A entrevista de Bolsonaro a partir de um grupo de apoiadores no Whatsapp

Resultado de imagem para bolsonaro Roda Viva

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

“Liguem suas TVs na TV Cultura. Vamos bater recorde de audiência.” A frase, acompanhada pela bandeira do Brasil, começou a circular em grupos de eleitores do pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) por volta das 22h de segunda-feira (30). Às 22h15, o capitão reformado do Exército dava sua primeira entrevista em televisão aberta após a oficialização de sua candidatura, no programa Roda Viva, em programa que durou cerca de 1h20

Enquanto isso, apoiadores de Bolsonaro acompanhavam não só a transmissão do programa ao vivo pela televisão como se dedicavam a debater as respostas do pré-candidato “em tempo real” em grupos do WhatsApp. O UOL acompanhou o debate em um desses grupos, que conta com mais de 200 militantes e tem, entre seus participantes, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), desembargadores, delegados e oficiais da PM (Polícia Militar).

Reprodução/WhatsApp

Reprodução de conversa de militantes de Bolsonaro durante o Roda Viva

De acordo com a avaliação dos militantes do grupo, cujo nome faz menção à candidatura do deputado, Jair Bolsonaro se portou bem durante o programa. Os jornalistas, representantes dos jornais “Folha de S.Paulo”, “O Estado de S. Paulo”, “Valor Econômico”, “O Globo” e revista “Veja”, foram um dos principais alvos dos participantes. Para eles, são militantes de esquerda, que “quase pediram para sair” por não conseguirem “enquadrar o mito como queriam”.

“São perguntas sem pé nem cabeça. Estão falando da ditadura, não tem nada a ver. Não duvido nada daqui a pouco eles falarem do [massacre do] Carandiru”, afirmou um dos participantes. “Proposta de governo ninguém faz nenhuma, né? Eles querem pegar uma coisinha, um erro, alguma coisa assim. Falar do passado”, criticou outro.

Que nojo desses repórteres. Esses gays, drogados, bandidos odeiam Bolsonaro. Só perguntam m***. Por isso, estamos na m***. Liberdade de expressão f**** o Brasil.”

Eleitor de Jair Bolsonaro em grupo de Whatsapp

Os comentários foram feitos, em sua maioria, por homens do grupo. Um outro militante afirmou: “O problema –problema, não–, o bom é que os jornalistas que estão aí são militantes de esquerda. E o cara, quando é de esquerda, é um ignorante, analfabeto político, analfabeto funcional. E é difícil para conversar com quem é de direita”, afirmou.

“Porque, quem é de direita, lê o que é de esquerda, entende, mas vai ler coisas que são melhor[es], que são as coisas de direita. Por isso que pipocam na hora do debate. Tem jornalista aí que vai embora mais cedo, pode ter certeza”

Eleitor de Jair Bolsonaro

Outro integrante do grupo disse que, à exceção de Bolsonaro, só restam pré-candidatos de extrema-esquerda no país. “Isso a gente já vive há 100 anos no Brasil. Não tem nem fraude para fazer ele perder essa eleição. Só se ele morrer”, disse um participante.

Quanto mais eles [jornalistas] batem, mais voto ele [Bolsonaro] ganha, porque ele fala o que o povo quer ouvir. E esses animal [sic] aí não entende isso. Perderam o tempo do programa sem falar do futuro, sendo que esse cara é o futuro do país

Eleitor de Jair Bolsonaro

Sobraram críticas também a Caruso, cartunista do Roda Viva. “Esse cara que desenha também é de esquerda. É tudo de esquerda. Só tirando o mito daí, o resto é tudo esquerda. Tudo raça de víboras. A direção atual do programa é medíocre”, afirmou um homem no grupo.

Reprodução/WhatsApp

Emoticon desenvolvido por militantes

Enquanto Bolsonaro respondia às questões no Roda Viva, o grupo encadeava manifestações individuais sem engatar uma discussão. Eram desabafos. Em nenhum momento ao logo do programa ao vivo houve críticas ao posicionamento do pré-candidato.

Por volta das 23h17, enquanto Bolsonaro criticava a intervenção federal no Rio de Janeiro, um militante pedia orações ao pré-candidato. “Vamos ser cristãos e orar pelo Bolsonaro. Ele sabe se defender. Maldito o homem que confia no homem e fez seu braço como braço forte. Glória a Deus. O Deus de Abraão, Isac e Israel no comando. Ano de mudanças. Que o Deus criador seja exaltado nesta nação”, acrescentou outro.

Depois do programa, o grupo foi tomado por vários memes. Na manhã desta terça-feira (31), o grupo foi acordado com mensagem sobre a transmissão de entrevista ao vivo de uma candidata a deputada estadual pelo PSL, aliada de Bolsonaro.

Em seu Instagram, o pré-candidato agradeceu nesta terça-feira aos que acompanharam o programa e se confundiu com a data. “Grato a todos pela consideração no acompanhamento do programa Roda Viva de ontem. Uma boa segunda-feira a todos!”.

Bolsonaro aparece em segundo lugar nas principais pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República, atrás apenas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele lidera os cenários em que o petista não é testado.

 

 

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *