Ricardo Salles diz que “perseguição a pecuaristas” contribuiu para fogo no Pantanal

O ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) participou nesta 5ª feira (24.set.2020) da live semanal do presidente Jair Bolsonaro. O ministro afirmou que a “perseguição aos pecuaristas” no Mato Grosso tem relação com o aumento do fogo no Pantanal. Segundo Salles, outro motivo para os incêndios acentuados foi a redução da “queima controlada”, chamada de “fogo frio”.

“Tem uma série de políticas que foram adotadas lá [no Mato Grosso] e que estão equivocadas. […] Quando você, fora do período seco, fora do período quente, coloca fogo de propósito, de maneira controlada, para diminuir a quantidade de matéria orgânica […]. Se você não faz isso durante 2 anos, que é o que vem acontecendo lá, aquele material vai se acumulando e secando de tal forma que quando pega fogo, pega fogo numa proporção que é muito difícil controlar, porque não tomou a medida preventiva no momento correto.”

Salles acrescentou: “O pantaneiro, o pecuarista, ele é 1 colaborador. E a pecuária ajuda também a diminuir a matéria orgânica porque o gado come o capim, come o pasto. E, com isso, não deixa acumular. E vem havendo naquela região, ao contrario do Mato Grosso do Sul, que controlou esse assunto, no Mato Grosso [há] uma perseguição muito grande contra os pecuaristas. Resultado: diminuiu o gado, aumenta a quantidade de capim e de mato. Quando pega fogo, pega fogo num monte, num volume gigantesco”.

Já Bolsonaro afirmou que a esquerda “se aproveita” dos incêndios e o acusa de estar tocando fogo no Pantanal ou de não estar tomando providências para apagar as chamas. “Pantanal: uma área enorme. Maior do que 4 Estados juntos. Você pega aí Sergipe, você pega aí Alagoas, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Imaginou o tamanho da área? E nós fazemos o trabalho de conter os focos de incêndio”.

Sobre a devastação na Amazônia, Ricardo Salles endossou fala de Bolsonaro de que a floresta é úmida e dificilmente pega fogo. “O núcleo da floresta, que é úmido na parte que não é seca, não pega. O que pega fogo é no entorno, onde houve diminuição da vegetação porque houve intervenção humana, intervenção essa ao longo de 500 anos. 84% da Amazônia é preservada de maneira primária, ou seja, igualzinha quando os portugueses chegaram aqui”, disse o ministro.

O presidente da República e o ministro do Meio Ambiente fizeram a transmissão a partir de São Paulo, já que nesta 6ª feira (25.set) Bolsonaro passará por cirurgia no hospital Albert Einstein para remover 1 cálculo da bexiga. De acordo com a assessoria do Planalto, o procedimento será realizado de 10h30 a 11h.

PODER 360

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *