Arquivo diários:27/10/2018

Mulher de Carlos Eduardo Alves faz apelo desesperado nas redes sociais inconscientemente sinalizando derrota

Com expressão facial revelando muita revolta, atacando Fátima Bezerra a ex-primeira dama e secretária da Mulher da Prefeitura de Natal, esposa de Carlos Eduardo Alves publicou um vídeo que está sendo considerado o decreto de falência da candidatura do seu marido.

No vídeo, inconscientemente Andréa Ramalho revela que a campanha está perdida..

Repercussão nas redes sociais é muito ruim para Carlos Eduardo Alves pela maneira grosseira da ex-primeira dama se dirige a uma mulher que disputa eleição com o marido dela, ainda mais, sendo Andréa a secretária da Mulher da Prefeitura de Natal..

Confira o vídeo:

 

Datafolha assegura que Bolsonaro será o presidente eleito

Editorial DATAFOLHA:

A experiência brasileira tem mostrado que viradas no segundo turno das eleições presidenciais são improváveis. Nos sete pleitos concluídos desde a redemocratização, o primeiro colocado na primeira rodada chegou ao Planalto.

Não se notaram, ademais, grandes variações nas pesquisas de intenção de voto nessa fase das disputas. Na mais apertada delas, em 2014, o tucano Aécio Neves superava numericamente Dilma Rousseff no levantamento inicial, por 51% a 49%, desconsiderando-se brancos, nulos e indecisos; acabou derrotado por 51,6% a 48,4%.

Constitui novidade, portanto, o movimento constatado pelo Datafolha nas preferências do eleitorado nacional desde a semana passada. De lá para cá, a diferença entre o líder da corrida, Jair Bolsonaro (PSL), e seu oponente, Fernando Haddad (PT), caiu de 18 para 12 pontos percentuais.

Na sondagem realizada na quarta e nesta quinta-feira (24 e 25), o capitão reformado aparece com 56%, contra 44% do ex-prefeito de São Paulo, no critério que simula o dos votos válidos. Trata-se de dianteira ainda bastante elevada.

Em três pesquisas Fátima Bezerra é apontada como futura governadora do RN

Três pesquisas na reta final da campanha revelam que a candidata ao Governo do Estado pelo PT e coligação Do Lado Certo, senadora Fátima Bezerra, leva vantagem sobre o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT), da Coligação 100% RN.

Confira:

Pesquisa FM 98.9/Consult (realizada entre os dias 21 e 22)

Votos Válidos

Fátima Bezerra (PT) – 52,7%

Carlos Eduardo Alves (PDT) – 47,3%

Maioria pró-Fátima Bezerra de 5,4 pontos percentuais (veja AQUI).

Pesquisa TV Tropical/Big Data (realizada dia 25)

Fátima Bezerra (PT) – 54%

Carlos Eduardo Alves (PDT) – 46%

Maioria pró-Fátima Bezerra de 8 pontos percentuais (veja AQUI).

Pesquisa Inter TV Cabugi/Ibope (realizada entre os dias 24 e 26)

Fátima Bezerra (PT) – 55%

Carlos Eduardo Alves (PDT) – 45%

Maioria pró-Fátima Bezerra de 10 pontos percentuais (veja AQUI).

STJ libera uso de novas placas do Mercosul até conclusão de ação

Imagem relacionadaCONJUR

Por Gabriela Coelho

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, suspendeu, nesta sexta-feira (26/10), a decisão liminar de uma desembargadora do Tribunal Regional Federal da 1ª Região que, em 10 de outubro, impediu o uso das novas placas do Mercosul.

O entendimento do STJ vale até o trânsito em julgado da ação civil pública que questiona a adoção das novas placas.

Na decisão, o ministro atendeu a um pedido da Advocacia-Geral da União e afirmou que não há como deixar de reconhecer o potencial lesivo da liminar do TRF-1.

“São evidentes os danos à economia pública que podem decorrer da paralisação do novo sistema de emplacamento, não apenas para os altos valores já investidos pela União na efetivação do novo formato – já parcialmente implantado em alguns estados da federação, como é o caso do Rio de Janeiro, com cerca de 118 mil veículos já circulando com a placa nova –, mas também para o considerável montante a ser economizado pela União com a redução dos custos decorrentes de desoneração financeira do Denatran, de aproximadamente R$ 25 milhões por ano”, afirmou.

Para o ministro, há um grande avanço com o novo modelo em matéria de segurança pública, ao possibilitar a criação de um cadastro unificado de identificação de veículos, facilitando o intercâmbio on-line de informações.

“Constato ser inviável retornar ao estado prévio à implementação do sistema, em virtude dos investimentos e mudanças realizados. Há também a possibilidade de eventual dano à ordem pública no caso de prevalência da decisão atacada, na medida em que os procedimentos tendentes a implementar o novo sistema já avançaram no tempo a ponto de não mais permitirem um retrocesso ao status quo ante”, disse.

Segurança
No pedido, a AGU destacou que a consequência mais importante na adoção da nova regulamentação não é a mudança do design da placa, mas sim, a inclusão dos elementos de segurança e, principalmente, a mudança no processo de produção e estampagem das placas no Brasil, representando maior segurança para o usuário, coibindo a clonagem e o roubo e furto de veículos.

Aliados de Bolsonaro criticam Datafolha e Ibope após queda de candidato

RIO DE JANEIRO e BRASÍLIA

Após uma queda desempenho de Jair Bolsonaro (PSL) nas pesquisas de intenção de voto, o presidente do partido do presidenciável, Gustavo Bebianno, voltou a criticar o Datafolha.

“Nós continuamos não acreditando nas pesquisas. Principalmente no Datafolha. O Datafolha é do sistema Folha [Grupo Folha] e nós não acreditamos nem no sistema Folha, nem no instituto de pesquisa Datafolha. A matéria que foi feita recentemente falando das fake news foi uma fake news produzida pelo principal jornal do Brasil. É uma vergonha”, afirmou na manhã desta sexta-feira (26).

Bebianno se refere a reportagem, publicada na semana passada, que mostra a atuação de empresários apoiadores de Bolsonaro na compra de pacotes de mensagens de WhatsApp para disseminar materialantipetista. A prática é ilegal e tornou-se alvo de investigações no âmbito da Justiça eleitoral.

A resposta do presidente do PSL se deu após questionamento sobre mudança de estratégia da campanha com a divulgação de novas pesquisas.

Levantamento do Datafolha divulgado na noite de quinta-feira (25) mostra que Bolsonaro passou de 59% para 56% dos votos válidos. Fernando Haddad (PT) apareceu com 44%, contra 41% da pesquisa anterior.

A rejeição do candidato do PSL subiu de 41% para 44% e a do petista oscilou de 54% para 52%.

Pesquisa Ibope de terça-feira (23) também já mostrava um cenário mais desfavorável para o capitão reformando. Ele, contudo, mantém a liderança nos cenários apontados pelos dois institutos.

As críticas aos institutos de pesquisa por aliados de Bolsonaro não se restringiram à fala de Bebianno.

Em vídeo, o general da reserva Augusto Heleno, escolhido como ministro da Defesa em um eventual governo do PSL, também os criticou.

Para ele, Datafolha e Ibope estão a serviço de grupos de comunicação que produziram contra o capitão reformado a campanha “mais parcial e sórdida da história da República brasileira”.

“Alguém tinha dúvida de que as últimas pesquisas do Datafolha e do Ibope iam aproximar os dois candidatos para parecer que é possível uma virada?”, questionou.

Para o militar, uma virada neste momento é quase impossível. “Nós vamos assistir de novo à desmoralização dos institutos de pesquisa”, disse.

ESTRATÉGIA

Apesar das críticas aos institutos, os dados apontados nas pesquisas fizeram com que a campanha mudasse de estratégia nos últimos dias. Até então, o cenário de ampla vantagem fazia com que a cúpula do PSL apostasse em ‘jogar parado’, falando o mínimo possível.

Na semana passada, Bolsonaro chegou a declarar que estava “com a mão na faixa”. Essa piora, na visão de aliados do capitão reformado, pode ter ocorrido pela divulgação da reportagem da Folha sobre as mensagens no WhatsApp e pela circulação de um vídeo em que um dos filhos do presidenciável, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), fala em fechar o STF (Supremo Tribunal Federal).

Bolsonaro fez uma transmissão ao vivo no Facebook, na noite de quarta (24), pedindo para que seus aliados não se desmobilizassem e se concentrassem na eleição nacional, deixando de lado as disputas por governos dos estados. Desde então, a mensagem passada por ele e por seus principais aliados é de que a mobilização seja mantida e que a eleição não está ganha.

PF pede ao WhatsApp números que dispararam mensagens em massa

Logo do WhatsApp em tela de smartphoneFOLHA DE SÃO PAULO

Camila Mattoso Patrícia Campos Mello

A Polícia Federal quer saber de que números de telefone e de que dispositivos partiram os disparos de mensagens em massa durante a eleição por meio do WhatsApp.

A PF enviou nesta semana um ofício para a empresa requisitando essas e outras informações, inclusive o conteúdo do material transmitido pelo aplicativo. A polícia quer identificar, por exemplo, se as mensagens eram negativas ou positivas em relação aos candidatos.

Um inquérito foi instaurado após reportagem da Folha revelar a atuação de empresários apoiadores de Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência, na compra de pacotes de mensagens para disseminar material antipetista (Fernando Haddad, do PT, é o adversário de Bolsonaro no segundo turno). A prática é ilegal e tornou-se também alvo de investigações no âmbito da Justiça Eleitoral.

Tribunal de Justiça amplia pena de homem condenado por feminicídio

O Tribunal de Justiça potiguar atendeu parcialmente o pedido do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e determinou o redimensionamento da pena do réu Felipe Pinto Cunha de 20 para 25 anos de reclusão. Ele é acusado pelo feminicídio de sua ex-mulher, Anna Lívia Sales, que foi morta a facadas enquanto amamentava o filho, em dezembro de 2016.

O caso foi a júri popular em novembro de 2017, na 3ª vara da comarca de São Gonçalo do Amarante, quando o réu foi condenado a 20 anos de prisão em regime fechado.

Na Apelação Criminal interposta pelo MPRN, foi requerido o redimensionamento da pena do acusado, “diante da gravidade concreta do crime e do comparativo a casos semelhantes, para que se alcance a justiça na aplicação da pena imputada ao réu”.

A decisão transitou em julgado em 15 de outubro deste ano. Com a condenação confirmada em segunda instância, o início do cumprimento da pena deve ser imediato.

IBOPE aponta vitória de Fátima Bezerra com 150 mil votos de maioria

Mantido os números da ultima pesquisas do IBOPE divulgara ontem na InterTV Cabugi, o candidato a governador Carlos Eduardo Alves poderá ser derrotado com cerca de 150 mil votos pela candidata Fátima Bezerra.

A pesquisa aponta que à candidata Fátima Bezerra tem 55% e Carlos Eduardo Alves 45% dos votos válidos.

Caso se mantenha o mesmo comparecimento dos eleitores no primeiro turno, e mantidos os votos válidos, a derrota de Carlos Eduardo Alves não será inferior aos 150 mil votos.