Arquivo diários:07/01/2019

Pela primeira vez no ano, dólar fecha em alta e Bolsa, em queda

Por Camila Maciel – Repórter da Agência Brasil  São Paulo

O dólar norte-ameicano fechou esta segunda-feira (7) com alta 0,46%, cotado a R$ 3.7331 para venda, em um movimento de correção, após acumular três quedas seguidas. Foi a primeira alta da moeda americana neste ano.

Na mínima do dia, o dólar atingiu R$ 3,69 e, na máxima, R$ 3,7356. Já o dólar turismo foi vendido perto de R$ 3,86, sem considerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Álvaro Dias anuncia tomada de “medidas impopulares” na Prefeitura do Natal

AGORA RN

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (MDB), anunciou que espera a conclusão de um estudo que está sendo feito dentro do Poder Executivo natalense para anunciar a tomada de medidas “austeras, duras e impopulares”. A declaração foi dada ao jornal Tribuna do Norte neste domingo, 6.

De acordo com o prefeito, essas medidas precisarão ser tomadas de modo a garantir, no futuro, que os servidores do Executivo terão seus salários pagos em dia, dentro do mês trabalhado. Contudo, ele preferiu não adiantar que tipo de medidas serão essas, vez que ainda aguarda resultado de auditoria.

“Contratamos uma empresa de consultoria (Fundação Dom Cabral) para fazer um balanço do funcionamento da Prefeitura (…). Estamos aguardando a conclusão do estudo porque tenho certeza de que vamos precisar adotar medidas duras, austeras e impopulares, até para garantir equilíbrio”, contou o chefe do Executivo.

Segundo Álvaro Dias, essas medidas serão tomadas sem qualquer receio de sua parte, dada a necessidade de ajustar as contas da Prefeitura. Ele admitiu que podem haver demissões de servidores, desde que sejam autorizadas pela Constituição, e reconheceu haver excessos no funcionalismo.

“Nós temos um excesso comprovado e demonstrado. A Prefeitura conta hoje com 20 mil funcionários, sendo que funcionaria com 10 mil. Isso nos causa uma dificuldade enorme, pois mais de 65% da nossa arrecadação é destinada ao pagamento dos servidores. Restam 35% pra manter toda estrutura”, completou.

Governadora Fátima Bezerra envia representante para posse de Nina

A governadora Fátima Bezerra foi representada hoje, 07, pela Secretária adjunta do Gabinete Civil do Governo do Estado, Samanda Alves, no ato de posse da vereadora Nina Souza como presidente da Câmara Municipal deNatal.

Nina Souza assume a presidência do Legislativo municipal de Natal devido a licença do presidente, vereador Paulinho Freire, que de hoje até 18 de janeiro exercerá interinamente o cargo de prefeito da capital. Paulinho Freire substitui o prefeito Álvaro Dias, que se licenciou do cargo para participar da feira de turismo na Bélgica.

“Em nome da governadora Fátima Bezerra vimos prestigiar o poder Legislativo de Natal, a posse de Nina Souza, e nos colocarmos abertos ao diálogo é à disposição para trabalhar pelo bem da cidade e do Rio Grande do Norte”, afirmou Samanda Alves.

A vereador Nina Souza disse que a presença da representante do Governo do Estado, “demonstra o reconhecimento do valor desta casa e a interlocução que teremos com a gestão estadual”.

Ceará registra ataques a ambulância, Câmara e rádio no interior do estado

Luís Adorno e Carlos Madeiro*

Do UOL, em São Paulo, e colaboração para o UOL, em Maceió

A madrugada desta segunda-feira (7) registrou ao menos dois ataques na cidade de Icó, a 365 km de Fortaleza, no sexto dia seguido de ataques violentos no estado. O número de atentados passa de 125 e atingiu ao menos 36 cidades, segundo disseram ao UOL policiais ligados à investigação da onda de violência.

Os dados não são confirmados oficialmente pela Secretaria da Segurança Pública. A pasta afirmou, porém, que ao menos 148 suspeitos de participação nos ataques foram presos, sendo 38 entre a noite de ontem e a manhã de hoje. Um contingente de 300 agentes da Força Nacional foi enviado ao Ceará no sábado (5) por ordem do ministro Sergio Moro para reforço na segurança.

O governo do Ceará iniciou no domingo a transferência de presos suspeitos de comandar a onda de ataques. O governo federal disponibilizou 60 vagas em presídios federais para os líderes das ações. Segundo o governo estadual, apenas um dos chefes de facção tinha sido transferido até as 10h30 desta segunda –outros 20 presos devem ser levados nas próximas horas.

Para Cláudio Justa, presidente do Conselho Penitenciário do Ceará, a tendência é que os ataques deixem de ocorrer na Grande Fortaleza e migrem para o interior do estado.

Tudo indica que a estratégia do crime agora é a interiorização dos ataques em razão da saturação de policiamento na região metropolitana. É mais difícil de combater, é as facções têm muita capilaridade

Cláudio Justa, do Conselho Penitenciário do Ceará

Ataques nesta madrugada

Por volta de 1h da manhã, um caminhão-caçamba que prestava serviço à prefeitura de Icó foi incendiado. Três horas depois, criminosos atacaram simultaneamente o prédio da rádio da cidade e a sede da Câmara Municipal e fizeram disparos contra as portas.

No mesmo horário, na cidade de Reriutaba, a 278 km da capital, homens chegaram em uma caminhonete e incendiaram uma ambulância que estava no pátio do hospital municipal. O veículo ficou completamente destruído.

A SSPDS (Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará) informou ainda está fazendo levantamentos de ocorrências durante a madrugada no estado. Até a madrugada de ontem, três suspeitos haviam sido mortos pela polícia. Durante trocas de tiros, um policial foi ferido na mão e não corre risco de morrer.

Nesta segunda-feira (7), 200 linhas de ônibus na capital e região metropolitana circulam com a presença ostensiva de policiais militares e também escoltados com equipes do motopatrulhamento. “A SSPDS e a Polícia Militar atuam de forma sincronizada com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), com o objetivo de garantir segurança aos usuários do transporte coletivo.”

  • Ceará sofre onda de ataques criminosos

Nesta segunda-feira, ao anunciar os números de prisões, o governador enalteceu “o esforço e comprometimento dos nossos profissionais de segurança, bem como das tropas federais, nesse enfrentamento ao crime. Estamos todos unidos para garantir a segurança dos irmãos e irmãs cearenses, bem como garantir o estabelecimento da ordem.”

Ataques motivados por facções criminosas

Entre quarta-feira (2) e esta segunda (7), criminosos atacaram um prédio do governo federal, uma estação de distribuição de energia elétrica e tentaram destruir uma ponte e um viaduto, além de atear fogo a vários veículos. Os governos federal e estadual afirmam que os atos são promovidos por membros de facções criminosas.

A crise foi desencadeada por ações conjuntas das três principais facções criminosas que atuam no estado, segundo a principal linha de investigação. Seus membros estariam descontentes com a disposição do novo governo estadual em fazer mudanças no sistema prisional.

As três facções que atuam no Ceará –PCC (Primeiro Comando da Capital), CV (Comando Vermelho) e GDE (Guardiões do Estado)– teriam se unido com o objetivo de retaliar declarações do secretário da Administração Penitenciária estadual recém-empossado, Luis Mauro Albuquerque. A reportagem solicitou entrevista com o secretário, mas ele não retornou o pedido até esta publicação.

O secretário afirmou durante sua posse não reconhecer o poder das facções no estado e disse que o Ceará passaria a deixar de dividir presos de facções rivais em unidades prisionais diferentes. A divisão é feita em diversos estados para evitar confrontos e mortes dentro de estabelecimentos prisionais, mas as facções acabam dominando as unidades onde são maioria.

Em vídeo publicado nas redes sociais na tarde de sábado (5), o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou que a onda de ataques tem como objetivo fazer com que o governo recue de medidas “duras e necessárias” que tem adotado. “O que não há nenhuma possibilidade de acontecer. Pelo contrário: endureceremos cada vez mais contra o crime”, afirmou.

Continue lendo Ceará registra ataques a ambulância, Câmara e rádio no interior do estado

Emenda de Fábio Faria amplia 35 novos leitos de UTI no Walfredo

Chegam nesta segunda-feira (07) os 35 novos leitos para as Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG). A aquisição foi possível a partir do recebimento de uma Emenda Parlamentar disponibilizada pelo Deputado Federal, Fabio Faria, no valor de R$ 2 milhões, em dezembro de 2017. Ao todo, o Walfredo Gurgel adquiriu 239 novos leitos este ano, em substituição aos antigos que, há tempos, já não apresentavam mais condições de uso.

“O tratamento de qualquer paciente passa também pela forma digna como ele deve ser assistido. E estes novos leitos com certeza trarão maior conforto e respeito para os Norte-riograndenses que precisam e fazem uso do Walfredo Gurgel”, afirma a diretora administrativa do HMWG, Luzicínia Costa.

