Arquivo diários:27/02/2020

Lula vai à Europa

Lula em Natal

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva viaja à Europa na próxima semana. Ele tem compromissos na França, Suíça e Alemanha.

Em Paris, receberá o título de cidadão honorário da cidade. Segundo o site oficial do ex-presidente, a honraria será oferecida pela prefeita local, Anne Hidalgo, pelo trabalho de Lula no combate à miséria e à fome. Na noite de terça-feira, o ex-presidente participa do “Festival Lula Livre”, em Paris. Estarão presentes a ex-presidente Dilma Rousseff

Na sexta-feira, dia 6, Lula chega a Genebra, onde se reúne com representantes do Conselho Mundial das Igrejas (CMI), composto por 340 igrejas de 120 países. Ainda na Suíça, participa de encontro com representantes de sindicatos.

Em Berlim, também estão previstas reuniões com líderes sindicais e políticos. No dia 9, uma segunda-feira, Lula participará do “Encontro em Defesa da Democracia no Brasil”, ato público com representantes dos comitês internacionais da campanha “Lula Livre”.

O governo Jair Bolsonaro publicou duas medidas para autorizar formalmente apoio às viagens do ex-presidente.O secretário-executivo do atual presidente da República, Antônio Carlos Paiva Futuro, deu aval para os servidores Carlos Eduardo Rodrigues Filho e Misael Melo da Silva acompanharem o ex-presidente.

Os despachos com autorizações para as viagens dos servidores foram publicados nesta quinta no “Diário Oficial da União”.

Valor Econômico

JBS nega informação privilegiada e usa livro para culpar Janot por palhaçada do vazamento

Acusadas de insider trading em processo administrativo sancionador que tramita da Comissão de Valores Mobiliários do governo, as empresas JBS e Seara protocolaram nova petição na qual negam o uso de informação privilegiada e apontam o ex-procurador geral da República Rodrigo Janot como responsável pelo vazamento da delação que deu causa ao processo. A informação foi divulgada pelo site Poder360.

Ex-procurador segura cartaz em defesa dele
Reprodução

Segundo a acusação, os então donos da JBS, os irmãos Joesley e Wesley Batista, se beneficiaram do vazamento de delação premiada envolvendo o ex-presidente Michel Temer e, com informação privilegiada, lucraram no mercado de ações e bolsa de valores.

A delação foi publicada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal, em 17 de maio de 2017, e indicava que Joesley havia gravado Temer em conversa no Palácio do Planalto.

A petição, protocolada pelo advogado Walfrido Jorge Warde Júnior, alega que os irmãos Batista não poderiam ser os responsáveis pelo vazamento, pois não tinham como saber de todas as informações divulgadas pelo colunista naquela data. Dentre elas, a de que a “lava jato” dera início às “ações controladas’, com uso de notas numeradas e chips nas mochilas de entrega de propina.

“Apenas um procurador ou um delegado da Polícia Federal envolvido com todas essas operações saberia desses fatos, jamais o colaborador em apenas uma delas”, aponta a petição.

A defesa usa trecho do livro recentemente publicado por Janot, “Nada Menos que Tudo”, em que detalha como ficou sabendo que Lauro Jardim tivera acesso à delação e como negociou com a cúpula de O Globo o momento em que ela poderia ser divulgada.

“Tal era a sintonia entre o ex-PGR e o João Roberto Marinho que eles chegaram a discutir proposta do exato momento em que Janot gostaria que houvesse o vazamento, o que fugia completamente ao controle dos irmãos Batista”, diz a petição, que aponta também informações publicadas pela jornalista Raquel Landim no livro “Why Not’, sobre a trajetória empresarial dos irmãos Batista, para corroborar a tese.

“A prática do insider tradingpressupõe mais do que a informação relevante privilegiada. Insider trading requer o conhecimento do momento em que essa informação será divulgada e, assim, surtirá seus pretensos efeitos no mercado. Não é possível ganhar com uma informação insider sem saber quando ela será revelada”, aponta Warde.

Assim, a defesa requeriu a extinção do processo sem aplicação de qualquer penalidade, retirando as razões de defesa apresentadas até então.

Prefeito Álvaro Dias informa que salários de fevereiro de 100% dos servidores estarão em conta nesta sexta

O prefeito Álvaro Dias garantiu que Prefeitura de Natal efetua de maneira antecipada, nesta quinta-feira (27), o pagamento dos salários referente a fevereiro de todas as categorias do funcionalismo público municipal, entre ativos, inativos e pensionistas. Ao longo do dia, a Secretaria Municipal de Administração (Semad) enviará os arquivos com os créditos bancários à instituição financeira responsável pelas respectivas contas e os servidores poderão movimentar o dinheiro nesta sexta-feira (28).

A quitação antecipada e dentro do próprio mês trabalhado de 100% da folha vai colocar em circulação R$ 62,5 milhões na economia da capital potiguar. Ao todo, 21.334 servidores receberão os seus vencimentos.

Governadora Fátima Bezerra entrega nesta sexta novas viaturas e equipamentos para a Polícia Militar

O Governo do Estado entrega nesta sexta-feira (28) novas viaturas, armas e equipamentos para a Polícia Militar do Rio Grande do Norte (PM-RN). O investimento é parte dos R$ 80 milhões que estão sendo investidos na segurança pública do estado.

O material que reforçará o policiamento ostensivo em todas as regiões do RN será apresentado em solenidade na Escola de Governo, no Centro Administrativo, às 11h

‘Se houvesse bomba H no Congresso, o povo choraria?’, indaga E. Bolsonaro


UOL, em São Paulo

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) rebateu a jornalista Vera Magalhães nas redes sociais hoje após ela compartilhar trecho de uma entrevista do presidente Jair Bolsonaro(sem partido) em 2018 —quando disputava a Presidência— na qual ele diz que haveria festa no Brasil caso o Parlamento fosse atingido por uma bomba.

O filho do presidente questionou se o povo realmente choraria numa situação como essa e acusou a jornalista de tentar causar atrito entre Bolsonaro e o Congresso Nacional.

Campeão de incursões ao órgão, o sobrenome Bolsonaro voltará ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República, deve ter duas representações contra ele analisadas pelo colegiado nas próximas semanas.

Alguns parlamentares defendem que saia dali a primeira medida concreta no sentido de estabelecer limites aos arroubos da família presidencial —nem que seja com uma punição leve, como advertência.

Casos contra Eduardo no Conselho de Ética serão teste do Congresso sobre limite aos Bolsonaros

Outros dizem não ver interesse do centrão —o bloco de partidos majoritário hoje no Congresso— em fustigar o deputado, sob o temor de uma reação que fortaleça o bolsonarismo e o sentimento anti-Congresso.

O próprio parlamentar não tem demonstrado preocupação, tanto é que nesta semana repetiu avaliação do pai de que ninguém se preocuparia caso o Congresso fosse destruído por uma bomba

Jornais ‘inimigos’ de Bolsonaro crescem em circulação

Folha de S. Paulo e O Globo se beneficiam da publicidade gerada pelos ataques do presidente.


Jeff Benício

Mesmo sob fogo cerrado disparado diretamente do gabinete presidencial, os dois maiores jornais impressos do Brasil conseguiram crescer em circulação. Em janeiro, O Globo, pertencente à família Marinho (dona também da Rede Globo), gerou média de 339.891 exemplares, entre assinaturas impressas e digitais. Foram 6 mil a mais do que em dezembro de 2019.
Segundo no ranking, a Folha de S. Paulo, de propriedade dos Frias, registrou circulação média de 331.112 exemplares no primeiro mês desse ano. Aumento de 2 mil na comparação com o  levantamento anterior.
Esses números divulgados pelo Instituto Verificador de Comunicação (IVC) e repercutidos pela plataforma sobre publicidade Meio & Mensagem podem parecer pequenos, mas são uma vitória para os jornais. Nos últimos anos, a mídia impressa tem sofrido fortes quedas nas vendas em bancas.
Consequência da mudança de hábito do brasileiro — que agora se informa mais usando o celular — e da perda de poder de compra da classe média, empobrecida devido às últimas crises econômicas.

Pagar 5 reais por um exemplar de jornal diário ou 20 reais por uma revista semanal passou a ser inviável no orçamento de muita gente. Com isso, o conteúdo gratuito disponível na internet — material de qualidade e também fake news — virou o grande inimigo dos tradicionais veículos de comunicação impressos.

O desempenho positivo de Folha e O Globo pode ter recebido a ajuda involuntária de Jair Bolsonaro. Como se sabe, os dois jornais são considerados ‘inimigos’ pelo presidente. Ambos já foram duramente criticados por ele em razão de matérias que desagradaram o homem mais poderoso da República.

O tiro parece ter saído pela culatra: a publicidade espontânea a partir dos ataques de Bolsonaro pode ter estimulado mais pessoas a comprar e assinar a Folha e O Globo.

Parnamirim: rompa e depois venha conversar

Articulação não deu certo

Segundo o soldado Vasco que está no centro das conversas, a vice-prefeita de Parnamirim Elienai Cartaxo está tentando articular uma candidatura à prefeita.
Insatisfeita com o prefeito Taveira, a vice-prefeito conversou com os deputados João Maia e Kleber Rodrigues para montar uma estratégia. Depois da conversa, o deputado Kleber Rodrigues foi designado para conversar com líderes da oposição propondo caso os opositores apoiem Elienai ela romperia com o prefeito Rosano Taveira.
A proposta não colou..

Alguns líderes oposicionistas conversados rejeitaram a proposta com um argumento lógico, simples e inteligente, dizendo: diga  que primeiro ela rompa com o prefeito, depois a gente conversa com ela. O nome dela será incluído numa pesquisa, ela estando na frente será nossa candidata, mas tem que romper com o prefeito agora em fevereiro.
Será que ela rompe mesmo?
Pelo que o Blog do Primo está sabendo não existe possibilidades dela ser vice-prefeita nem com Taveira nem com o principal candidato da oposição, cabendo ela ser candidata à Prefeita em faixa própria.

O prefeito Rosano Taveira tomou conhecimento da articulação e nãos gostou do ato considerado por ele como traição, o prefeito vai aproveitar o fato para queimar candidatura dela à reeleição no seu grupo político.

Carnaval para Álvaro Dias não foi moleza

Prefeito tem que manter o bom humor e responsabilidade no trabalho e na folia

Não foi fácil a maratona carnavalesca para o prefeito de Natal Álvaro Dias. O que parece uma ser uma diversão, para ele não é.  Além de prestigiar comparecendo aos eventos nos diversos polos e blocos espalhados na cidade em horários diferentes, Álvaro ainda teve que fiscalizar  o serviço de transporte, funcionamento do sistema de transporte, coleta de lixo e limpeza das vias publicas, atendimento nas unidades de saúde e operações da Guarda Municipal.
Se não bastasse tudo isso, além dos bêbados chatos e dos babões, Álvaro ainda teve que ir fiscalizar obras de recapeamento asfáltico de várias vias de Natal que foram recapeadas no Carnaval aproveitando a não existência de trânsito pesado no período.

Segundo uma fonte do Blog do Primo, o prefeito Álvaro Dias saia de casa às 9:00 hs e só retornava às 3:00 da madrugada do dia seguinte.

Para ex-PGR e ex-vice do STJ, Bolsonaro cometeu crime de responsabilidade

Para ex-procurador geral da República, Claudio Fonteles, e para o ex-vice presidente do Superior Tribunal de Justiça, Gilson Dipp, não resta dúvida: o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cometeu crime de responsabilidade ao incentivar um protesto contra o Congresso e o STF.

Na noite da terça (25), a jornalista Vera Magalhães revelou em seu site BR Político que o presidente usou seu WhatsApp pessoal para chamar manifestantes a participar do protesto, previsto para 15 de março, em apoio ao governo e contra o Congresso Nacional e o STF (Supremo Tribunal Federal).

“Desta vez é a gota d´água”, afirmou Dipp, que também exerceu as funções de Corregedor Nacional de Justiça e de ministro do Tribunal Superior Eleitoral e hoje atua como consultor e parecerista. “Por muito menos Collor e Dilma sofreram impeachment”, disse.

“Para mim, o fato noticiado é o famoso fumus boni juris [a fumaça do bom direito]. É o suficiente para sustentar a acusação de crime de responsabilidade contra o presidente”, afirmou Fonteles.

UOL