Arquivo diários:16/09/2019

Agora Parnamirim/Coluna Renato Dantas

Governadora atenta

A governadora Fátima Bezerra está atenta aos movimentos políticos de Parnamirim. Fátima  sabe que sendo o terceiro município economicamente e eleitoralmente mais importante do Estado, a Prefeitura de Parnamirim é fundamental para desenvolver parcerias com o Governo do Estado.

Dentro deste contexto, a eleição do próximo prefeito é fundamental para seu Governo ter uma maior presença no município. Na montagem de sua estratégia para conquistar à Prefeitura, a governadora Fátima Bezerra tem procurado os conselhos do seu amigo Padre Murilo. Embora o sacerdote descarte totalmente será candidatura, ele tem sido o conselheiro mais importante da governadora Fátima Bezerra.

Na classe política, a governadora também tem seus conselheiros de confiança, Fátima confia totalmente no ex-prefeito Maurício Marques e no ex-deputado Carlos Augusto Maia.  Diante desta realidade, a posição de Fátima Bezerra em Parnamirim será afinada com Padre Murilo, Maurício Marques e Carlos Augusto Maia. Fátima sabe que se eles caminharem juntos com um nome de oposição para disputar à prefeitura a possibilidade de vitória é muito grande.

Maurício 1

O ex-prefeito de Parnamirim, Maurício Marques acelerou intensificando suas conversas política visando a eleição do próximo ano.

Maurício  2

Com a experiência de quem foi prefeito por dois mandatos, Maurício Marques conhece perfeitamente bem a galera da classe política de Parnamirim.

Maurício 3

Sempre bem articulado com a governadora Fátima Bezerra, o ex-prefeito Maurício Marques está integrado na  oposição ao prefeito Rosano Taveira.

Pinto na rua 1

O jornalista Pinto Júnior que também postula uma candidatura a prefeito de Parnamirim participou de um movimento assistencialista que ofereceu serviços jurídicos e de saúde promovido pelo projeto Famílias e Cidadania no Bairro de Santos Reis.

Pinto na rua 2

O movimento Família e Cidadania e organizado e liderado pela pré-candidata a vereadora, competente e movimentada advogada Ana Nunes com total apoio da UNINASSAU de Parnamirim.

Pesquisa 1

Um grupo de pessoas encomendaram uma robusta pesquisa para apurar intenção de votos para prefeito de Parnamirim.

Pesquisa 2

Diferentemente da pesquisa do Instituto Seta, a pesquisa contratada vai incluir os nomes de Carlos Augusto Maia, Maurício Marques, Iran Padilha, Ricardo Gurgel, Airene Paiva e Pinto Júnior no quesito estimulado.

Epifanio 1

 

O ex-vereador é presidente da Câmara Municipal de Parnamirim, Epifanio Bezerra está atendo aos movimentos políticos.

Epifanio 2

Com uma credibilidade e conduta política inatacável, Epifanio tem tudo para ser candidato em 2020. Seu nome tem força e prestígio tanto para disputar à Prefeitura ou uma cadeira na Câmara Municipal.

PT 1

A governadora Fátima Bezerra vai desenvolver uma ação política para fortalecer o PT de Parnamirim. Uma competitiva chapa de vereadores está sendo montada.

PT 2

Uma boa fonte desta Coluna informou que a governadora Fátima Bezerra iniciou entendimentos para atrair a advogada Ana Nunes para o PT por indicação do Padre Murilo. Ana Nunes é uma forte candidata a vereadora.

Solidariedade 1

O deputado estadual Kelps Lima presidente do Solidariedade está totalmente solidário  com o prefeito Rosano Taveira.

Solidariedade 2

Segundo nossa fonte, a pedido de Taveira o Solidariedade de Kelps lançará um candidato a prefeito  com postura oposicionista para dividir votos com o candidato da oposição parnamirinense.

Solidariedade 3

Em retribuição ao gesto solidário do Solidariedade, os vereadores do Solidariedade estão bem acomodados pelo prefeito Taveira na bancada governista nomeando cargos comissionados .

Vaza Tripa 1

Um compositor de Parnamirim fez uma composição satirizando o presidente da Câmara Municipal de Parnamirim Irani Guedes por suas declarações depreciativas aos  “afavelados que comem tripa, fato e bucho”

Vaza Tripa 2

A música é um frevo que será lançado no Carnaval do próximo ano.

Fátima destina quase R$ 11 milhões para a UERN

A governadora Fátima Bezerra (PT) incluiu, por meio de sua gestão, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) no Fundo Estadual de Combate Pobreza (FECOP). Com essa iniciativa pioneira, a instituição receberá R$ 10.879.200,00 (dez milhões, oitocentos e setenta e nove mil e duzentos reais) nos próximos 4 anos.

O dinheiro chegará à universidade em quatro parcelas, a partir do próximo ano. Em 2020, serão R$ 2.721.600,00. Em 2021, a parcela será de R$ 2.052.000,00. Já em 2022, serão R$ 2.457.600,00 , enquanto que em 2023, virão R$ 3.648.000,00. O dinheiro será utilizado para custear ações da assistência estudantil. A inclusão da UERN, pela primeira vez no FECOP, é um reconhecimento ao papel social e inclusivo desempenhado pela instituição.

O reitor Pedro Fernandes Ribeiro Neto destacou o apoio da governadora Fátima Bezerra e da secretária do Trabalho, Habitação e Assistência Social, Íris Oliveira. “É uma vitória muito grande para UERN em parceria com o Governo do Estado através da Sethas. Agradecer a governadora Fátima Bezerra e a secretária Íris. A gente fica satisfeito e poderemos fazer várias ações com bolsas, restaurantes e bibliotecas. Faremos o melhor uso para a maior quantidade de pessoas”, frisou. (Com informações da AGECOM/UERN)

Sérgio Moro visita Bolsonaro no hospital: “O homem é forte”

Ministro da Segurança Pública visitou presidente, que se recupera de uma cirurgia para correção de hérnia; expectativa do Planalto é que presidente receba alta até terça-feira, 17 e participe da Assembleia-Geral da ONU em Nova York
Thais Barcellos e Pedro Venceslau

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, visitou nesse domingo, 15, o presidente Jair Bolsonaro no Hospital Vila Nova Star, na Zona Sul de São Paulo (SP). Pelo Twitter, Moro postou uma foto da visita e disse sobre Bolsonaro: “O homem é forte”.

Ver imagem no Twitter

Segundo o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, a equipe médica deve se deslocar para Brasília após a alta do presidente para fazer uma avaliação antes da viagem para Nova York, onde Bolsonaro vai participar da Assembleia-Geral da ONU.

O ministro da Justiça Sérgio Moro visita o presidente Jair Bolsonaro no Hospital Vila Nova Star neste domingo, 14: 'o homem é forte'
O ministro da Justiça Sérgio Moro visita o presidente Jair Bolsonaro no Hospital Vila Nova Star neste domingo, 14: ‘o homem é forte’

Foto: Reprodução/Twitter Sérgio Moro / Estadão Conteúdo

Barros afirmou que ainda não há uma data definida para essa avaliação acontecer. “Está dentro do espectro temporal do planejamento, que inclui as análises referentes à viagem para Nova York, que estamos mantendo o planejamento, com bastante esperança que se realize efetivamente”, afirma. Bolsonaro se recupera de uma cirurgia de hérnia.

O porta-voz afirmou ainda que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, não encontrou o presidente quando esteve no hospital na noite deste sábado, 14. Salles saiu sem falar com os jornalistas que fazem plantão no local.

Bolsonaro está na companhia da primeira-dama Michelle Bolsonaro e de seu filho e vereador pelo Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro.

Estado de saúde de Bolsonaro

De acordo com boletim divulgado pelo hospital na manhã deste domingo, 15, o presidente segue em ‘melhora clínica progressiva’. “Permanece sem dor, afebril e com melhora dos movimentos intestinais”, diz a nota assinada pela equipe médica que atende Bolsonaro, chefiada pelo cirurgião Antonio Luiz Macedo.

Conforme o boletim, Bolsonaro se submete a fisioterapia respiratória e motora, caminhando frequentemente pelo corredor. Segundo a assessoria de imprensa da Presidência da República, ele caminhou nesta tarde pelos corredores do hospital. Além de Macedo, assinam a nota Leandro Echenique, clínico e cardiologista, Antônio Antonietto, diretor médico do Hospital Vila Nova Star, e Ricardo Peixoto Camarinha, médico da Presidência da República.

