Arquivo diários:18/06/2020

Com 1.238 novos óbitos nas últimas 24 horas, Brasil chega a 47.748 vítimas fatais


Segundo país em número de casos confirmados e mortes por Coronavírus, o Brasil tem, até o momento, 47.748 óbitos e 978.142 diagnósticos positivos da doença, segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Nas últimas 24h, foram registrados mais 1.238 falecimentos e 22.765 novos casos.

Os estados com mais pacientes diagnosticados são São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Pará e Maranhão, todos com mais de 60 mil casos confirmados. O ranking das unidades federativas com mais mortes é semelhante, mas Pernambuco (4.057 óbitos) fica no lugar do Maranhão (1.607).

Bolsonaro reúne assessores para reagir à prisão de Queiroz

Segundo integrantes do governo, presidente convocou o ministro da Justiça, André Mendonça, e o ministro Jorge Oliveira para uma reunião no Palácio do Planalto na manhã desta quinta-feira
Jussara Soares e Julia Lindner

BRASÍLIA – Após a prisão do ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz, o presidente Jair Bolsonaro convocou na manhã desta quinta-feira, 18, seus principais auxiliares para traçar uma estratégia de reação. O clima no governo é tenso e o desafio do Planalto é como explicar o envolvimento do advogado Frederick Wassef, que representa o senador Flávio Bolsonaro e o presidente, no “desaparecimento” de Queiroz.
Na manhã desta quinta-feira, 18, convocou o ministro da Justiça, André Mendonça, para uma reunião no Palácio do Planalto. O encontro não estava previsto na agenda. O ministro Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência e subchefe de Assuntos Jurídicos, e assessores do gabinete também participaram da conversa, segundo integrantes do governo. O Estadão apurou que Flávio Bolsonaro voltou o Rio com a família na manhã de quarta-feira.

Vídeo da prisão de Fabrício Queiroz

Em entrevista à CNN, o caseiro do local havia dito que ali funcionaria um escritório de advocacia e que Fabrício Queiroz estava lá se tratando contra o câncer. No entanto, as imagens revelam que o imóvel estava organizado como uma residência: com quartos, cozinha e sala de estar.

Os policiais relatam que, no momento em que chegaram, Fabrício Queiroz estava dormindo, e ele não teria ouvido o chamado dos agentes porque teria tomado um remédio para dormir.

O delegado da Polícia Civil que acompanhou o mandado informou que ele não estava armado e não ofereceu qualquer tipo de resistência. Fabrício também se disse à disposição dos policiais. Apenas destacou que sua saúde estaria debilitada.

Alvo de prisão preventiva e de busca e apreensão, a operação apreendeu documentos e equipamentos, como celulares.

Casa onde Fabrício Queiroz foi preso tinha cartaz com ‘AI-5’

Um cartaz com referência ao AI-5 (Ato Institucional número 5) foi encontrado na residência onde foi preso Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), na manhã desta quinta-feira (18), em Atibaia, no interior de São Paulo.

Considerado o mais duro dos atos institucionais do período da ditadura militar (1964-1985), o AI-5 autorizava o presidente da República a decretar o recesso do Congresso Nacional, das assembleias legislativas e das câmaras de vereadores, cassar mandatos de parlamentares e suspender direitos políticos dos cidadãos.

O cartaz, em amarelo e com um símbolo da bandeia nacional, estava em cima de uma lareira ao lado de bonecos do mafioso Tony Montana de ‘Scarface’. O filme do diretor Brian de Palma, lançado em 1983, consagrou Al Pacino no papel de um refugiado cubano que chega aos Estados Unidos sem nada e se torna um poderoso chefão do tráfico de drogas de Miami.

Há informações de que Queiroz residia no local há cerca de um ano, segundo a Polícia Civil em entrevista à emissora Globonews. A casa pertence a Frederick Wassef, advogado de Jair Bolsonaro (sem partido) e Flavio. Apesar de abrigar Queiroz em sua casa há um ano, Wassef disse em setembro de 2019 que não sabia onde o ex-motorista da família Bolsonaro estava.

Além da inconsistência na versão apresentado por Wassef em setembro, o advogado agrava a crise gerada pela prisão de Queiroz, aproximando-a ainda mais ao governo Bolsonaro. Nesta quarta-feira (17), Wassef esteve na posse de Fábio Faria (PSD-RN), novo ministro das Comunicações.

MP pediu prisão de Queiroz por suspeita de obstruir investigação das ‘rachadinhas’, diz TV

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) pediu a prisão de Fabrício Queiroz por ter encontrado indícios de que o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) continuava cometendo crimes. Queiroz foi encontrado em Atibaia (SP), na casa do advogado de Jair Bolsonaro (sem partido), e está preso na capital fluminense. As informações são da TV Globo.

Segundo a emissora, os investigadores trabalham com a versão de que Queiroz manipulava provas para atrapalhar investigações que apuram o esquema das rachadinhas, além de pressionar testemunhas.

Queiroz, ex-assessor e ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro, foi preso no interior paulista, na casa que pertence a Frederick Wassaf, advogado de Jair e Flavio Bolsonaro. Agora, ele se encontra preso no presídio de Benfica, no Rio de Janeiro.

De acordo com a TV Globo, o MP considerou três linhas para solicitar a prisão preventiva (sem prazo definido): Querioz ainda continuaria cometendo ilegalidades, estava fugindo e poderia estar manipulando provas para obstruir as investigações.

Queiroz estaria trabalhando para ocultar a condição dos funcionários fantasmas que eram contratados por Flávio Bolsonaro, quando ainda era deputado estadual. Além disso, Queiroz ainda poderia estar apagando registros de outras ilegalidades.

Sempre crescendo os registros de óbitos no RN, agora são 655


A Secretaria de Estado e Saúde Pública-Sesap atualizou os números do coronavírus no Rio Grande do Norte nesta quinta-feira(18). O número de casos confirmados chega a 15.889, enquanto no boletim dessa segunda-feira(15) eram registrados 15.690.

Nas últimas 24 horas foram confirmadas onze mortes. O total de vítimas do covid-19 no RN chega a 655 – (29) óbitos a mais que a atualização do boletim dessa quarta-feira(17).

As demais mortes foram confirmadas ao decorrer dos dias após exames laboratoriais.

Os casos suspeitos chegam a 24.641. Descartados somam 24.974. Recuperados são 2.035.

Fabrício Queiroz é levado para presídio de Benfica, no Rio

O helicóptero que trouxe Fabrício Queiroz de São Paulo chegou ao Rio de Janeiro e pousou no Aeroporto de Jacarepaguá na zona oeste da cidade. De lá, ele seguiu para o Instituto Médico-Legal (IML) para exames e foi levado para o presídio de Benfica, na zona norte do Rio. Ele foi preso nesta quinta-feira (18), na cidade de Atibaia, no interior de São Paulo, por agentes do Ministério Público e da Polícia Civil do estado, na Operação Anjo.

De acordo com o Ministério Público de São Paulo, ele foi encontrado no sítio de um advogado que presta serviços ao senador Flávio Bolsonaro.

As investigações do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) que levaram à prisão do ex-assessor e ex-motorista do então deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) começaram em 2018 com a divulgação de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que apontou movimentações suspeitas nas contas de parlamentares, assessores e servidores públicos da Alerj, entre eles, Fabrício Queiroz. Essa investigação levou à instauração de 22 procedimentos investigatórios criminais, de acordo com o MP, com o objetivo de esclarecer suposta participação de parlamentares e de servidores nas movimentações de valores.

Esse relatório surgiu durante a Operação Furna da Onça, um desdobramento da Operação Cadeia Velha. As duas resultaram na prisão de parlamentares da Alerj, segundo o MPRJ, por indícios de participação em esquema de propinas ligado à organização criminosa liderada pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral

Primando por Parnamirim: comedoras de corda

Taveira e Leda, rindo e mangando do tempo

Quem pensa que o prefeito Rosano Taveira é burro está cometendo um grande erro.
Taveira tem montado um jogo político para dividir e fragmentar à oposição sabendo que numa eleição de apenas um turno sua vitória está no papo.
Espertamente Taveira sabe que às candidaturas da vereadora Nilda e da vice-prefeita Elienai Cartaxo garante sua reeleição.
Segundo o soldado Vasco, ardilosamante o prefeito Taveira tem gratificado e infiltrado pessoas nos grupos de Nilda e Elienai para dá corda a ambas manterem suas candidaturas.

