Arquivo diários:06/07/2020

Brasil registra 620 mortes nas últimas 24h; 65 mil no total

O país registrou mais 620 óbitos nas últimas 24 horas. segundo o Ministério da Saúde. A pasta também informou 20.229 novos casos de covid-19
Gabriel Araujo

O Brasil registrou nesta segunda-feira mais 620 óbitos em decorrência da Covid-19, atingindo um total de 65.487 mortes relacionadas à doença respiratória provocada pelo novo coronavírus, informou o Ministério da Saúde.

O país também informou 20.229 novos casos de coronavírus, o que eleva a contagem total a 1.623.284. Esse é o menor número diário de novos casos desde 21 de junho, quando pouco mais de 17 mil infecções foram confirmadas. A contagem, porém, tende a desacelerar às segundas, por causa do atraso para processamento dos testes aos finais de semana.

Na semana passada, por exemplo, o Brasil havia registrado cerca de 24 mil novos casos na segunda-feira, mas na quinta atingiu o segundo maior número diário de notificações desde o início da pandemia, com mais de 48 mil infecções.

O número de óbitos segue tendência semelhante. Na segunda-feira passada, foram 692 mortes, mas na sexta o país chegou a registrar quase 1.300 óbitos.

O Brasil é o segundo país do mundo com maior contagem de casos e mortes devido ao vírus, atrás apenas dos Estados Unidos, que possuem cerca de 2,9 milhões de infecções confirmadas e quase 130 mil óbitos.

Padre Zezinho repreende padre que ofendeu Bolsonaro e seus apoiadores: “Não use o púlpito para dividir o povo católico!”

Um padre da cidade de Artur Nogueira, no interior de São Paulo, usou o momento do sermão da missa para chamar Jair Bolsonaro de “bandido” e dizer que quem votou nele deveria se confessar.

O vídeo da missa, celebrada na última quinta-feira (2) pelo padre Edson Adélio Tagliaferro, viralizou nesse domingo (5).

As declarações do padre provocaram polêmica entre o clero católico.

O conhecido Padre Zezinho, de 79 anos, considerado precursor do fenômeno dos padres comunicadores no Brasil, escreveu um texto no qual, sem citar nomes, repreende a atitude do colega sacerdote.

“Padre deve trabalhar para a unidade, mesmo que seu coração seja de direita ou de esquerda ou de centro. A prudência no altar e no púlpito exige dele que anuncie ou denuncie, sem causar rupturas e ódio entre fiéis”, escreveu Zezinho.

Os documentos da Igreja Católica são claros a respeito dos limites do engajamento de padres na política, mas essas normas são historicamente desrespeitadas, a começar por bispos que ajudaram na fundação do PT.

“O púlpito é da Igreja, não do padre. Se tem pretensões políticas, peça licença e siga seu coração direitista ou esquerdista ou centrista. Mas não use o púlpito para dividir o povo católico”, acrescentou Zezinho.

O Antagonista

Wassef diz que provará relação com Bolsonaro: “Vou explodir todo mundo”

Colaboradores Yahoo Notícias

Ex-advogado do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Frederick Wassef diz que guarda “a sete chaves” provas de sua relação com o presidente Jair Bolsonaro(sem partido), segundo o jornalista Lauro Jardim, de O Globo.
“Tenho seis procurações assinadas, tudo o que fiz foi autorizado por ele. Sou advogado do presidente, sim”, disse Wassef a interlocutores.
Wassef, que disse ter abrigado Fabrício Queiroz em sua casa, em Atibaia (SP), por uma “questão humanitária”, pretende conceder em breve uma entrevista à TV sobre a morte do miliciano Adriano da Nóbrega.

“Vou explodir todo mundo em rede nacional ao vivo. Poderosos políticos do Rio mandaram assassinar o Adriano. Tenho provas. Os mesmos caras que executaram o Adriano iriam executar o Fabrício Queiroz”, falou o advogado.

Ex-policial militar, Queiroz foi encontrado no imóvel de Wassef em Atibaia e preso há duas semanas suspeito de operar um esquema de “rachadinhas” (desvio do salário de servidores) no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

Segundo o jornalista, o advogado provará sua estreita relação com o presidente: “Não dá pra negar uma história que está registrada com tantas fotos e filmes. Fora aqueles que eu tenho comigo e que ninguém nem sonha e nem imagina. Está tudo guardado a sete chaves e mesmo se a bandidagem do Rio quiser fazer busca e apreensão não vai encontrar nada”.

Bolsonaro tem sintomas de covid-19 e faz novo exame para detectar doença

Presidente teve febre e foi levado ao Hospital das Forças Armadas em Brasília. Ele disse que está tomando a hidroxicloroquina
Por Correio Braziliense


O presidente Jair Bolsonaro foi submetido a um novo exame de covid-19 nesta segunda-feira (6/7), após apresentar sintomas da doença provocada pelo novo coronavírus. O próprio presidente confirmou que há suspeita de ele estar com a doença, ao retornar ao Palácio da Alvorada, no fim da tarde.

Ao ser abordado por apoiadores que costumam se reunir em frente à residência oficial, Bolsonaro disse que evitaria se aproximar das pessoas por ter ido ao hospital fazer exame de covid-19 e que também avaliou o pulmão. “Está tudo bem”, disse o presidente, que usava máscara.

Mesmo assim, o presidente chegou a ficar perto dos apoiadores.

O resultado deve ficar pronto nesta terça-feira (7/7), ao meio-dia. Bolsonaro apresentou febre de 38ºC e cancelou compromissos por causa da suspeita. Ele foi atendido no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília.

Ele disse à imprensa que o resultado da avaliação do pulmão mostrou bom funcionamento do órgão. Ele afirmou ainda que já está tomando hidroxicloroquina de maneira preventiva, embora não seja esta a recomendação do Ministério da Saúde.

Grupo de risco

O presidente pode ser considerado um integrante do grupo de pessoas que apresentam risco maior de desenvolver forma grave da doença, por já ter 65 anos. Vários integrantes de sua equipe apresentaram a doença desde o início da pandemia, mas, até agora, os testes do presidente resultaram negativo.

Bolsonaro tem resistido em manter o distanciamento social e costuma se aproximar das pessoas ao aparecer em público, seja participando de manifestações públicas em seu apoio, seja passeando por Brasília nos fins de semana.

No sábado passado, Bolsonaro fez uma aparição em público sem usar máscara, ao lado do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman.

Para tratar COVID-19 prefeito de Manaus foi transferido para São Paulo

Foto: reprodução/Twitter

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB-AM), de 74 anos, embarcou na tarde desta segunda-feira (6) para São Paulo, onde vai concluir o tratamento contra a covid-19. Ele embarcou em um aeronave alugada ao lado da esposa, Elisabeth Ribeiro, que também contraiu a doença.

O político, que estava no Hospital Adventista de Manaus, não irá para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo ), no Hospital Sírio Libanês, na capital paulista. Ele não chegou a ser entubado e hoje tem 30% do pulmão comprometido. Segundo auxiliares, ele optou pelo Sírio porque se trata há 30 anos no hospital.

“Recebi todos os cuidados necessários no hospital Adventista e já tenho PCR reduzido para 30%, o que segundo os médicos é muito bom. Preciso fazer outros exames, como da cirurgia para retirada da próstata que fiz há alguns anos, então decidi ir a São Paulo, onde tenho todo meu histórico médico”, disse por meio de nota oficial.

De acordo com o último boletim médico, o prefeito está com “melhora global e mantendo o ar ambiente em boa saturação”. A capital do Amazonas registrou um dos mais dramáticos cenários da pandemia, mas o número de casos caiu para um terço do que foi registrado no auge da crise sanitária.

Primando por Natal: comerciantes articulam indicação do vice do prefeito Álvaro Dias

Marcelo Queiroz e comerciantes tem ótima convivência com o prefeito Álvaro Dias.Faltando 5 meses para eleição, as articulações visando a indicação do vice-prefeito(a) na chapa do atual prefeito Álvaro Dias começou a esquentar.
Álvaro com  ótimo desempenho revelados nas pesquisas de intenção de votos, são muitos os pretendentes.
Um grupo forte e empresários com atuação política partidária está articulando a indicação.
O grupo formado por grandes comerciantes e prestadores de serviços poderão apresentar o nome do Presidente da Fecomércio Marcelo Queiroz, que tem como articulador o secretário-chefe da Casa Civil da Prefeitura Fernando Fernandes que tem a simpatia do prefeito.
O Blog do Primo vai acompanhar de perto todo o processo de escolha.

Bolsonaro veta novas medidas e afrouxa ainda mais lei que obriga uso de máscaras

 

Anita Efraim

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez novos vetos na lei que determina o uso de máscaras durante a pandemia do coronavírus. Ao todo são três alterações na legislação, publicadas nesta segunda-feira, 6, no Diário Oficial da União.
Entre os vetos está a obrigatoriedade de estabelecimentos fornecerem máscaras gratuitamente aos funcionários e colaboradores. Além disso, havia obrigatoriedade de colocar cartazes informativos sobre o uso correto da máscara, o que também foi retirado da lei pelo presidente.

Outra mudança diz respeito aos presídios: não será mais obrigatório o uso de máscaras nos estabelecimentos prisionais e nos locais de cumprimento de medidas socioeducativas.

A justificativa do presidente é de que o uso obrigatório das máscaras já está sendo regulamentada por normas do trabalho. Essas normas, segundo Bolsonaro, abordam a especificidade da máscara e a necessidade de cada setor, “de modo que a proteção individual do trabalhador seja garantida”.

Outro ponto publicano no Diário Oficial da União é de que cabe a estados e municípios elaborar as regras necessárias, já que, por decisão do Supremo Tribunal Federal, os entes federados têm autonomia para decidir sobre as medidas de combate ao coronavírus.

Agora, já são 19 pontos vetados na lei que regulariza o uso de máscaras. Entre as mudanças anteriores, o presidente retirou a obrigatoriedade do equipamento em igrejas, escolas e comércios.

A matéria deve ser aprovada, ou não, por parlamentares. Eles vão votar se aceitam os derrubam os vetos do presidente Jair Bolsonaro.

Avesso ao uso do equipamento de proteção individual, o presidente Jair Bolsonaro já recebeu uma determinação da Justiça para que use máscara no Distrito Federal. Ele recorreu e a decisão foi derrubada.

Em plena pandemia, Moro tira sua máscara e revela sua cara de politiqueiro em entrevista à Globonews

“Se o PT quiser ser competitivo, tem que reconhecer erros do passado”, diz Moro

O ex-ministro da Justiça Sérgio Moroafirmou que o Partido dos Trabalhadores (PT) deve reconhecer os erros do passado se quiser ser competitivo nas eleições de 2022. A declaração foi dada durante uma entrevista ao programa Globonews Debate.
“É muito difícil avançar se não olhar para trás e corrigir seus erros. O presidente [Jair Bolsonaro] também tem esse lado que erra ao negar a pandemia. Não que não tenha feito coisas positivas. O PT tem esse lado que acha que não aconteceu o mensalão, que não houve crimes na Petrobras, que a culpa disso é minha… Uma forma de recuperar a confiança é reconhecer o que fez de errado no passado”, disse Moro.
Conforme o ex-ministro, ele resolveu sair do governo quando percebeu que não tinha condições de cumprir a agenda que ele defende. “Não ia ficar lá de enfeite. Tenho que ser fiel aos meus princípios. Pode ter coisas que até me arrependo. Se o PT quiser ser competitivo, tem que reconhecer os erros do passado”, declarou em entrevista à GloboNews.

Ao ser questionado se pretendia se candidatar em 2022, Moro disse que o foco tem que ser 2020 e deixou em aberto uma possível candidatura. “O que eu posso assegurar é que eu quero continuar participando do debate público. Para tanto, eu não preciso ter um cargo, eu posso continuar falando”, afirmou.

De acordo com Moro, há nomes que ele acredita serem fortes para concorrer em 2022. “Tem bons nomes para candidatos. Tem o Luciano Huck, o governador de São Paulo, João Doria, o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, que, inclusive, fez um trabalho fenomenal, foi um personagem que cresceu na crise. Não faltam candidatos, o país tem bons nomes”.

Do Blog do Primo: declarações como está revela que o então juiz Moro sempre fez da magistratura um trampolim para política partidária. Ele julgou com intenções políticas. Todas suas sentenças deveriam ser anuladas é feito outros julgamentos.

Ivermectina causou queda nos atendimentos por Covid em Natal, diz infectologista

Nos últimos dias, hospitais privados de Natal (RN) e até Unidades de Pronto Atendimento (UPA) têm registrado queda nos atendimentos de pacientes com Covid-19. Para o médico infectologista Fernando Suassuna, membro do comitê científico da Prefeitura de Natal, a baixa na procura por atendimento têm relação, entre outros aspectos, com os efeitos da ivermectina na população.