Jair Bolsonaro assiste tv ao lado do filho, Carlos, no quarto do Hospital Vila Nova Star, onde se recupera de cirurgia
Jair Bolsonaro assiste tv ao lado do filho, Carlos, no quarto do Hospital Vila Nova Star, onde se recupera de cirurgia

Foto: INSTAGRAM/CARLOS BOLSONARO / Estadão Conteúdo

Os médicos informam que a alimentação cremosa introduzida na dieta do presidente teve boa aceitação e que neste domingo terá início a redução do volume da alimentação endovenosa. O porta-voz afirmou que conversou com os médicos nesta manhã e que eles estão “vivamente impressionados” com a recuperação e com a forma com que ele está recebendo a alimentação cremosa, introduzida neste sábado.

Segundo o porta-voz, a passagem da alimentação cremosa para a pastosa e a retirada da alimentação endovenosa devem determinar, entre outros parâmetros, a alta do presidente. Rêgo Barros não quis se comprometer com uma data. “A alta estará sempre associada ao estado clínico do presidente, que está evoluindo bem. Não gostaria de adiantar uma data. Mas estamos esperançosos que será em um prazo bastante curto”.

Na manhã deste domingo, 15, o hospital informou que no café da manhã deste domingo Bolsonaro tomou chá e comeu gelatina e creme de frutas. Ao meio-dia, o presidente postou nas suas contas no Twitter, Facebook e Instagram um vídeo em que conversa com sua filha caçula, Laura, pelo aplicativo FaceTime.

Vídeo incorporado

Segundo a assessoria, Bolsonaro assiste ao jogo entre Corinthians e Fluminense pelo Campeonato Brasileiro. Em outra publicação, o presidente listou uma série de “tarefas cumpridas pelo governo” e, segundo ele, anunciadas na última semana, como a abertura do mercado de leite para o Egito, de carne para a Indonésia e a ampliação para a China, além da liberação do FGTS. Bolsonaro ainda citou a semana do Brasil, que, segundo ele, aumentou o comércio em 12% e o menor risco-País “em anos”, entre outras medidas.

O Planalto espera a alta médica para segunda ou terça-feira. Bolsonaro está há oito dias no hospital em São Paulo, onde se recupera da cirurgia para correção de uma hérnia incisional. É o quarto procedimento após o atentado a facada da qual foi vítima em setembro de 2018, em Juiz de Fora (MG).

Ocorreram cinco terremotos no RN

Estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN registraram neste domingo (15) uma sequência de tremores que atingiu a região de João Câmara, incluindo também os municípios de Bento Fernandes, Poço Branco e Pureza. Foram identificados pelo menos 5 eventos.

O maior tremor ocorreu às 11h14 e teve magnitude preliminar estimada em 1.5. O epicentro foi localizado na área acima de Riacho Seco, no município de Pureza, onde, em março de 1989, ocorreu o segundo tremor em magnitude (5.0) da sequência de sismos entre 1986 e 1993, na região de João Câmara.

Essa atividade sísmica foi a que causou maior impacto social devido a terremotos no Brasil, provocando extensos danos em edificações e pânico e fuga da população.

De acordo com o Laboratório Sismológico da UFRN, é impossível saber como a atividade sísmica relacionada à Falha de Samambaia vai evoluir, mas a UFRN segue o monitoramento permanente dessa atividade, visando obter dados que permitam informar a sociedade sobre o que realmente está ocorrendo na região e que servem para orientar ações de Defesa Civil.

Câmara debate situação do lixo de Natal na próxima terça

Apesar de coletar regularmente todo o lixo produzido nos seus quase 40 bairros e, segundo dados divulgados no início deste ano, Natal estar reduzindo desde 2014 sua produção de resíduos sólidos, a capital potiguar ainda precisa avançar muito com relação ao destino correto do lixo.

Atualmente, apenas cerca de 5% da cidade tem coleta seletiva, e o descarte de podas e entulhos de qualquer maneira nas ruas e terrenos, assim como o entupimento de galerias pluviais, pela população, ainda são grandes problemas. É diante disso que a Câmara Municipal de Natal debaterá na próxima terça-feira (17), a partir das 9h, os caminhos para tornar Natal uma cidade mais limpa

Governo do RN convoca 117 professores de Libras aprovados em concurso

O Governo do Rio Grande do Norte está convocando 117 professores de Libras aprovados no concurso público do edital nº 001/2015 da Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos (SEARH) e da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC). A chamada foi publicada na edição do Diário Oficial do Estado (DOE).

A lista completa com o nome dos 117 aprovados para o quadro efetivo do estado pode ser conferida na edição do DOE pela internet.

Os profissionais atuarão nas unidades de ensino da rede estadual, espalhadas pelas 16 diretorias regionais de Educação e Cultura.

Há convocados para os diretórios de Natal, Parnamirim, Nova Cruz, São Paulo do Potengi, Ceará-Mirim, Macau, Santa Cruz, Currais Novos, Caicó, Assu, Mossoró, Apodi, Umarizal, Pau dos Ferros e João Câmara.

A partir da data de publicação, os candidatos terão 30 dias para se apresentar na sede da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer, em Natal. É preciso estar com toda a documentação obrigatória descrita no edital de convocação, bem como todos os exames exigidos.

Petróleo sobe 12% após ataques de drone contra instalações sauditas

O preço do petróleo disparou nos mercados globais neste domingo (15) em reação aos ataques de drones a petrolíferas na Arábia Saudita no sábado (14), que podem levar a uma redução de metade da produção diária de petróleo saudita.

O barril do petróleo Brent chegou a um pico de US$ 70,98 no mercado futuro, um aumento de 18% em relação ao fechamento de sexta-feira (13), mas depois recuou, registrando alta de 12%.

Os ataques provocaram incêndios em Abqaiq, maior instalação de processamento de petróleo no mundo, e em Khurais. Houve uma redução estimada de 5,7 milhões de barris por dia na produção, o equivalente a 6% do abastecimento mundial.

O presidente da estatal saudita Aramco, Amin Naser, declarou que estão sendo realizadas “obras” para restabelecer a produção de petróleo bruto do país. O ministro da Energia, o príncipe Abdulaziz bin Salman, afirmou que a redução será compensada com as reservas.

Uma disparada no preço do petróleo pode afetar a economia mundial, já abalada pela guerra comercial entre EUA e China e as sanções da Casa Branca contra o Irã.

Em uma rede social, o presidente Donald Trump afirmou que autorizou o uso de petróleo da Reserva Estratégica dos EUA, em quantidade a ser determinada.

Mais tarde, ele escreveu: “Acreditamos saber quem é o culpado [pelos ataques]”, acrescentando que os EUA “estão prontos para reagir, dependendo da confirmação.”

O presidente evitou mencionar o Irã, mas na véspera o secretário de Estado, Mike Pompeo, acusou diretamente o país persa.

Segundo Pompeo, não há nenhuma prova de que “o ataque sem precedentes contra o fornecimento mundial de energia” tenha partido do Iêmen —apoiados pelo Irã e há cinco anos em confronto com uma coalizão militar saudita, rebeldes houthis iemenitas reivindicaram a ação.

Teerã rejeitou as acusações dos EUA de que estaria por trás dos ataques.

“Em vez de culparem a si mesmos —e admitirem que sua presença na região está criando problemas—, os americanos culpam os países da região ou o povo do Iêmen”, criticou o presidente iraniano, Hassan Rowhani.

O chanceler iraniano, Javad Zarif, respondeu a seu homólogo americano: “Já que a campanha de pressão máxima fracassou, Pompeo está recorrendo à mentira máxima.”

O porta-voz do ministério iraniano das Relações Exteriores, Abbas Musavi, afirmou que as acusações têm como objetivo “prejudicar a reputação de um país para criar um marco para futuras ações contra o Irã”.

Em entrevista neste domingo (15), uma autoridade americana mostrou imagens de satélites com 19 pontos de impacto dos drones e disse que a amplitude e a precisão do ataque demonstram que ele não teria sido lançado do Iêmen.

Mesmo assim, Washington não descarta a possibilidade de um encontro entre o presidente Donald Trump e o líder iraniano, Hassan Rowhani.

Kellyanne Conway, conselheira da Casa Branca, afirmou que os ataques “não ajudavam” a perspectiva de uma reunião entre os dois chefes de Estado durante a Assembleia Geral da ONU, neste mês, mas deixou a possibilidade em aberto. “Vou deixar o presidente [Trump] anunciar um encontro ou não”, disse.

Os sauditas culpam os xiitas iranianos por ataques anteriores e acusam o Irã de armar os rebeldes iemenitas. Teerã nega a participação.

O confito no vizinho Iêmen, que se arrasta desde 2015, já levou a mais de 7.000 mortes, muitas causadas por ataques aéreos sauditas.

FOLHAPRES