Arquivo diários:06/06/2020

Manipular números é “lealdade militar burra e genocida”, diz Mandetta


O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou neste sábado (6) que a decisão do Ministério da Saúde de não divulgar o total do número de casos e de morte pela Covid-19 “é uma tragédia“. “Não informar corretamente significa que o estado pode ser mais nocivo do que a doença”, afirma ele.

Mandetta participa neste sábado (6) de uma live com o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), organizada pelo IDP (Instituto Brasiliense de Direito Público). Para ele, quando os números de epidemias começam a explodir, “é quase que uma atração fatal do indivíduo falar: ‘e se a gente mudasse os números, maquiasse os números?’”

No caso da crise do novo coronavírus, esconder dados da população “seria mais do que isso. Seria uma plástica transformadora. Me parece que o que estão querendo fazer é uma grande cirurgia nos números”.

O combate a uma doença como a Covid-19, que não tem cura nem vacina, dependeria hoje exclusivamente do comportamento social das pessoas –e, para se proteger, elas teriam que estar bem informadas, diz o ex-ministro.

Mandetta afirma ainda que, quando saiu do governo, chegou a pensar que o fato poderia levar o presidente Jair Bolsonaro a refletir, já que ele se opunha frontalmente ao ex-ministro.

‘Talvez estivesse querendo um sócio para carregar caixões’, diz Gilmar Mendes sobre ida de Bolsonaro ao STF


João Conrado Kneipp

O ministro do Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes ironizou a ida do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) juntamente com empresários à sede do Supremo, em maio, quando Bolsonaro visitou de surpresa o presidente do STF, ministro Dias Toffoli.
“Talvez o presidente estivesse querendo um sócio para carregar caixões”, afirmou Gilmar Mendes, durante entrevista ao programa CNN 360, na CNN Brasil.

Em 7 de maio, Bolsonaro fez um apelo a Toffoli, juntamente com uma comissão de 15 empresários, alertando sobre os riscos de um colapso na economia durante a crise do novo coronavírus. O encontro não estava marcado nas agendas nem de Bolsonaro nem de Dias Toffoli.

Na resposta, o ministro disse acreditar que o STF causou irritação no governo ao determinar que estados e municípios poderiam decidir sobre as próprias regras de isolamento social durante a pandemia da Covid-19.

“O STF tem provocado algum tipo de irritação e eu tento adivinhar uma das causas: foi o Supremo ter firmado aquela jurisprudência de que estados e municípios não tinham que se submeter às prescrições emanadas da União desde que seguisse as regras da OMS. Por isso, talvez, venha causando tanta irritação no âmbito do poder Central e talvez explique não somente as rezas, mas também a travessia que o presidente fez vindo até aqui com os empresários. Eu até já brinquei dizendo talvez o presidente estivesse querendo um sócio para carregar caixões”.

As rezas citadas por Mendes foram realizadas na tarde desta sexta, por lideranças evangélicas ao lado do presidente. Na porta do Palácio do Planalto, figuras como R.R. Soares e Silas Malafaia estenderam as mãos em direção ao STF e fizeram preces em pedidos de união aos Poderes.

‘SONEGAÇÃO DE INFORMAÇÃO’ E CORTINA DE FUMAÇA

A respeito da pandemia do novo coronavírus, o ministro classificou como “sonegação de informações” a mudança de horário pelo Ministério da Saúde na divulgação dos dados diários da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Segundo ele, esse movimento abre precedente para questionar a confiabilidade dos dados repassados.

Inicialmente, na gestão de Luiz Henrique Mandetta, os números de casos confirmados e de mortes nas últimas 24 horas eram divulgados por volta das 17h. Quando Nelson Teich foi ministro, a coletiva de imprensa foi passada para às 19h e juntamente com a presença de outras figuras ministeriais. Nos últimos três dias, no entanto, a pasta tem soltado os dados somente às 22h.

“Há um dever de publicidade, as autoridades têm de informar o quadro. Enquanto gastamos essa energia imensa com querela política, atingimos um número trágico e mórbido de 35 mil mortes no país, 1,5 mil mortes por dia. Quando se começa a fazer esse movimento político, de sonegar informações, a própria confiabilidade dos números passa a ser também colocada em xeque”.

Mais cedo, em uma postagem no Twitter, Gilmar cobrou publicamente a divulgação dos dados como uma “questão de saúde pública”.

Secretário de Bolsonaro recusou-se de usar máscara em avião comercial

O secretário de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten , recusou-se a usar uma máscara de proteção contra a Covid-19, durante um voo da Gol, de Brasília a Guarulhos, às 19h25 desta quinta-feira.

Diante da reclamação de outros passageiros, a aeromoça interveio e pediu a Wajngarten que colocasse a máscara. O secretário argumentou que não precisava por já ter contraído Covid-19.

PSB quer convocar o ministro da Saúde

OPOSIÇÃO VAI AO STF, TCU E QUER CONVOCAR PAZUELLO POR TRANSPARÊNCIA NOS DADOS DE COVID

Guilherme Amado/Revista Época
O PSB entrará com uma ação no STF e uma representação no TCU para garantir a transparência das informações referentes à evolução da Covid no país.
Segundo o líder do partido na Câmara, Alessandro Molon, do Rio de Janeiro, também será apresentado um pedido de convocação para o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para que ele explique por que o governo está escondendo os dados sobre o avanço da Covid-19 no Brasil.
“Bolsonaro está desesperado para manipular o número de mortos por Covid-19, que sobe aceleradamente por causa da irresponsabilidade dele. Negar a realidade é regra nesse governo. Neste caso, ainda mais preocupante, pois a não divulgação de dados impede o combate eficaz ao coronavírus”.

O ministro Bruno Dantas, do TCU, também estuda apresentar uma proposta para que o tribunal e os tribunais estaduais recolham,
consolidem e divulguem eles mesmos, às 18h, os dados que o Ministério da Saúde tem tido dificuldades para apresentar diariamente, sobre a pandemia.

”Com as novas dificuldades para divulgar dados nacionais de infectados, curados e óbitos da Covid-19, as instituições devem ajudar. Cogito propor ao TCU e aos tribunais de contas estaduais que requisitemos e consolidemos dados estaduais  para divulgação diária até 18h”, escreveu ontem no Twitter.

Governo do Estado prevê abertura de 145 novos leitos nos próximos 15 dias

O Plano de Contingência do Governo do Estado do Rio Grande do Norte para a abertura progressiva de leitos Covid-19 prevê a abertura de mais 145 leitos nos próximos 15 dias. São 83 UTIs, 60 leitos clínicos e 2 leitos de estabilização. Os 40 novos respiradores recebidos esta semana estão incluídos na instalação destes leitos. A administração estadual já abriu 309 leitos Covid, sendo 182 críticos, alguns em parceria com gestões municipais, e 127 clínicos.

Com base na demanda do quadro epidemiológico, estão em fase de instalação leitos no Hospital João Machado em Natal (25 UTIs e 10 clínicos), Hospital São Luiz em Mossoró (10 UTIs), Assú (3 leitos clínicos e 2 de estabilização), Hospital Regional do Seridó em Caicó (8 UTIs), Hospital Regional de Pau dos Ferros (2 UTIs e 16 leitos clínicos), Santo Antônio (5 UTIs e 6 leitos de retaguarda), João Câmara (10 UTIs e 10 leitos clínicos), Macaíba (10 UTIs e 5 leitos clínicos), São Paulo Potengi (6 UTIs e 10 leitos clínicos) e, em parceria com os municípios, Santa Cruz (mais um leito com respirador, já tem 4) e São Gonçalo do Amarante (6 UTIs).

O secretário adjunto de Saúde, Petrônio Spinelli, ressaltou, entretanto, que os novos leitos só serão eficazes se o isolamento aumentar. “Há uma relação direta entre o baixo isolamento e o aumento da contaminação, das internações e de óbitos”, enfatizou na entrevista coletiva de apresentação dos dados epidemiológicos e ações do Governo no enfrentamento à Covid neste sábado, 06.

A taxa de isolamento social vem há mais de duas semanas com índice médio em torno de 40% e nesta sexta-feira foi de 39,35%, quando o mínimo necessário recomendado pela Organização Mundial da Saúde é de 60%.

O Governo tem intensificado parcerias com as prefeituras para aumentar o isolamento social, conclamando união para o Pacto pela Vida, e viabilizar estratégias para abertura de novos leitos. “Nas cidades em que firmaram o Pacto com o Estado, o que já se percebe é um maior cumprimento do isolamento”, frisou Spinelli.

Secretário de Saúde de Natal alerta para o avanço e gravidade da pandemia e cobra providências do Governo do Estado

Hospital de Campanha da Prefeitura de Natal já está com 70% de ocupação  e com seus 20 leitos de UTI ocupados. Caso seja mantido aceleração da pandemia o sistema vai colapsar.

O Secretário de Saúde Natal (RN) George Antunes, endossou coro daqueles que cobram com urgência a instalação de um Hospital deCampanha por parte do Governo do Estado. Ele alega que a demanda de novos pacientes vem crescendo e teme que a capacidade do Hospital Municipal de Campanha se esgote no começo da próxima semana. Com 100leitos clínicos e mais 20 de UTI, o HC de Natal já tem uma ocupação de 70%.

ALERTA DO SECRETÁRIO

“Argumentamos a necessidade e a urgência do Governo do Estado para abrir um Hospital de Campanha, porque se não fizer isso, vai ficar o município de Natal tendo de abrir leitos todos os dias e não estamos recebendo pacientes só de Natal. Nossas UPAs estão lotadas de pacientes de todos os lugares”, afirmou. E complementou: “Pode até ser no João Machado, contanto que abra mais leitos de internação”.

DECRETO

Na avaliação do titular da saúde de Natal (RN), foi positivo o novo decreto do EStado, com medidas mais rígidas, mas ele insiste que o Executivo estadual precisa abrir seu Hospital de Campanha. Segundo ele, o decreto “deu uma tranquilidade maio” e “a preocupação diminuiu, mas existe aquele estado de alerta”, disse.

TN

RN registra 9.449 pessoas infectadas e 410 mortes por Covid-19


A Secretaria de Estado e Saúde Pública-Sesap atualizou os números do coronavírus no Rio Grande do Norte neste sábado (6) com a divulgação dos dados em entrevista coletiva. Os números foram informados pelo secretário adjunto da Sesap, Petrônio Spinelli.

O número de casos confirmados chega a 9.449. Foram registrados apenas 9 nas últimas 24h.

O total de vítimas do covid-19 no RN chega a 410, são 23 óbitos a mais que os registrados no último boletim. Oito óbitos ocorreram de fato nas últimas 24h, os demais foram registros confirmados através de exames, conforme informou o secretário adjunto.

São 18.841 casos suspeitos e 16.733 descartados. Há ainda 63 óbitos sob investigação.

Prefeito Álvaro Dias determina ampliação do horário de atendimento nas UPAS de Natal

Dez Unidades Básicas de Saúde (UBS) estão funcionando em horário estendido para auxiliar ao combate da Covid-19 (Coronavírus) na capital. O atendimento estendido funciona de segunda à sexta, sempre até às 19h ou 20h, dependendo da unidade de saúde.

Pacientes sintomáticos do Covid-19 (Coronavírus) são o foco do atendimento, e devem procurar as UBS se apresentarem sintomas leves de gripe, como tosse, coriza e dor na garganta. Para esses casos, não há necessidade de retirar ficha e uma equipe de profissionais da saúde estará trabalhando para atender a demanda.

Confira os endereços das UBS que estão com horário estendido:

🏥DISTRITO SANITÁRIO NORTE I

UBS PAJUÇARA – Rua Maracaí, S/N – PAJUÇARA – DAS 7h às 19h

UBS NOVA NATAL – Rua do Pastoril, S/N, Conjunto – LAGOA AZUL – 7h às 19h

🏥 DISTRITO SANITÁRIO NORTE II

UBS PANATIS – Rua Milton Servita Brito, nº 994 – POTENGI – 7h às 19h

UBS VALE DOURADO – Rua irmã Vitória, 706 N. Srª. DA APRESENTAÇÃO – 7h às 19h

🏥 DISTRITO SANITÁRIO LESTE

UBS SÃO JOÃO – Av. Romualdo Galvão, nº891 – TIROL – 8h às 20h

UBS BRASÍLIA TEIMOSA – R. Miramar, nº32 – PRAIA DO MEIO – 7h às 19h

🏥 DISTRITO SANITÁRIO OESTE

UBS FELIPE CAMARÃO II – R. Santa Cristina, s/nº – FELIPE CAMARÃO – 8h às 20h

UBS BOM PASTOR – R. Augusto Calheiros, nº01 BOM PASTOR – 8h às 20h

🏥DISTRITO SANITÁRIO SUL

UBS NOVA DESCOBERTA – AV. XAVIER DA SILVEIRA NOVA DESCOBERTA – 8h às 20h

UBS ROSANGELA LIMA RUA SANTA BEATRIZ, 11, PLANALTO – 7h às 19h

Coronavírus: Brasil tem 35.026 mortes e 646.006 casos confirmados


O Ministério da Saúde atualizou para 35.026 o número de mortes em decorrência do novo coronavírus no Brasil nesta sexta-feira (5). Ao todo, também foram confirmados 646.006 casos da Covid-19 no país.

Pelo quarto dia consecutivo, o Brasil registrou mais de 1.000 mortes contabilizadas nas últimas 24 horas, desta vez com 1.005.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA), o Brasil continua sendo o segundo país com mais casos da doença. Em números absolutos, fica atrás apenas dos Estados Unidos, que têm 1,6 milhão de casos. Em número de mortes, o Brasil é o quarto país mais afetado, atrás somente dos EUA (106 mil), Reino Unido (39 mil) e Itália (33 mil).

O ministério – agora sob o comando interino do general Eduardo Pazuello -, porém, tem informado que o número real de casos tende a ser maior, já que são testados apenas os casos graves, de pacientes internados em hospitais, e há casos represados à espera de confirmação.

O Brasil confirmou o primeiro caso de Covid-19 em 26 de fevereiro. Um homem de 61 anos de São Paulo contraiu o coronavírus em viagem à Itália, que tem alta taxa de casos da doença.

A primeira morte foi confirmada 20 dias depois, em 17 de março. O paciente era um homem de 62 anos que tinha diabetes e hipertensão. Ele estava internado na UTI do Hospital Sancta Maggiore Paraíso desde o dia 14 e morreu no dia 16. Ele não tinha histórico de viagem para o exterior.

Siga o Yahoo Notícias