Arquivo diários:09/06/2020

Medicamento antiviral remdesivir desacelera avanço da Covid-19 em macacos


O remédio antiviral da Gilead Sciences remdesivir preveniu doenças pulmonares em macacos infectados com o novo coronavírus, segundo um estudo publicado na revista médica Nature nesta terça-feira (9).

O remdesivir, que não é vendido comercialmente, foi liberado para uso emergencial em pacientes graves nos Estados Unidos, na Índia e na Coreia do Sul. Algumas nações europeias também estão utilizando o remédio em programas compassivos.

Os testes do medicamento em humanos estão em andamento, e dados iniciais mostraram que o remédio ajudou os pacientes a se recuperarem mais rapidamente da Covid-19, infecção respiratória causada pelo novo coronavírus.

No estudo, 12 macacos foram deliberadamente infectados com o vírus e metade deles recebeu tratamento precoce com remdesivir.

Os macacos que receberam remdesivir não mostraram sinais de doença respiratória e apresentaram reduzidos danos aos pulmões, de acordo com os autores do estudo.

Secretaria da Saúde volta alertar da importância do isolamento social

Os números da Covid-19 em todo o Rio Grande do Norte nesta terça-feira, 09, de acordo com os registros da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), é 11.011 casos confirmados (mais 123 em relação a ontem), 23.092 suspeitos, 19.576 descartados, 459 óbitos confirmados (5 nas últimas 24 horas, 23 em dias anteriores) e 104 óbitos em investigação.

A taxa de isolamento é de 49,58 % (ontem foi de 49,6%), ainda muito baixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que é entre 60 e 70% para permitir o controle mais efetivo da pandemia. E há 664 pessoas internadas em hospitais das redes pública e privada – 340 em leitos críticos e 324 em leitos clínicos.

Ao apresentar os números de hoje, o responsável técnico pelo Núcleo de Estratégia de Saúde da Família na Sesap, Hugo Cesar Novais disse que os números de casos Covid de hoje são reflexo do baixo isolamento social dos últimos 15 dias. De acordo com o comportamento apresentado pela pandemia, também é pertinente afirmar que o baixo isolamento atual terá reflexo nas ocorrências de casos nos próximos 15 dias devido ao período de incubação do vírus na pessoa infectada antes da apresentação dos sintomas.

A articuladora e coordenadora de Redes de Atenção da Sesap, Samara Pereira Dantas, informou que todas as oito regionais de saúde do RN estão sendo visitadas pelas equipes técnicas da secretaria e que a expansão de leitos considera a curva epidemiológica e as necessidades regionais. A interiorização de leitos contempla leitos críticos, clínicos e de estabilização em cooperação com os municípios para fortalecer também a atenção primária à saúde.

Ela ressaltou a necessidade de todos manterem o isolamento, o distanciamento social e a higiene. “É preciso a cooperação de todos para fortalecer o Pacto em Defesa da Vida. Baixa taxa de isolamento reflete diretamente no número de contaminados e internações”, reforçou.

Coronavírus não livra ninguém, agora infectou o segundo deputado estadual

Primeiro o coronavírus pegou o deputado Hermano Moraes, agora  o deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) que confirmou nesta terça-feira (09) que testou positivo para a Covid-19. O exame clínico feito ontem pelo deputado diagnosticou a presença do novo coronavírus. O estado de saúde do parlamentar é bom, estável e ele se recupera em isolamento domiciliar, como determina as autoridades de saúde. “Estou em isolamento domiciliar e seguindo as recomendações médicas na luta contra a Covid-19”, disse o deputado.

Após a confirmação da Covid-19, o deputado afirmou que continuará participando das atividades legislativas e das sessões remotas da Assembleia Legislativa do RN durante o período da quarentena.

 

Sara Winter tentou asilo político nos Estados Unidos, diz advogado


A embaixada dos Estados Unidos negou asilo político à ativista Sara Winter. A informação foi dada pelo advogado da ativista Bertoni Barbosa de Oliveira para o jornal Correio Braziliense. Segundo Oliveira, a solicitação foi feita de maneira informal, em uma articulação junto à embaixada.

De acordo com o advogado, a negativa ocorreu por conta da pandemia do novo coronavírus e a restrição que os EUA impôs para a entrada de viajantes vindos do Brasil. “Ela teria que ficar na embaixada sem se pronunciar, porque tem algumas regras. Então, ela não poderia fazer o que faz hoje. Teria que ficar quietinha até a abertura, que ninguém sabe quando”, disse Oliveira ao Correio Braziliense.

O pedido de asilo político foi feito pela defesa após o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, pedir à Procuradoria Geral da República (PGR) investigação de Sara por declarações nas quais ela ameaça o ministro.

Ainda segundo o advogado, ele diz ter tido informação de que havia um pedido de prisão contra Sara Winter, mas o pedido foi arquivado. Procurado pela reportagem do Correio Braziliense, o Ministério Público Federal (MPF) no Distrito Federal informou apenas que as investigações contra Sara continuam.
Finte: IstoÉ

Sobriedade X pânico marcam nova reunião ministerial de Bolsonaro

A reunião desta terça-feira passou um tom sóbrio dos participantes, ao contrário do dia 22 de abril. Hoje, porém, Bolsonaro acusou a imprensa de propagar o ”pânico’

Por Iracema Amaral

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reuniu nesta terça-feira, no Palácio da Alvorada, o conselho de ministros, com transmissão ao vivo pela TV Brasil. A reunião serviu para enumerar medidas do governo no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus no país, com relatos de ministros e slides.

Antes de cada um dos 13 ministros elencados para o breve resumo, Bolsonaro abriu o encontro reiterando a defesa do fim do isolamento social e ironizando, mais uma vez, a cobertura da imprensa brasileira dos desdobramentos da pandemia no país.

Para o presidente, as informações apuradas e reportadas à sociedade não passaram de “pânico pregado pela mídia lá trás”. Bolsonaro fez a avaliação com base na informação da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgada nessa terça-feira, de que a contaminação a partir de pacientes assintomáticas “é muito rara” .
Ainda nessa segunda-feira (8), o presidente se posicionou sobre o anúncio feito pela representante da OMS em uma rede social: “Após pedirem desculpas pela hidroxicloroquina, agora a OMS conclui que pacientes assintomáticos (a grande maioria) não têm potencial de infectar outras pessoas. Milhões ficaram trancados em casa, perderam seus empregos e afetaram negativamente a economia”.

Bolsonaro também voltou a eximir o governo federal de responsabilidade sobre os desdobramentos da pandemia na economia. Ele lembrou que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu dar autonomia a estados e municípios para definirem sobre a extensão do confinamento social. “Praticamente ficamos com a distribuição apenas de recursos”, afirmou o presidente.

Extrema Imprensa

“Não há governo nos últimos 30 anos que foi mais transparente do que esse”, disse o ministro da Cidadania, Onyx Lorezoni, antes de começar a fazer um resumo das ações da pasta que comanda.

Segundo ele, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, vai “colocar por terra as mentiras” publicadas pela “extrema imprensa” contra o governo nos último dias.

Pazuello foi convocado a prestar esclarecimentos, nesta terça-feira, na Câmara dos Deputados, sobre dados oficiais da pandemia no Brasil. Desde a última sexta-feira, a divulgação dos dados da pandemia tem sido retardada e mudada. As mudanças teriam ocorrido por determinação do presidente Jair Bolsonaro.

Nessa terça-feira, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou que o governo volte a dar transparência na divulgação dos dados.

A reunião desta terça-feira (9), que ocorreu após o presidente anunciar que nunca mais deixaria gravar uma reunião ministerial, trouxe a novidade de um tom mais sóbrio dele próprio e também dos ministros, sem uso de palavrões ou ameaças a autoridades de outros poderes, diferentemente da reunião do último dia 22 de abril.

A gravação dessa reunião é objeto de análise como prova de processo instaurado a partir de acusação do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro de interferência do presidente na Polícia Federal.

No vídeo é possível verificar não só palavrões, ditos pelo presidente contra governadores, mas também ameaças e defesa de prisões de ministros do STF, feitas pelo ministro Abraham Weintraub (Educação), de prefeitos e governadores, ditas por Damares Alves ( Direitos Humanos).

Outro ponto polêmico foi o atropelamento de papel constitucional do Congresso Nacional, por meio da defesa do ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) de “passar a boiada”, termo usado para sugerir a aprovação de normas à revelia do Parlamento.

Ministro da Saúde anuncia novos protocolos para tratamento da Covid-19

Ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, apresenta novos protocolos para tratamento da Covid-19 em reunião ministerial. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O Ministério da Saúde anunciou, nesta terça-feira (9), a mudança em dois protocolos relativos a testagem em massa e manejo de pacientes com coronavírus. Sem mencionar diretamente a cloroquina, o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, afirmou que os pacientes com sintomas da Covid-19 devem procurar imediatamente as unidades de saúde para diagnóstico e prescrição de medicamentos.

A partir dessa mudança, os pacientes não devem esperar o agravamento do quadro para procurar as unidades de saúde. A orientação prevê que o diagnóstico pode ser clínico, ou seja, feito a partir da avaliação do médico, que deve fazer a prescrição de medicamentos e iniciar o tratamento o mais rápido possível.

“Pode ser realizado o teste, o que muda é que não precisa esperar o resultado do exame para iniciar o tratamento”, apontou Pazuello, em reunião ministerial do Executivo, no Palácio da Alvorada, transmitida ao vivo.

Em relação ao manejo de pacientes, o ministério orienta que a UTI deve ser a última opção no tratamento. O novo protocolo prevê que pacientes sejam encaminhados para unidades de suporte ventilatórios, depois para unidades de tratamento semi-intensivo, caso haja agravamento do quadro, façam uso de respiradores ainda nas unidades de suporte e, por fim, sejam transferidos para UTI.

“Temos que tratar antes do agravamento, para evitar que esse paciente chegue a UTI”, indicou.

Prefeitura de Natal enfrenta sobrecarga com o prefeito beirando um esgotamento


Pessoas amigas e colaboradores do prefeito de Natal Álvaro Dias estão preocupados com seu exagerado ritmo de trabalho. Álvaro tem trabalhado duro para responder os grandes problemas provocados pela pandemia.
Com todas as UPAS funcionando com uma sobrecarga, depois de montar em tempo recorde o Hospital de Campanha, verificando que muitos prefeitos irresponsáveis fazendo ambulânciaterapia enviando pacientes para Natal, Álvaro ainda tem que resolver problemas  com alguns assessores que em vez de criarem soluções criam dificuldades.
Segundo uma fonte do Blog do Primo, o prefeito tem sido um gigante no enfrentamento dos problemas, mas pode entrar num estágio de esgotamento.
Ontem ele comandou pessoalmente ao lado do também dedicado e eficiente secretário de Saúde, George Antunes a instalação dos 50 respiradores comprados com recursos próprios da Prefeitura de Natal.
Enquanto Natal está perto de um caos, muitas pessoas não colaboram com o isolamento social.

TSE cobra R$ 27 milhões de partidos por mau uso do Fundo Partidário

Dos 32 partidos existentes em 2014, 31 foram condenados por irregularidades em uso de dinheiro; expectativa é que multas sejam pagas até o fim do ano

Em ano de eleições municipais, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) espera receber R$ 27,2 milhões em multas aplicadas a partidos condenados por mau uso do Fundo Partidário. As penas são relativas à prestação de contas de 2014. Como a Justiça Eleitoral tem até cinco anos para julgar a contabilidade dos partidos, e há ainda prazo para apresentação de recursos, a expectativa é que os valores sejam pagos neste ano.

A cifra milionária abre um debate sobre o uso do Fundo Partidário, que é formado por verba pública e multas eleitorais. O valor é repassado mensalmente aos partidos para custeio de despesas diárias, como contas de luz, água e aluguel. Dos 32 partidos existentes em 2014, 31 foram condenados por irregularidades no uso do dinheiro. Foram onze contas aprovadas com ressalvas e 20 desaprovadas. Apenas o PPL, Partido Pátria Livre, teve as contas totalmente aprovadas. A legenda não existe mais: no ano passado, foi incorporada ao PCdoB.

Além de serem punidos com o pagamento de multas, 17 legendas tiveram suspensos repasses de cotas do Fundo Partidário por período determinado, de acordo com o caso específico.

Entre as irregularidades apontadas, ao menos 23 partidos deixaram de cumprir a cota mínima de 5% do total de recursos recebidos do Fundo Partidário para programas de incentivo à participação feminina na política, conforme prevê a Lei dos Partidos Políticos. Como penalidade, as legendas que descumpriram essa regra devem investir agora o percentual de participação feminina, com o acréscimo de multa de 2,5% no valor. No total, terão de investir R$ 5,5 milhões.

Foram condenados a devolver maior quantia aos cofres públicos o Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido Humanista da Solidariedade (PHS) e o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). No caso do PT, a multa aplicada foi de R$ 6,9 milhões, correspondentes à quantia do Fundo gasta de forma irregular. A legenda também terá de investir R$ 2,8 milhões na participação de mulheres na política. O TSE ainda suspendeu um mês do repasse do Fundo Partidário, no valor de cerca de R$ 930 mil.