Prefeito Álvaro Dias quebra acordo e médicos cobram melhores condições de trabalho

Médicos ligados à Prefeitura do Natal (SMS) ao prefeito Álvaro Dias o cumprimento da jornada de trabalho estabelecido entre as partes. De acordo com os profissionais, a pasta alterou a ordem da escala de plantões sem qualquer diálogo com a categoria.

Em assembleia geral realizada pelo Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed-RN) na última terça-feira (14), a classe decidiu, por unanimidade, que vai recomendar às chefias de unidades hospitalares da cidade a confeccionar as escalas conforme portaria anterior, que prevê 10 plantões para servidores contratados por 40 horas. A nova portaria (060/2019), publicada neste mês de maio, modifica para 12 plantões para os servidores contratados pela mesma carga horária.

“Já existiam acordos entre nós [Sinmed] e Secretaria Municipal de Saúde de Natal para o cumprimento de 10 plantões. São acordos feitos ao longo de décadas”, afirma o presidente do Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte, Dr. Geraldo Ferreira.

Além do impasse na jornada de trabalho, os médicos apontam dificuldades nos atendimentos realizados em unidades hospitalares da capital potiguar. No Hospital Municipal de Natal e na Maternidade Leide Morais, os profissionais denunciam problemas como superlotação, falta de insumos e equipamentos.

Já na Maternidade Araken Irerê Pinto, a categoria reivindica falhas na estrutura e ausência de manutenção no elevador do prédio, em desuso há dois anos. A inoperância do ascensor obriga as mulheres em trabalho de parto a utilizar as escadas da unidade.

Uma audiência com o secretário da SMS, George Antunes, foi solicitada pelo Sinmed para definir melhores condições de trabalho e reavaliar a carga horária imposta pela pasta. Demais sindicatos da área da saúde serão convidados para participar do debate, ainda sem data para acontecer.

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *