Arquivo diários:26/08/2020

Sandro Pimentel chama ex-prefeito Carlos Eduardo de “sonso” por apoiar Bolsonaro e agora criticar a saída da petrobras do RN

A conversa aconteceu no twitter. O deputado estadual, Sandro Pimentel (PSOL), chamou o ex-prefeito Carlos Eduardo de “sonso”. Isto porque, Carlos Eduardo Alves, criticou a classe política e a governadora Fátima Bezerra pela saída da petrobras do RN.

Pimentel lembrou que a retirada da petrobras das terras potiguares ocorreu no governo do presidente Jair Bolsonaro e que Carlos Eduardo Alves foi apoiador de Bolsonaro quando tentou ser governador do RN, sem sucesso, em 2018. Carlos Eduardo não gostou e bloqueou Sandro Pimentel, que expôs o diálogo nas redes sociais.

Fonte: O Potiguar

Deputada Cristiane Dantas lamenta morte de criança abandonada pela mãe destacando Lei de Incentivo à adoção

Em pronunciamento durante a sessão remota da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (26), a deputada Cristiane Dantas (SDD) lamentou a notícia da morte de um bebê abandonado pela mãe às margens da BR-101, próximo ao município de São José de Mipibu, na Região Metropolitana de Natal, e reforçou a importância do incentivo à adoção legal.

“Infelizmente, é muito comum nos dias atuais o abandono de incapaz, por diversos motivos, à exemplo desse fato ocorrido aqui no Estado, em que a mãe do bebê o abandonou e ele veio a óbito. É importante frisar que o abandono de incapaz é crime, mas existe sempre a possibilidade de entrega da criança para adoção, o que não é crime”, alertou Cristiane.

Na ocasião, a deputada destacou a lei de sua autoria, recém sancionada, que incentiva o processo de adoção legal no Estado, estipulando a obrigatoriedade de inserção de placas informativas em hospitais e maternidades, entre outros locais, com a frase: ‘Entregar crianças para adoção não é crime. Procure a Vara da Infância e Juventude da sua Comarca. Além de legal, o procedimento é sigiloso’.

“A lei busca proteger e defender as crianças que sofrem abandono, ao mesmo tempo em que contribui para desmistificar esse tema que tanto nos preocupa”, observa Cristiane

Carlos Eduardo Alves quer indicar seu “Gileno Guanabara”

O ex-prefeito Carlos Eduardo Alves já sabe que não indicará a prima de sua mulher Andréa Ramalho para vice-prefeita. Apesar de ser uma pessoa muito boa, Aila Ramalho sofreu vetos por ser imposta pelo seu padrinho ex-prefeito.
Uma fonte do Blog do Primo informou que Carlos  Eduardo Alves quer derrotar Álvaro Dias fazendo o mesmo que Wilma fez com José Agripino em 1998. Agripino, mesmo Wilma sendo prefeita, perdeu em Natal por 29 mil votos e ficou fora da disputa de 2002 quando Wilma se elegeu governadora.
Wilma querendo derrotar José Agripino interferiu na composição da chapa quando já tinha sido escolhido o nome da ex-primeira-dama do RN Edinólia Melo, esposa do então senador Geraldo Melo substituindo pelo fraco nome sem expressão eleitoral, apesar de honrado, do advogado Gileno Guanabara.
Carlis Eduardo Alves agora vai “melar” a chapa!

Quem será o Gileno Guanabara de Carlos Eduardo Alves?

Primando por Parnamirim: Grupo de Gilson Moura quer indicar o vice de Taveira

Gilson Moura quer juntar Taveira com Abidene

Apesar da votação pelos vereadores da bancada do governo na Câmara Municipal por maioria ter indicado o nome da vereadora Kátia Pires, o grupo político liderado por Gilson Moura está insistindo em indicar o vereador Abidene Salustiano.
Gilson Moura tem articulado intensamente negociando a indicação do seu parceiro numa emissora de rádio comunitária.
Gilson Moura e Abidene tentaram conversar com o ex-prefeito Maurício Marques mas não conseguiram.
O ex-prefeito Maurício Marques está conversando com outra corrente política para compor sua chapa.

Montadoras oferecem desconto de até R$25 mil para se recuperarem da crise

Por Artur Nicoceli

Após cinco meses de pandemia, já é perceptível, mesmo que lenta, a retomada da economia. Setores como varejo e tecnologia, por exemplo, estão reagindo bem às expectativas do mercado. No entanto, a indústria automobilística está indo na contramão da recuperação financeira.

De acordo com a pesquisa realizada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA), o mês de julho deste ano teve uma queda de 29% nas vendas de carros, comparado com 2019.

O estudo, também, demonstra que, nos sete primeiros meses, houve uma redução de 48,3% na fabricação de automóveis e 36,6% nas vendas, em relação ao ano anterior. “No primeiro trimestre de 2020, fabricamos e vendemos, em média, 3 milhões de veículos. Hoje, temos um aumento de carros nas concessionárias e fábricas”, afirma Luiz Carlos Moraes, presidente da ANFAVEA, em coletiva de imprensa.

Para tentar sobreviver, as montadoras estão oferecendo diversas promoções para tentar atrair compradores. A Renault, por exemplo, está com o desconto de, aproximadamente, R$4,5 mil para o Logan Life 1.0; já a Hyundai está reduzindo o valor de quase R$6 mil no Creta Attitude 1.6; a FIAT está abatendo, em média, R$25 mil do Toro Endurance 2021; a Volkswagen está sugerindo o pagamento da primeira parcela do financiamento do automóvel para o início de 2021 e a Nissan anunciou a campanha “Compromisso Nissan” que oferece a possibilidade do cliente não pagar as 12 primeiras parcelas do automóvel.

Comprar carro não é prioridade do momento

O aposentado, Flávio Bertonha, 57, estava pensando em trocar de automóvel no mês de março, porém, com a quarentena, optou por desistir, acredita que momento seja de cautela e está preocupado com a situação financeira. “Mesmo com todas as ofertas de desconto, só vou pensar em trocar no fim da pandemia e com a melhora da economia, agora não é o momento”.

Alexandre Jorge Chaia, especialista em finanças pessoais, acredita que financiar um automóvel se tornou uma vontade para o futuro. “Comprar um carro nunca foi e não será prioridade, principalmente, neste contexto”.

Para Chaia, a recuperação da confiança econômica deve acontecer no último trimestre do ano.

Bolsonaro reúne deputados querendo voltar para o PSL

O presidente Jair Bolsonaro convocou deputados federais bolsonaristas para uma reunião nesta quarta-feira (26), no Palácio da Alvorada, para discutir o futuro partidário do grupo. Segundo parlamentares ouvidos pela CNN, a principal tendência atualmente é voltar para o PSL.

O encontro ocorrerá após o presidente retornar da viagem oficial à Minas Gerais. A reunião não constava na agenda oficial de Bolsonaro até a manhã desta quarta-feira, mas foi confirmada à coluna por quatro parlamentares bolsonaristas que foram convidados.

Foram chamados para a conversa os deputados bolsonaristas que são filiados ao PSL, mas estão suspensos das funções partidárias pela cúpula da sigla. Antes do encontro, esses parlamentares devem se reunir individualmente com o líder da legenda na Câmara, Felipe Francischini (PR).

Como a CNN noticiou ainda em 14 de agosto, o presidente e deputados aliados estão com conversas avançadas com a cúpula do PSL para voltarem à legenda. Para concretizarem o retorno à sigla, faltaria apenas a negociação dos termos do acordo.

A negociação prevê que, de um lado, os bolsonaristas deverão desistir do Aliança pelo Brasil, partido que tentam criar, e das ações na Justiça contra a atual direção do PSL. Do outro, a direção da legenda revogará a suspensão de deputados federais.

Esses parlamentares federais voltariam a ser filiados ao PSL normalmente, com todos os direitos e deveres partidários. Bolsonaro, porém, só deve se filiar de volta ao partido em dezembro, porque não quer participar das eleições municipais.

Créditos: CNN Brasil

Natal não tem rei nem dono: Assim como foi vice do inatacável e exemplar Manuel Torres, Álvaro Dias tem que seguir com humildade de cabeça erguida enfrentando qualquer tipo de chantagem

Atendendo uma exigência conjugal, Carlos Eduardo Alves quer controlar Natal através da prima de sua mulher, os destinos de uma capital não pode ser escolhido numa cama de casal, reclamam lideranças comunitárias
Natal não tem rei nem dono, a cidade é livre e pertence ao povo

por Renato Dantas

Todos sabem que Carlos Eduardo Alves engoliu Álvaro Dias como vice-prefeito à força, ele queria que seu vice-prefeito fosse Marcelo Queiroz.
Mesmo engolindo Álvaro, Carlos Eduardo Alves fez pesadas exigências para deixar à Prefeitura na condição de candidato a governador. Álvaro foi correto e cumpriu tudo que era legal e ético.

Ao perder a eleição para governador,  Carlos Eduardo Alves tentou sabotar a gestão de Álvaro com intuito de destruí-lo e apresentar Aila Ramalho como sua candidata a prefeita. Não conseguiu, Álvaro resistiu e escapou!
Agora, para tirar Álvaro Dias de uma possível candidatura a governador, já que Alves só pensa em ser candidato novamente, montou uma estratégia para garrotear Álvaro indicando a prima de sua mulher para ser à vice-prefeita. Mesmo indicando a vice-prefeita, Carlos Eduardo Alves vai fazer de tudo, gerando crise, para derrotar Álvaro. Carlos Eduardo Alves sabe que Dias sendo derrotado estará fora da disputa do governo, caso Álvaro ganhe à eleição não poderá sair para disputar o governo entregando à Prefeitura a sua vice que será controlada por Carlos Alves também será candidato a governador.
Carlos Eduardo Alves nunca foi amigo de ninguém, ele traiu sua própria família para ser prefeito de Natal rompendo com Aluízio Alves para apoiar Wilma. Depois ele destruiu Dona Wilma que foi sua vice-prefeita desprestigiada, terminando morrendo como vereadora de Natal com uma votação pífia, disse um ex-secretário de Wilma.
Já Álvaro todos sabem que é um político sério, solidário que nunca traiu ninguém e sempre ajudou Carlos Eduardo Alves ao ponto de fazer um sacrifício deixando de ser reeleito deputado estadual para ser candidato a vice-governador em 2010 quando Carlos Eduardo Alves teve uma votação ridícula, depois de ter contra vontade dos seus amigos entregue à presidência do PDT no RN, falou um caicoense presente.
A classe política de Natal e até os adversários de Álvaro estão perplexos com a maldade e ambição do incontrolável de Carlos Eduardo Alves que se acha dono de Natal. Até os Alves não estão apoiando Carlos  Eduardo Alves nesta chantagem política, disse um corretor de imóveis.
No PDT Carlos Eduardo Alves não tem o apoio de ninguém. Em Natal a grande maioria quer que Álvaro de um grito de liberdade e de cabeça erguida seja o grande comandante de sua própria campanha escolhendo o vice-prefeito ou vice-prefeita seja melhor para Natal.
Álvaro está bem avaliado, fazendo um gestão melhor que de Carlos Eduardo Alves.
Todos sabem que Álvaro não está traindo ninguém, mas não pode aceitar chantagem de arrumadinho familiar, até porque o povo não aceita esse tipo de conchavo espúrio.
Carlos Eduardo Alves transformou-se numa escória da Prefeitura de Natal querendo viver eternamente sustentado pelo prestígio e erário municipal, controlando à Prefeitura como sua família controla a Tribuna do Norte, diz um vereador do PDT que prefere ficar no anonimato.

Todos os argumentos, opiniões e impressões colocados neste post foram colhidos de fontes que militam na política partidária de Natal.

O Blog do Primo, desde já, abre o mesmo espaço para o casal Ramalho/Alves contrapor opinões aqui relatadas.

Definição sobre novo valor do auxílio deve sair até sexta-feira

Depois de participar de reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e outros integrantes do governo, o  presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite desta terça-feira  (25) que deve definir até a próxima sexta o novo valor do auxílio emergencial, menor que os atuais R$ 600, que pretende prorrogar até o fim do ano. Ele participou da abertura do congresso nacional da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), em um hotel de Brasília.

Bolsonaro volta a defender trabalho infantil: “Bons tempos”

Presidente Jair Bolsonaro defendeu prática que é proibida pelo Estatuto da Criança e do Adolescente
Carlos Eduardo Alves e Bolsonaro
Felipe Frazão

BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender nesta terça-feira, 25, o trabalho infantil, em evento promovido pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), em Brasília. A prática é proibida pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Em tom crítico, o presidente disse que atualmente os menores de idade “podem até fumar um paralelepípedo de crack (referência à droga), menos trabalhar”.
“Bons tempos, né? Onde o menor podia trabalhar. Hoje ele pode fazer tudo, menos trabalhar, inclusive cheirar um paralelepípedo de crack, sem problema nenhum”, afirmou Bolsonaro ao empresariado presente no Congresso Nacional da Abrasel, transmitido ao vivo e apresentado pelo presidente da entidade, Paulo Solmucci, como uma conversa do presidente com “donos de botequim”.
Bolsonaro contava a empresários e lobistas do setor, que pedem socorro ao governo por causa da crise durante a pandemia da covid-19, ter trabalhado em um bar aos 10 anos, por ordem do pai. Ele foi aplaudido pelos empresários assim que contou a história.
“Meu primeiro emprego, sem carteira assinada, obviamente, tinha 10 anos de idade, foi no bar do seu Ricardo em Sete Barras, Vale do Ribeira”, disse Bolsonaro, sob aplausos. “Eu estudava de manhã e à tarde, das 2 (horas) da tarde até as 6, 7 (horas) da noite… Tinha pouca gente no bar, a galera que gosta de uma birita chega um pouquinho mais tarde, e eu trabalhava ali com ele, meu pai me botou lá.”

Em vigor desde 1990, o ECA veda o trabalho de menores de 16 anos, só autorizado a partir dos 14 anos na condição de aprendiz. Bolsonaro é um crítico da legislação há anos. Ele já defendeu em outras ocasiões que crianças e adolescentes possam trabalhar como forma de “enobrecimento”.

O próprio governo federal, porém, tem programas e ações para erradicar o trabalho infantil. O País assumiu nas Nações Unidas o compromisso de acabar com a exploração ilegal de menores até 2025. A Justiça do Trabalho e o Ministério Público, além de diversas entidades do terceiro setor, fazem parte de iniciativas internacionais para acabar com a ilegalidade. O trabalho precoce reconhecidamente viola direitos de crianças e compromete o desenvolvimento físico, intelectual e psicológico dos menores.