar o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), que cassou nesta segunda-feira a decisão do juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, que impôs o uso de tornozeleira eletrônica pelo ex-ministro José Dirceu.

— Naturalmente, cautelares voltavam a valer. Agora, Toffoli cancela cautelares de seu ex-chefe — escreveu Dallagnol, em referência ao fato de o ministro do STF ter sido, antes de assumir o posto, advogado do PT e sub-chefe da Casa Civil na gestão do petista.

A decisão de Toffoli foi de ofício, sem que a defesa tenha pedido. Segundo o ministro, a Segunda Turma do STF, que soltou Dirceu na última sessão antes do recesso do Judiciário, assegurou “a liberdade plena” do petista até que o julgamento do caso seja concluído pelo colegiado, o que deve ocorrer em agosto, na volta dos ministros.

“Com efeito, o Juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR, em decisão com extravasamento de suas competências, restabeleceu medidas cautelares diversas da prisão, outrora determinadas em desfavor do paciente, à míngua de qualquer autorização deste Supremo Tribunal Federal”, afirmou Toffoli na decisão.

Também na semana passada, a juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, determinou que Dirceu comparecesse, em até cinco dias, à 13ª Vara Federal de Curitiba para cumprir medidas cautelares estabelecidas contra ele em um dos processos a que responde na Operação Lava-Jato. Uma dessas medidas, de acordo com a juíza, poderia ser o uso de tornozeleira eletrônica. Dirceu deixou o presídio da Papuda na madrugada da quarta-feira passada.

Ficou claro que Rosalba e Carlos Augusto expulsaram José Agripino da chapa dos Alves

Resultado de imagem para Agripino nega candidatura a Rosalba
Foto da reunião que atendendo um pedido dos Alves. José Agripino defenestrou à candidatura de Rosalba à reeleição

Ficou claro que foi o casal Rosalba e Carlos Augusto que exigiram o afastamento do senador José Agripino Maia da chapa majoritária como candidato a senador.

Rosalba e Carlos Augusto condicionaram o apoio à candidatura de Carlos Eduardo Alves a governador desde que José Agripino estivesse fora da chapa. Rosalba e Carlos Augusto deram o troco ao senador Agripino, que atendendo os Alves defenestrou à candidatura da então governadora Rosalba à releição em 2014.

Com a expulsão de José Agripino da chapa majoritária, Rosalba deverá indicar o candidato a vice-governador de  Carlos Eduardo Alves.

Robôs são 64% dos seguidores de Alvaro Dias

Resultado de imagem para Alvaro Dias e antônio Jácome
Alvaro Dias e Antônio Jácome, muitos robôs seguidores

Filipe Oliveira

SÃO PAULO

Mais de 60% dos quase 410 mil seguidores no Twitter do senador Alvaro Dias, pré-candidato à Presidência pelo Podemos, são, na verdade, perfis robôs, controlados automaticamente por terceiros.

A análise foi feita pelo Instituto InternetLab, centro de pesquisas dedicado a temas do direito e da tecnologia. Segundo a organização, há indícios de compra de seguidores para o candidato com o objetivo de inflar artificialmente sua reputação na rede.

A análise foi feita a partir de ferramenta chamada Botometer, da Universidade de Indiana (EUA). A tecnologia usa inteligência artificial para analisar o comportamento de contas na rede, considerando fatores como padrões de postagens e horários em que são feitas. Com ela, a organização mediu o percentual de prováveis robôs que seguem os presidenciáveis.

Álvaro Dias é o candidato a Presidente da República do deputado federal Antônio Jácome..

Deputado Albert Dickson foi ao banheiro e sumiu

Resultado de imagem para sumiu gifO soldado Vasco tomou conhecimento que o deputado estadual Albert Dickson que foi convidado a participar do ato de adesão do também evangélico Antônio Jácome e não declarou apoio aos Alves, Carlos Eduardo e Garibaldi, tirou o corpo de fininho quando pressionaram ele para declarar apoio.

Albert Dickson pediu licença para ir ao banheiro e sumiu acompanhado de sua esposa Carla Dickson..

Fonte segura do Blog do Primo garante que o deputado Albert Dickson não votará em Carlos Eduardo Alves para governador..

 

Geddel foi castigado numa solitária na Papuda

Resultado de imagem para Geddel e Henrique Alves
Geddel e Henrique Alves, ambos presos, um na solitária da Papuda e Alves em seu apartamento de frente para o mar

O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi enviado para a solitária após agredir verbalmente um agente penitenciário na Papuda, onde está detido. A notícia foi divulgada pelo Metrópoles na última quinta-feira (25), e, de acordo com fontes dos presídios ao site O Antagonista, Geddel teria ainda mostrado as partes íntimas ao funcionário público.

A visita do irmão do político teria sido o estopim para o início do confronto, uma vez que o ex-ministro teria sido submetido à uma revista pessoal antes de voltar à carceragem. Revoltado com o ocorrido, o baiano teria ofendido um dos servidores prisionais, tal como consta no registro de ocorrência.

Pela má conduta, Geddel ficará detido em um cubículo com estrutura inferior à da cela onde está preso desde setembro de 2017, na Ala A do Bloco 5 do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.