Paulo Guedes quer congelamento de salários por 2 anos como contrapartida ao auxílio a estados

Conselheiros de Bolsonaro, Paulo Guedes e Rogério Marinho 

Paulo Guedes afirmou nesta segunda-feira que costura com o Senado um acordo para votar uma nova proposta de auxílio aos estados e municípios, mudando o Plano Mãesueto.

Em videoconferência do BTG Pactual, o ministro afirmou que o entendimento é que, como contrapartida, estados e municípios não poderiam aumentar o salário do funcionalismo público por dois anos.

“Se conseguirmos que todos os salários de todos os níveis da federação, se prefeitos, governadores e a União se comprometerem a não dar aumentos salarial neste ano e no outro, é uma sinalização importante (…). Os senadores estão completamente de acordo de que essa contrapartida deveria existir. É a opinião pública, ela exige isso.”

Guedes contou que esteve reunido com Davi Alcolumbre e outros senadores no domingo (19). O ministro disse que é possível ter “boas novidades” nesta semana.

“Ontem, fiquei 3 horas conversando com o Davi Alcolumbre, com diversos senadores. Há uma enorme compreensão quanto à natureza da crise. Eu acho que essa semana mesmo teremos boas novidades. Vai haver uma consideração importante do Senado exatamente pela natureza desse acordo. Se houver uma contrapartida estrutural importante, não faz mal que avance um pouco essa ajuda.”

O ANTAGONISTA

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *