Arquivo diários:05/09/2019

Proposta de Rogério Marinho é modificada e derrotada na CCJ do Senado

A equipe de Rogério Marinho fez as contas e concluiu que a versão da reforma da Previdência de Tasso Jereissati, aprovada hoje na CCJ do Senado, representará menos 63 bilhões de reais de economia nos próximos dez anos.

Se aprovada da maneira como Tasso quer, o total a ser economizado será de 870 bilhões de reais — bem menos do que a soma acima de 1 trilhão acalentada pelo ministério da Economia e Rogério Marinho.

Para compensar, só com medidas paralelas e a inclusão de estados e municípios na reforma.

CCJ do Senado aprova texto-base da reforma da Previdência

separatorA Comissão  de Constituição e Justiça (CCJ) doSenado aprovou, na tarde desta quarta-feira o texto-base da reforma da Previdência. O relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) teve 18 votos a favor e sete contra. Ainda serão votadas as emendas destacadas, que são sugestões de retirada de trechos do texto.

O relator da reforma da Previdência no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), ao lado da a senadora Simone Tebet, presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).
O relator da reforma da Previdência no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), ao lado da a senadora Simone Tebet, presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Foto: Dida Sampaio / Estadão

Depois de receber quase 500 emendas, sugestões de alterações ao texto, Jereissati fez novas supressões e ajustes de redação na proposta já votada pelos deputados. Nenhuma delas implicará a volta do texto para análise dos deputados.

Além de excluir da proposta de emenda à Constituição (PEC) o critério previsto em lei para recebimento do benefício de prestação continuada (BPC), renda per capita de um quarto do salário mínimo, e de retirar do texto a elevação dos pontos (soma de idade mínima e tempo de contribuição) necessários em regra de transição para aposentadoria de profissionais hoje expostos a condições insalubres, Tasso retirou da proposta a parte que trata da pensão por morte. Dessa maneira, em tais casos, continuam valendo as regras atuais, pelas quais nenhum benefício será inferior a um salário mínimo.

Os senadores continuam discutindo as emendas. Em seguida, será votada a admissibilidade do anexo do relatório, que sugere a apresentação de uma proposta de emenda à Constituição (PEC) paralela à reforma da Previdência. Essa PEC paralela incluirá a previsão de participação de estados e municípios na reforma da Previdência, dentre outras alterações.

Athletico-PR bate o Grêmio nos pênaltis e avança à final

Após devolver o placar da ida no tempo normal, paranaenses vencem as penalidades máximas por 5 a 4
LANCE!

Athetico-PR está na decisão da Copa do Brasil. Após vencer o Grêmio no tempo normal por 2 a 0, nesta quarta-feira, na Arena da Baixada, a equipe paranaense levou a melhor nos pênaltis, por 5 a 4. Agora, o time espera o vencedor do confronto entre Inter e Cruzeiro para descobrir o seu adversário na final.

Marco Rúben comemora o segundo gol do Athletico.
Marco Rúben comemora o segundo gol do Athletico.

Foto: Gabriel Machado / Agif / Estadão Conteúdo

O jogo

A palavra de ordem no Athletico-PR era intensidade. Desde os primeiros minutos, o Furacão mostrava a sua força e tentava encurralar o Grêmio na defesa. Assustado, o Tricolor pouco fazia e não oferecia resistência diante do ímpeto do adversário.

Melhor em campo, o gol do mandante parecia questão de tempo, e ele veio na casa dos 16 minutos. Rony aproveitou o espaço pela esquerda e achou Bruno Guimarães na grande área. O volante pegou de primeira e carimbou o poste. Na sobra, Nikão bateu firme e chacoalhou a Arena da Baixada. 1 a 0.

Apático, o Grêmio tentava segurar a vantagem e pouco chegava no campo de ataque. A única chance veio com Alisson, que aproveitou a cobrança de lateral e cabeceou firme. Bem colocado, Santos salvou.

Veloz dentro das quatro linhas, o Furacão envolvia a marcação rival e conseguia abrir espaços para as finalizações de fora da área, o que assustava Paulo Victor.

Jogadores do Grêmio lamentam eliminação na Copa do Brasil.
Jogadores do Grêmio lamentam eliminação na Copa do Brasil.

Foto: Eduardo Carmim / Agência O Dia / Estadão Conteúdo

No segundo tempo o Furacão conseguiu alcançar seu objetivo logo aos 3 minutos. Novamente pela esquerda, Rony levantou e Marco Ruben escorou para dentro da rede. 2 a 0.

O gol incendiou a Arena da Baixada, que empurrava o Furacão e assustava o Tricolor. Aos 14 minutos, o que estava ruim ficou ainda pior. Após entrada violenta em Cittadini, Kannemann levou o cartão vermelho direto.

Em raro momento dos gaúchos no ataque, David Braz, que havia acabado de entrar para compor a zaga gremista, aproveitou o cruzamento da direita e marcou. Porém, o VAR entrou em ação e acusou a posição de impedimento do defensor.

Aos poucos o Tricolor conseguiu segurar a pressão do Athletico-PR e novamente chegou perto do gol da classificação com David Braz. Após bicão de Cortez, o zagueiro recebeu a bola, invadiu a grande área e bateu cruzado. A bola pegou no zagueiro e só não entrou pelo fato de Santos praticar um milagre.

Pênaltis

Na marca da cal os jogadores foram quase perfeitos. Na última cobrança de pênalti do Tricolor, porém, Pepê bateu no canto direito e Santos defendeu para dar a vitória por 5 a 4.

ATHLETICO-PR (5) 2 X0 (4) GRÊMIO

Local: Arena da Baixada, Arena da Baixada (PR)

Data-Hora: 04/9/2019 – 19h

Árbitro: Wagner Nascimento Magalhães (RJ)

Auxiliares: Kléber Lúcio Gil (RJ) e Bruno Raphael Pires (RJ)

VAR: Braulio da Silva Machado (SC)

Público/renda: 28.841 pagantes/R$ 1.370.315,00

Cartões amarelos: Lucas Halter, Marco Ruben, Marcelo Cirino, Bruno Guimarães, Tiago Nunes (ATL), Romulo (GRE)

Cartões vermelhos: Kannemann

Gols: Nikão (16’/1ºT) Marco Ruben (3’/2ºT)

Disputa de pênaltis: Bruno Guimarães, Lucho González, Nikão, Marcelo Cirino e Marco Ruben converteram pelo Athletico-PR. Rafael Galhardo, David Braz, Alisson e Matheus Henrique converteram para o Grêmio, mas Pepê desperdiçou.

ATHLETICO-PR: Santos; Khellven, Robson Bambu, Lucas Halter e Márcio Azevedo; Wellington (Marcelo Cirino, aos 28/2ºT), Léo Cittadini (Lucho González, aos 40/2ºT) e Bruno Guimarães; Nikão, Rony (Vitinho, aos 28/2ºT) e Marco Ruben. Técnico: Tiago Nunes.

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo (Tiago Galhardo, aos 16/1ºT), Geromel, Kannemann e Cortez; Romulo, Matheus Henrique e Jean Pyerre (Thaciano, 34/2ºT); Pepê, Alisson e André (David Braz, aos 17/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

Inter vence o Cruzeiro e vai à decisão da Copa do Brasil

O Internacional está na final da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, o time gaúcho voltou a vencer o Cruzeiro, desta vez por 3 a 0, no Beira-Rio, e agora enfrentará o Atletico Paranaense na decisão da competição. Paolo Guerrero foi o nome da partida, marcando dois gols. Edenílson fechou o placar no fim do jogo.

Inter elimina o Cruzeiro na Copa do Brasil.
Inter elimina o Cruzeiro na Copa do Brasil.
Foto: Wesley Santos / Estadão Conteúdo

A primeira etapa foi equilibrada, porém o Inter abriu o placar aos 39 minutos, com Guerrero, o que mudou completamente o cenário no segundo tempo. A etapa complementar foi marcada por um domínio amplo do time comandado por Odair Hellmann, que criou diversas chances, principalmente em contra-ataques. Guerrero voltou a marcar em um belo gol após jogada pela direita. Ainda deu tempo de Edenílson sacramentar o placar no final da partida.

As finais entre Internacional e Athletico Paranaense acontecerão logo nas próximas semanas, nos dias 11 e 18 de setembro. O sorteio que definirá os mandos de campo será realizado na tarde desta quinta-feira.

O jogo

Com o Cruzeiro buscando a vitória no campo de ataque, o Inter posicionava-se defensivamente e saía em velocidade nos contra-ataques. A Raposa levou perigo com duas chegadas. Primeiro, Pedro Rocha invadiu a área e finalizou cruzado para boa defesa de Marcelo Lomba. Depois, Marquinhos Gabriel aproveitou sobra de fora da área e chutou com perigo, à direita do gol.

Do lado Colorado, Cuesta se lançou ao ataque, fintou um adversário, finalizou de longe e a bola raspou a trave. Aos 38 minutos, Dedé errou passa e a posse ficou para Nico López. O uruguaio atravessou a bola para D’alessandro, que foi à linha de fundo e cruzou para Guerrero testar para as redes.

Na segunda etapa, Rogério Ceni teve que substituir Dedé, lesionado, e optou por colocar Ariel Cabral, recuando Henrique para a zaga. O Inter logo levou perigo com Nico López, obrigando Fábio a fazer boa defesa em chute no alto.

O Colorado permaneceu melhor em campo, tendo muito espaço para escapar em contra-golpes. Aos 24 minutos, Edenílson recebeu bola pela direita e achou Nico López dentro da área. O uruguaio dominou na coxa e serviu Guerrero, que matou no peito e, sem deixar a bola cair, acertou belo chute cruzado. Golaço no Beira-Rio.

Patrick arrancou pela esquerda, arriscou de fora da área e a bola passou à direita da trave defendida por Fábio. O camisa 88 e Edenílson tiveram grandes atuações nesta quarta-feira, tanto na marcação, quanto na chegada ao ataque. O camisa 8, inclusive, marcou o terceiro gol do Colorado. Victor Cuesta lançou Edenílson nas costas da zaga da Raposa e o meio-campista tocou por cima de Fábio para fazer de cobertura.

Pouco efetivo, o Cruzeiro pouco chegou na segunda etapa e o Internacional não encontrou grandes dificuldades para garantir sua vaga na final da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL 3 X 0 CRUZEIRO

Local: Estádio Beira-Rio (RS)

Data: 04 de setembro de 2019, quarta-feira

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)

Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Fabricio Vilarinho da Silva (GO)

VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)

Público Total: 45.768; Pagantes: 41.768

Renda: R$ 2.369.469

Gols: Paolo Guerrero (39 minutos do primeiro tempo e 24 minutos do segundo tempo) e Edenílson (43 minutos do segundo tempo)

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenílson e Patrick; D’Alessandro (Rafael Sóbis), Nico López (Nonato) e Guerrero

Técnico: Odair Hellmann

CRUZEIRO: Fábio; Jadson, Dedé (Ariel Cabral), Fabrício Bruno e Dodô; Robinho (Éderson), Henrique e Thiago Neves; Marquinhos Gabriel, David e Pedro Rocha (Fred)

Técnico: Rogério Ceni