Arquivo diários:11/02/2020

Fábio Faria quer emplacar BG vice-prefeito de Kelps

Fábio Faria tenta emplacar BG como vice

Já estão em curso secretas articulações tento em vistas formar alianças para disputa da Prefeitura de Natal.

Segundo uma fonte do Blog do Primo, o deputado federal Fábio Faria está afinado como deputado e pré-candidato a prefeito Kelps Lima.

A articulação vem de Brasília com a interveniência de Fabio Faria junto aos dirigentes nacionais do Solidariedade com total receptividade de Kelps.

Nesta composição o deputado Fábio Faria quer emplacar seu fiel amigo Bruno Geovani do Blog do BG como candidato a vice-prefeito.

A chapa que está sendo montada é Kelps para prefeito e BG para vice.

Diante do acordo, BG já começou a bombar à candidatura de Kelps em seu Blog e fazer oposição ao prefeito Álvaro Dias, garante nossa fonte.

Baleada pelo ex “ressuscita” de morte cerebral constatada por médicos

A jovem Karina Souto, de 29 anos, que foibaleada nos rosto pelo ex-namorado, teve a morte cerebral constatada no hospital ao qual foi socorrida. No entanto, quando os médicos estavam prestes a desligar os aparelhos no último dia 4, a mulher reagiu, mexendo as mãos. Apesar do estado de saúde dela ser grave, novos exames mostram que o quadro é reversível. As informações são do portal O Livre, de Mato Grosso.

De acordo com o pai da vítima, ele havia feito uma oração 10 minutos antes de receber a notícia que a filha havia reagido. A mulher foi levada de volta para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde segue internada. Segundo O Livre, ela não fala, mas já abriu os olhos e reage às pessoas ao seu redor.

Karina foi baleada no último dia 1º por Baltazar Augusto de Menezes, de 58 anos. O crime aconteceu após a mulher se recusar a reatar o namoro. Depois de atirar, o suspeito se matou com um tiro na cabeça, em Nova Xavantina, no Mato Grosso.

Segundo a polícia civil, Baltazar atirou no rosto de Karina e depois disparou contra a própria cabeça. O caso foi registrado como tentativa de homicídio e suicídio.

A mulher estava com um grupo de pessoas na casa de uma amiga na cidade, quando Baltazar chegou e começou a discussão com a ex-namorada. Testemunhas dizem que depois da  jovem disse não ao suspeito, ele foi até o carro para guardar um presente devolvido por Karina e pegou uma arma para cometer o crime e em seguida o suicídio.

Bolsonaro elogia Trump após medida prejudicial ao Brasil

O presidente Jair Bolsonaro exaltou nesta terça-feira (11) seu homólogo americano, Donald Trump, um dia depois dos Estados Unidosanunciarem a retirada do Brasil da lista de países considerados em desenvolvimento. Com a decisão, o Brasil perde a posição de emergente, o que dava determinados privilégios comerciais.

Na prática, a medida é uma forma de facilitar a investigação em caso de exportações subsidiadas. Além do país sul-americano, Trump excluiu China, Índia, África do Sul e mais de 20 nações da lista, segundo anúncio do representante do Comércio dos EUA, Robert Lighthizer.

O principal objetivo dos EUA, segundo nota, é reduzir o número de países em desenvolvimento que poderiam receber tratamento especial sem serem afetados por barreiras contra seus produtos.

Em um mercado tão competitivo, atualizar o currículo com novas habilidades faz a diferença na sua carreira profissional.

Aprenda com o Curso de Excel do Terra e dê um salto na sua rotina de trabalho.

Em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada hoje, Bolsonaro não comentou a decisão anunciada pelo mandatário dos EUA, mas o exaltou. “O cara [Trump] diminuiu o desemprego, melhorou a economia, atendeu os latinos que já estão lá? Será que notícia boa a imprensa não vende? Será que é isso?”, ressaltou.

Ontem (10), o governo dos EUA afirmou, em comunicado, que a decisão leva em conta “fatores econômicos, comerciais e outros, como o nível de desenvolvimento de um país e a participação de um país no comércio mundial.”

Além disso, o departamento de Comércio ressaltou que a medida foi motivada por pedidos de adesão à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Por 11 reuniões, Rogério Marinho recebeu R$ 189 mil em jetons, fora o salário

Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados
Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados

O novo ministro do Desenvolvimento Regional, o ex-deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), recebeu pelo menos R$ 189 mil em jetons por participar de 11 reuniões no Sesc (Serviço Social do Comércio). Trata-se de uma entidade do sistema “S” e da CNC (Confederação Nacional do Comércio) que recebeu R$ 3,4 bilhões em recursos públicos só nos primeiros oito meses de 2018. Os valores fizeram dobrar o salário do ex-deputado, que era secretário de Trabalho e Previdência do Ministério da Economia, subordinado a Paulo Guedes.

As informações foram reveladas nesta terça-feira (11) em reportagem do portal UOL.

Marinho toma posse como ministro na tarde desta terça-feira (11). Como secretário, ele trabalhou em medidas de austeridade nos gastos públicos com servidores e de redução de direitos trabalhistas para jovens pela, como a reforma da Previdência e “Carteira Verde e amarela”, entre outras.

A assessoria do futuro ministro disse à reportagem do UOL que a remuneração é justa, “pelos trabalhos desenvolvidos na qualidade de membro do conselho nos termos da legislação em vigor” .

Marinho foi nomeado para o cargo em fevereiro do ano passado. A assessoria da CNC explicou que o então secretário “participou de todas as reuniões ordinárias do Conselho Fiscal do Sesc, que são realizadas mensalmente, desde a sua nomeação”.

De acordo com o UOL, em quase todos os meses a partir de março passado, foram depositados R$ 21 mil a mais na conta do ministro por conta das reuniões no Sesc, entidade vinculada à CNC, dirigida por José Roberto Tadros. Os jetons fizeram, por exemplo, o rendimento de Marinho saltar de cerca de R$ 22 mil brutos para R$ 43 mil em outubro do ano passado, ou seja, praticamente o dobro. O limite constitucional salarial no Brasil é de R$ 39 mil mensais, mas há exceções que permitem furar essa restrição.

Bolsonaro é 3º governante mais popular do mundo nas redes

Levantamento mostra que presidente fica atrás somente do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, e do presidente dos EUA, Donald Trump
Vinícius Passarelli

O presidente Jair Bolsonaro é o terceiro chefe de governo mais popular do mundo nas redes sociais. O mandatário brasileiro fica atrás apenas de Narendra Modi, primeiro-ministro da Índia, e do presidente dos EUA, Donald Trump. É o que aponta o Índice de Popularidade Digital (IPD), elaborado pela consultoria Quaest a pedido do Estado. A exemplo do presidente norte-americano, Bolsonaro utiliza as redes sociais para comunicar atos de governo, atacar adversários e criticar a imprensa.

O índice foi calculado para uma amostra selecionada de 18 líderes mundiais a partir da coleta de métricas de uso das redes sociais Facebook, Instagram e Twitter. Como resultado, foi dimensionado para cada líder um índice mensal, entre janeiro de 2019 e janeiro de 2020, além do índice médio no período. O IPD tem uma escala que varia de 0 a 100, indicando a popularidade mínima e máxima possíveis, respectivamente.

No Ministério Público também tem suspeitos de corrupção; Cláudio Lopes, ex-chefe do MP-RJ, vira réu por mesada de R$ 150 mil

Por Sérgio Rodas

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, por unanimidade, aceitou nesta segunda-feira (10/2) denúncia por corrupção passiva, violação de sigilo funcional e quadrilha contra o ex-procurador-geral de Justiça Cláudio Lopes. Também viraram réus o ex-governador Sérgio Cabral, o ex-secretário de Governo Wilson Carlos e o operador Sérgio de Castro Oliveira, o Serjão.

O ex-chefe do Ministério Público do Rio é acusado de receber R$ 150 mil mensais, de 2009 a 2012. Em troca, fornecia informações estratégicas e barrava investigações contra o grupo de Cabral. Os delatores Carlos Miranda e Serjão foram os que primeiro apresentaram essa versão.

Em maio de 2019, Sérgio Cabral — que posteriormente firmaria acordo de colaboração premiada com a Polícia Federal, homologadohá pouco pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal —confessou que que pagou propina a Cláudio Lopes em troca de proteção judicial Segundo o ex-governador, Lopes votou pelo arquivamento de uma investigação no Conselho Superior do MP-RJ por corrupção contra ele em troca de apoio para assumir o comando da instituição. Depois disso, Cabral disse ter pago R$ 200 mil ao procurador.

Após Lopes tornar-se procurador-geral de Justiça, em 2009, teria passado a receber uma mesada de R$ 150 mil. Em troca, o MP-RJ blindaria o então governador.

O advogado de Claudio Lopes, Renan Cerqueira Gavioli, argumentou que a denúncia não deveria ser recebida. Isso porque era baseada exclusivamente na palavra dos delatores, sem ter provas que corroborassem os depoimentos.

O relator do caso, desembargador Elton Martinez Carvalho Leme, apontou que a denúncia não está fundamentada somente nas narrativas dos colaboradores. Para ele, a Polícia Civil e o MP juntaram diversos outros elementos que demonstram a verossimilhança dos depoimentos.

De acordo com o relator, há indícios de autoria e materialidade dos crimes denunciados pelo MP. Dessa maneira, Leme votou por receber a denúncia contra Lopes, Cabral, Carlos e Serjão.

Prisões preventivas
O magistrado também negou pedido para revogar a prisão preventiva deles. A seu ver, a detenção é “imprescindível” para garantir a ordem pública, que foi afetada com os atos ilícitos expostos pelo Ministério Público.

Devido a uma liminar do ministro Sebastião Reis Júnior, do Superior Tribunal de Justiça, Cláudio Lopes segue cumprindo medidas cautelares alternativas, e não precisa voltar para a prisão.

Em decisão do fim de 2018, o ministro destacou que não há elementos concretos que justifiquem a prisão. “Não houve qualquer indicativo de reiteração ou continuidade delitiva, devendo ser destacado que a conduta criminosa imputada ao paciente teria sido cometida em razão da função de procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, que não é por ele ocupada desde 2012”, disse o ministro.

Sebastião Reis afirmou também que Cláudio Lopes está afastado das funções de procurador de Justiça no Ministério Público. De acordo com o relator, para a manutenção da prisão seria imprescindível a demonstração inequívoca de que o ex-chefe do MP poderia, de alguma forma, atrapalhar o regular andamento da investigação criminal ou mesmo da ação penal.

Conjur

Caixa inicia na quinta pagamento do PIS para nascidos em março e abril

A Caixa inicia na próxima quinta-feira (13) o pagamento do Abono Salarial do Programa de Integração Social (PIS) calendário 2019/2020, para os trabalhadores nascidos nos meses de março e abril. Os beneficiários com conta individual na instituição, cadastro atualizado e movimentação, o crédito está sendo feito nesta terça-feira (11).

Segundo a Caixa, receberão o abono mais de 3,6 milhões de trabalhadores, totalizando R$ 2,7 bilhões em recursos injetados na economia. Os valores variam de R$ 88 a R$ 1.045, de acordo com a quantidade de dias trabalhados durante o ano base 2018.

Os pagamentos são escalonados conforme o mês de nascimento do beneficiário e tiveram início em julho de 2019, com os nascidos naquele mês. O prazo final para o saque do abono salarial do calendário de pagamentos 2019/2020 é 30 de junho deste ano.

O valor do benefício pode ser consultado no Aplicativo Caixa Trabalhador, no site da Caixa ou pelo Atendimento ao Cidadão, no telefone 0800 726 0207.

O banco disponibilizará cerca de R$ 16,5 bilhões para mais de 21,6 milhões de beneficiários até o final do calendário.

Quem tem direito

Pode receber o benefício o trabalhador inscrito no PIS há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2018, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.Também é necessário que os dados estejam corretamente informados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais), ano base 2018.

Agência Brasil

“Taveira faz boa gestão. Só se for na gota serena”, diz o Xerife

Sem ser movido a motorzinho para gerar acessos mecanizados, no Blog do Xerife que é o mais acessado do RN está revelando um descaso desumano da gestão do prefeito de Parnamirim Rosano Taveira. 

Enquanto a Câmara Municipal de Parnamirim gesta R$ 2.2 milhões numa reforma desnecessária com o apoio do prefeito Taveira, está faltando medicamentos na UPA de Nova Esperança.

Confira denúncia enviada ao Blog do Primo:

 

Maia descarta nova CPMF

Dizendo-se mais otimista do que deveria quanto ao cronograma que apresenta, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou, nesta segunda-feira (10), que a proposta de reforma tributária estará aprovada em plenário nos cinco primeiros meses do ano.

