Arquivo diários:23/03/2020

Bolsonaro é o mais ineficaz contra covid-19, diz analista

Para Presidente da Eurasia Group, grupo de consultoria de análise de riscos políticos, Presidente do Brasil tem desempenho ruim contra vírus
Célia Froufe, correspondente

LONDRES – O presidente da Eurasia Group, Ian Bremmer, avaliou hoje na rede social Twitter que, apesar de haver “muita concorrência”, o líder mundial mais ineficaz na resposta ao coronavírus agora é o presidente brasileiro Jair Bolsonaro. “Neste fim de semana, ele está detonando os governadores que tomaram medidas de bloqueio. (Bolsonaro) Danificará seriamente seu mandato”, analisou.

Na sequência, Bremmer salientou que o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, também “está lá em cima”. “(Ele está em) negação completa sobre o coronavírus. Ainda falando de austeridade, nenhuma ação do governo”, citou.

Ian Bremmer é cientista político e fundador da Eurasia Group, consultoria especializada na análise de riscos políticos globais.

Na sexta-feira, 20, foi editada a medida provisória 926, que dá poder ao governo federal sobre as limitações impostas ao deslocamento intermunicipal e interestadual, como o fechamento de portos, rodovias ou aeroportos, quando afetarem serviços públicos e atividade essenciais. Essa decisão se sobrepôs a restrições ao transporte feitas por governadores, como o do Rio, Wilson Witzel (PSC), e o de São Paulo, João Doria (PSDB). Os governadores decretaram restrições de transporte como medida de combate ao coronavírus.

Críticas

Ao longo da última semana, Bolsonaro criticou diversas vezes as ações de governadores que determinaram medidas de isolamento nos Estados. No sábado, 21, em entrevista à CNN, o mandatário chamou Doria de ‘”lunático” e afirmou que ele e outros governadores — como os do Rio de Janeiro, Bahia, Piauí e Distrito Federal — têm tomado medidas que “extrapolam” e criam um clima de “terror” junto à população. “É uma dose de remédio excessivo. E remédio em excesso torna-se um veneno”, disse o presidente sobre as restrições.

Um dia antes da entrevista, na sexta, Bolsonaro já havia criticado ações como o fechamento do comércio, adotado nas maiores cidades do País e defendido por especialistas, dizendo que poderia prejudicar a economia e serem usadas para enfraquecê-lo politicamente.

O paulista João Doria, que determinou a realização de quarentena em todo o Estado a partir da terça-feira, 24, afirmou em entrevista coletiva que o Brasil não tinha uma liderança capaz de orientar o País durante a crise causada pela pandemia da covid-19. “Gostaria de ter um presidente que liderasse o País em uma crise como essa e não relativizasse uma questão tão grave como o coronavírus para os brasileiros”, afirmou o governador. Witzel, do Rio, classificou como “passo de tartaruga” a velocidade do Planalto em dar respostas à crise.

Dona das Casas Bahia fecha mais de 1.000 lojas no Brasil devido ao coronavírus

A varejista Via Varejo anunciou o fechamento temporário de todas as lojas no país para ajudar a conter a disseminação do coronavírus, juntando-se a outras grandes empresas do setor.

Em comunicado divulgado ao mercado na noite de sábado, a empresa disse que suas redes de lojas Casas Bahia e Ponto Frio fecharão suas 845 e 216 lojas, respectivamente, com efeito imediato. As operações online continuarão.

Nos últimos dias, Riachuelo, Marisa e Lojas Renner anunciaram o fechamento por tempo indeterminado de todas as suas lojas, o que significa que milhares de estabelecimentos de algumas das redes mais conhecidas do país ficarão fechadas.

FOLHAPRESS

Campanha de vacinação contra a gripe começa hoje

Começa nesta segunda-feira a Campanha Nacional da Vacinação contra a Gripe, que pretende imunizar 67,6 milhões de pessoas em todo o país. A proteção não é eficaz contra o coronavírus. No entanto, a vacina pode auxiliar os profissionais de saúde a excluir o diagnóstico para o novo patógeno, já que os sintomas são parecidos.

A campanha, batizada “Movimento Vacina Brasil contra a Gripe 2020”, custou R$ 1 bilhão ao Ministério da Saúde, que enviou 15 milhões de doses ao estado até semana passada — até o final do mês, mais 4 milhões serão distribuídas. Ao todo, serão fabricadas 75 milhões de doses. O programa será encerrado no dia 22 de maio.

A iniciativa atende ao público mais vulnerável à gripe. A partir de hoje, a imunização está disponível para idosos com mais de 60 anos, que correspondem a 20,8 milhões de pessoas no país — e profissionais de saúde. Mesmo quem se vacinou no ano passado deve voltar aos postos para uma nova dose.

O GLOBO

Governadores são exterminadores de emprego, diz Bolsonaro

Em entrevista para o programa ‘Domingo Espetacular’, presidente falou de crise da covid-19 no país, críticas dos governadores e ‘panelaços

Jair Bolsonaro negou que as iniciativas de combate à covid-19 do governo tenham demorado. Em entrevista ao programa Domingo Espetacular, da Record TV, o presidente falou o surto do coronavírus no Brasil e também sobre as críticas que têm recebido do governador de São Paulo João Doria. “Tem que lembrar que em fevereiro ele estava na Sapucaí do Rio de Janeiro“, disse, referindo-se à exposição que o governador teve com aglomerações, atitude contrária às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde. “Nós não podemos politizar isso”, concluiu.

Perguntando se ele teria adiado ou cancelado o Carnaval, o presidente respondeu que os governadores poderiam ter proposto isso para ele, mas não confirmou se seguiria proposta. Bolsonaro negou que tenha criticado o trabalho dos governadores e disse que é atacado constantemente por eles, que “fogem de suas responsabilidades”. O presidente disse ainda que a grande mídia o ataca da mesma forma e que “brevemente a população verá que foi enganada pelos governadores”, a quem o mandatário chamou de exterminadores de emprego. “É uma crise pior que o coronavírus pode trazer ao País”.

Sobre as favelas, Bolsonaro não comentou nenhuma medida específica para ajudar no combate do contágio da covid-19, a não ser “evitar a situação”. Nas últimas semanas, a Comunidade do Alemão alertou sobre a falta de água, de álcool em gel fazendo o uso de uma hashtag nas redes sociais.

Ainda na na entrevista, o presidente falou também sobre os panelaços que têm ocorrido em todo o País. Bolsonaro disse não estar preocupado com sua popularidade e falou que atitude foi “incentivada” pela mídia, “endossado pela revista Veja e por outros órgãos da imprensa”

Entenda a diferença entre Covid-19, resfriado e gripe

A infecção por coronavírus tem sintomas semelhantes aos da gripe e do resfriado

O novo coronavírus (Covid-19) tem sintomas semelhantes a outras síndromes como resfriado e gripe. Por causa dessa condição, muitas vezes pacientes podem se confundir em relação à sua condição, o que pode gerar problemas, minimizando um cuidado necessário à prevenção contra a pandemia que assola o mundo e o Brasil.

Para esclarecer as diferenças, o Ministério da Saúde elaborou materiais de divulgação explicando cada uma das síndromes e como os sintomas se manifestam. No caso da febre, por exemplo, a ocorrência dela é comum em casos de Covid-19 e de gripe, mas rara em resfriados.

Os espirros são comuns em resfriados, mas raros tanto em gripes quanto em Covid-19. O nariz entupido aparece frequentemente em resfriados, às vezes em gripes e, raramente, em casos do novo coronavírus. A dor de cabeça é rara em resfriados, comum em gripes e pode surgir em infecções pelo novo coronavírus.

Quando uma pessoa estiver com sintomas correspondentes à Covid-19, é importante seguir as orientações do Ministério da Saúde e procurar um posto de saúde para obter orientação médica quanto às medidas.

Mandetta defende adiar eleições de 2020 para conter coronavírus

Para o ministro da Saúde, disputas locais podem atrapalhar no combate ao coronavírus no país

O ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que o Congresso deveria adiar as eleições municipais deste ano, marcadas para outubro, para conter o avanço do novo coronavírus no país. O comentário foi feito durante reunião por videoconferência com prefeitos de capitais, neste domingo, 22.

Para Mandetta, a disputa eleitoral pode comprometer o foco dos gestores e causar uma “tragédia”. “Faço aqui até uma sugestão. Está na hora de o Congresso falar: ‘adia’, faz um mandato desses vereadores e prefeitos. Eleição no meio do ano… uma tragédia, por que vai todo mundo querer fazer ação política”, disse.

O ministro fez o comentário em resposta a um dos prefeitos que mencionou dificuldades políticas com outros atores da região para adotar algumas medidas de contenção.Não é hora de falar sobre isso”, cortou o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Em seguida, foi dada a palavra a um outro gestor, e não se tocou mais no assunto.

Desde que se intensificaram as consequências da pandemia, líderes do Congresso começaram a falar na possibilidade de adiar o pleito que escolherá os novos prefeitos e vereadores.

Bolsonaro volta a criticar “alarmismo”

Ao lado do ministro da Saúde na reunião, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o que chama de “alarmismo” na crise do novo coronavírus. “Há um alarmismo muito grande por grande parte da mídia. Alguns dizem que estou na contramão. Eu estou naquilo que acho que tem que ser feito. Posso estar errado, mas acho que deve ser tratado dessa maneira” afirmou.

Mandetta tem liderado as ações do governo federal no combate à pandemia. O presidente também disse que a situação da doença no Brasil não deve ser comparada à de países da Europa.

“Não podemos nos comparar com a Itália. Lá o número de habitantes por quilômetro quadrado é 200. Na França, 230. No Brasil, 24. O clima é diferente. A população lá é extremamente idosa. Esse clima não pode vir pra cá porque causa certa agonia e causa um estado de preocupação enorme. Uma pessoa estressada perde imunidade”, afirmou o presidente.

Bolsonaro deixou a reunião antes do fim. Chegou à sede do Ministério da Saúde às 9h42 e deixou o local às 11h26. Ao deixar a videoconferência, o presidente parabenizou os prefeitos por colocarem “o interesse público acima de qualquer coisa”.

Coronavírus: cientistas descobrem como o corpo combate a covid-19

Cientistas australianos disseram ter identificado pela primeira vez como o sistema imunológico combate a infecção pelo novo coronavírus, causador da doença covid-19.

A pesquisa, publicada na revista médica Nature Medicine, mostra que as pessoas estão se recuperando da infecção pelo novo coronavírus da mesma maneira como elas se recuperam de uma gripe.

Segundo os especialistas, determinar quais células do sistema imunológico atuam no combate ao vírus poderá ajudar no desenvolvimento de uma vacina.

Globalmente, as autoridades já confirmaram mais de 170 mil casos de infecção pelo coronavírus e mais de 7 mil mortes. Cerca de 80 mil infectados já se recuperaram.

‘Esta descoberta é importante porque é a primeira vez que estamos realmente entendendo como nosso sistema imunológico combate o novo coronavírus”, disse Katherine Kedzierska, co-autora do estudo.

Brasil tem 25 mortes e 1.546 casos de covid-19

O Ministério da Saúde confirmou neste domingo, 22, que o País já tem 25 mortes causadas pelo novo coronavírus. De acordo com a pasta, são 1.546 casos confirmados da doença.

Secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo Reis, fala sobre o avanço do novo coronavírus no Brasil
Secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo Reis, fala sobre o avanço do novo coronavírus no Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil / Estadão Conteúdo
Durante coletiva de imprensa na tarde deste domingo, 22, o Ministério da Saúde divulgou o novo balanço do coronavírus no Brasil, que por região e Estado fica assim:

NORTE
49 casos – 3.2% do total

Curso De Yoga: Meditação para Acalmar a Mente e o Coração
O Yoga: Meditação para Acalmar a Mente e o Coração, aborda Técnicas de Meditação para Acalmar a Mente e o Coração e Mantras, Mudras e Meditação. Saiba mais!
Acre: 11
Amazonas: 26
Amapá: 1
Pará: 4
Rondônia: 3
Roraima: 2
Tocantins: 2

NORDESTE
231 casos – 14.9%

Alagoas: 7
Bahia: 49
Ceará: 112
Maranhão: 12
Paraíba: 1
Pernambuco: 37
Rio Grande do Norte: 9
Sergipe: 10

SUDESTE
916 – 59.9%

Espírito Santo: 26
Minas Gerais: 83
Rio de Janeiro: 186 – 3 óbitos
São Paulo: 631 – 22 óbtios

CENTRO-OESTE
161 casos – 10.4%

Distrito Federal: 117
Goiás: 21
Mato Grosso do Sul: 21
Mato Grosso: 2

SUL
169 – 11.6 %
Paraná: 50
Santa Catarina: 57
Rio Grande do Sul: 72

Durante a coletiva, o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou que os mais de 5 milhões de testes rápidos encomendados pelo governo para os próximos oito dias virão de uma fabricante chinesa e apresentam sensibilidade de 86,43% e especificade de 99,5%.

A expectativa é que a pasta trabalhe com uma escala de 30 a 50 mil exames por dia e obtenha máquinas de coleta automatizadas, sem necessidade humana para as amostras.

Ele também esclareceu que o vírus não sobreviver ao calor era uma possibilidade, até que informações oficiais da China e da OMS mostraram que “ele não respeita muito a temperatura” e “se mostra muito competente em sua transmissão”.

Ainda de acordo com o ministro, no próximo dia 27 será o “aniversário” de um mês do primeiro caso identificado no Brasil, o que garantirá mais quantidade de projeção sobre a doença no País, apesar de Mandetta acreditar que “todos os estados estão com algum tipo de expansão”.

Ele ainda desmentiu que tenha mandado qualquer áudio que tenha circulado pelo WhatsApp, classificando tais mensagens como fake news e declarando: “Os doentios das fake news gostam de se travestir de alguém”.

O ministro afirma que há duas empresas no Brasil, MagnaMed e KTK, capazes de fabricar respiradores. “Ainda temos um pessoal trabalhando para pensar solução fora da caixinha”, disse, após completar que há pesquisas e parcerias com o setor privado sendo feitas.

Sobre o uso da cloroquina no combate ao coronavírus, o ministro afirma que ainda não sabe se ele é eficiente contra a doença. “Já tínhamos pesquisas acontecendo, mas em número reduzido.” De acordo com ele, o Brasil tem “condição total” de produzir esse medicamento em grande escala, em instituições como FioCruz e Hospital do Exército, podendo até distribuir para outros países. Ele diz que o que está sendo debatido pelo momento é o protocolo de dosagem.

Ele reforça que a cloroquina tem “possíveis efeitos colaterais intensos que podem ser muito mais graves e danosos do que uma gripe que quase metade da população não vai pegar”. Ele diz ainda que a virose não será contraída por metade da população e, da que contrair, metade não terá sintoma por desenvolver anticorpos. “Temos uma base jovem enosso comprotamento será melhor contra o vírus, teremos um grande cordão imunológico com menos casos graves.”

De acordo com Mandetta, a maioria dos pacientes que apresentarem sintomas terão sintomas leves. “Depois, uma minoria irá necessitar de internação hospitalar. Se isso acontecesse distribuído no ano não teríamos problema nenhum, seria mais um resfriado, uma gripe forte, uma pneumonia que afeta nossos idosos e vamos solucionar quando tivermos uma vacina competente. Como ninguém tem imunidade, vai acontecer de maneira bruta e levar muita gente ao SUS. É como ter uma geladeira em casa e todo o quarteirão precisar guardar algo nela.”

Para Mandetta, o SUS está mostrando a sua verdadeira capilaridade. “O número de leitos vai aparecendo, aumentando. E nós vamos monitorando”, afirma.

Ele comunica ainda que a partir desta segunda-feira, 23, começa a campanha de vacinação com foco em profissionais de saúde e pessoas acima de 60 anos, como forma de evitar casos graves no futuro.

Coronavírus: os sites em tempo real que mostram dados de mortes, curvas de contágio e mutações

A pandemia do novo coronavírus tem sido marcada por diversas características, como a transmissão do vírus por pessoas sem sintomas, o gigantesco impacto econômico, as quarentenas de milhões de pessoas e o acompanhamento em tempo real do avanço da doença pelo mundo.

Para tornar o volume extraordinário de dados em informações compreensíveis para a população, especialistas, veículos jornalíticos e autoridades de saúde criaram sites interativos nos quais é possível acompanhar quase em tempo real a evolução do número de infectados e mortos por dia e localidade, entre outros dados.

A exemplo do mapa abaixo, produzido e atualizado pela BBC.

Brasil tem 1546 casos de coronavírus, 25 mortes – RN tem 13 casos

O Ministério da Saúde atualizou neste domingo (22), os dados sobre os efeitos da pandemia do coronavírus no Brasil. Segundo o órgão federal, o país já tem 25 vítimas da doença Covid-19, infecção provocada pelo vírus.

As sete mortes registradas neste domingo aconteceram no estado de São Paulo, que já tem 22 no total. Os outros três falecimentos foram no Rio de Janeiro.

Como aconteceu nos dias anteriores, os números das secretarias estaduais divergem dos números do Ministério da Saúde de Bolsonaro. Contando todos os casos reportados pelos estados, o total de pessoas infetadas pelo coronavírus no Brasil são 1604. Porém, segundo a autoridade federal, a cifra correta é 1546.

Desde sexta-feira (20), o Ministério da Saúde informou que o território brasileiro já observa a chamada “transmissão comunitária” do coronavírus. Isso significa que já é impossível rastrear a origem dos novos casos, já que o vírus circula entre pessoas que não viajaram ou tiveram contato com outras que estiveram recentemente em outros países.

Advogados pedem exame de sanidade mental em Bolsonaro

Um grupo de advogados solicitou (íntegra) neste sábado 21,  ao Ministério Público Federal do Distrito Federal (MPF-DF) que o presidente Jair Bolsonaro seja interditado, ou seja, considerado incapaz para os atos da vida civil.

O conjunto intitulado de “Advogados e Advogadas pela Democracia” pede que seja feita uma avaliação psiquiátrica de Jair Bolsonaro.

O motivo para a ação é a atuação do presidente da República em relação a crise do coronavírus, que ora minimiza a doença, ora a trata como caso um sério. De acordo com a representação, as atitudes de Bolsonaro parecem “configurar considerável grau de desorientação e confusão psíquica”.

As declarações desencontradas sobre o resultado do teste para a confirmação da doença também são usadas como justificativa.

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) inicialmente confirmou no dia 13 de março à Fox News que seu pai teria sido confirmado com coronavírus, depois, Jair afirmou que o teste deu negativo. No entanto, o chefe do Executivo não divulgou o exame atestando que não está infectado.

“Ante o exposto, requer-se seja apreciada a presente representação, na perspectiva de que o MPF/DF, no exercício de sua legitimidade constitucional e legal, proponha ação judicial destinada à interdição do representado, com pedido de constituição imediata e urgente de uma Junta Médica para a sua avaliação psiquiátrica, que possa embasar, se necessário, a sua interdição e a designação um curador, diante de sua incapacidade para o exercício dos atos da vida civil, mormente o exercício do cargo para o qual foi eleito e empossado”, diz trecho da solicitação.

Congresso em Foco