Arquivo mensais:janeiro 2020

José de Abreu xinga Regina Duarte e sugere vício em drogas

Ator soltou novo ataque contra colega de emissora

José de Abreu soltou o verbo mais uma vez contra Regina Duarte. Rivais políticos desde a eleição de 2018, quando a atriz declarou o seu apoio ao então candidato Jair Bolsonaro, o veterano se empolgou na manhã desta quinta-feira (30), e sugeriu que a colega de emissora era viciada em drogas.

No Twitter, o famoso tem apostado em mensagens veladas e às vezes diretas para a futura secretária de Cultura do Governo Bolsonaro.

Em um post, ele resgatou a capa da revista Chiques e Famosos, onde Regina apareceu com uma saída de praia sentada na areia. “A casa da Barra?”, questionou José, se referindo ao bairro da Barra da Tijuca, no Rio.

Na capa, a edição destacava: “Regina Duarte conta como saiu do inferno das drogas. A estrela fala também de sua vida familiar prejudicada pela carreira”.

Em outra publicação, com uma sátira à novela Rainha da Sucata, o global xingou Regina de raposa. “A raposinha do Brasil vai decidir sobre sua dívida de 400 mil reais!”, alfinetou, fazendo referência à dívida da empresa dela com a Lei Rouanet.

Blog do Primo deu antes: Guedes articula nome de Rogério Marinho para substituir Onyx, diz Veja

Foto: Jorge William/Agência O Globo

Com atuação célebre durante a articulação pela aprovação da reforma da Previdência, o secretário Rogério Marinho ganhou a atenção de Jair Bolsonaro. O ritmo intenso de reuniões e trânsito entre parlamentares de amplas matizes ideológicas agradou o presidente e, claro, a própria equipe econômica. Com a agenda voltada à aprovação de reformas econômicas, como a tributária e a administrativa, o governo entende que precisará de trânsito no Congresso para encampar seus projetos.

Por isso, Guedes tem articulado junto ao Planalto o nome do secretário de Previdência e Trabalho para substituir Onyx Lorenzoni, que balança no cargo, como ministro-chefe da Casa Civil. Ele passaria a ser responsável pela articulação política de todo o governo — o que, na prática, já fazia. Com sua estratégia de sempre, Bolsonaro tirou poderes do já figurativo Lorenzoni ao transferir a secretaria do Programa de Parcerias e Investimentos, o PPI, do ministério comandado pelo demista para o guarda-chuva de Paulo Guedes no Ministério da Economia. A secretaria responsável pelos estudos de viabilidade de privatizações deve ficar sob a tutela de Salim Mattar, secretário de Desestatização e Desinvestimentos do ministério — o martelo deve ser batido na segunda-feira 3.

A transferência da secretaria para a Economia é vista com ótimos olhos por Guedes, que entende que os processos para privatizar estatais será melhor conduzido sob seu ministério — sem a influência política de Lorenzoni.

A equipe econômica está ansiosa pela promoção de Marinho. A leitura de membros da pasta é de que Bolsonaro é amplamente influenciado por solicitações vindas da Casa Civil e de ministérios com interesses na manutenção de seus privilégios, e que, à distância, Guedes fica sobrecarregado ao demover o presidente de conluios políticos. Marinho seria um nome de influência do ministério da Economia dentro do Planalto.

Dotado de boas relações com o Parlamento, Marinho seria fundamental nas conversas pela aprovação das pautas econômicas e goza da aprovação de Rodrigo Maia, presidente da Câmara.

Veja

Mais um: auxiliar importante de Weintraub pede demissão no MEC

O secretário de Educação Superior do Ministério da Educação (MEC), Arnaldo Lima Junior, pediu demissão. Um dos principais auxiliares do ministro da Educação, Abraham Weintraub, ele comunicou nesta quinta-feira o seu desligamento, alegando motivos profissionais.

Em carta, obtida pelo Estadão, o agora ex-secretário diz que nunca deixou de “ousar” ao exercer seu trabalho na pasta e que não fez nada “sozinho”. Lima é funcionário de carreira do antigo Ministério do Planejamento, que integra hoje o Ministério da Economia, e vai retornar à sua função anterior.

Com alta do dólar, BC venderá US$ 3 bilhões em reservas nesta sexta

São Paulo — Depois de o dólar fechar o dia no maior valor nominal desde a criação do real, o Banco Central (BC) anunciou a retomada das vendas de recursos das reservas internacionais. A autoridade monetária fará amanhã (31) um leilão extraordinário de US$ 3 bilhões com compromisso de recompra.

Chamado de leilão de linha, esse tipo de venda caracteriza-se pelo caráter temporário. Os dólares vendidos são recomprados pelo Banco Central depois de alguns meses, retornando para as reservas internacionais.

A última vez em que o BC tinha feito um leilão de linha tinha sido em 18 de dezembro, quando a autoridade monetária vendeu US$ 600 milhões com compromisso de recompra.

Em meio ao receio do impacto do coronavírus sobre a economia global, o dólar tem subido nos últimos dias. Hoje, a moeda norte-americana chegou a ultrapassar R$ 4,27, mas fechou o dia em R$ 4,259. Esse foi o maior valor nominal desde 1994, quando o real foi criado.

Agência Brasil

Rogério Marinho quer derrubar Onix

Rogério Marinho e Bolsonaro

Fontes de Brasília informam exclusivamente ao Blog do Primo que o ex-deputado federal e secretário de Trabalho e Previdência Rogério Marinho está trabalhando para ocupar o posto de Ônix Lorenzoni na chefia do Gabinete Cível da Presidência da República.

Rogério Marinho tem o apoio da área econômica do governo, mas conta com total rejeição dos militares.

O famoso “Saco Preto” é astucioso..