Segundo ele, a discussão da proposta —baseada em texto do deputado Baleia Rossi (MDB-SP)— avança, à espera de contribuições do governo federal sobre renda e adoção do IVA (Imposto de Valor Agregado) federal. Apontando a tributária como a mais importante das reformas, ele rechaçou a hipótese de reedição da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).

Folhapress

Investigadores esperam que Capitão Adriano tenha deixado ‘diário’ da morte

Assassinado numa troca de tiros com a polícia da Bahia, o miliciano Adriano da Nóbrega, o “Capitão Adriano”, era considerado pela polícia do Rio um elemento estratégico na investigação contra o chamado escritório do crime da milícia.

Sua morte deixará um enorme buraco nas investigações, mas há quem aposte num possível “tesouro” escondido nos treze celulares encontrados com o miliciano — a quebra de sigilo pode, na avaliação dos investigadores, levar a eventuais financiadores da fuga do criminoso.

Já imaginou, diz um investigador, se Adriano, antevendo que seria alvo de queima de arquivo, deixou um vídeo gravado ou informações reveladoras no celular? É o sonho da polícia do Rio.

Radar/Veja

Doria vende jatinho de US$ 10 milhões

O avião particular do governador João Doria (Arquivo Pessoal/Mônica Bergamo)

O avião particular do governador João Doria – Arquivo Pessoal

 

governador de São Paulo, João Doria, vendeu o Legacy 650, avião particular de US$ 10 milhões com que viajava pelo país e também para o exterior.

A aeronave, que tem o prefixo PR-JDJ, de João Doria Junior, virou alvo de Jair Bolsonaro depois que o BNDES divulgou uma lista de pessoas que haviam comprado jatos financiados pelo banco.

presidente acusou o governador de “mamar” na era PT, quando o financiamento foi concedido. E Doria passou a ser alvo de ataques nas redes sociais. O apresentador global Luciano Huck, também dono de um avião, entrou igualmente na mira.

De acordo com dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o Legacy de Doria está sendo operado hoje pela empresa Eucalipto Brasil S.A.

MÔNICA BERGAMO

Agora RN: Edital de licitação do transporte público de Natal é adiado pela quarta vez pela PMN

A publicação do edital de licitação do transporte público de Natal está prevista para acontecer em março, de acordo com a Secretaria de Administração de Natal (Semad).

Segundo a pasta, a empresa contratada para desenvolver o projeto – o Instituto Rua Viva (MG) – estendeu o prazo de entrega, que estava previsto para acontecer em dezembro de 2019, por causa da necessidade de ajustes. Em seguida, o projeto seguiu para a Procuradoria Geral do Município (PGM), onde passou por nova avaliação. A Semad informou que o processo só chegou à Comissão Especial de Licitação na última semana de janeiro, o que inviabilizou a divulgação no prazo anteriormente previsto (mês passado).

Não é a primeira vez que a divulgação do edital é adiada. Somente em 2019, o lançamento do certame foi reaprazado três vezes. O processo de licitação se arrasta desde 2017, quando o primeiro certame terminou deserto – sem a presença de empresas interessadas. O novo pregão deve acontecer até abril.

AGORA RN

Sérgio Cabral entrega a própria mulher já no primeiro depoimento da delação

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral confirmou que a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo também tinha conhecimento do dinheiro oriundo de propina mantido pelo marido no que ele chamou de “caixa paralelo”.

A revelação foi feita logo no primeiro depoimento de Cabral no âmbito da delação premiada homologada pelo juiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal. Segundo o criminoso, a mulher sabia que ele tinha “um caixa paralelo” e que os gastos “eram incompatíveis” com o salário recebido como governador.

“Liderando esse tipo de conduta recriminada, um companheiro ou companheira de quem esteja nessa situação vai convivendo, mas ela nunca sentou com nenhum fornecedor. Não estou falando para proteger. Estou dizendo porque é a pura verdade, mas usufruiu largamente”, disse Cabral.

Além de usufruir dos milhões recebidos em propina, o ex-governador também explicou que Adriana pediu ao sócio advogado Thiago Aragão para lavar o dinheiro. A ex-primeira dama e esposa tem negado a afirmação do marido.

Segundo a denúncia, Cabral e Adriana Ancelmo são acusados de lavarem R$ 3,1 milhões usando uma rede de restaurantes japoneses entre 2014 e 2016.

DIÁRIO DO PODER