Todos os posts de renato renato

STF rejeita recurso de Lula que pedia para anular condenação no STJ

Greenwald reitera autenticidade de material divulgado por site

Por Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Brasília

Em audiência na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, editor do site jornalístico The Intercept Brasil, reiterou hoje (25) a autenticidade do material recebido de uma fonte anônima com supostas mensagens entre o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e membros da força-tarefa da Lava Jato entre os anos de 2015 e 2018.

Desde o início do mês, o The Intercept vem divulgando trechos de supostas conversas que Moro teria mantido com integrantes da força-tarefa da Lava Jato quando ainda era juiz da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, onde é julgada parte dos processos da Lava Jato.

Comissão de Direitos Humanos e Minorias realiza audiência pública para debater a atuação de juízes e procuradores brasileiros no âmbito da Operação Lava Jato. Presente o jornalista fundador do jornal The Intercept, Glenn Greenwald.
Jornalista Glenn Greenwald participa de audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara – Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro tem afirmado que as mensagens veiculadas pela imprensa foram tiradas de contexto e podem ter sido adulteradas. Moro informou que usava o aplicativo de mensagens Telegram para “agilizar” os contatos com procuradores da força-tarefa da Lava Jato necessários à execução de procedimentos legais e que suas conversas não revelam nenhuma ilegalidade, tendo sido obtidas “criminosamente” por hackers que interceptaram as comunicações de autoridades.

Segundo Glenn Greenwald, o ministro não apontou até o momento qualquer material específico publicado em que possa ter ocorrido adulteração.

O The Intercept afirma ter recebido de uma fonte anônima um imenso arquivo contendo mensagens em texto e áudio. A equipe de jornalistas do site garante ter apurado a veracidade das informações. Para os jornalistas, as conversas indicam que Moro infringiu o código da magistratura ao ajudar os procuradores da República a instruírem o processo penal, sugerindo a ordem de deflagração de operações policiais da Lava Jato e indicando testemunhas a serem ouvidas pela acusação. O site diz que não revelará a origem das mensagens. A Constituição Federal reserva a todo jornalista o direito de não revelar suas fontes de informações.

Ontem (24), o ministro Sergio Moro anunciou que, devido a sua viagem aos Estados Unidos, não compareceria à audiência pública que as comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público e de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados tinham marcado para esta quarta-feira (26). O convite a Moro tinha o objetivo de obter esclarecimentos sobre as notícias que vêm sendo publicadas pelo site The Intercept Brasil, em parceria com o jornal Folha de S.Paulo e do programa O É Da Coisa, transmitido pela rádio BandNews FM.

Na semana passada, Moro passou mais de oito horas falando sobre o assunto aos membros da Comissão de Constituição e Justiça do Senado. O ministro disse várias vezes que não se recordava das mensagens, colocando em dúvida a autenticidade delas. Ele disse ainda não ter apego ao cargo e que, se que houver qualquer irregularidade comprovada, ele deixará a função.

Edição: Juliana Andrade

Juízes Federais pedem expulsão de Sérgio Moro

Um documento assinado por 30 juízes federais solicita à Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) a suspensão cautelar do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, da entidade que representa a categoria no País.

Foto: Fátima Meira / Futura Press

O pedido, enviado à Ajufe foi feito com base na divulgação da troca de mensagens atribuídas a Moro e os procuradores da operação Lava Jato Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, na série de reportagens do site The Intercept Brasil.

Os juízes e juízas de várias partes do Brasil consideram o conteúdo dos vazamentos, caso venha ser confirmado, como sendo de “extrema gravidade”, uma vez que Moro “ainda integrava os quadros da magistratura federal” à época em que as conversas teriam ocorrido.

O documento ressalta que Moro “não negou a veracidade das comunicações divulgadas, tendo se limitado a afirmar que não vê anormalidade nas mensagens e que as conversas estão fora de contexto”. Tais condutas, afirmam os juízes, “são totalmente contrárias aos princípios éticos e às regras jurídicas que devem reger a atuação de um magistrado”.

“Quando um juiz atua de forma parcial, chegando ao ponto de confundir sua atuação com a do órgão acusador, a credibilidade do Poder Judiciário é posta em xeque”, disseram os juízes.

Os conteúdos das reportagens, se comprovados, “indicariam ofensa ao Estado Democrático de Direito, comprometimento da imparcialidade da jurisdição e fomento de descrédito do Poder Judiciário como um todo e da Justiça Federal”.

O grupo solicita a abertura de um processo administrativo disciplinar contra Moro, “com rigorosa observância do contraditório e da ampla defesa”. Caso seja confirmada alguma irregularidade, os juízes solicitam “a exclusão do quadro social da Ajufe do sócio benemérito Sergio Fernando Moro”. Eles pedem ainda que Moro seja excluído do grupo de discussão por e-mail dos magistrados, chamado de Lista Ajufe

Moro é sócio benemérito da Ajufe, que lhe concedeu esse título em outubro de 2018. A associação informou que vai analisar o pedido dos 30 juízes e juízas federais.

Tiro no pé do coronel

Deputado coronel Azevedo acusado de insuflar policiais militares

Analistas políticos garantem que as movimentações do deputado estadual coronel Azevedo para provocar paralisações da Polícia Militar vai prejudicar sua possível candidatura a prefeito de Natal.

Seu prestigio pode aumentar na tropa, mas será reduzido na sociedade. Ninguém apoia um político que contribui para tirar policiais militares da rua.

Torcedor invade gramado e leva rasteira de zagueiro chileno

Um torcedor invadiu o gramado do Maracanã aos 28 minutos do segundo tempo durante o duelo entre Uruguai e Chile pela terceira rodada da Copa América. Quatro seguranças também entraram no gramado para tentar conter o invasor, mas levaram um baile.

O zagueiro chileno Gonzalo Jara, então, se sentiu no direito de dar uma ajuda e passou uma rasteira no torcedor. A atitude gerou revolta dos jogadores do Uruguai, que cobraram uma punição ao árbitro brasileiro Raphael Claus. O juiz ficou indeciso, aguardou o torcedor deixar o campo e mandou o jogo seguir.

Torcedor invade o campo durante partida entre Uruguai e Chile, realizada no Estádio do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro, válida pela Copa America 2019, na noite desta segunda- feira, 24 de junho de 2019
Torcedor invade o campo durante partida entre Uruguai e Chile, realizada no Estádio do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro, válida pela Copa America 2019, na noite desta segunda- feira, 24 de junho de 2019

Foto: MARCELO DE JESUS/RAW IMAGE / Estadão Conteúdo

O Uruguai venceu a partida por 1 a 0, com gol de Cavani, e garantiu a liderança do Grupo C com sete pontos. Na próxima fase terá pela frente a seleção peruana. A partida acontecerá no sábado, às 16h, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

O Chile avançou em segundo lugar e jogará contra a Colômbia, na Arena Corinthians, na sexta-feira, às 20h

Transmutação do casal Protásio

Segundo o jornalista Flávio Marinho sua postura expõe a face do que se convencionou chamar de “oportunismo politico”.

Para o blogueiro, é mais do que aceitável que a vereadora agora oposicionista tenha tomado essa iniciativa já que agora é oposição.

No entanto, esse argumento se torna pífio e contraditório quando se constata que a mesma vereadora que hoje protesta contra o aumento concedido, votou sem qualquer contestação em reajuste de tarifa de ônibus quando fazia parte da bancada do prefeito Álvaro Dias e como tal gozava dos privilégios que o Executivo destina aos seus aliados – cargos e outras benesses do gênero.

Em maio de 2018, a então governista Ana Paula foi uma dos 14 vereadores do governo que votou contra a mudança do valor da tarifa – na época R$ 3,65 – e derrubou no Plenário da Câmara Municipal o Decreto Legislativo nº 027/18, de autoria do então vereador Sandro Pimentel, que na ocasião estava propondo o mesmo que hoje ela defende – a revogação da tarifa.

A postura atual da vereadora Ana Paula mostra que ela é adepta de usar “dois pesos e duas medidas” em suas decisões como parlamentar, que ao que parece são balizadas muito mais como resposta a interesses contrariados do que como caixa de ressonância dos eleitores que representa, diz o jornalista.

Veja matéria revelando como ela votou no passado:

Segundo o blogueiro Pássaro em seu blog Notícias do Pássaros, a vereadora mudou de lado depois que ela é seu marido perderam alguns privilégios.

A postura é tida como incoerente e oportunista pelos frequentadores da Câmara Municipal, e muitos afirmam que o ex-vereador Júlio Protásio Sempre votava em matérias que beneficiam os empresários de ônibus, mas agora sua esposa é a maior adversária da empresas de transporte de Natal. Então vem uma pergunta: O que mudou?

Uma fonte do Blog afirmou que Protasio caiu do ônibus dos empresários como cachorro em caminhão de mudança, ou seja, ficou perdido sem saber onde seria sua nova casa para comer ração.

Maria Mula Manca era uma pessoa do povo muito querida é estimada pelos potiguares, mulher simples e folclórica põe sempre mudar de lado na política. Uma semana era ela aluizista e na outra ela dinartista, dependia dos seus interesses, diante de tantas mudanças, um vereador disse: Parece que o espírito de Maria Mula Manca está aqui neste Plenário.

Maria Mula Manca sempre mudava de lado, um dia era dinartista no outro aluisista e assim agradava todos

Meteoro visto no Nordeste se deslocou a 72 mil km/h sobre a região Seridó potiguar

Fragmento surgiu a 91,2 km de altura próximo à cidade de Cerro Corá; e se desfragmentou a cerca de 39,6 km sobre a cidade de Cruzeta — Foto: Divulgação/Bramon

Por Everton Dantas, do OP9 — O meteoro visto esta semana em cidades de Pernambuco, da Paraíba e do Ceará, surgiu e desapareceu sobre o Rio Grande do Norte. A revelação foi feita após o cruzamento de imagens de câmeras de monitoramento que registraram a passagem do fragmento de rocha espacial. (ASSISTIR AO VÍDEO ABAIXO)

As informações são da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Bramon). Um dos registros foi feito na estação da rede em João Pessoa (PB). Outras quatro câmeras do portal Clima Vivo, de informações meteorológicas, também registraram o meteoro em Araripina, Cabrobó e Ouricuri (todas PE); e em Juazeiro do Norte (CE).

A partir dessas imagens, feitas dia 19 de junho, os especialistas da Bramon conseguiram calcular a rota do meteoro: ele apareceu a 91,2 quilômetros de altura próximo à cidade de Cerro Corá; e se deslocou até sumir a cerca de 39,6 quilômetros de altitude sobre a cidade de Cruzeta, na região Seridó potiguar.

Trajeto do meteoro sobre o Rio Grande do Norte. Imagem: Bramon

Esse trajeto foi feito em cerca de 4 segundos numa velocidade estimada de 72 mil km/h (20 km/s). Também de acordo com a Bramon, o fenômeno foi causado “por um fragmento de rocha espacial de cerca de 1,5 Kg que atingiu a atmosfera em altíssima velocidade”.

Em geral, a resistência atmosférica e o calor gerado na entrada desintegram completamente essas rochas. Mas há casos nos quais o fragmento resiste a isso e consegue atingir o solo. No caso desse meteoro sobre o RN, tudo indica que ele foi totalmente consumido.

Monitoramento de meteoros é intensificado nessa época do ano

Segundo o site da Bramon, a Terra atravessa atualmente uma região do espaço cheia de fragmentos rochosos, restos de um cometa que se partiu há cerca de 20 mil anos. Por este motivo, o monitoramento de meteoros foi intensificado.

De acordo com a Rede, “existe uma suspeita que um desses fragmentos atingiu a Terra no dia 30 de junho de 1908 na região de Tunguska, na Sibéria”. Esse evento foi tão violento que devastou completamente uma área mais de 2.000 Km² de floresta.

Motivado por este acontecimento foi criado o movimento global “Asteroid Day” (Dia do Asteróide), que ocorre anualmente exatamente no dia do evento de Tunguska, 30 de junho. Um dos idealizadores disso foi o ex-guitarrista da banda Queen, Brian May, que é astrofísico.

A ideia é que no dia do evento, várias ações ao redor do mundo são promovidas para alertar sobre o risco de um impacto do tipo à Terra. E também são discutidas ações que podem ser promovidas para evitar os danos de um desastre do tipo. A Bramon é uma organização aberta e colaborativa, mantida por voluntários e colaboradores e sem fins lucrativos

Preço da energia cairá 40%

Um plano pode contribuir para uma redução de 40% no preço da energia no país em cerca de dois anos, disse o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta segunda-feira, ao apresentar resolução do Conselho Nacional de Politica Energética (CNPE) sobre o tema.

A resolução do CNPE, segundo nota do conselho, objetiva intensificar a desverticalização em toda a cadeia de gás natural e criar as condições para o acesso não só aos gasodutos de transporte, mas a todas as infraestruturas essenciais do setor, “proporcionando a abertura do mercado e a prom.

Brasil terá revanche contra o Paraguai após ser eliminado duas vezes

As quartas de final da Copa América vão dar ao Brasil a oportunidade de uma revanche dupla. Depois de ser eliminado pelo Paraguai em 2011 e 2015 nessa mesma fase nas cobranças de pênaltis, a equipe do técnico Tite vai enfrentar novamente o adversário nesta quinta-feira, na Arena do Grêmio, para voltar a disputar uma semifinal do torneio depois de 12 anos.

Os paraguaios se classificaram nesta segunda-feira enquanto viam a Copa América pela televisão e torciam pelo resultado favorável O empate em Belo Horizonte por 1 a 1 entre Equador e Japão deu ao time guarani a vaga na próxima fase com uma campanha nada convincente, pois sequer conseguiu vencer. Foram dois empates contra Catar e Argentina e mais uma derrota para a Colômbia, por 1 a 0.

Indefinição no STF frustra aliados de Lula, que temem demora para julgamento

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal desmarcou o julgamento de um habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em meio à incerteza do resultado e do futuro do ministro Sergio Moro (Justiça) no governo Jair Bolsonaro (PSL).

A decisão do STF de postergar a apreciação do caso frustrou Lula, que está preso em Curitiba desde abril de 2018, após ser condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro pelo caso do tríplex de Guarujá (SP).

Os advogados do petista pediram ao Supremo prioridade para manter a data do julgamento, mas ainda não conseguiram reverter a situação.

Na avaliação de aliados de Lula, se o julgamento não for agora, mesmo que o resultado não lhe seja favorável, poderá demorar muito a voltar para a pauta. A indefinição, dizem, é o pior cenário possível.

O julgamento do habeas corpus estava previsto para esta terça (25), mas a possibilidade de o julgamento acontecer era tratada com descrença por ministros da corte.

A avaliação dessa ala era a de que o Supremo não deveria se antecipar em relação a uma eventual penalidade a Moro após a divulgação de mensagens obtidas pelo site The Intercept Brasil, que indicam troca de colaboração dele com procuradores da Lava Jato.

Continue lendo Indefinição no STF frustra aliados de Lula, que temem demora para julgamento