Após divulgar agenda secreta nos EUA, Moro antecipa volta ao Brasil

Foto: Sérgio Lima/Poder360

 

O ministro Sergio Moro (Justiça) divulgou sua agenda nos Estados Unidos após dois dias sem dar detalhes sobre seu paradeiro, mas voltou ao Brasil antes mesmo de cumprir os compromissos desta quarta-feira (26), entre os quais estava prevista uma visita a um dos escritórios do FBI, a polícia federal americana.

O Ministério da Justiça havia divulgado na noite de terça-feira (25) o roteiro do ministro nos EUA depois de reportagem do jornal Folha de S.Paulo mostrar que, mesmo sob solicitação formal, Moro não dava acesso à agenda oficial que cumpria no país desde o fim de semana.

Como ministro de Estado, ele deve informar via assessoria ou no site do ministério qual é –com horário e local definidos– seu roteiro oficial ao longo de cada dia.

Das outras vezes em que esteve nos EUA neste ano, já como integrante do governo de Jair Bolsonaro, sua agenda foi divulgada previamente aos jornalistas.

Para esta quarta-feira, estavam previstas reuniões no estado de Virgínia até o fim da tarde, mas a assessoria de Moro informou que o ministro voltou sozinho para o Brasil já no fim da manhã.

Segundo o Ministério da Justiça, a agenda seria então cumprida apenas pelo restante da comitiva, que permaneceria nos EUA.

Desde que chegou aos EUA, no sábado (22), Moro não teve aparições públicas registradas pela imprensa, já que mantinha os detalhes da agenda em segredo. Após publicação dos compromissos de quarta-feira, jornalistas se organizaram, como é de praxe, para acompanhar os eventos.

No site do ministério, porém, a programação desta quarta contava com reuniões de Moro com parlamentares e integrantes da equipe econômica já em seu gabinete, em Brasília.

A agenda divulgada na terça, por sua vez, deixava claro que todos os compromissos, inclusive os desta quarta, seriam cumpridos pelo ministro, já que o texto estava sob o título “agenda de Sergio Moro nos Estados Unidos”. A assessoria da pasta pediu desculpas pelo episódio, o qual classificou como “confusão”.

O roteiro oficial de Moro nos EUA é alvo de controvérsia desde a semana passada.

A reportagem solicitava sua agenda via assessoria havia sete dias, porém, sem sucesso.
Inicialmente, o ministério alegava que a divulgação seria feita apenas quando os detalhes da visita fossem fechados; em seguida, a reportagem foi informada de que a pasta não tinha conhecimento da logística do ministro nos EUA e, por fim, um email foi encaminhado à reportagem para justificar que o roteiro não seria divulgado por questões de segurança.

Em março, quando viajou a Washington para acompanhar Bolsonaro, a agenda de Moro foi divulgada com antecedência, incluindo uma reunião com a então secretária de Segurança Nacional, Kirstjen Nielsen, e com o diretor do FBI, Christopher A. Wray.

Desta vez, o ministro adiou participação em audiência na Câmara –prevista inicialmente para esta quarta-feira– em decorrência da viagem oficial aos EUA.

Durante a sessão, ele daria esclarecimentos sobre os diálogos com os procuradores da força-tarefa da Lava Jato revelados pelo site The Intercept Brasil, que aumentaram a pressão e as suspeitas sobre sua atuação como juiz em Curitiba.

Também na semana passada, um texto sobre a missão de Moro nos EUA havia sido publicado no site do ministério, mas ele foi editado.

A versão inicial indicava as cidades dos órgãos localizados no estado de Virgínia que Moro visitaria, por exemplo, mas as referências foram suprimidas e já não apareciam no que estava publicado no portal nesta segunda (24).
De acordo com a embaixada do Brasil em Washington, somente os auxiliares de Moro em Brasília poderiam informar a agenda do ministro.

Junto com Moro estavam o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, o diretor-executivo da Polícia Rodoviária Federal, José Lopes Hott Junior, e o diretor de Investigação e Combate ao Crime Organizado, Igor Romário de Paula –que, segundo o Ministério da Justiça, permaneceram nos EUA nesta quarta.

Procurada, a assessoria da PF diz que a agenda de Valeixo só é divulgada sob orientação do gabinete. Ela afirma que não houve nenhum encaminhamento nesse sentido em relação à viagem aos EUA.

Folhapress

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *