Paraná prorroga toque de recolher, mas suspende medidas contra covid-19 no Ano Novo

O Paraná passou de 400 mil casos de covid-19, o governo estadual prorrogou o toque de recolher por mais 10 dias. Contudo, o novo decreto abre exceção para a população descumprir algumas das medidas contra o coronavírus na festa de Réveillon.

“Excepcionalmente, na passagem do dia 31 de dezembro de 2020 para o dia 1º de janeiro de 2021, as medidas dispostas não se aplicam”, afirma o decreto assinado pelo governador Ratinho Junior (PSD).

Na prática, isso significa que as pessoas poderão circular pela cidade durante a madrugada do 1º dia de 2021. Desde o início de dezembro, a administração estadual proíbe a circulação de pessoas entre às 23h e 5h, com exceção aos serviços de Saúde, Segurança e delivery (alimentos e remédios). Outra liberação do governo do Paraná para a festa da virada é a venda/consumo de bebidas alcoólica em locais públicos.

O que segue proibido, no entanto, são as realizações de festas ou eventos com mais de 10 pessoas (crianças de até 14 anos não entram no cálculo) no Réveillon.

Apesar da flexibilização no toque de recolher, o governo do Paraná orienta a população a festejar a virada do ano em seus núcleos familiares, evitando aglomerações. “Não é porque o decreto deixa de valer no dia 31 que nós podemos nos aglomerar”, diz o secretário da Saúde, Beto Preto.

Conforme o boletim desta segunda, o Estado acumula 401.631 casos e e 7.671 óbitos devido às complicações da covid-19.

TOQUE DE RECOLHER SURTIU EFEITO NO PARANÁ, DIZ BETO PRETO

O toque de recolher entre às 23h e 5h foi a principal medida do governo estadual para conter o avanço do coronavírus registrado em novembro. As regiões leste, que engloba Curitiba, e noroeste, Maringá, aproximaram-se do colapso do sistema de Saúde.

A restrição de circulação de pessoas no período noturno se dá. sobretudo, para evitar a ocupação de leitos de UTI, já que 15% das UTIs (unidades de terapia intensiva) costumam receber vítimas de traumas causados por acidentes.

Em entrevista à RPC, o secretário da Saúde Beto Preto fez um balanço e diz que isso foi fundamental no controle da pandemia. Segundo ele, o Paraná teve queda de até 35% no número de acidentes que resultaria em atendimentos nos hospitais, o que deu fôlego para que as equipes focassem no tratamento da covid-19.

“Isso foi importante pra conseguir fazer com que a nossa rede hospitalar consiga atender os pacientes. Nós tínhamos, há duas semanas, 180 pessoas aguardando vaga nos hospitais todos os dias em Curitiba e na região metropolitana. Hoje esse número caiu pra cerca de trinta, quarenta pessoas. O toque de recolher tem sido efetivo e a Polícia Militar tem demonstrado os dados para o governo do Estado”, afirmou ele.

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *