Tribunal de Justiça nega pedido de Rogério Marinho para trancar investigação em que ele é acusado de peculato e enriquecimento político | Blog do Dina

Bolsonaro e Rogério Marinho

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) julgou o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa de Rogério Marinho, atual ministro do Desenvolvimento Regional, para trancar a investigação em que ele é acusado de enriquecimento político e peculato.

O julgamento ocorreu nesta quinta-feira (4) na Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. O caso que vem se desdobrando há algum tempo voltou ao noticiário depois que Rogério Marinho ganhou projeção nacional no governo Bolsonaro.

O motivo da ação remete aos tempos em que era presidente da Câmara Municipal de Natal, entre os anos de 2005 e 2007. Marinho é acusado de autorizar a contratação de funcionários fantasmas para que parlamentares, incluindo ele, embolsassem recursos.

A investigação aponta ainda que 35 servidores contratados pela CMN sequer apareciam para trabalhar, mas recebiam o salário todos os meses. Além disso, existiam os considerados “superfantasmas”, que não faziam ideia de que tinham os nomes utilizados no esquema. Parte desse grupo, atendia aos interesses financeiros do então vereador.

 Gostei 

Facebook Comments
Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *