Arquivo diários:19/07/2019

Professor aprofunda conversas sobre Parnamirim

Cotado como pré-candidato a prefeito de Parnamirim, o professor e advogado Iran Padilha tem aprofundado conversas com lideranças políticas do RN.

Nesta sexta-feira (19), professor Iram conversou com o empresário e presidente do PTB no RN Getúlio Batista.  Na oportunidade foi revelado o projeto do Observatório Parnamirim que sensibilizou o presidente Getúlio.  Ao Blog do Primo o presidente Getúlio disse surpreso com o projeto do Observatório Parnamirim e garantiu que o PTB ficaria muito honrado com uma possível candidatura de Iran Padilha a prefeito de Parnamirim pelo PTB.

Segundo o presidente Getúlio Batista, o PTB pretende lançar candidatos nos principais municípios do RN.

 

Maior reality show do momento é estrelado pelos Bolsonaros

BLOG SALA DE TV
Presidente e filhos geram tantas notícias e reações na TV e em redes sociais que acabam produzindo entretenimento

Jeff BenícioJeff Benício

Nem mesmo o então presidente Fernando Collor (1990-1992), famoso pelo exagerado marketing pessoal, era tão midiático quanto Jair Bolsonaro.

O atual ocupante do Palácio do Planalto é uma fábrica de notícias (e também de fake news) com linha de produção ininterrupta.

Eduardo, Jair Renan, o presidente, Carlos e Flávio: família transformada em fonte de notícias bombásticas e memes
Eduardo, Jair Renan, o presidente, Carlos e Flávio: família transformada em fonte de notícias bombásticas e memes
Foto: Reprodução/Instagram
Praticamente todo dia a imprensa ganha uma manchete chamativa a respeito de suas declarações polêmicas ou de decisões igualmente controversas.

Em sua órbita direta estão os três filhos mais velhos: o senador Flávio (classificado como 01), o vereador Carlos (o 02) e o deputado federal Eduardo (o 03).

O primogênito é discreto, já os irmãos mais novos herdaram do pai a sanha por autopromoção. Possuem a habilidade de atrair a atenção de todos sem fazer esforço.

Desde o início do mandato de Bolsonaro, Brasília parece cenário de um reality show tipo Big Brother. O País está de olho no que acontece lá. Há quem defenda o clã, outros gostariam de manter todos eles para o paredão.

Nessa novela da vida real não falta drama, suspense, mistério e humor. As piadas e gafes do presidente, os tweets debochados ou enigmáticos de Carlos e as entrevistas e incursões de Eduardo alimentam a claque e a mídia. Só dá eles nos telejornais.

Os comentaristas de TV – especialmente os da GloboNews – às vezes parecem assombrados com os acontecimentos pitorescos que fazem a política atual parecer um show popularesco.

Os Bolsonaros polarizam tanto que até as conversas de WhatsApp foram influenciadas. De acordo com pesquisa realizada pelo Datafolha, hoje no Brasil fala-se mais de política do que de futebol e outros assuntos amenos.

Enquanto os reality shows da TV lutam para estancar a perda de audiência, o reality protagonizado pela família Bolsonaro nas redes sociais atrai público cada vez mais numeroso.

E agora surge novo personagem, o 04. Na quarta-feira (17), o universitário e gamer Jair Renan acompanhou o pai à cúpula dos chefes de Estado do Mercosul na Argentina. “Já conhecem o novo embaixador?”, brincou o presidente.

Como diria um certo apresentador de reality show, os Bolsonaros demonstram disposição interminável para colocar fogo no parquinho.

Bolsonaro: não podemos financiar mais ‘Bruna Surfistinha’

Foto: Gabriela Biló / Estadão

O presidente Jair Bolsonaro usou o evento de comemoração de 200 dias de seu governo, em Brasília, na tarde desta quinta-feira, para criticar o uso de dinheiro público para financiar filmes que, segundo ele, contrariam o “respeito as famílias.

“Agora há pouco, o Osmar Terra (ministro da Cidadania) e eu fomos para um canto e nos acertamos. Eu não posso admitir que, com o dinheiro público, se faça um filme como o da Bruna Surfistinha. Não dá. Não temos problema com essa opção ou aquela. O ativismo é que não podemos permitir, em respeito com as famílias. É uma coisa que mudou com a chegada do governo”, disse o presidente, se referindo à obra que narra a história de uma ex-garota de programa e que foi estrelado por Deborah Secco.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, confirmou que a direção da Agência Nacional do Cinema (Ancine) será transferida para Brasília. O restante dos funcionários, segundo ele, ficariam no Rio de Janeiro.

Nesta quinta-feira, Bolsonaro assinou a transferência do Conselho Superior de Cinema, responsável pela política nacional de audiovisual, do Ministério da Cidadania para a Casa Civil. O objetivo é que o Palácio do Planalto tenha mais influência sobre o órgão. Oficialmente, o intuito é “fortalecer a articulação e fomentar políticas públicas necessárias à implantação de empreendimentos estratégicos para a área”.

No evento, o presidente focou mais em questões ideológicas e deixou de lado medidas econômicas. Ele voltou a falar da suspensão do vestibular que reservava 120 vagas para transgêneros e pessoas não-binárias, o que, para ele, é algo que não pode acontecer. Ele disse que por ser um vestibular “exclusivo” significa que “não tem espaço para quem for heterossexual”.

Bolsonaro também disse que não sabia o que era “não-binário,” foi pesquisar, mas não ia comentar em respeito aos presentes. A categoria de pessoas que não se definem exclusivamente como homem ou mulher é contemplada em glossário da Organização das Nações Unidas (ONU). “Não podemos preservar um concurso público que tem esse comportamento. Tenho de levar avante as bandeiras que fizeram o povo acreditar em mim”, afirmou Bolsonaro

Potigás investe mais em 6 meses do que em todo o ano de 2018

Governadora Fátima Bezerra com a presidente da Potigás Larissa Dantas Gentile

A Potigás fez as contas e constatou que investiu mais no primeiro semestre deste ano do que em todo o ano passado.

O montante também já é superior ao investimento de 2017.

Em números absolutos, já foram investidos, integralmente com recursos próprios, mais de R$ 6,4 milhões nos primeiros seis meses de 2019, enquanto que no ano passado inteiro o valor ficou em R$ 5,3 milhões, representando um aumento de 21%.

Os recursos estão sendo aplicados na expansão da rede de gasoduto que faz a distribuição do gás natural canalizado para atrair a adesão de empresas e condomínios.

Até junho a Potigás contabilizou um acréscimo de mais de 12 mil metros na rede de gasodutos, sendo 6 mil metros implantados em Mossoró e a outra metade na Grande Natal.

Agora a rede conta com quase 430 mil metros para distribuição do gás natural canalizado em Natal, Mossoró, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Macaíba e Goianinha.

Em todo o Rio Grande do Norte, já são quase 25 mil usuários nos quatro segmentos de atuação da Potigás: comercial, residencial, veicular e industrial.

“O crescimento da empresa em todos os segmentos é a nossa meta. Para isso, estamos investindo em infraestrutura, ampliando a nossa rede de gasodutos, permitindo o acesso de novos clientes ao gás natural canalizado, gerando desenvolvimento para o nosso Estado”, disse Larissa Dantas Gentile, diretora presidente da Potigás.

Ranking que lista Styvenson como melhor senador do RN e 5° melhor do Brasil é chamado de ‘conto do vigário’ pelo site The Intercept Brasil

Um levantamento divulgado esta semana pelo Ranking dos Políticos indicou Styvenson como o melhor parlamentar do Rio Grande do Norte e o quinto melhor senador do Brasil.

De acordo com matéria publicada no site The Intercept Brasil, há quase sete anos, tem circulado na internet um conto do vigário chamado Ranking dos Políticos. É um site que ranqueia os congressistas eleitos para a Câmara e o Senado e virou referência em avaliação da atuação parlamentar de candidatos em períodos eleitorais. A página é bonita, as ferramentas são excelentes, fáceis de usar, e tem uma boa base de dados sobre a atuação dos políticos. É possível, por exemplo, consultar os processos judiciais de todos os parlamentares e filtrar por partido ou estado. O site passa a impressão de credibilidade e independência, mas a sua principal função, o ranking que classifica os parlamentares do melhor para o pior, não passa de uma armadilha liberal para a massa incauta de eleitores que busca informações na internet para escolher seu candidato.

Logo na entrada do site, uma mensagem anuncia a independência do grupo: “O Ranking existe para fornecer informações sobre quem é quem no Congresso Nacional. Não temos rabo preso com ninguém. Não somos filiados a nenhum movimento, grupo ou partido. Não temos relação com o Governo. Temos apenas três bandeiras: Anti-Corrupção, Anti-Privilégios, Voto Consciente.” No Twitter, o caráter isentão é reforçado: “Nosso objetivo é oferecer informação para ajudar de forma objetiva as pessoas a votarem melhor”.

Mas isso não é verdade. Há outras bandeiras que movem os criadores do ranking. E o empunhamento ou não dessa bandeiras influi diretamente no posicionamento dos políticos dentro do ranking. A ideologia do site só fica clara para os visitantes que se dispuseram a perder tempo vasculhando-o em busca de informações que deveriam estar claras para quem acessa apenas o ranking. Em letras miúdas no fim da página “Sobre“, o ranking afirma que tem “firmes valores e princípios a respeito de temas econômicos” e que levanta bandeiras (perceba que já não são mais apenas aquelas três bandeiras em destaque na página inicial) que foram “conquistadas pela civilização nos últimos séculos” como a “livre iniciativa, na propriedade privada, no regime de mercado”. Não fica claro para quem não se aprofunda no site que há um viés liberal impregnado nos critérios adotados pelos seus criadores e aplicado por conselheiros ligados ao mercado e ao grande empresariado.

O ranking diz se basear nos ‘gastos, na assiduidade, na fidelidade partidária nos processos judiciais e na qualidade legislativa”. É nesse último quesito que está engodo. Quem define os critérios de qualidade é um conselho “totalmente independente, e composto por profissionais com reconhecida capacidade analítica e boa reputação no mercado”.

Fonte: Blog do Xerife Robson Pires

TJRN é o primeiro do Nordeste a concluir inclusão de dados em sistema nacional de execução penal

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte é o primeiro tribunal do Nordeste a concluir a digitalização e inclusão de processos de execução penal no Sistema Eletrônico de Execução Unificada (SEEU). Em cerca de um mês, um mutirão do TJRN com representantes do Conselho Nacional de Justiça digitalizou e inseriu 17.026 processos no sistema. As informações foram divulgadas pelo presidente do TJRN, desembargador João Rebouças, durante encontro com a imprensa na manhã desta quinta-feira (18), tendo por foco o uso da tecnologia para acelerar o julgamento de processos.

Desenvolvido pelo CNJ, o SEEU permite melhor acompanhamento do cumprimento da pena dos detentos e ajuda a combater a superlotação dos presídios. O sistema automatiza o acompanhamento dos prazos nos processos de execução penal, garantindo que o preso tenha seus benefícios no cumprimento da pena nas datas corretas, otimizando a execução penal.

Governo do RN e Polícia Federal criam força-tarefa de combate ao crime organizado

Foto: Elisa Elsie

O Governo do Estado e a Polícia Federal vão trabalhar em conjunto no combate ao crime organizado no Rio Grande do Norte. O principal ponto do acordo de cooperação técnica assinado nesta quinta-feira (18) pelo Governo, representado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), e a Superintendência da Polícia Federal no RN é a criação de uma força-tarefa para o enfrentamento às organizações criminosas.

A força-tarefa agirá no combate a diversos crimes no RN, desde o tráfico de drogas nacional e internacional até a lavagem de dinheiro, com uma ação conjunta envolvendo as polícias Militar e Civil sob a coordenação da Polícia Federal. O modelo de força-tarefa forjado a partir do acordo de cooperação técnica entre o Governo e a instituição federal é pioneiro no Brasil. A parceria tem vigência oficial de cinco anos, contados a partir da publicação no Diário Oficial da União. Continue lendo Governo do RN e Polícia Federal criam força-tarefa de combate ao crime organizado

Decisão não proíbe que Coaf e Receita repassem dados globais, diz Toffoli

​O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, reafirmou nesta quinta-feira (18) que sua decisão de suspender investigações que tenham usado, sem autorização judicial, dados pormenorizados de órgãos de controle —como Coaf, Receita e Banco Central— não impede que esses órgãos repassem dados globais ao Ministério Público.

Dados globais são nome e valor movimentado em determinado período de tempo. Já dados detalhados permitem identificar, por exemplo, como o dinheiro foi gasto, data e hora de depósito, entre outros pontos. Para Toffoli, tais detalhes equivalem a uma quebra de sigilo, que requer aval da Justiça. Continue lendo Decisão não proíbe que Coaf e Receita repassem dados globais, diz Toffoli

Bolsonaro dá como certa aprovação pelo Senado de Eduardo como embaixador

O presidente Jair Bolsonaro já dá como certo que o nome do filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), “vai ser aprovado” pelos senadores como embaixador do Brasil nos Estados Unidos. O presidente deixou de lado as medidas econômicas e usou parte do discurso na cerimônia de 200 dias de governo para defender a nomeação do filho para o cargo em Washington.

Em certo momento, Bolsonaro chegou a dizer ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que poderia indicar Eduardo para assumir o lugar do ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores), assim ele comandaria todas as embaixadas.

“Vamos supor um caso hipotético, Davi, eu não acredito nisso, até porque a sabatina (na Comissão de Relações Exteriores, do Senado), vai ser feita com rigor, eu tenho certeza disso, e ele (Eduardo) vai ser aprovado. Mas eu poderia dizer para o Ernesto ‘vou te indicar para a Embaixada dos EUA e colocar meu filho como ministro das Relações Exteriores’”, declarou Bolsonaro.

Em sua fala, o presidente destacou a proximidade do filho com o presidente dos EUA, Donald Trump. Afirmou, ainda, que “não existe satisfação melhor do que conversar com muita dignidade com o homem mais poderoso do mundo, Donald Trump”. O presidente citou críticas feitas durante visita oficial ao presidente dos EUA, na qual Eduardo participou da reunião privada com Trump, e não Ernesto.

“Eduardo é uma pessoa comunicativa que se aproximou da família do presidente norte-americano. Tanto é que numa reunião reservada na Casa Branca, em que estávamos eu, ele e a intérprete, mais ninguém, Trump fez questão de convidar Eduardo para entrar e assistir reunião”, disse o presidente. “A amizade que ele (Trump) tem, a sua família, pelo meu filho, não tem preço. O trabalho mais importante que um embaixador tem é ser cartão de visita.”

Estadão Conteúdo

PF suspende investigações com informações da COAF após decisão de Toffoli

A Polícia Federal suspendeu todas as investigações em andamento que utilizem dados financeiros e bancários compartilhados sem autorização judicial. Os delegados foram comunicados nesta quinta-feira, 18, por meio de ofício assinado pelo corregedor-geral substituto da PF, Bráulio Cézar da Silva Galloni. Os inquéritos que tiverem dados do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Receita Federal e Banco Central serão devolvidos para a Justiça. O Estado apurou que a decisão atinge centenas de casos.

A orientação foi dada após o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, suspender inquéritos e ações penais que tiveram dados fiscais e bancários compartilhados sem autorização da Justiça. A decisão, tomada na terça-feira, atendeu a um pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, e teve repercussão geral (ou seja, vale para todos os casos semelhantes no País).

Continue lendo PF suspende investigações com informações da COAF após decisão de Toffoli