Grupo de procuradores ligados à Lava Jato pede demissão por incompatibilidade com Dodge

Um grupo de seis procuradores ligados à Lava Jato em Brasília, que atua junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), pediu demissão coletiva nesta quarta-feira alegando “incompatibilidade” com a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

12/03/2019 REUTERS/Ueslei Marcelino
REUTERS/Ueslei Marcelino

Foto: Reuters

Em nota, o grupo –formado pelos procuradores Raquel Branquinho, Maria Clara Noleto, Luana Vargas, Hebert Mesquita, Victor Riccely e Alessandro Oliveira– expressa discordância com parecer encaminhado por Dodge ao Supremo na terça-feira sem dar mais detalhes.

“Devido a uma grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF na data de ontem, decidimos solicitar o nosso desligamento do GT (grupo de trabalho) Lava Jato e, no caso de Raquel Branquinho, da SFPO (Secretaria de Função Penal Originária). Enviamos o pedido de desligamento na data de hoje”, afirma a nota.

“Foi um grande prazer e orgulho servir à instituição ao longo desse período, desempenhando as atividades que desempenhamos. Obrigada pela parceria de todos vocês. Nosso compromisso será sempre com o Ministério Público e com a sociedade”, conclui a nota.

Reuters
Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *