Arquivo diários:17/10/2018

Porta com Haddad está enferrujada e fechadura enguiçou, diz FHC

17.out.2018 - FHC durante discurso na zona oeste de São Paulo

Luís Adorno e Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou  que um possível apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT), que disputa o segundo turno das eleições presidenciais “enguiçou”. Ele negou apoio aos dois candidatos.

“Essa porta [com Fernando Haddad] está enferrujada. E eu acho que a fechadura enguiçou. A população hoje, cada um, vota à vontade. O peso que os partidos têm hoje é relativo. As pessoas estão tomando hoje posição independentemente de apoio”, afirmou FHC.

“É muito difícil tomar uma decisão nesse momento diferente de dizer: olha, cada um vai fazer o que achar melhor. Vai coincidir com o que eu penso? Não sei, acho que não”, complementou.

FHC disse que a porta com Haddad “já devia estar” aberta, mas que “depois que emperra, fica difícil”. “Você fica pensando assim: meu Deus, por que agora? Vamos ver. Daqui a pouco vai ser necessário também. Ganhe quem ganhar, o Brasil vai precisar de coesão. Não dá para governar meio a meio”, afirmou

Cid grava vídeo para explicar bronca no PT e reafirma voto em Haddad. Bolsonaro usa imagens na TV

“Que não fique nenhuma dúvida: nesse segundo turno, Haddad é o melhor para o Brasil. Votarei no Haddad no dia 28”, diz CidEleito senador em 7 de outubro, o ex-governador do Ceará Cid Gomes (PDT) gravou e divulgou para a campanha do PT um vídeo (veja abaixo) em que tenta desfazer o mal estar causado com outra aparição, veiculada nas redes sociais desde a noite de segunda-feira (15), em que desfere pesadas críticas ao PT em pleno palanque de Fernando Haddad e Manuela D’Ávila (PCdoB), sua vice na corrida eleitoral. Depois da polêmica causada, Cid declara voto em Haddad em segundo turno em cerca de 20 segundos de filme.

Como este site mostrou ontem (terça, 16), o irmão do presidenciável Ciro Gomes (PDT), terceiro lugar no primeiro turno, cobrou um mea culpa do PT e disse que o partido perderá “feio” o segundo turno presidencial por não admitir que fez muita “besteira”.

Na ocasião, Cid foi vaiado por militantes petistas e reagiu chamando-os de “babacas”. “É por isso que vocês vão perder”, vociferou. Ele também responsabilizou o PT pelo crescimento de Jair Bolsonaro (PSL), que passou com Haddad para o segundo turno com uma vantagem de quase 17 pontos percentuais, cerca de 18 milhões de votos.

O vídeo tem sido longamente explorado por Bolsonaro em seu programa eleitoral de rádio e TV. No vídeo divulgado nesta quarta (17), Ciro critica a atitude do ex-capitão do Exército. “Com tudo o que penso e diante de tudo o que falei, não é correto o que fez o outro candidato, usando imagens minhas meditadas, sem minha autorização”, diz o ex-governador cearense. “Que não fique nenhuma dúvida: nesse segundo turno, Haddad é o melhor para o Brasil. Votarei no Haddad no dia 28.”

Veja o vídeo:

Além do vídeo, Cid já acionou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que as imagens em que esbraveja contra o PT tenha veiculação proibida por Bolsonaro. A Corte recebeu a reclamação nesta terça-feira (16) e ainda não decidiu sobre a questão. A expectativa é que a campanha do deputado se antecipe a uma decisão do TSE e não mais volte a explorar a aparição de Cid em sua propaganda gratuita de rádio e TV.

Pesquisa IBOPE confirma pequisa SETA apontando maioria estimada de 130 mil votos a favor de Fátima

O Ibope divulgou nesta quarta-feira (17) o resultado da primeira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição presidencial. O levantamento foi realizado no sábado (13) e no domingo (14) e tem margem de erro de 3 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

  • Fátima Bezerra (PT): 54%
  • Carlos Eduardo (PDT): 46%

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

G1/RN

Pesquisa Seta revela vantagem de 140 mil votos a favor de Fátima Bezerra sobre Carlos Eduardo Alves

Os números do instituto Seta aponta Fátima Bezerra com uma larga vantagem sobre seu adversário Carlos Eduardo Alves..

Segundo a pesquisa, votos válidos para o Governo do Rio Grande do Norte tem os seguintes números:

Fátima Bezerra – 56%

Carlos Eduardo Alves – 44%

Pesquisa registrada na justiça eleitoral sob números RN-00988/2018 e BR-08895/2018.

Quem confia? Os pulos do oportunista Carlos Eduardo Alves

Político carreirista, jamais exerceu outra atividade, sustentado pela oligarquia de sua família, Carlos Eduardo Alves é um macaco oportunista que pula de galhos de acordo com seus interesses..

Para atender seus interesses, ele consegue ir aos extremos, de Eduardo Cunha ao Jair Bolsonaro passando por Temer..

O seu partido, o PDT verificando seu oportunismo, indisciplina e  incoerência , já iniciou processo para expulsa-lo mesmo ele sendo candidato.

Diante de tanto oportunismo e incoerência, Bolsonaro se negou a declarar apoio a sua candidatura..

Com Eduardo Cunha
Imagem relacionada
Com Temer
Resultado de imagem para carlos Eduardo Alves e Dilma
Com Dilma fazendo o L de Lula
Resultado de imagem para carlos Eduardo Alves e Bolsonaro
Agora com Bolsonaro

Promotor de vaquejadas desmente adversários de Fátima Bezerra

Marcelo da Cunha Lima Jr., membro do Conselho da Associação dos Vaqueiros do RN (ASSOVARN) e promotor de uma das Etapas do Campeonato Nacional de Vaquejadas no RN, que participou de todos os movimentos para a aprovação da PEC 304/2017, que regulamentou a Vaquejada, desmente notícias  que  divulgada, como Fakenews,  que a Senadora Fátima Bezerra foi contra a aprovação da referida PEC.

Adversários da candidata Fátima Bezerra publicaram falsas informações com o objetivo de prejudicá-la junto aos vaqueiros do RN ..

Eleição OAB/RN – Candidatura de Aldo Medeiros recebe novos apoios

Oposição fortalecida com novos apoios que seguiam o atual presidente Paulo Coutinho

Consolidando sua candidatura a presidente da OAB-RN, Aldo Medeiros, vem agregando importantes apoios nos últimos dias.

Nesta semana, o advogado e professor universitário de atuação reconhecida na comunidade jurídica potiguar, Venceslau Carvalho, confirmou que está com Aldo Medeiros.

“Estou com o professor Aldo Medeiros não só por sua longa militância e por conhecer a fundo os problemas da advocacia, mas por confiar na execução de projetos, como a tutoria para o jovem advogado, que consiste no auxílio em audiências através de advogados com mais tempo de mercado, levando a prática do profissional em início de carreira a outro patamar; no modelo de Residência Judicial em advocacia através da ESA; e no auxílio mais efetivo a advogada quando da sua maternidade”, destacou Venceslau Carvalho.

O candidato de oposição à atual gestão da OAB-RN recebeu também os apoios do advogado criminalista Flaviano Gama e advogados que integram o Gama Escritórios de Excelência, entre eles, Milena Gama (atual conselheira da OAB-RN), Tito Canto, Juliana Cavalcante, Cássio Leandro, Roberto Amorim, Thiago Tavares e Pedro Wanderley, Rita Medeiros, Diogo Bezerra, Sérgio Florêncio, Martorano Rêgo e Adauto Evangelista.

 

Burger King pagará R$ 24 mil por abordagem racista de segurança

Imagem relacionadaCONJUR/Por Sérgio Rodas

Presumir que alguém é criminoso apenas por ser negro é ato discriminatório. Com esse entendimento, a 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou a dona da marca Burger King no Brasil a pagar R$ 24 mil para uma designer e seu filho.

Após saírem da praia, mãe e filho – na época, com 12 anos – foram a uma unidade do Burger King em Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro. Enquanto a mulher comprava um lanche, o menino foi encher os copos na máquina de refrigerantes. Nisso, um segurança do restaurante o abordou, chamando-o de “moleque”. Constrangido, o garoto ficou cabisbaixo, com os olhos cheios de lágrimas. Ele estava prestes a ser expulso da loja quando a mãe interveio. A designer gráfica questionou o segurança, perguntando se ele teria a mesma atitude caso o jovem não fosse negro.

Mãe e filho então foram à Justiça contra o Burger King. Segundo eles, a abordagem foi racista e gerou traumas no garoto, que passou a ficar mais introvertido e com medo de ficar sozinho em estabelecimentos comerciais. Em contestação, a empresa alegou que a interferência do segurança não foi discriminatória, tratando-se de mero aborrecimento.

Em primeira instância, o Burger King foi condenado a pagar indenização por danos morais de R$ 12 mil a cada um dos autores. A companhia recorreu, mas o relator do caso no TJ-RJ, desembargador Jaime Dias Pinheiro Filho, manteve a sentença.

De acordo com o magistrado, não há dúvida de que a abordagem do segurança foi discriminatória – o que contraria o objetivo fundamental do Brasil de promover o bem de todos, sem preconceito de raça, conforme o artigo 3º, IV, da Constituição.

“O ato perpetrado pelo preposto da recorrente não encontra qualquer justificativa. Sua conduta é preconceituosa ao presumir que o menor negro seria um delinquente tão somente em razão da cor de sua pele”.

Para Pinheiro Filho, a alegação do Burger King de que a interferência do segurança não ultrapassa a esfera do mero aborrecimento “é aviltante e beira à má-fé”. O ato é ainda mais grave por ter sido praticado contra menor de idade, ressaltou o relator.

Ele avaliou que a mãe também tem direito a indenização, pois “sofreu intenso abalo ao acompanhar a dor do filho que fora vítima de preconceito”.

Em propaganda na TV, PT associa Bolsonaro à ditadura e à tortura

UOL
Em seu programa eleitoral na TV na noite desta terça (16), a campanha de Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência, associou seu adversário Jair Bolsonaro (PSL)à tortura e à ditadura militar (atenção: as imagens do vídeo acima são fortes).

“Você sabe o que é tortura?”, questiona o locutor. Em seguida, enquanto o vídeo mostra cenas do filme Batismo de Sangue, que reproduzem práticas de tortura utilizadas durante a ditadura militar no Brasil, o locutor afirma que o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, “maior ídolo de Bolsonaro”, foi “o torturador mais sanguinário do Brasil”.

O vídeo traz, então, um depoimento de Amelinha Teles, militante que foi presa e torturada nas dependências do DOI-CODI.

“Eles colocam muitos fios elétricos descascados dentro da vagina, colocam dentro do ânus. Você grita de dor e você perde o equilíbrio e cai no chão. Eles vêm em cima de você, mesmo, para te estuprar”, relata.

Amelinha afirma ainda que o momento de “maior dor” sofrido por ela foi quando Ustra levou seus dois filhos até a sala de tortura onde ela estava “nua, vomitada e urinada”.

A propaganda lembra que Bolsonaro já homenageou Ustra no Congresso Nacional e traz declarações em vídeo em que o deputado diz ser “favorável à tortura”.

Em seu voto a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016, o deputado federal declarou: “Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra”.

O locutor então afirma que Bolsonaro “nunca escondeu que é contra a democracia e defendeu a morte até de inocentes”.

“Através do voto, você não vai mudar nada nesse país. Você só vai mudar, infelizmente, quando um dia nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro”, diz o deputado, em uma entrevista em vídeo, antes de concluir: “se vai morrer alguns inocentes, tudo bem”.

O vídeo ainda mostra imagens do deputado federal ensinando uma criança a fazer um gesto de arma com as mãos e diz que seguidores de Bolsonaro “espalham o terror pelo Brasil”.

 

Chiquinha Gonzaga ganha homenagem do Google em seu 171º aniversário

Crédito: GoogleO Google nesta quarta feira, faz uma homenagem a pianista brasileira Chiquinha Gonzaga.

ISTO É

Nascida neste dia no Rio de Janeiro em 1847, Francisca Edwiges Neves Gonzaga ( conhecida como Chiquinha Gonzaga) mostrou uma afinidade pela música desde a infância. Tocando piano aos 11 anos, estudou música com o maestro Elias Álvares Lobo. Quando ela tinha 16 anos, seus pais insistiram que ela entrasse em um casamento arranjado, que terminou depois que o marido insistiu em dedicar-se a ele ou à música. Numa época em que as mulheres independentes enfrentavam grandes pressões sociais, Gonzaga sacrificava tudo para seguir suas ambições musicais. Ela se tornaria a primeira maestria feminina na América do Sul e uma das figuras mais importantes da história da música brasileira.

Para uma mulher ganhar a vida como músico profissional no Brasil do século XIX era inédito, mas Gonzaga persistiu, compondo 77 operetas e mais de 2.000 canções. “Atraente”, publicado em 1881, pode ser sua composição mais amada, introduzindo um som que viria a ser conhecido como “choro”. Com suas habilidades inigualáveis ​​de piano e presente para improvisação, Gonzaga foi pioneiro nesta mistura otimista de jazz, valsa , polca e batidas afro-brasileiras.

Em 17 de janeiro de 1885, Gonzaga fez sua estréia como maestro com sua peça, “Palhares Ribeiro, A Corte na Roça”. Apesar da popularidade de sua música, Gonzaga enfrentou resistência como uma mulher em um negócio dominado por homens. Frequentemente atuando com um grupo encabeçado por seu amigo íntimo, o flautista Joaquim Antônio da Silva Callado Júnior, e incluindo seu filho João Gualberto no clarinete, Gonzaga conseguiu prosperar diante da adversidade, inspirando outros a seguirem seus passos.

Durante o final da década de 1880, Gonzaga deu seu apoio ao movimento abolicionista, vendendo sua partitura para levantar fundos, e pagou pela liberdade do músico Zé Flauta. Sua marcha de carnaval de 1899 “O abre alas!” (Open Wings) foi uma homenagem à liberdade. Em 1917, ela co-fundou a Sociedade de Direitos dos Artistas SBAT para garantir que os compositores recebessem uma parte justa da receita de suas composições.

O legado de Gonzaga vive como uma das lendas musicais mais célebres do Brasil. Ela derrubou barreiras e impactou diretamente o desenvolvimento da música em sua terra natal. Apropriadamente, o aniversário de Gonzaga é agora o Dia Nacional da Música Popular Brasileira.