Arquivo diários:11/07/2020

Brasil passa das 71 mil mortes por coronavírus


O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) atualizou para 71.469 o número de mortes em decorrência do novo coronavírus no Brasil neste sábado (11). Ao todo, também foram confirmados 1.839.850 casos da Covid-19 no país. Até sexta (10) eram 70.398 mortes e 1.800.827 casos.

Veja o número de casos de coronavírus por estado:

Veja a lista atualizada da situação de casos de coronavírus em cada um dos Estados:

Casos de coronavírus no Acre

O Acre chegou a um total de 15.768 casos confirmados do novo coronavírus. Até o momento, 417 pessoas morreram no Estado em virtude da doença.

Casos de coronavírus em Alagoas

Em Alagoas o novo coronavírus chegou a um total de 43.959 casos confirmados, com um total de 1.246 óbitos.

Casos de coronavírus no Amapá

O Amapá tem 31.080 casos confirmados do novo coronavírus. Morreram até o momento 470 pessoas no estado.

Casos de coronavírus no Amazonas

No Amazonas foram confirmados até o momento 82.507 casos do novo coronavírus. O estado da região Norte também apresenta 3.008 óbitos.

Casos de coronavírus na Bahia

A Bahia chegou a um total de 101.186 casos confirmados do novo coronavírus. Até o momento, 2.383 pessoas morreram no Estado em virtude da doença.

Casos de coronavírus no Ceará

No Amazonas foram confirmados até o momento 133.546 casos do novo coronavírus. O estado da região Nordeste também apresenta 6.777 óbitos.

Casos de coronavírus no Distrito Federal

O Distrito Federal tem 67.297 casos confirmados do novo coronavírus. Morreram até o momento 856 pessoas no estado.

Casos de coronavírus no Espírito Santo

No Espírito Santo o novo coronavírus chegou a um total de 61.356 casos confirmados, com um total de 1.967 óbitos.

Casos de coronavírus em Goiás

Em Goiás foram confirmados até o momento 35.138 casos do novo coronavírus. O estado do Centro-Oeste também apresenta 807 óbitos.

Casos de coronavírus no Maranhão

O Maranhão chegou a um total de 96.718 casos confirmados do novo coronavírus. Até o momento, 2.392 pessoas morreram no Estado em virtude da doença.

Casos de coronavírus no Mato Grosso

O Mato Grosso chegou a um total de 26.396 casos confirmados do novo coronavírus. Até o momento, 986 pessoas morreram no Estado em virtude da doença.

Casos de coronavírus no Mato Grosso do Sul

No Mato Grosso do Sul foram confirmados até o momento 12.261 casos do novo coronavírus. O estado também apresenta 146 óbitos.

Casos de coronavírus em Minas Gerais

Em Minas Gerais o novo coronavírus chegou a um total de 70.086 casos confirmados, com um total de 1.504 óbitos.

Casos de coronavírus no Pará

No Pará foram confirmados até o momento 122.674 casos do novo coronavírus. O estado do Norte também apresenta 5.224 óbitos.

Casos de coronavírus na Paraíba

Na Paraíba o novo coronavírus chegou a um total de 59.118 casos confirmados, com um total de 1.229 óbitos.

Casos de coronavírus no Paraná

O Paraná chegou a um total de 39.512 casos confirmados do novo coronavírus. Até o momento, 978 pessoas morreram no Estado em virtude da doença.

Casos de coronavírus em Pernambuco

Em Pernambuco o novo coronavírus chegou a um total de 70.100 casos confirmados, com um total de 5.482 óbitos.

Casos de coronavírus no Piauí

No Piauí o novo coronavírus chegou a um total de 31.269 casos confirmados, com um total de 896 óbitos.

Casos de coronavírus no Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro foram confirmados até o momento 129.443 casos do novo coronavírus. O estado do Sudeste também apresenta 11.280 óbitos.

Casos de coronavírus no Rio Grande do Norte

No Rio Grande do Norte o novo coronavírus chegou a um total de 38.265 casos confirmados, com um total de 1.356 óbitos.

Casos de coronavírus no Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul o novo coronavírus chegou a um total de 37.490 casos confirmados, com um total de 919 óbitos.

Casos de coronavírus em Rondônia

Em Rondônia foram confirmados até o momento 26.000 casos do novo coronavírus. O estado da Região Norte também apresenta 605 óbitos.

Casos de coronavírus em Roraima

Roraima chegou a um total de 21.220 casos confirmados do novo coronavírus. Até o momento, 393 pessoas morreram no Estado em virtude da doença.

Casos de coronavírus em Santa Catarina

Em Santa Catarina o novo coronavírus chegou a um total de 40.106 casos confirmados, com um total de 459 óbitos.

Casos de coronavírus em São Paulo

Em São Paulo foram confirmados até o momento 359.110 casos do novo coronavírus. O estado também apresenta 17.442 óbitos.

Casos de coronavírus no Sergipe

No Sergipe foram confirmados até o momento 34.713 casos do novo coronavírus. O estado do Nordeste também apresenta 931 óbitos.

Casos de coronavírus no Tocantins

O Tocantins chegou a um total de 14.509 casos confirmados do novo coronavírus. Até o momento, 245 pessoas morreram no Estado em virtude da doença.

Promotoria suspeita que MBL tenha usado plataforma virtual para lavar dinheiro

Criado em 2014 com a bandeira do combate à corrupção, o Movimento Brasil Livre (MBL) entrou na mira da Justiça por suspeitas de lavagem de dinheiro através da simulação de doações online. O Ministério Público de São Paulo vê indícios de um esquema envolvendo plataformas virtuais e empresas de fachada.

A investigação fala em uma ‘nova técnica de lavagem de capitais com valores relevantes e sem lastro de origem’. “Podemos denominar de doações de cifras ocultas, isto é, dinheiro que não passa pelo sistema bancário das pessoas que estão sob o radar da investigação, justamente de forma a proporcionar, de forma mais eficiente, a ocultação da origem dos valores”, diz o MP.

Os promotores apontam indícios de irregularidades em duas frentes combinadas: através da plataforma Google Pagamentos e da ferramenta Superchat. Os investigadores afirmam que as doações passavam pela plataforma do Google, que desconta 30% do valor pago, ao invés de serem depositadas diretamente nas contas do movimento, como estratégia para ocultar a origem do dinheiro.

O Google Pagamentos é intermediário no uso do Superchat, opção do YouTube que possibilita aos usuários pagarem para ter comentários destacados em transmissões ao vivo. Esses pagamentos seriam feitos de forma fracionada, em média R$ 200 ou R$ 300,00 por ‘live’. Segundo o MP, nesse caso as contribuições são ‘muito menos rastreáveis’ por órgãos de investigação ou controle, uma vez que podem ser feitas através de cartões pré-pagos comprados anonimamente online.

“Foram identificadas doações com valores regulares e significativos, efetuadas por pessoas que nem sequer faziam perguntas durante as transmissões ao vivo do MBL – muito embora estas doações se prestem, teoricamente, justamente, a permitir que as perguntas dos participantes sejam deixadas em destaque, permitindo, deste modo, que os doadores possam participar das lives”, escreveu o Ministério Público em ofício assinado pelo promotor Marcelo Batlouni Mendroni, que compõe o quadro do Grupo Especial de Atuação Especial de Recuperação de Ativos e Repressão aos Crimes de Formação de Cartel e Lavagem de Dinheiro (Gedec).

O suposto esquema de lavagem de dinheiro operado nas plataformas virtuais contaria com ainda com apoio físico de empresas de fachada – localizadas em endereços residenciais, sem funcionários cadastrados e com diversas sucessões societárias. Elas seriam usadas apenas para movimentar valores de origem ainda não identificada, segundo os investigadores.

Núcleo Familiar X Núcleo de Doadores Assíduos

Mais de 20 das firmas investigadas pelo MP paulista no caso teriam sido constituídas pelos fundadores do Movimento Renovação Liberal (MRL), associação privada relacionada ao MBL, da família Ferreira dos Santos. Há suspeita de sonegação fiscal na ordem de mais de R$ 400 milhões pelas empresas.

“As evidências já obtidas indicam que estes envolvidos, entre outros, construíram efetiva blindagem patrimonial composta por um número significativo de pessoas jurídicas, tornando o fluxo de recursos extremamente difícil de ser rastreado, inclusive utilizando-se de criptoativos e interpostas pessoas”, indicou o MP-SP em nota. Além do que os investigadores chamaram Núcleo Familiar, composto pelos Ferreira dos Santos, a promotoria mira ainda o chamado Núcleo de Membros/Doadores assíduos, do qual fazem parte os empresários Carlos Augusto de Moraes Afonso e Alessander Mônaco Ferreira, ambos presos preventivamente nesta sexta, 10.

Os dois são donos de pelo menos seis empresas, duas de Alessander e outras quatro de Carlos, da área de tecnologia da informação que também seriam usadas para ocultar as operações do MBL.

O movimento afirmou à reportagem que nenhum dos presos na operação do MP-SP são do MBL e divulgou a seguinte nota:

“Em que pese as alegações amplamente difundidas pela imprensa e até mesmo pelo Ministério Público quanto a ligação dos senhores Alessander Monaco Ferreira e Carlos Augusto de Moraes Afonso, vulgo Luciano Ayan com o MBL, inicialmente cumpre esclarecer que ambos jamais fizeram parte do Movimento.

Importa destacar que não existe confusão empresarial entre Movimento Brasil Livre e Movimento Renovação Liberal, haja vista que o MBL não é uma empresa, mas sim uma marca, sob gestão e responsabilidade do Movimento Renovação Liberal – única pessoa jurídica do Movimento – o que é fato público e notório, inclusive posto publicamente em inúmeros litígios onde a entidade figura como autora e até mesmo Requerida.

Chega a ser risível o apontamento de ocultação por doações na plataforma Google Pagamentos, haja vista que todas as doações recebidas na plataforma são públicas, oriundas do Youtube e vulgarmente conhecidas como “superchats”, significando quantias irrisórias, feitas por uma vasta gama de indivíduos de forma espontânea. Sob o aspecto lógico, seria impossível realizar qualquer espécie de ocultação e simulação fiscal por uma plataforma pública e com quantias pífias.

Por fim, cumpre esclarecer que as atividades empresarias e familiares dos fundadores do MBL são anteriores ao próprio Movimento e não possuem qualquer vinculação, haja vista que não possuem qualquer conexão ou convergência de finalidade. Com o respeito e acato ao órgão ministerial, importa esclarecer que as assertivas apontadas quanto ao MBL são completamente distantes da realidade, tratando-se de um devaneio tolo, totalmente despido de sustentação fática e legal com a única finalidade de macular a honra de um movimento pautado nos pilares da ética, da moral e da liberdade”.

Com a palavra, o Google

“Não comentamos casos específicos. O Google apoia, de modo consistente, o importante trabalho das autoridades investigativas. Esclarecemos que o Super Chat é um recurso pelo qual usuários podem comprar mensagens de chat em transmissões ao vivo no YouTube.”

Com informações de UOL e Estadão Conteúdo

Novo ministro da Educação apaga vídeo em que defende ensinar crianças “com dor”


Escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como novo ministro da Educação, Milton Ribeiro apagou um vídeo em que defende castigos físicos a crianças. O material viralizou nas redes sociais na última sexta-feira, logo após o anúncio da indicação do pastor e advogado para a pasta, sem um titular havia três semanas.

Segundo o portal UOL, o vídeo intitulado “A Vara da Disciplina”, gravado em um templo presbiteriano em abril de 2016, foi excluído, porém outras cópias do material circulam em outros canais do YouTube e nas redes sociais.

Ribeiro, na gravação, afirmou que “essa ideia de que a criança é inocente é relativa” e explicou que “um tapa de um homem ou uma cintada de uma mulher podem ser muito mais fortes que uma criança pode suportar”.

“A correção é necessária para a cura”, disse o pastor. “Não vai ser obtido por meios justos e métodos suaves. Talvez uma porcentagem muito pequena de criança, precoce e superdotada, é que vai entender o seu argumento. Deve haver rigor, severidade. E vou dar um passo a mais, talvez algumas mães até fiquem com raiva de mim: deve sentir dor.”

O pastor, citando a Bíblia, justificou seu pensamento: “Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-la”. E esclareceu: “Não estou aqui dando uma aula de espancamento infantil, mas a vara da disciplina não pode ser afastada da nossa casa”.

Justiça paraguaia rejeita recurso e mantém Ronaldinho Gaúcho em prisão domiciliar

Ronaldinho Gaúcho sofreu uma nova derrota judicial ontem (10) com a rejeição de um recurso que a defesa apresentou para que o ex-jogador e o irmão, Roberto Assis, fossem liberados da prisão domiciliar, na qual estão desde abril por terem entrado no Paraguai com passaporte com conteúdo falso.

A Quarta Câmara do Tribunal de Recursos indeferiu o benefício, tornando definitiva a decisão do juiz penal de garantias, Mirko Valinotti, que em 6 de março negou um pedido inicial do Ministério Público para que Ronaldinho e seu irmão Roberto fossem favorecidos pelo “critério de oportunidade”, que livraria os brasileiros de processo em troca de colaboração com a justiça.

A Câmara declarou “inadmissível” a ação dos advogados do melhor jogador do mundo em 2004 e 2005, de acordo com fontes judiciais citadas pela mídia local. A decisão de Valinotti, baseada na comissão de uma suposta ofensa, foi apelada pela defesa dos irmãos um tribunal superior, que finalmente emitiu uma decisão nesta sexta-feira, quatro meses depois.

Em 7 de março, outra juíza de garantias, Clara Ruiz Díaz, ordenou a prisão preventiva de Ronaldinho e Assis no Grupamento Especializado da Polícia Nacional, em Assunção. O local recebe políticos processados por corrupção e prisioneiros com casos de tráfico de drogas após uma retificação pela Procuradoria Geral da República.

Os dois ficaram encarcerados até 7 de abril, quando foram levados para um hotel da capital, após o pagamento de fiança de US$ 1,6 milhão, e permanecem em prisão domiciliar desde então. Eles estão sob custódia policial e proibidos de sair do Paraguai, acusados de uso de documentos públicos com conteúdo falso, com uma pena que pode chegar a até cinco anos.

UOL

Não há provas da eficácia da ivermectina contra Covid-19, diz Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu uma nota alertando sobre o uso de ivermectina no tratamento da Covid-19, após notícias divulgando a distribuição do medicamento em vários municípios, principalmente na região sul do país.

Segundo a Anvisa, não há estudos conclusivos que comprovem a eficácia deste ou de outros medicamentos no tratamento ou prevenção da Covid-19.

No caso da ivermectina, um vermífugo, a agência reforça que a indicação é para doenças constantes na bula. O uso para qualquer outra doença é de escolha e responsabilidade médica.

Nesta semana, as prefeituras de Paranaguá (PR) e de Itajaí (SC) divulgaram a distribuição do vermífugo no tratamento profilática da Covid-19.

Leia a íntegra da nota abaixo:

Nota de esclarecimento sobre a Ivermectina

Diante das notícias veiculadas sobre medicamentos que contêm ivermectina para o tratamento da Covid-19, a Anvisa esclarece:

Inicialmente, é preciso deixar claro que não existem estudos conclusivos que comprovem o uso desse medicamento para o tratamento da Covid-19, bem como não existem estudos que refutem esse uso.

Até o momento, não existem medicamentos aprovados para prevenção ou tratamento da Covid-19 no Brasil.

Nesse sentido, as indicações aprovadas para a ivermectina são aquelas constantes da bula do medicamento.

Cabe ressaltar que o uso do medicamento para indicações não previstas na bula é de escolha e responsabilidade do médico prescritor.

Com informações da CNN Brasil

Primando por Brasília: Saco Preto, ministro com prestígio fuleira

Oportunista Rogério Marinho foi liderado do grande líder esquerdista Miguel Arraes e agora serviçal da extrema direita liderada por Bolsonaro.

O ministro Rogério Marinho garantiu ao prefeito de Natal Álvaro Dias, na frente de outras pessoas,  que conseguiria, com seu prestígio, trazer o hospital de campanha das Forças Armadas que estava instalado em Manaus para Natal.

Apesar de Natal ser uma das capitais com uma incidência de contágio grande preenchendo todos os critérios para instalação do hospital, o prestígio do ministro não concretizou o pleito quase desesperado do prefeito Álvaro Dias que tem sido um gigante no combate ao coronavírus.
Rogerio Marinho só tem feito promessas, tirado fotografias com prefeitos, mas não está congratulando nada, diz uma fonte do Blog do Primo.
Segundo o soldado Vasco, que recentemente andou por Brasília, o ministro Rogério Marinho está caindo em desgraça cometendo sucessivas gafes e revelando despreparo. Os generais da direita não conheciam seu agitado passado esquerdista no PSB de Miguel Arraes, chegando ao ponto, quando vereador presidente da Câmara Municipal de Natal de construir um predio e denominar de Escola de Governo Miguel Arraes em homenagem ao grande líder da esquerda no Nordeste.

Rogério tentou várias vezes ingressar no PC do B, mas foi vetado. Diante do veto ele ingressou no PDT de Brizola e depois no PSB do esquerdista nordestino Miguel Arraes

 

 

Flamengo e Fluminense na tela do SBT


SBT
e Flamengo estão próximos de um acordo para a transmissão da final do Campeonato Carioca de 2020.

A tendência é que o Fla x Flu marcado para as 21h30 da próxima quarta-feira seja transmitido com exclusividade pelo canal de Silvio Santos, que vê nesse inesperado evento a chance de enfrentar a novela “Fina Estampa” e a sessão “Cinema Especial”, atrações da Globo, de igual para igual no ibope do Rio de Janeiro.

Responsável pelas exibições de Flamengo x Boavista e Flamengo x Volta Redonda nas duas últimas rodadas da Taça Rio, a FlaTV continuará ativa no YouTube.