Substituta de Moro, Gabriela Hardt assume processo do sítio de Lula

Por Rafael Moro Martins | Valor

CURITIBA  –  Ao se sentarem na sala de audiências da 13ª Vara da Justiça Federal do Paraná, na tarde desta segunda-feira (5), Carlos Armando Guedes Paschoal e Emyr Diniz Costa Ju?nior, funcionários da Odebrecht que são réus no processo em que a empreiteira é acusada de realizar obras num sítio em Atibaia (SP), que era usado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não terão pela frente, como de hábito, o juiz Sergio Moro. Na cadeira principal da sala, estará a juíza substituta Gabriela Hardt.

Moro afastou-se das atividades de juiz na semana passada, após aceitar convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para comandar o futuro ministério da Justiça e Segurança Pública. Com isso, caberá a Hardt – que estava de férias e retorna amanhã ao trabalho – comandar os processos da “Operação Lava-Jato” pelo menos até o fim do ano.

A primeira semana dela será cheia: há quatro audiências marcadas com testemunhas e réus do processo do sítio de Atibaia, entre eles Emílio e Marcelo Odebrecht e Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS. No próximo dia 14, Hardt tomará o depoimento de Lula.

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *