Arquivo diários:11/04/2019

Governo vai rever monopólio da Petrobras no setor de gás, diz ministro

Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil Brasília

“A gente vê que esse monopólio que já está identificado não é uma coisa saudável. Particularmente para o desenvolvimento do setor e para os consumidores”, disse o ministro ao apresentar as realizações e projetos que a pasta encaminhou nos 100 primeiros dias de governo.“A Petrobras tem que estar inserida dentro de uma política pública, e é isso que estamos definindo”, acrescentou Albuquerque, esclarecendo que a abertura do mercado de gás natural se insere na definição de novas políticas públicas para o setor energético.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, fala sobre as ações desenvolvidas pela pasta nos primeiros 100 dias de governo.Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, anuncia as ações desenvolvidas pela pasta nos primeiros 100 dias de governo – José Cruz/Agência Brasil

“Agora, como [a abertura] vai ser executada ainda vai ser definido. Porque é muito fácil falar que vamos abrir o mercado de gás. O interessante é como [fazê-lo]”, disse o ministro, lembrando que o assunto já está em debate no grupo formado por representantes do ministério, da Petrobras, da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). “Estamos trabalhando para estabelecer a política, para definir como será o novo mercado de gás”.

Urânio

Bento Albuquerque disse que o governo federal estuda formas de liberar a mineração de urânio à iniciativa privada, sem a necessidade de mudanças na Constituição Federal.

“Há um grupo interministerial analisando [o tema] e acreditamos que, em junho, teremos esses estudos concluídos. Aquilo que for necessário tramitar no Congresso tramitará, mas o nosso objetivo é que a mineração [de urânio] possa ser realizada através de normas infralegais”, disse o ministro sobre os trabalhos do grupo coordenado pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

“Já existe um trabalho relacionado à questão da mineração do urânio no Brasil. O grupo de trabalho ainda está aberto e é coordenado pelo GSI. Ali foram analisadas algumas alternativas além da alteração da Constituição Federal. Ou seja, temos alternativas para realizar a mineração [de urânio] com investimento privado sem a necessidade de alterar a Constituição”, acrescentou o ministro.

Atualmente, o texto constitucional garante o monopólio estatal sobre a exploração do urânio, atividade controlada pelas Indústrias Nucleares do Brasil (INB). O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de urânio. A Constituição também confere à União a competência privativa para legislar sobre as atividades nucleares de qualquer natureza, concluiu Albuquerque.

Ministro compara governo de Bolsonaro a Felipão no Palmeiras

Bolsonaro e Felipão são equivalentes. Essa é a opinião do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que comparou as dificuldades da gestão do atual presidente da República com o desafio enfrentado por Luiz Felipe Scolari no Palmeiras.

Bolsonaro em jogo do Palmeiras
 2/12/2018   REUTERS/Paulo Whitaker
Bolsonaro em jogo do Palmeiras 2/12/2018 REUTERS/Paulo Whitaker

Foto: Reuters

“O presidente está parecendo o Felipão. Está fazendo os mesmos ajustes que o Felipão fez no ano passado: deu certo e vai dar certo”, afirmou Onyx ao Estadão, em cerimônia para celebrar cem dias de governo. “Todos nós precisamos nos reinventar”.

O aproveitamento alviverde no torneio nacional foi de incríveis 81,8% dos pontos. Nas competições mata-mata, o pentacampeão mundial chegou às semifinais da Copa Libertadores da América e da Copa do Brasil.

Já o governo de Jair Bolsonaro, que completou 100 dias, tem a menor aprovação popular desde 2003, de acordo com números do Instituto Datafolha. Após três meses à frente da Presidência da República, apenas 32% dos brasileiros com 16 anos ou mais o considera ótimo ou bom. Uma fatia similar, de 30%, o vê como ruim ou péssimo e o desaprova. Os demais consideram o governo do militar reformado regular (33%) ou preferiram não opinar (4%).

Foguete de Israel fracassa em tentativa de pouso suave na lua

O foguete israelense Beresheet caiu na lua nesta quinta-feira e fracassou a tentativa de que ele fizesse um pouso “suave”, como planejado, por problemas técnicas que esfacelaram as esperanças de um pouso controlado e histórico na superfície lunar.

Integrantes da equipe do foguete israelense Beresheet na sala de controle da missão em Yahud, em Israel
11/04/2019 Cortesia Space IL/Divulgação via REUTERS
Integrantes da equipe do foguete israelense Beresheet na sala de controle da missão em Yahud, em Israel 11/04/2019 Cortesia Space IL/Divulgação via REUTERS

Foto: Reuters

O dispositivo de pouso robótico não tripulado sofreu falhas periódicas no motor e de comunicação durante cerca de 21 minutos da sequência de pouso, informou a equipe de apoio envolvida na missão.

A manobra final na quarta-feira posicionou o foguete em uma órbita elíptica ao redor do satélite, entre 15 e 17 quilômetros da superfície em seu ponto mais próximo. Daí em diante, houve grande expectativa e uma conclusão frustrante.

 Até hoje só três nações realizaram pousos “suaves” na superfície lunar: Estados Unidos, a antiga União Soviética e a China.

Reuters

Porto de Natal é o primeiro do Brasil a receber a Fragata “Liberal” após missão no Líbano

A Fragata “Liberal” da Marinha do Brasil atracou no Porto de Natal, nesta quinta-feira (11), após permanecer seis meses em missão pela Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), onde conduziu operações de interdição marítima a fim de prevenir a entrada de armas não autorizadas no território, bem como qualquer material correlato, além de contribuir para o adestramento da Marinha Libanesa. A capital potiguar foi a primeira parada no Brasil.

O Diretor-Presidente da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN), Almirante Elis Treidler Öberg, acompanhou a chegada do navio ao som da Banda do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal dando as boas-vindas. Após atracação, o Almirante foi recepcionado pelo Comandante, Capitão de Fragata Cláudio Henrique Teixeira Correia.

Alguns familiares aguardavam o desembarque dos militares que estavam a bordo, entre eles Natália Luna, namorada do Cabo Elielson Glaudeno. “Hoje fazemos dois anos e quatro meses de namoro. Fazia 14 meses que não nos víamos. A saudade é tanta que estou com ansiedade. Apesar de todas as batalhas, o amor sempre prevalece”.

A missão no Líbano ocorreu de 15 de setembro de 2018 a 15 de março de 2019, quando a Fragata “Liberal” foi substituída pela Fragata “União”, também da Marinha do Brasil. Após desatracar do Porto de Beirute, no Líbano, no dia 16 de março, a “Liberal” passou pelos portos de Valência (Espanha), Las Palmas (Espanha), chegando a Natal.

Governo anuncia leilão dos royalties para quitação dos salários atrasados

A governadora Fátima Bezerra, durante o ato público pelos 100 dias de gestai, anunciou que publicará amanhã o edital para a licitação, na modalidade pregão eletrônico, para antecipação dos royalties. O objetivo da medida é arrecadar recursos para quitação dos salários atrasados dos servidores públicos.

A governadora também informou que data do pregão está marcada para o próximo dia 26 de abril. Ele vai acontecer às 8h, na Secretaria de Planejamento (Seplan).

“Vou assinar o edital e, portanto, a partir de amanhã o edital que trata do pregão com vistas à operação da venda antecipada dos royalties já estará no ar. Operação essa que foi muito bem formulada pela nossa equipe da área econômica”, disse durante a coletiva.

Ingratidão é o pior defeito de uma pessoa, a ingratidão de Walter Alves com Aluízio e Henrique Alves tem cheiro de carniça podre consumida pelos urubus

Quando Henrique Alves era prestigiado e forte presidente da Câmara dos Deputados, Walter Alves era um dos seus maiores defensores e cortejador.

A ingratidão é o pior defeito de uma pessoa.

Quem é ingrato tem tudo para ser desonesto, mentiroso, dissimulado, oportunista e sobretudo mau caráter.

Henrique Alves foi ingrato comigo, mas com que fere com ferro, com ferro será ferido, diz o ditado popular.

A declaração do deputado Walter Alves contra seu primo Henrique Alves, que depois de preso vive um tremendo ostracismo e isolamento político está sendo considerada grosseira, impiedosa e de uma ingratidão sem tamanho contra à memória do pai de Henrique e líder da família, Aluízio Alves.

Todos sabem que se não fosse Aluízio, a família Alves não teria prosperado na política. Aluízio foi o grande líder político e empreendedor que fundou o maior grupo de comunicação do RN que ajudou a promover à carreira política de Garibaldi Alves. Foi na rádio Cabugi e na Tribuna do Norte que o pai de Walter Alves conseguiu popularizar seu nome, foi Henrique Alves quem sempre mobilizou recursos para o pai de Walter Alves disputar eleições sendo eleito deputado estadual, prefeito de Natal, senador e governador. Foi Henrique que indicou Garibaldi para ser ministro..

Garibaldi e seu filho Waltinho nunca fizeram concurso e emprego na iniciativa privada, sempre dependeram da política, e sem a liderança de Aluízio não teriam êxitos.. Eles sempre viveram da política..

Será que existiria a família Alves na política potiguar sem Aluízio Alves?

O que seria Garibaldi e Walter Alvez sem Aluízio Alves?

Afirmo sem medo de errar: se não fosse a grande liderança de Aluízio Alves, provavelmente Garibaldi Alves seria vendedor de caldo de cana em Angicos e Walter Alves mototaxistas.

Com todo respeito aos vendedores de caldo de cana e mototaxistas.

Ingratidão é coisa muito feia.. Não tenho nada para defender Henrique, mas tenho nojo da ingratidão..

Confira o que disse o filho de Garibaldi com o filho de Aluízio:

João Maia defende mudanças para resolver problemas do setor aéreo e fazer turismo cresce

O panorama atual na aviação civil é um jogo em que todos saem perdendo: empresas em recuperação judicial, baixa concorrência, rotas que prejudicam o desenvolvimento econômico em várias regiões do país e passagens com preços muito elevados. A avaliação é do presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, deputado federal João Maia (PR/RN), durante audiência pública destinada a discutir problemas do setor aéreo, nesta quarta-feira, na Câmara dos Deputados.
“O Rio Grande do Norte está entre os estados mais prejudicados, com poucos voos e disponibilizados em horários que obrigam a um pernoite até numa rápida viagem de negócios, aumentando o custo para o passageiro”, destacou. O parlamentar afirmou que o turismo – vital para a geração de emprego e renda da região – está minguando. “Natal tem hoje um dos mais modernos aeroportos do Brasil, capaz de receber aeronaves de qualquer porte, mas está completamente subutilizado”, lamentou João Maia.
O presidente da CDC ressaltou ainda que o ideal seria as companhias aéreas low cost (baixo custo) não apenas levarem brasileiros para o exterior a preço convidativo, mas contribuírem para o fortalecimento de rotas nacionais, com benefício para o turismo local.
A audiência reuniu representantes das empresas, da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Nordeste volta a ter temporais nesta quinta-feira

Áreas de instabilidade voltam a ganhar força especialmente em áreas litorâneas do Nordeste nesta quinta-feira (11). O tempo volta a ficar carregado e há alerta para temporais na costa norte da Região e no litoral sul da Bahia.

Temporais retornam

A trégua da chuva na costa norte do Nordeste durou pouco e os ventos alísios voltam a se intensificar trazendo bastante umidade para a região nesta quinta-feira. A aproximação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) também contribui para o aumento e a concentração de umidade. Chove a qualquer hora e há alerta para temporais no litoral do Maranhão, do Piauí e do Ceará. As capitais São Luís (MA) e Fortaleza (CE) poderão ter chuva forte.

Em outras áreas do Nordeste, as pancadas de chuva continuam de forma localizada. O sol predomina e a chuva vem em geral a partir da tarde por todo o interior da Região. Na costa leste, a chuva é rápida.

Foto: ClimatempoFoto: Pedro Pedrosa Maraú/BA.

Atenção:

Uma intensificação da chuva é esperada para as áreas litorâneas entre Pernambuco, a Paraíba e o Rio Grande do Norte na sexta-feira (12) e no fim de semana. As pancadas de chuva voltam a ficar mais frequentes com risco de chuva forte. Natal (RN), João Pessoa (PB) e Recife (PE) estão no risco de chuva forte a partir de sexta-feira.

Proposta pode beneficiar milhares com nova pontuação da CNH preocupa especialistas

A disposição do governo de flexibilizar as leis para ampliar a validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e dobrar a margem de pontos permitidos para infrações provocou  reação de parlamentares e especialistas em segurança de trânsito.

A principal preocupação é que os novos parâmetros propostos pelo governo aumentem a violência no trânsito, por permitir a circulação nas ruas e estradas de um grande contingente de motoristas que frequentemente infringem as leis.

O Brasil é um dos países mais inseguros do mundo em vias expressas, com uma média anual de cerca de 40 mil mortes em acidentes automobilísticos, segundo o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), ligado ao Ministério da Saúde.

Somente no ano passado, em São Paulo, mais de 540 mil motoristas excederam os 20 pontos na carteira, o atual limite para a suspensão da CNH. No Rio, segundo o Detran informou em 2018, um em cada quatro condutores já haviam estourado o máximo de pontos no período de um ano.

Professor de psicologia do trânsito, Hartmut Günther avalia que as mudanças podem ser um sinal de liberalidade excessiva:

— É lastimável, um sinal para a população: ‘olha, agora vocês podem fazer o que quiser’. O que está em jogo é a segurança de todos. Nos países desenvolvidos, há políticas de baixar índices de acidentes de trânsito. No Brasil, estamos na contramão. Ao afrouxar a pontuação o governo está sinalizando que não está interessado em fazer nada.

“Indústria da multa”

Desde sua atuação como deputado federal, e também na campanha eleitoral do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro faz críticas contra o que considera ser uma “indústria das multas” gerada pela legislação de trânsito e a atuação dos órgãos de fiscalização.

Na terça-feira, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, anunciou a decisão de enviar ao Congresso uma proposta de projeto de lei elevando de 20 para 40 pontos o limite imposto por lei para a suspensão da CNH. A proposta também prevê dobrar o prazo de validade da carteira de cinco para dez anos.

Ainda de acordo com a equipe do ministro, outras alterações estão previstas na minuta que será apresentada a Bolsonaro antes de ser enviada ao Congresso. Uma delas prevê acelerar o processo de suspensão da habilitação em casos de infrações mais graves, como dirigir sob o efeito de álcool.

O ministro quer ainda dar rapidez aos processos administrativos referentes às infrações graves e gravíssimas que tramitam nos Detrans. Atualmente, um processo de suspensão da habilitação tem que passar por até seis instâncias. Com a proposta, esse processo cairia para três instâncias.

Antes mesmo de chegar à mesa de Bolsonaro, no entanto, a proposta recebeu críticas da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, que solicitou uma audiência com o ministro para discutir as mudanças. Vice-presidente da Frente, a deputada Christiane Yared (PR-PR) critica as propostas e defende maior rigor na legislação de trânsito:

— Infelizmente todos nós precisamos de regras. Quando flexibilizamos essas regras nós podemos colher mais mortes. Já temos um país que não educa, não fiscaliza e não pune. Nossa luta é para tentar ser mais rigoroso — disse Yared, mãe de um filho morto em um acidente de trânsito.

O GLOBO

Walter Alves rompe e humilha Henrique Alves no Twitter

Agora RN

O deputado federal Walter Alves (MDB) revelou nesta quarta-feira, 10, através das redes sociais, o rompimento político com o primo, ex-ministro e ex-deputado federal Henrique Eduardo Alves.

Através do Twitter, Walter Alves responde a um questionamento do atual prefeito de Coronel Ezequiel, Cláudio Marques de Macêdo, o Boba, também do MDB, sobre um possível retorno de Henrique Alves aos quadros do diretório estadual da legenda no Rio Grande do Norte.

Walter Alves respondeu que ele e o pai, o ex-senador Garibaldi Alves Filho, caso Henrique Alves consiga retornar para o diretório, deixariam o partido imediatamente. “Inclusive, comunicamos à direção do MDB nacional, que, caso o senhor Henrique Alves, com quem não tenho relação pessoal e política há anos, venha assumir a legenda, Garibaldi e eu deixaremos o partido”, escreveu ele.

No último domingo, 7, Henrique Alves publicou uma carta o jornal Tribuna do Norte, após uma longa temporada em silêncio, onde abordou questões relacionadas com as ações judiciais em que está hoje implicado – operações “Manus” e “Lavat”. Ele diz, ao longo do texto, que todas as acusações contra ele “são absurdas”.

Ao fim da carta, onde se diz um “vencedor”, Henrique Alves escreveu que a “luta ainda continua”. A mensagem suscitou uma série de questionamentos sobre um suposto retorno do ex-deputado às disputas partidárias.

Henrique Alves ainda não se manifestou sobre o teor da mensagem do primo emedebista. No entanto, também nas redes sociais, a jornalista Laurita Arruda, atual mulher do ex-deputado, escreveu no Twitter: “a ingratidão é o mais pobre dos estados de espírito”.