As novas camas são totalmente articuláveis, permitindo elevação de dorso, altura e joelhos, são comandadas por motores blindados, bivolt, com unidades de baterias recarregáveis, acionados através de controle remoto com fio e com dispositivos de segurança. O HMWG conta atualmente com cinco UTIs, sendo uma pediátrica e quatro adultas.

Em novembro passado, o Walfredo Gurgel recebeu 204 camas manuais, confeccionadas em inox, com três manivelas, totalmente articuláveis, também permitindo elevação de dorso, altura e joelho.

Há anos vítima do fantasma da superlotação, a troca dos leitos, no entanto, não criou novas vagas para atendimento ou internamento na unidade. “Que fique muito claro, não estamos criando novas vagas no hospital. Até porque isso não é possível. Já vivenciamos uma sobrecarga diária com corredores lotados. Estas camas são para substituir as que estavam em uso e que já não possuíam mais condições de abrigar um doente. As antigas estavam todas em péssimo estado de conservação. Urgia essa substituição”, explica a diretora geral do HMWG, Fátima Pereira.

O recurso federal disponibilizado pelo Deputado ainda permitiu a aquisição de novos monitores multiparâmetros com capinógrafo (oito), poltronas do papai (90), escadas hospitalar (180), macas do tipo fawler (que permitem inclinação de 30°), monitores multiparâmetros (oito) e cardioversor (seis).

Concursos públicos oferecem 33.791 vagas com salários de até R$ 30,4 mil

Do UOL, em São Paulo

Os concursos públicos oferecem 33.791 vagas em várias regiões do país. Existem oportunidades em diversos cargos, destinadas a candidatos de todos os níveis de escolaridade. As remunerações iniciais podem chegar a R$ 30,4 mil, dependendo da função desejada.

Clique aqui para ver a lista completa de concursos disponíveis nesta semana e com inscrições abertas nos próximos dias, com todas as opções.

Gastos públicos com estádios da Copa somam quase R$ 400 milhões em 2018, incluindo a Arena das Dunas

Apenas em 2018, quatro anos após o fim da Copa do Mundo no Brasil, quase R$ 400 milhões saíram dos cofres públicos para cobrir gastos com estádios construídos para o Mundial. Até arenas consideradas sucesso de público, como o Mineirão, ainda dão dor de cabeça aos governos estaduais. Além disso, muitas delas se distanciam cada vez mais do propósito original e deixam o futebol de lado para que o espaço seja ocupado com outras funções, que vão de escola a palco de festas.

Em 2014, para que a Copa fosse viabilizada, foram gastos R$ 8,3 bilhões em estádios, segundo dados do Ministério do Esporte. O BNDES financiou boa parte do montante — e, em muitos casos, os empréstimos foram tomados por governos estaduais, sozinhos ou em parcerias com o setor privado (PPPs).

No caso das PPPs, os estádios foram entregues para exploração pelo setor privado, e o acerto previa que o retorno que obtivessem a partir do uso dessas estruturas em jogos, shows e eventos seria usado para ajudar a pagar os empréstimos.

Mesmo estádios como o Mineirão, considerado um sucesso de público — em 2018 recebeu mais de 50 jogos —, não cobrem o custo dos investimentos até hoje. No orçamento de 2018, havia a previsão que o governo do Estado pagasse R$ 132 milhões para a concessionária.

Arena das Dunas, em Natal, que recebeu 25 jogos em 2018, e a Arena Fonte Nova, na Bahia, palco de 37 partidas, também vivem situação semelhante a de Minas. Nos dois casos, o custo anual dos governos com os empréstimos supera R$ 100 milhões.

As duas, assim como o Mineirão, são administradas por concessionárias ligadas às empreiteiras responsáveis pela sua construção. No entanto, como no caso da Arena das Dunas, a concessionária conseguiu garantir no contrato a impossibilidade de prejuízo. Se a operação da arena for inferior ao débito mensal, o estado completa a conta. Nos dois casos, o dinheiro direcionado para a construção dos estádios virou alvo da Lava-Jato.

A Arena Fonte Nova recebe os jogos do Bahia, que está na Série A e vem tendo bons resultados nos últimos anos, mas a Arena das Dunas depende exclusivamente do América de Natal, que tem média de público menor do que quatro mil torcedores. É um dos estádios que buscou alternativas completamente fora do escopo inicial para manter o local ativo diariamente, recebendo eventos como o Carnatal, além de festivais de música, feiras de negócios e até festas universitárias

— A adoção do modelo multiuso tem o propósito de tornar esses espaços mais atrativos e ampliar o público de interesse para além do futebol — diz Italo Mitre, presidente da concessionária que administra o estádio em Natal.

Estados que adotaram outras fórmulas para assegurar os jogos da Copa e assumiram o controle do estádio também não conseguem sair do prejuízo. Arena que desde antes da reforma já era apelidada de “elefante branco”, o Mané Garrincha, em Brasília, custou em 2018 R$ 700 mil por mês aos cofres do DF. O estádio recebe, em média, 20 jogos por ano desde o fim da Copa, muitos de clubes cariocas, além de shows.

Continue lendo Gastos públicos com estádios da Copa somam quase R$ 400 milhões em 2018, incluindo a Arena das Dunas

Faustão insinua que o presidente é um “idiota”

Fausto Silva desabafou sobre política no “Domingão do Faustão” exibido neste domingo (6), na Rede Globo. Sem citar nomes, o apresentador falou sobre “um idiota que está ferrando com todo mundo” e “novos ares” após a atriz Sophie Charlotte defender a Amazônia e o Carnaval brasileiros.

“O brasileiro, na hora do Carnaval e na hora seleção, nós sabemos muito bem, é um povo que tem união, tem solidariedade, tem uma integração. Por que isso não acontece nas coisas sérias?”, questionou.

“Lutar pela educação, por saúde pública, contra a corrupção, contra a incompetência, que é uma forma de corrupção. O imbecil que está lá -e não devia estar- pode até ser honesto, mas é um idiota que está e está ferrando com todo mundo. Você paga imposto, o que você recebe?

Vamos ver se esses novos ares vão mudar, tem que rezar para dar certo”, completou o apresentador.

A possibilidade de o recado ser destinado ao recém-eleito presidente da república Jair Bolsonaro alçou rapidamente o nome de Fausto Silva ao primeiro lugar dos assuntos mais comentados no Twitter.

F5 / FOLHAPRESS

Sete previsões da Confederação da Indústria para a economia brasileira

O desempenho da economia e da indústria neste ano será melhor do que em 2018. O Produto Interno Bruto (PIB) – a soma das riquezas produzidas no país em um ano – crescerá 2,7%. A indústria, com uma expansão de 3%, vai liderar o crescimento da economia. As previsões estão na edição especial do Informe Conjuntural – Economia Brasileira, da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Mas, essas estimativas só se confirmarão se o novo governo eleito fizer o ajuste duradouro nas contas públicas, avançar nas reformas estruturantes, como a previdenciária e a tributária, e adotar medidas para melhorar o ambiente de negócios, entre as quais estão a desburocratização, alerta a CNI.

Confira sete previsões da CNI para o desempenho da economia em 2019:

1 – Economia crescerá 2,7% 

O ano começa com a expectativa de que o novo governo implementará as reformas necessárias ao crescimento da economia, como a previdenciária e a tributária. A medida em que o país avançar no caminho do ajuste das contas públicas e na melhoria do ambiente de negócios, a confiança de empresários e consumidores vai melhorar e a taxa de crescimento pode alcançar até 3%.

2. Indústria, com expansão de 3%, vai liderar o crescimento

Depois dos altos e baixos registrados em 2018, a indústria brasileira deve consolidar a trajetória de crescimento e fechar 2019 com uma expansão de 3%, impulsionada pelo aumento do consumo e dos investimentos.  A indústria extrativa crescerá 2,2%, a de transformação, 4,8%, e a da construção, 0,3%.

3. Investimentos aumentarão 6,5% 

O indicador de intenção de investimentos da CNI mostrou que, ao longo de 2018, os empresários estão mais propensos a investir. Com um cenário mais favorável, os investimentos devem crescer 6,5% em 2019.

4. Consumo das famílias terá expansão de 2,9%

A recuperação da atividade, o controle da inflação, a queda do desemprego, a redução dos juros e a recomposição das finanças das famílias estimularão o consumo, que deve crescer 2,9% em 2019.

5. Taxa de desemprego diminuirá para 11,4%

A reativação da atividade movimentou o mercado de trabalho, que havia fechado 3,5 milhões de postos de trabalho entre 2015 e 2016. Com a aceleração do crescimento prevista para este ano, as empresas devem contratar mais do que em 2017. A taxa média de desemprego em 2018 será 1 ponto percentual menor do que a do ano passado.

6. Inflação será de 4,1%, abaixo da meta do governo

Mesmo com a previsão de aumento do ritmo de crescimento da economia, a inflação ficará abaixo do centro da meta de 4,25% fixada pelo Banco Central. O controle dos preços deve-se à elevada ociosidade da economia brasileira, à alta taxa de desemprego e à política monetária.

7. Taxa média de juros será de 6,83% ao ano

Os juros básicos da economia devem subir 1 ponto percentual a partir do segundo semestre, com a aceleração do ritmo de crescimento econômico.