Arquivo diários:05/07/2018

Ministério Público recorre no STF para reprovar contas do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves

Primo Cícero Martins botou quente

O MPRN recorreu no STF para manter a reprovação das contas do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves rejeitadas pela Câmara Municipal de Natal.

O Ministério Público foi provocado por matéria do Blog do Primo, o único que abordou a questão e pelo diligente vereador Cícero Martins que formalizou provocação em audiência com o procurador-geral Eider Leite.

Agora o processo do prefeito será julgado, caso mantenha a reprovação das contas, Carlos Eduardo Alves ficará inelegível, embora possa registrar sua candidatura a governador respaldada por liminar.. Caso ganhe a eleição, poderá ter seu mandato cassado..

Confira:

Governador Robinson Faria entrega trecho que liga ao aeroporto de São Gonçalo

Considerada umas das obras mais importantes do Rio Grande do Norte, o Anel Viário Metropolitano teve mais uma etapa inaugurada. Foi entregue o acesso sul, um trecho de 25 km de rodovia duplicada que cria uma nova conexão com o aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, a partir da BR 304.

A obra comportou drenagem, sinalização horizontal e vertical, pavimentação, terraplanagem, sub-base e base. O investimento total no Anel Viário é R$ 117 milhões, e os benefícios são inúmeros. Graças a este acesso, moradores da região metropolitana podem chegar ao aeroporto sem precisar cruzar Natal, desafogando o trânsito na capital. A partir da RN 304, o tempo estimado até o aeroporto é de apenas 12 minutos.

“Essa obra, que contempla vário trechos, vai mudar totalmente toda a mobilidade de Natal e Grande e Natal. E mais que isso: vai fomentar emprego e renda nesta região. Aqui podem surgir novas indústrias e novas fábricas, puxadas por esta grande obra de infraestrutura viária”, afirmou o governador Robinson Faria.

O prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulo Emídio de Medeiros (Paulinho), afirmou que esta obra abrirá fronteiras para o desenvolvimento. “Esta é a maior obra que um governador já fez em toda a história de São Gonçalo do Amarante. Esta obra cria uma nova esperança para o crescimento de nosso município”, afirmou.

Tribunal recusa tirar Moro de processos de Lula por participar de evento com Doria

Doria e Moro, com as respectivas mulheres, em evento da Câmara de Comércio Brasil-EUA, em maio

Bernardo Barbosa/ UOL, em São Paulo

A 8ª Turma do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) negou nesta quarta-feira (4), por unanimidade, pedidos da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para que o juiz Sergio Moro não atuasse em dois processos da Operação Lava Jato em que o petista é réu.

Os advogados do petista queriam que a Justiça considerasse Moro suspeito de julgar Lula por participar em Nova York de um evento do Lide (Grupo de Líderes Empresariais), empresa ligada ao ex-prefeito paulistano João Doria, pré-candidato do PSDB ao governo de São Paulo.

Ainda em Nova York, no dia anterior ao evento do Lide, Moro e Doria posaram juntos para fotos no evento em que o juiz foi premiado como a “Pessoa do Ano” pela Câmara de Comércio Brasil-EUA.

Com isso, a defesa do ex-presidente pediu o afastamento do juiz dos processos sobre o sítio de Atibaia (SP) e sobre um terreno comprado pela Odebrecht e supostamente destinado ao Instituto Lula.

De acordo com nota divulgada pelo TRF-4, o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato na 8ª Turma do tribunal, considerou que a defesa de Lula tentou politizar eventos que não são de natureza política.

“A participação de eventos com ou sem a presença de agentes políticos não macula a isenção do juiz, em especial porque possuem natureza meramente acadêmica, informativa ou cerimonial, sendo notório que em tais aparições não há pronunciamentos específicos a respeito de processos em andamento”, afirmou o magistrado.

 

Resultado de imagem para Moro aécio neves

Neymar e Bruna planejam morar juntos em Paris após a Copa do Mundo

Resultado de imagem para Neymar e Bruna

Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone/ UOL, em Kazan (Rússia)

Neymar e Bruna Marquezine estão decididos a morar juntos em Paris. A princípio, a mudança está planejada para agosto, quando o jogador retornar para a capital francesa após a disputa da Copa do Mundo.

A data também coincide com o fim da novela da Globo em que Bruna Marquezine é a protagonista – o último capítulo de “Deus Salve o Rei” está programado para julho. A distância, que já foi vilã em outros momentos, segue incomodando o casal. Recentemente, ela conseguiu uma folga para assistir ao jogo contra a Costa Rica, pela Copa do Mundo, mas teve de voltar logo em seguida para o Brasil por conta dos compromissos profissionais.

Neymar e Bruna já discutiam a possibilidade há algum tempo, mas era justamente o andamento da novela que impedia a mudança definitiva. Em Paris, Bruna pretende estudar francês e tem o sonho de trabalhar como modelo pela Europa, embora saiba que essa não é uma missão fácil

Ex-secretário de Carlos Eduardo Alves e delator confessa que ajudou Henrique Alves a fazer caixa dois

Resultado de imagem para Fred Queiroz Carlos Eduardo Alves e Henrique Alves
Fred Queiroz também foi secretário de Obras do prefeito Carlos Eduardo Alves e confessou receber e repassar propinas das obras da Praia de Ponta Negra

O empresário e delator da Operação Manus, Fred Queiroz, confessou em seu depoimento à Justiça Federal  que parte do dinheiro que movimentou a campanha de Henrique Eduardo Alves em 2014 para o Governo do Estado foi através de caixa dois.

Ele confirmou que movimentou em dinheiro pessoalmente R$ 1 milhão, quantia que foi receber em viagem a São Paulo. Os recursos eram da Odebrecht.

Outros R$ 5 milhões são questionados pelo Ministério Público Federal como objeto de propina. Isso porque, apesar de terem sido declarados, o MP alega que foram recursos provenientes de desvios de recursos de empresas investigadas na Lava Jato.

Fred Queiroz que trabalhou nas campanhas de Garibaldi Alves para governador e Carlos Eduardo Alves para prefeito de Natal, movimentou R$ 9 milhões.