Advogado suspeito de agredir mulher e filho tem prisão preventiva decretada

O advogado Bruno Henrique Saldanha Farias teve sua prisão preventiva decretada após audiência de custódia realizada na tarde de ontem,  quinta-feira (4). O suspeito foi julgado preventivamente por agredir a esposa e, em seguida, ter jogado o filho de dez meses no chão após uma briga do casal.

De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), após a definição da prisão preventiva, o suspeito está a disposição da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Sejuc) para a definição da unidade prisional onde ficará custodiado enquanto aguarda o seu julgamento.

Na decisão, o juiz Michel Mascarenhas Silva também decretou medidas protetivas em favor da esposa e a criança. Nos termos da decisão do magistrado, o acusado Bruno Saldanha Farias terá a suspensão da posse ou restrição do porte de armas. Foi decretado o afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida, bem como a proibição de aproximação da vítima, de seus familiares e testemunhas, fixando o limite mínimo de um quilômetro.

Segundo a defesa do advogado, o próximo passo é aguardar o resultado de “ações policiais” para que a agressão seja, de fato, provada. “Será iniciada uma acareação com a empregada que falou neste caso, bem como a depuração das câmeras de segurança da casa. As ações irão trazer uma conclusão se houve ou não agressão à criança, mérito pelo qual a prisão preventiva foi decretada. Acredito que nas próximas horas, teremos uma definição”, comentou Vitor Deus, advogado de defesa.

O caso

Nesta quarta-feira (3), o advogado Bruno Henrique Saldanha Freitas foi preso após agredir a esposa e jogar o filho de dez meses no chão. A informação foi confirmada pela Polícia Militar, que acrescentou que as agressões teriam sido ocorrido após briga entre o casal. Ainda de acordo com a PM, as agressões ocorreram no bairro de Neópolis, zona Sul da capital potiguar. O suspeito chegou a fugir levando o bebê para uma outra residência, em Candelária, onde foi preso em flagrante pela PM. Antes de ter sua prisão consolidada, chegou a desacatar os oficiais de segurança e foi levado à Central de Flagrantes da Polícia Civil para prestar depoimento.

A criança foi levada ao hospital com um sangramento no nariz e foi submetida a exames, mas passa bem. A mãe também ficou ferida, mas não precisou ser hospitalizada. A delegada Ana Paula Pinheiro, da Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM), disse à InterTV Cabugi que está aguardando que os procedimentos realizados pela Delegacia de Plantão da Zona Sul sejam finalizados e encaminhados para ela. Após isso, vai decidir se serão necessárias novas diligências antes do inquérito ser produzido e encaminhado à Justiça.

Tribuna do Norte

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *