Tirou o braço da seringa: ‘Gostaria que todos voltassem a trabalhar, mas quem decide são governadores’, diz Bolsonaro


Foto: Fotoarena/Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que gostaria que todos os brasileiros voltassem a trabalhar, mas que isso depende dos governadores e prefeitos. Bolsonaro também disse que “brevemente” país voltará à normalidade. Na quinta-feira, o ministro da Saúde, Nelson Teich, disse que a orientação da pasta continua sendo o distanciamento social e que não há uma intenção de flexibilizar as regras.

A declaração de Bolsonaro foi feita à deputada Bia Kicis (PSL-DF), que visitou o Palácio do Alvorada com um grupo de agricultores. Ela pediu a Bolsonaro uma mensagem em referência ao Dia do Trabalho, comemorado nesta sexta:

— Eu gostaria que todos voltassem a trabalhar, mas quem decide isso não sou eu, são os governadores e prefeitos. O Brasil é um país maravilhoso. Eu tenho certeza, que (com) Deus acima de tudo, brevemente voltaremos na normalidade — respondeu Bolsonaro.

Na quinta-feira, em entrevista coletiva, Teich disse estar preocupado com a polarização política em torno da adoção ou não de medidas de distanciamento social. A declaração foi feita após ser questionado se, diante do número de mortos pela doença estar perto de 6 mil, o ministério alteraria a orientação para o distanciamento social.

— O número de mortes adicional é muito triste. Mas não é porque eu tenho uma alteração nesse número de mortes. A política não é em função disso. Temos uma definição clara: o distanciamento permanece como orientação — afirmou o ministro.

O Globo

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *