Arquivo diários:25/08/2020

Sessão polêmica na Assembleia Legislativa

Os pronunciamentos proferidos na sessão remota da Assembleia Legislativa do RN nesta terça-feira (25) foram marcados pela polarização. Inscritos no horário destinados aos deputados, José Dias (PSDB), Vivaldo Costa (PSD), Sandro Pimentel (PSOL), Cel. Azevedo (PSC), Getúlio Rêgo (DEM) e Francisco do PT se posicionaram sobre a situação financeira do Estado, uso da ivermectina, interferência no processo eleitoral da Ufersa e sobre as ações do Governo Federal e Estadual.

“A economia brasileira caiu quase 8% em dois anos na época do Governo de Robinson e o Governo Federal não mandou nada para cá. Agora talvez caia por conta do coronavírus, mas o atual governo já mandou mais dinheiro do que o Governo do PT”, afirmou o deputado José Dias. O parlamentar ainda comentou o anúncio feito pela Petrobras sobre a venda de ativo, bases e refinaria no RN. Para ele, “isso é consequência do desastre que foi plantado no passado”.

Entrando em um tema fortemente debatido, o deputado Vivaldo Costa defendeu a ciência como guia na tomada de decisões em questões de saúde pública. “Sou um médico velho de roça, mas passei 10 anos ao lado da Dra. Giselda Trigueiro. E eu acredito na Organização Mundial da Saúde e na ciência. Nunca receitei remédio para tender demagogia. Me atento à ciência”, declarou. O deputado traçou um paralelo entre as cidades de Natal e Caicó, cujas políticas de saúde pública diferem quanto ao uso da ivermectiva. “Natal distribui ivermectiva e em Caicó não existe esse programa oficial”, destacou.

De acordo com Vivaldo, enquanto que em Natal, o percentual de mortos em relação ao números de pessoas infectadas pelo novo coronavírus é de 3,55%, em Caicó é de 1,02%. “A pessoa toma ivermectina, vai para a rua, é contaminado, contamina a família e mata os idosos”, finalizou.

O deputado Sandro Pimentel continuou defendendo a ciência e ampliou o debate para a defesa da autonomia das universidades públicas. “Não crer na ciência é acreditar no curandeirismo. Os costumes populares devem ser respeitados, mas a ciência existe para isso”. E prosseguiu comentando a nomeação da terceira colocada na lista tríplice na eleição para reitoria da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), Ludimilla Oliveira.“É inaceitável qualquer tipo de intervenção nas universidades públicas. O presidente Jair Bolsonaro não cometeu nenhuma ilegalidade, sabemos que é uma lista tríplice, mas ele desrespeitou a democracia. Nomear a professora Ludimilla, terceira colocada, com apenas 18% dos votos. Tem o nosso repudio”, concluiu.

O Dia do Soldado, comemorado em todo Brasil no dia 25 de agosto, foi lembrado pelo deputado Cel. Azevedo em homenagem que fez aos “que dedicaram e dedicam sua vida à defesa da pátria e segurança pública e defesa social nos estados”. O parlamentar destacou que o presidente do Brasil “é um soldado eleito democraticamente”.

Azevedo fez uma paralelo entre as ações do Governo Federal e do Governo Estadual. “Estamos vivendo um ano e seis meses de preguiça no estado, enquanto o Governo Federal trabalha a todo vapor, incansável. Seja na duplicação da Reta Tabajara, que estava há anos sendo alvo de denúncias, seja o viaduto de Goianinha, que já está em pleno funcionamento ou os milhares de títulos de terra entregues”, elencou.

A obra da transposição do Rio São Francisco foi citada pelo deputado Getúlio Rêgo para criticar o Partido dos Trabalhadores. “O PT passou mais de 15 anos no poder. A partir de 2012 anunciou a obra para ser entregue no dia 31 de dezembro, ano eleitoral. Depois para 2014, anos de eleição presidencial. De lá para cá, nem sequer o eixo Leste foi entregue e agora ficam com cobranças”, disse.

Em avaliação, o deputado afirmou que “a trajetória do PT foi marcada por escândalos. Hoje o País paga um preço muito caro”. Getúlio Rêgo destacou ainda as manifestações de apoio ao atual Governo Federal e questionou o envolvimento de lideranças e representantes do Partido dos Trabalhadores em escândalos de corrupção. “Quais os presidentes, secretários, tesoureiros, parlamentares e ministros do PT que não estiveram envolvidos em corrupção? Agora no Governo Bolsonaro, qual a manchete que saiu falando de corrupção? Zero”, finalizou.

Rebatendo as críticas à atual administração estadual e ao partido que é filiado, Francisco do PT disse que a disputa da narrativa faz parte do processo democrático e pediu autocrítica por parte dos demais deputados. “Se a gente analisar, vamos ter um bom debate aqui sobre os partidos que vocês são filiados e que, inclusive, já governaram esse país e esse estado. Com todo respeito, é perigoso generalizar”, disse.

Encerrando o horário destinados aos deputados, Francisco cobrou posicionamento dos deputados. “Vossas Excelências falam da governadora, mas não se posicionam sobre a intervenção no IFRN. São contra ou a favor de intervenção? Não falam do presidente querer encher a boca de um jornalista de porrada. São contra a favor da imprensa livre? Não se posicionam sobre a Petrobras. São contra ou a favor da Petrobras no RN?”, questionou.

2.192 pessoas morreram de Covid-19 no RN

Coronavírus

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta terça-feira, 25. Os casos confirmados são 60.161.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 2.192 no total, dos quais 04 deles ocorrido de fato nas últimas 24 horas. Outros 235 óbitos estão em investigação.

Os casos suspeitos são 24.893 e os descartados somam 106.781.

Governo Bolsonaro pagou R$ 47 milhões à JBS para comprar carne, diz revista

Colaboradores Yahoo Notícias
O governo de Jair Bolsonaro (sem partido) desembolsou R$ 47 milhões para fornecer carne da JBS a militares. Segundo a revista Crusoé, o Planalto comprou da empresa, investigada pela Operação Lava Jato, peças de picanha, maminha e filé mignon.
De acordo com a publicação, o frigorífico dos irmãos Joesley e Wesley Batista fechou 30 negócios com o Ministério da Defesa desde a posse de Bolsonaro. Os contratos garantiam o fornecimento de alimentos congelados ao Exército e à Marinha.

Na última sexta-feira (21), a PGR (Procuradoria-Geral da República) decidiu iniciar uma apuração preliminar para investigar supostos pagamentos feitos pela empresa JBS a Frederick Wassef, ex-advogado de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

A decisão foi tomada após denúncia da revista Crusoé, que afirma que o advogado recebeu R$ 9 milhões da empresa para fazer as negociações com a procuradoria.

A PGR investigará se os valores tinham relação com o acordo de delação que foi firmado com os executivos da empresa. Em 2019, Augusto Aras, procurador-geral da República, queria rescindir o acordo e afirmou ser contra uma renegociação com os executivos da JBS.

De acordo com a publicação, o pagamento teria sido identificado pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

Em nota, Wassef negou que tenha tratado de qualquer assunto relacionado à JBS com Augusto Aras. O advogado ainda afirmou que não atuou em nome da JBS no acordo firmado com a PGR. A empresa, por sua vez, negou que Wassef tenha defendido a JBS junto à PGR e alegou que o pagamento foi feito por conta de serviços prestados na esfera policial.

Wassef defendia o senador até que Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio e procurado pela polícia, foi encontrado em um sítio em Atibaia, interior de São Paulo, que pertencia ao advogado.

Bolsonaro lascou os dois ministros potiguares

Bolsonaro com Fábio Faria e Rogério (Saco Preto) fazendo festa para depois furar o bucho do elefante fechando a Petrobras no RN

O Presidente Bolsonaro em dois atos, deixou os ministros potiguares numa esparrela política.
O primeiro foi o ministro Fábio Faria que estava comemorando o estilo “paz e amor” de Bolsonaro implementando por ele inaugurando uma nova relação com a imprensa. Bolsonaro deixou Fábio Faria pendurado no pincel ao ameaçar de quebrar os dentes de um jornalista de porradas depois de chamar jornalistas de “bundões”.
O segundo ministro que está sendo levado ao ridículo é do Desenvolvimento Regional Rogério Marinho que não teve força nem prestígio para segurar a Pretrobrás no RN. Que desenvolvimento é esse que Rogério administra com Bolsonaro fechando a Petrobras no RN?
Bolsonaro esteve aqui na sexta-feira passada, inaugurou um poço, distribuiu títulos de terra e entregou 3OO unidades habitacionais financiaras pela CEF e ontem anunciou a implosão da Petrobras no RN.
Cadê os ministros?

Em vídeo, agredindo mulheres, Styvenson manda prefeito no interior do RN ir para a “puta que pariu”; VEJA VÍDEO

“Puta que pariu” usado pelo senador Styvenson  é um impropério de baixo nível que agride mulheres. O senador pornô-falante é acostumado a ofender mulheres: primeiro humilhou sua irmã, depois as secretarias de Saúde da grande Natal, agora agride com palavras de baixo calão a senhora mãe do prefeito do Município de Santo Antônio. Essa é a qualificação do senador que o povo mandou para o Senado representar o RN.


O senador Styvenson Valentim (Podemos) polemizou novamente na internet. Após ter áudio vazado em que fala diversos palavrões enquanto cobra nome, CPF e endereço de pessoas que fizeram exames em Parnamirim, agora o parlamentar circula na internet em um vídeo que manda o prefeito de Santo Antônio, interior do Rio Grande do Norte, para a “p… que pariu”.

“Não tenho nada contra as pessoas de Santo Antônio, mas contra as pessoas que não prestam transparência, vá para a p… que pariu”, falou.

Em resposta, o prefeito Josimar Ferreira gravou um vídeo em que pedia respeito ao senador e disse que Styvenson estava o difamando com as conversas.

“Hoje, tenho meu nome envolvido em conversinhas e mentiras. Um senador, eleito pelo povo do RN, me difamando na minha terra. Sou um homem simples, semianalfabeto como o senhor falou, mas não falto com a verdade com o meu povo, diferente do senhor. Não vou te desrespeitar, nem falar palavrão. Só quero que o senhor me respeite”, rebateu.

Em outra ocasião, Styvenson já havia dito que o povo de Santo Antônio rezasse para que Josimar não ganhasse, pois ele não enviaria recursos ao município.

Confira resposta do prefeito:

Primando por Parnamirim: candidatura de Nilda e Elienai pode tem apoio camuflado do governo Fátima Bezerra


Por Renato Dantas

Como dizia Dinarte Mariz que em política tudo pode acontecer, o senador tinha uma frase para justificar os fatos inimagináveis: “ Em política só não vi vaca voar”.
Mas tudo pode acontecer, o soldado Vasco foi informado depois que o Blog do Primo postou uma matéria dizendo que vários cargos comissionados do governo da prima Fátima Bezerra estão apoiando à candidata do PSL à prefeita de Parnamirim de uma articulação muito bem montada pelo governo para tentar derrotar Taveira.
A articulação consiste em infiltrar Nilda num partido da direita para depois ela apoiar à reeleição da governadora Fátima Bezerra.
Todos sabem que Nilda sempre foi ligada à governadora, ela indicou várias pessoas para ocupar cargos comissionados no governo, nenhum foi demitido depois que ela se filiou ao PSL da direita radical. Todos sabem que aliados da governadora Fátima Bezerra estão apoiando Nilda do PSL, os deputados João Maia e Kleber Rodrigues são exemplos. Até filiados e filiadas do PC do B que exercem cargos de confiança no governo do estado estão participando das reuniões secretas da candidatura de Nilda e Elienai Cartaxo.
Até agora o governo não manifestou seu apoio à candidatura de Maurício Marques nem ao tabelião comunista Airene Paiva , e isso reforça que Fátima está trabalhando inteligentemente para derrotar Taveira.
Todos sabem que uma candidatura da esquerda não prospera em Parnamirim que é um municipío nascido de uma base militar tendo uma grande tradição de direita e aversão à esquerda. Camuflar à candidatura de Nilda no PSL para derrotar Taveira e depois aderir ao governo é a tese dos deputados João Maia e Kleber Rodrigues para convencer a governadora Fátima Bezerra do vantajoso e engenhoso projeto político. João Maia é um poço de inteligência..
Mas, toda essa informação do soldado Vasco poderá ser desmentida no caso da governadora Fátima Bezerra declarar apoio a Maurício Marques e exigir engajamento dos seus aliados e cargos comissionados na sua candidatura, demitindo todos os cargos comissionados indicados por Nilda e demais comissionados do governo que não obedeçam a orientação política da governadora.

Caso contrário, uma vaca vai voar em Parnamirim decolando do desativado aeroporto Augusto Severo.

Primando pela Memória: Saco Preto quer repetir feito de Café Filho chegando à Presidência da República

Café Filho abraçando o Presidente Getúlio Vargas

No dia 24 de agosto de de 1954 o então presidente Getúlio Vargas suicidou-se por razões políticas. Segundo alguns historiadores ele foi traído pelos militares e o vice-presidente da República, o potiguar Café Filho.
No dia de hoje faz 66 anos que o primeiro e único potiguar assumiu à Presidência da República.

Café Filho foi candidato a Vice-Presidente unindo forças do Nordeste.
No atual momento outro potiguar quer refazer o caminho de Café Filho galgando à Vice-Presidente, desta vez é o suplente de deputado federal e ministro do Desenvolvimento Regional Rogério Marinho, conhecido no RN como “Saco Preto” que trabalha para ser o companheiro do atual Presidente Jair Bolsonaro.
Assim como alguns historiadores e familiares do ex-presidente Getúlio Vargas afirmam que Café foi um traidor, analistas da política potiguar garantem que Rogério (Saco Preto) vai trair Bolsonaro caso ambos sejam vitoriosos na eleição de 2O22.
Para os analistas, Rogério Marinho tem um histórico de traições, os mais notáveis são das traições à ex-governadora Wilma de Faria é recentemente ao ministro de Economia Paulo Guedes.

Rogério Marinho abraçando o Presidente Jair Bolsonaro

Servidores no Brasil concentram 6 das 10 ocupações mais bem pagas. 4 delas entre as “top 5”

Entre as 10 ocupações mais bem pagas no Brasil, 6 estão no setor público –4 delas entre as “top 5”.

No agregado de atividades de uma mesma área, a renda média de servidores praticamente empata com a de investidores e rentistas –e ganha dos empresários. Nesse quesito, 3 dos 5 maiores rendimentos médios são de funcionários do Estado.

Levantamento da FGV Social com base nas declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2018 revela a preponderância dos empregos públicos como os mais bem pagos do país.

Membros do Poder Judiciário, como ministros, desembargadores, juízes e procuradores, além de diplomatas, só perdem em remuneração para donos de cartórios, com renda média mensal acima de R$ 100 mil.

Os dados embasam a discussão sobre o peso da folha estatal diante da necessidade de controlar as contas públicas e ampliar a ajuda aos mais vulneráveis no pós-pandemia.

Segundo especialistas, a vantagem salarial e a estabilidade dos servidores tornam legítima a aplicação de mecanismos temporários de redução de carga horária e remuneração em caso de ameaça de descumprimento do chamado teto de gastos.

O mecanismo que limita a despesa ao Orçamento do ano anterior, corrigido pela inflação, originalmente previa a redução de 25% dos vencimentos e do trabalho de servidores, nas três esferas de governo, quando o gasto obrigatório ultrapassasse 95% da despesa.

Mas, por um erro do governo Michel Temer, os chamados gatilhos do teto não podem ser acionados; e demandam a aprovação de outra PEC (proposta de emenda Constitucional), o que requer 3/5 dos votos na Câmara e no Senado.

Apenas no plano federal, a redução na remuneração e na carga horária de servidores poderia abrir espaço anual de R$ 15 bilhões no Orçamento –valor equivalente a meio Bolsa Família.

No ano passado, governo federal, estados e municípios e seus Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário gastaram R$ 920 bilhões com pessoal.