Tanto Nilda como Elienai estão comendo corda e mesmo sendo candidatas de oposição, inocentemente são as maiores colaboradoras da reeleição de Taveira.
Aos infiltrados doadores de cordas, Taveira gratifica bem pelo excelente trabalho.

Com as candidaturas de Nilda e Elienai, Taveira está rindo à toa e já mandou fazer o vestido da Alda Leda e seu paletó da posse.

URGENTE: Queiroz é preso em chácara de advogado de Flávio Bolsonaro no interior de São Paulo

Policia militar aposentado estava em um imóvel do advogado do filho do presidente no interior de São Paulo


Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, foi preso na manhã desta quinta-feira, 18, em Atibaia, no interior de São Paulo. O mandado faz parte das investigações sobre o suposto esquema de “rachadinha” na Assembleia do Rio de Janeiro. A informação foi divulgada pela TV Globo.
O policial militar foi encontrado em um imóvel que pertence ao advogado do filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro. A prisão dele foi fruto de uma operação conjunta entre Polícia Civil e Ministério Público de São Paulo.
Na época que trabalhava no gabinete do atual senador no Rio de Janeiro, Queiroz teria movimentado R$ 1,2 milhão em sua conta, a quantia chamou a atenção e foi considerada atípica pelo Conselho de Atividades Financeiras.

Do Blog do Primo: o cerco contra o Presidente Bolsonaro está aumentando. Diante de tentos fatos relevantes, certamente teremos fortes desdobramentos. Estou convencido que o Queiroz corre sérios riscos de vida. Vamos aguardar..

Carla Zambelli chora e ameaça derrubar ministros do STF: “vocês podem se preparar”


A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) fez ameaças aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em uma transmissão ao vivo nessa quarta-feira (17). Investigada nos inquéritos das fake news e de atos antidemocráticos, a parlamentar chorou e afirmou ser vítima de perseguição.
Zambelli pediu ao ministro Alexandre de Moraes, que ordenou a quebra de sigilo bancário dela e de outros parlamentares bolsonaristas, a publicização das informações obtidas para demonstrar que ela não financia e nem organiza uma industria de notícias falsas.
“Você faz tudo certinho e por causa de um cara que não vai com a tua cara… E por que ele não vai com a tua cara? Por que você está chamando atenção demais, porque você fala demais”, afirmou ela, enquanto chorava, em uma rede social.

A parlamentar, uma das maiores apoiadores de Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que entrou na vida pública para desmascarar corruptos.

“Quem deveria ter quebra de sigilo bancário são uns 300 deputados. Pelo menos uns 300. Eu não estou chorando de tristeza, estou chorando de raiva. Porque entrei nessa vida política para desmascarar os corruptos, não ser confundida com eles”, alegou Zambelli.

Na visão de Zambelli, suas posições contrárias aos ministros do STF tem motivado uma perseguição a ela.

“Uma das coisas do inquérito é isso, eu pegando o microfone na frente do STF e dizendo: ‘Ministros, se vocês acabarem com a Lava Jato, a gente vai entrar com impeachment de cada um de vocês e a gente vai derrubar cada um de vocês’. Esse é o motivo do inquérito das fake news. Sou eu, discursando em frente ao STF, dizendo algo que legitimamente a gente pode fazer, que é o impeachment dos ministros do STF, que querem acabar com a Lava Jato. A Lava Jato. Do [Sergio] Moro. Eles não vão nos calar”.

Apesar de ser alvo das investigações, Zambelli promete seguir sua conduta e pediu que os ministros do STF “se preparem”.

“Se foi isso que ‘startou’ o processo, vocês podem se preparar. Enquanto você estiverem cometendo esses tipos de abuso, continuarão sofrendo processos de impeachment. Tem um detalhe, Alexandre de Moraes. Quanto mais você achar que batendo você vai nos calar, mais eu vou ver motivos para contar quem são vocês. E não é na base da ameaça”, disse Zambelli, que afirmou que sua família vem sofrendo ameaças de morte, inclusive seu filho.