Arquivo diários:23/09/2018

Ao chamar Bolsonaro de “filho da puta” Ciro Gomes complicou candidatura de Carlos Eduardo Alves

Carlos Eduardo Alves acompanha Ciro Gomes em tudo

Na carreata de Bolsonaro em Natal foi ficou claro a debandada da candidatura de Carlos Eduardo Alves pelos seguidores do ‘Mito’. Os ‘bousonarianos’ entendem que sendo Carlos Eduardo Alves o candidato de Ciro Gomes deverá votar no candidato do PT Fernando Haddad no segundo turno..

Para os eleitores de Bolsonaro, colocar Carlos Eduardo Alves no segundo turno e fortalecer à candidatura petista.

Os participantes da carreata estavam retirando adesivos dos carros e tentando substituir pelo do governador Robinson Faria que vai apoiar Bolsonaro no segundo turno, só não apoia agora pelo fato do seu partido o PSD apoiar à candidatura de Alckmin..

Depois que Ciro Gomes chamou Bolsonaro de “filho da puta”, a revolta foi grande contra seu candidato a governador do RN Carlos Eduardo Alves..

 

Ciro Gomes chama Bolsonaro de ‘nazista filho da puta’

Resultado de imagem para Carlos Eduardo Alves e Ciro Gomes
Ciro Gomes e seu candidato a governador Carlos Eduardo Alves

O pedetista participou de 1 comício na cidade de Goiânia. Uma pessoa com uma camisa estampada com foto do Bolsonaro estava presente e gerou tumulto entre os militantes de Ciro.

Ao ver o apoiador do Bolsonaro, Ciro pediu para os presentes terem paciência com ele, pois “não tem culpa de nada” e é “apenas uma vítima desse nazista filho da puta que vamos derrotar”.

O ex-ministro afirmou também que Bolsonaro cria uma cultura de ódio e relacionou isso com a facada levada no dia 6 de setembro durante ato de campanha do político do PSL em Minas Gerais.

“Olha o que é cultura de ódio: um bobinho, que não deve ter culpa de nada, acabou de criar uma confusão aqui trazendo uma camisa do adversário. Por ele, fanático como o doido que enfiou uma faca nele [Bolsonaro], acha que a política deve ser resolvida assim”.

Assista ao vídeo:

 

Fátima Bezerra e Carlos Eduardo Alves poderão fazer acordo para apoiarem Fernando Haddad no segundo turno; Robinson deverá apoiar Bolsonaro

O eleitor que votar em Carlos Eduardo Alves estará votando por tabela em Fernando Haddad
Resultado de imagem para Carlos Eduardo Alves e Fátima bezerra
Ambos estarão juntos com Haddad no segundo turno

O jogo do segundo turno aqui no RN deverá influir na eleição presidencial.

Caso o candidato Carlos Eduardo Alves vá para o segundo turno na disputa pelo governo, o candidato do PT à presidência da República terá o apoio dos dois candidatos a governador.

Mantida  tendência revelada nas pesquisas levando para o segundo turno entre Fernando Haddad da esquerda e Bolsonaro da direita teremos ou dois candidatos ao Governo do Estado contra Bolsonaro no RN.

Fátima é a candidata do PT de Fernando Haddad e Carlos Eduardo Alves é o PDT que também é um partido de esquerda e certamente apoiará Haddad no segundo turno.

Bolsonaro poderá contar com o apoio do governador Robinson Faria que no primeiro turno apoia o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.. Segundo uma fonte do Blog do Primo, Alckmin não indo para o segundo turno, caso Robinson também vá disputar o segundo turno aqui no RN, ele vai apoiar Jair Bolsonaro.

Os inimigos invisíveis do governador Robinson Faria

O governador Robinson Faria enfrenta dois adversários invisíveis nesta eleição.

Os dois atuam no mesmo segmento da sociedade.

Os adversários muito forte são as facções criminosas que não querem nem ouvir falar na continuidade do seu governo. Os chefes das facções não perdoam Robinson por ter instalado os bloqueadores de celulares nas penitenciarias e acabado com muitas regalias que eles tinham..

Chefes das facções criminosas estão ameaçando líderes comunitários e apoiadores de Robinson nas áreas que eles atuam..  Ninguém prega uma foto de Robinson em suas casas com medo.

O outro adversário de Robinson é a facção da Polícia Militar engajada politicamente na campanha dos candidatados Carlos Eduardo Alves e Fátima Bezerra. Eles sabotaram e continuam sabotando ações policiais para boicotar o governo.

Desde que a política partidária entrou na corporação, nossa Polícia Militar perdeu unidade virando uma instituição onde se disputa poder e privilégios.. Praças são orientados por oficiais graduados a pressionarem o governo por mais vantagens funcionais. Apesar do governador Robinson Faria promover mais de 8 mil agentes de seguranças ele continuam querendo mais..

Vamos esperar se caso Fátima ou Carlos Eduardo Alves sejam eleitos governador se todas as reivindicações dos policiais serão atendidas.. Já tem policiais dizendo que rim com Robinson, pior sem ele..