Arquivo diários:15/07/2020

STF concede prisão domiciliar ao ex-ministro Geddel Vieira Lima

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/EBC/FotosPúblicas

O Supremo Tribunal Federal (STF) deferiu liminar que concede prisão domiciliar ao ex-ministro Geddel Vieira Lima.

A decisão foi tomada pelo ministro Dias Toffoli, no início da noite de ontem (14).

O ex-ministro está preso desde 2017 por lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Na decisão, Dias Toffoli afirma que a defesa de Geddel comprovou suas alegações, com documento expedido pela Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado da Bahia (Seap), no qual atesta que o ex-ministro, ao realizar o exame de teste rápido em 8 de julho, testou positivo para a Covid-19.

RN contabiliza 40.606 casos de coronavírus e quase 1.500 mortes e o povo nas ruas

Equivalente a 5 aviões airbus lotados


A Secretaria de Estado e Saúde Pública-Sesap atualizou os números do coronavírus no Rio Grande do Norte nesta quarta-feira(15). Os casos confirmados chegam a 40.606. No boletim dessa terça-feira eram (40.341 ).

O total de vítimas da covid-19 no RN chega a 1.473, sendo 13 nas últimas 24 horas. Óbitos em investigação são 221.

Os casos suspeitos somam 54.421, descartados(63.158) e pacientes recuperados são 3.258(sem atualização desde sexta(10).

Parece piada: Ministério Público que certamente não tem outra coisa para fazer, vai investigar Álvaro Dias pelo fato da Prefeitura de Natal ter distribuído ivernectina diminuído o contágio do coronavírus em Natal

Segundo informações não confirmada, a denúncia politiqueira teria sido dos partidários do candidato a prefeito de Natal Kelps Lima.
Pré-candidato Kelps estaria tentando fazer oposição de qualquer jeito com o crescimento e aprovação do prefeito Álvaro Dias

O Ministério Público do Rio Grande do Norte  que adora aparecer e certamente não deve ter algo mais importante para fazer abriu um procedimento para apurar possível crime eleitoral praticado pelo prefeito de Natal, Álvaro Dias. Em nenhum momento o prefeito Álvaro Dias anexou propaganda eleitoral ao medicamento.
A 4ª Promotoria Pública de Natal instaurou notícia de fato para apurar se a distribuição gratuita do medicamento ivermectina, para uso no combate à Covid-19, foi uma forma de propaganda eleitoral antecipada.
Segundo o procedimento, que foi aberto em 9 de julho, a instauração da notícia de fato foi feita após envio de ofício da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE). O procedimento também inclui postagens do prefeito Álvaro Dias no Facebook sobre a distribuição do medicamento ivermectina na rede municipal de saúde, gratuitamente.

Com à distribuição da Ivermectina os índices da transmissão do coronavírus diminuiu drasticamente.

Apenas pelo fato do prefeito ter publicado no dia 30 de junho, anunciando a abertura de um centro de profilaxia contra a Covid-19 no Ginásio Nélio Dias, na Zona Norte de Natal, onde ocorre, desde a semana passada, a distribuição do medicamento seus adversários políticos fizeram a denúncia descabida.

“Vamos iniciar um trabalho de distribuição em massa da Ivermectina, com todo o acompanhamento médico necessário. Está comprovado que esse medicamento é eficaz na prevenção do coronavírus e vamos usar essa arma em nosso favor para vencer a guerra contra essa pandemia”, escreveu o prefeito informando à população.

Briga entre advogados dos bolsonaros

Ex-advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, não quer trégua com Karina Kufa, que representa os presidente em processos eleitorais.

A quem o pergunta sobre a advogada, Wassef tem dito que ela está prestes a deixar a defesa de Jair Bolsonaro e que é ele o responsável pela escolha do nome que a substituirá em ações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde estão sendo julgados pedidos da cassação da chapa presidencial.

A família de Bolsonaro, porém, parece dar sinais opostos. Na sexta-feira passada (9), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) publicou uma foto com Karina e seu irmão, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), indicando que novas ações viriam pela frente sob o comando da advogada.

Wassef teve que abandonar a defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) depois que Fabrício Queiroz, alvo do inquérito das “rachadinhas”, foi preso em um imóvel do advogado em Atibaia (SP). Após o episódio, Karina divulgou uma nota afirmando que Wassef nunca advogou para o presidente. Ele ficou possesso, disse que ela mente e segue querendo vingança.

BELA MEGALE

Banalização da mortes: Brasil já ultrapassou os 74 mil mortos por COVID-19

Segundo a Opas, não há evidência de imunidade de rebanho no país

O Brasil contabilizou 74.133 mortos e 1.926.824 casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2) desde o início da pandemia, informou o levantamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Ministério da Saúde nesta terça-feira (14).

De acordo com o balanço, foram registrados mais 1,3 mil óbitos e 41.857 novos contágios em um período de 24 horas, com uma taxa de letalidade de 3,8%. Já o índice de mortalidade é de 35,3 pessoas por cada 100 mil habitantes, enquanto que a taxa de incidência saltou de 897 para 916,9 indivíduos para cada 100 mil cidadãos em todo território brasileiro. Os recordes de casos e de óbitos geralmente ocorrem às terças-feiras, quando são contabilizados os exames que ficam represados nos finais de semana.

Governo do Estado distribuirá 10 mil máscaras nesta quarta nas ruas de Natal

O Governo do Estado fará, na manhã desta quarta-feira (15), distribuição de 10 mil máscaras nas quatro zonas urbanas de Natal. O objetivo é proteger a população contra o novo coronavírus. A ação será executada pela Defesa Civil, Cruz Vermelha e Corpo de Bombeiros, com participação de servidores de outras secretarias e órgãos do Governo.

Serão 10 equipes participantes na ação. Todas sairão da Escola de Governo às 7h30 em direção às principais paradas de ônibus da capital, centros comerciais, feiras e shopping centers abertos após o decreto para segunda fase da retomada econômica no Estado. “Queremos intensificar esse costume do uso das máscaras para reduzirmos ainda mais o índice de contágio e procura por leitos”, reforça o controlador-geral Pedro Lopes.

As 10 mil máscaras foram viabilizadas pelo RN+Protegido, um programa governamental em parceria com indústrias para confecção de máscaras a preços mais em conta. A distribuição dessa nova fase do programa teve início dia 9 e se encerrará esta semana com entrega de 1,6 milhão de máscaras. Já está em curso processo de compra de mais 2,3 milhões de unidades para finalizar a meta de 7 milhões de máscaras distribuídas à população.

Coronavírus transformou para sempre a forma de usar o cartão de crédito

Por Matheus Mans

Com o isolamento social, finalmente os pagamentos por aproximação entraram no cotidiano das pessoas. Entre março e abril, esse tipo de transação cresceu quatro vezes em todo o território nacional, se aproximando de operações mais tradicionais, como cartão com chip e dinheiro. O hábito deve ir além da quarentena do novo coronavírus.

Segundo pesquisa da MasterCard, 69% dos brasileiros entrevistados revelaram que a pandemia de covid-19 os incentivou a usar pagamentos por aproximação. E mais: 75% dessas pessoas, que mudaram seus hábitos na crise de saúde, disseram que vão continuar a usar o pagamento por aproximação depois.
O estudo da empresa de pagamentos foi realizado com 17 mil pessoas em 19 países.

“Hoje, as pessoas estão buscando meios de ter o mínimo de contato possível. É o delivery, é o e-commerce e é, também, o pagamento por aproximação. Encostou, pagou”, afirma o professor de economia, Adélio de Ramos. “No entanto, essas pessoas também perceberam uma facilidade. É algo que simplifica o dia a dia. Vai ser difícil largar esse tipo de operação”.

Preparação de terreno

Antes da pandemia, o pagamento por aproximação já estava num crescimento — segundo a própria MasterCard, esse tipo de transação era realidade em 50% das operações realizadas globalmente.

“Havia algumas etapas a serem cumpridas pela indústria para garantir a transição”, explica João Pedro Paro Neto, Presidente Mastercard Brasil e Cone Sul. “A primeira era trabalhar com os bancos emissores dos cartões para introduzir tal tecnologia no Brasil. [Depois], o desafio era de ampliar o nível de aceitação nos estabelecimentos comerciais do País”.

João Pedro Paro Neto, Presidente Mastercard Brasil e Cone Sul (Foto: Divulgação)
João Pedro Paro Neto, Presidente Mastercard Brasil e Cone Sul (Foto: Divulgação)

Hoje, cerca de 90% das máquinas de cartão estão aptas a realizar esse pagamento, enquanto 10 milhões de cartões estão aptos a serem usados com aproximação. Com isso, essa mistura de mudança brusca de comportamento com tecnologia implementada devem ser a deixa para que o processo se cristalize em todos tipos de transações em todo o País.

Na Visa, a comparação entre o mês de março de 2019 com março de 2020 surpreende, com aumento de cinco vezes na quantidade de pagamentos por aproximação. Para Percival Jatobá, vice-presidente de soluções e inovações da Visa do Brasil, a tendência vem desde o ano passado, com pagamento aceito em transporte público, e deve se concretizar agora.

“Inovações como o pagamento por aproximação vem definindo a forma como os brasileiros realizam suas compras, pela conveniência de ser mais prático e rápido, e pela segurança do usuário não passar o cartão de mão em mão para que a compra seja concluída”, diz. “Essas novidades agradam ao consumidor, porque ajudam em seu dia a dia”.

Percival Jatobá, vice-presidente de soluções e inovações da Visa do Brasil (Foto: Marcelo Soubhia/Divulgação)
Percival Jatobá, vice-presidente de soluções e inovações da Visa do Brasil (Foto: Marcelo Soubhia/Divulgação)

Próximos passos

Ainda que o momento seja de expansão e crescimento para o pagamento por aproximação, executivos e especialistas da área alertam para alguns desafios e barreiras que ainda precisam ser quebradas. O mais imediato, e citado por quase todos os entrevistados, é o aumento do valor para transações sem senha. Hoje, o limite instituído é R$ 50.

“Para ampliar ainda a penetração dos pagamentos por aproximação, a Mastercard tem liderado esforços para ampliar o limite sem a necessidade de senhas”, diz Paro Neto, da MasterCard. “[Isso] expandirá mais a sua adesão e, consequentemente, os benefícios da tecnologia, além de contribuir com a transformação digital do varejo nesses mercados”.

No entanto, vale alertar: é algo que precisa ser feito com cuidado, já que o pagamento por aproximação sem senha foi alvo de fraudes frequentes durante o Carnaval de rua de 2020.

Além disso, executivos chamam a atenção para algo importante: as necessidades do consumidor pós-pandemia. “Falam muito que teremos um novo normal. Mas o certo é que teremos ‘normais’”, afirma Augusto Lins, presidente da Stone, fintech de processamento de crédito. “A aproximação está crescendo, mas precisamos entender como, onde e quando”.

Jatobá, da Visa, acredita na diversificação de operações. “Nosso trabalho é oferecer diferentes formas de pagar para que os consumidores escolham qual delas melhor se adequa ao seu cotidiano. E muitas vezes a resposta poderá ser mais de um meio de pagamento. Pode ser que hoje eu esteja na praia, e queira pagar com minha pulseira, e no shopping, eu use meu cartão. Cada um vai escolher a melhor forma que lhe convir”.