Arquivo diários:17/12/2019

Vídeos reveladores

Alguns senhores aqui do RN que não saíram do armário aproveitaram o Carnatal viajando para São Paulo onde fizeram uma verdadeira micareta numa sauna gay.

O Blog do Primo recebeu alguns vídeos, mas não publicaremos.. Possivelmente os vídeos serão publicados em grupos de WhatsApp.

Quem fez essa armação achando que iria usar o Blog do Primo não se deu bem.

Viúva de Paulo Freire diz que Bolsonaro é nefasto, não tem pudor, é sem caráter e inveja seu marido

Foto: Divulgação/Unicamp

Ana Maria Freire, a viúva de Paulo Freire, afirmou hoje que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “tem inveja” do patrono da educação brasileira. Ana Maria fez a afirmação em uma entrevista à Revista Época. Mais cedo, o presidente chamou Paulo Freire de energúmeno. A educadora defendeu que a palavra não se adequa ao marido. “Paulo não é isso. Paulo não é nenhum demônio que veio à Terra. Pelo contrário, Paulo veio à Terra para pacificar o mundo”.

Para ela, Bolsonaro sabe que seu marido é um grande homem. “Ele destrata dizendo que Paulo é um ser diabólico. Paulo foi um ser da paz. No fundo, ele tem um pouco de inveja também, [queria] ser como Paulo foi, mas não pode, não consegue”, afirmou.

Ana Maria também disse que o presidente é um homem nefasto. “Bolsonaro é um homem sem nenhum pudor, sem nenhum caráter, sem nenhuma autocensura. Tudo o que ele tem na cabeça contra as outras pessoas, ele só tira das ofensas os três filhos, nem os outros dois ele tira. É um homem nefasto, uma coisa absolutamente terrível”, finalizou.

UOL

Polícia Civil abre inquérito contra pecuarista que usou suástica nazista

Foto: Reprodução/Redes sociais

A Polícia Civil de Unaí (MG) abriu um inquérito nesta segunda-feira para investigar o caso do homem que foi a um bar no centro da cidade vestindo uma braçadeira com o símbolo do nazismo no último sábado, dia 14. O homem foi identificado como José Eugênio Adjuto, de 57 anos. Conhecido como Zecão Adjuto, ele é pecuarista dono de uma empresa que cria bois para corte, em Unaí.

Testemunhas foram ouvidas nesta segunda na 1ª Delegacia de Polícia da cidade. O artigo 20 da Lei nº 7.716, de 1989, diz “que fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo”. A pena é de dois a cinco anos de prisão e multa.

Veja

Bolsonaro confirma intenção de beneficiar só PMs presos com indulto de Natal

O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, confirmou hoje que Jair Bolsonaro deseja conceder o indulto de Natal apenas a policiais militares presos, registra o UOL.

Rêgo Barros afirmou anda que o presidente está estudando como realizar sua vontade “dentro da legalidade”.

Bolsonaro já havia manifestado a intenção de beneficiar apenas PMs, mas foi alertado por um grupo de estudos do Ministério da Justiça de que o indulto deve ser concedido dentro das regras estabelecidas na Constituição.

Comissão da Câmara aprova proposta que estende licença-maternidade para seis meses

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta segunda-feira, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que aumenta para seis meses o período de licença-maternidade . Hoje, o texto constitucional estabelece um prazo de quatro meses — embora haja empresas que já adotam o período mais extenso.

O texto segue agora para análise de uma comissão especial na Câmara. Autora da proposta, a deputada Clarissa Garotinho (PROS-RJ) argumentou, ao apresentar a PEC, que especialistas afirmam que a mãe e a criança têm benefícios de saúde quando a amamentação é realizada exclusivamente com leite materno até o bebê completar seis meses.

A proposta também inclui a licença-maternidade no artigo da Constituição que trata das hipóteses de afastamento que não podem acarretar em perda de mandato parlamentar. Neste caso, a licença-maternidade é de quatro meses, que podem ser prorrogados por outros dois. Os suplentes só seriam convocados caso o afastamento seja superior a seis meses. Hoje, no caso das deputadas, o assunto é tratado no regimento interno da Câmara, que estipula quatro meses de licença.

O Globo