Conheça os novos líderes da Câmara: só quatro são deputados de primeiro mandato

Apenas quatro dos 22 partidos com direito a liderança na Câmara indicaram novatos para comandar suas bancadas: PTB, Podemos, Patriota e o estreante Novo. Já as quatro maiores bancadas optaram por manter seus antigos líderes. Principais antagonistas na legislatura que começou na última sexta-feira (1º), PT e PSL serão liderados por Paulo Pimenta (RS) e Delegado Waldir (GO), respectivamente. O PP seguirá com Arthur Lira (AL), e o MDB, com Baleia Rossi (SP).

Escolhido por aclamação para liderar o Podemos, José Nelto (GO) é calouro no Congresso, mas acumula seis mandatos de deputado estadual e vereador em Goiânia. Filiado ao partido desde abril de 2018, foi por mais de 30 anos uma das lideranças do MDB em seu estado. Ele acredita que essas credenciais foram determinantes na decisão de seus colegas de alçá-lo ao cargo.

Aos 58 anos, Nelto estreia na Câmara como líder do Podemos

Facebook

“Liderei a oposição em Goiás por 20 anos. Tenho experiência e recebi a confiança da bancada. Preciso retribuir com total transparência”, disse José Nelto ao Congresso em Foco. Segundo ele, o partido não fará parte da base do governo Bolsonaro, nem oposição. “Não haverá alinhamento automático. Não nos interessa ser base porque, como partido independente, nos fortalecemos mais”, explicou.Os outros três deputados estreantes que terão a missão de liderar suas bancadas são Marcel Van Hattem (Novo-RS), Pedro Lucas Fernandes (PTB-MA) e Fred Costa (Patriota-MG). Cabe ao líder expressar a posição do partido nas votações, participar das reuniões que definem a pauta do plenário, indicar e até retirar os representantes da legenda nas comissões. A liderança também é cobiçada pelos parlamentares pelo generoso número de cargos de confiança à disposição.

Veja a relação completa dos líderes partidários:

Câmara

Novo
Marcel Van Hattem (RS) – estreante

PSL
Delegado Waldir (GO)

PP
Arthur Lira (AL)

PSD
André de Paula (PE)

MDB
Baleia Rossi (SP)

PR
José Rocha (BA)

PSB
Tadeu Alencar (PE)

PRB
Jhonatan de Jesus (RR)

PSDB
Carlos Sampaio (SP)

DEM
Elmar Nascimento (SP)

PDT
André Figueiredo (CE)

Podemos
José Nelto (GO) – estreante

PTB
Pedro Lucas Fernandes (MA) – estreante

Psol
Ivan Valente (SP)

PCdoB
Orlando Silva (SP)

Pros
Toninho Wandscheer (PR)

PSC
Gilberto Nascimento (SP)

PPS
Daniel Coelho (PE)

Avante
Luis Tibé (MG)

Patriota
Fred Costa (MG) – estreante

PV
Leandre (PR)

Blocos

Também definiram seus líderes dois dos três blocos constituídos na semana passada horas antes da disputa pela presidência da Câmara. O blocão que apoiou a reeleição de Rodrigo Maia (PSL, PP, PSD, MDB, PR, PRB, DEM, PSDB, PTB, PSC e PMN), que tem uma bancada de 301 deputados, será liderado por Elmar Nascimento (DEM-BA), também líder do DEM. Com bancada de 94 deputados, o Bloco PDT, Solidariedade, Pode, PCdoB, Pros, PPS, Avante, Patriota, PV e DC, por sua vez, será comandado por André Figueiredo (PDT-CE), líder do PDT. O bloco de oposição, formado por PT, PSB, Psol e Rede, que tem 97 deputados, ainda não indicou líder à Secretaria-Geral da Mesa.

O deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO) foi formalizado líder do governo. Deverão ser indicados ainda os líderes da Minoria, da Maioria e da oposição.

Representantes

Pela votação que receberam e pelo número de deputados que elegeram, a Rede, o PMN e o Democracia Cristã (DC) terão apenas representantes: Joênia Wapichana (Rede-RR), Eduardo Braide (PMN-MA) e Luiz Antônio Corrêa (DC-RJ). De acordo com a Resolução da Câmara 30/18, que entrou em vigor em 1º de fevereiro, para ter direito à indicação de liderança, o partido tem que cumprir a cláusula de barreira fixada pela Emenda Constitucional 97.

Segundo a emenda, terão direito a recursos do fundo partidário e acesso gratuito ao rádio e à televisão os partidos políticos que alternativamente, na legislatura seguinte ao pleito de 2018, obtiverem, nas eleições para a Câmara dos Deputados, no mínimo 1,5% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos 1/3 dos estados; ou tiverem elegido ao menos nove deputados federais também distribuídos em 1/3 dos estados. No caso de partidos que não cumpram a cláusula, o Regimento permite a indicação de um integrante para expressar a posição do partido nas votações.

Com informações da Agência Câmara

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *