Pelas caridades: Homem bêbado mata seu melhor amigo, corta o pênis e dá para cachorro comer

ytkjrtik565i
Um homem de 25 anos é suspeito de ter matado seu amigo, cortado o pênis dele e dado para o cachorro comer após uma discussão, em que os dois estavam bêbados. O caso aconteceu na Ciudade Juarez, no México.
Em uma entrevista a um canal de televisão local, Mario Alberto Lizalde Reyes disse que teria atirado em Mario Hernandez Banda, após ter sido tocado por ele de “forma sexual”. Para se vingar do amigo, aproveitou que Banda entrou em um beco para urinar e atirou em sua nuca. Em seguida, o rapaz pegou um faca e cortou seu pênis em retaliação à suposta tentativa de abuso sexual.
À polícia, o mexicano disse que teria abandonado o corpo do amigo no beco e dado uma volta com seu cachorro com o pênis dentro de um saco plástico. Porém, ao notar que o animal cheirava a bagagem, resolveu dar o órgão para o animal comer.
Um porta-voz da polícia mexicana disse que após contar o corrido a seu padrasto, o jovem apanhou dele e disse estar arrependido de ter matado o seu melhor amigo. Reyes disse ainda que ele “Banda era um ser humano e não merecia morrer”. O rapaz segue preso.
Fonte: Jornal Daily Mail.

Leia Mais

Delator diz que operador do PMDB recebeu US$ 40 milhões em propina

André Richter
Da Agência Brasil, em Curitiba

Em depoimento de delação premiada à Justiça, um diretor da empresa Toyo Setal afirmou que pagou US$ 40 milhões ao empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, para intermediar a compra de sondas de perfuração para a Petrobras.

No depoimento, Júlio Gerin de Almeida Camargo declarou que o valor foi repassado para Soares por meio de contas offshore indicadas por ele no Uruguai e na Suíça.

Baiano tem sido apontado como o elo entre as fraudes em licitações na estatal e o PMDB, o que ele nega.

No termo de delação, Camargo afirmou que em 2005 atuou como agente da empresa Samsung para vender para a Petrobras duas sondas de perfuração de águas profundas na África e no Golfo do México.

Para fechar o negócio, o delator disse que procurou Soares “pelo sabido bom relacionamento” dele na área internacional e de abastecimento da empresa, dirigidas à época por Nestor Cerveró e Paulo Roberto Costa, respetivamente.

Para tratar do negócio, o delator disse que participou de uma reunião na sala de Cerveró, na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, onde  também estavam presentes o então gerente executivo da área internacional Luiz Carlos Moreira, o então vice-presidente da Samsung Harrys Lee e o gerente da Mitsui no Rio de Janeiro, Ishiro Inaguage.

Para fechar a compra, Camargo disse que se reuniu com Fernando Soares para acertar os valores do negócio. “Fernando Soares disse que precisaria ser paga a quantia de US$ 15 milhões de dólares para que ele ‘pudesse concluir a negociação em bom ‘êxito’ junto à Diretoria Internacional; (…) que isso revelava que Fernando Soares mantinha um ‘compromisso de confiança’ com o diretor internacional Nestor Cerveró. (…) que acabou concordando em pagar os US$ 15 milhões, pois era o único jeito de fechar o negócio; que o declarante fez um acordo com Fernando Soares”, diz a delação.

O diretor da Toyo Setal informou ainda que Soares indicou as contas nas quais os valores deveriam ser depositados. “O declarante fez um acordo com Fernando Soares, através de uma empresa offshore dele; (…) que desse valor, o declarante repassou a título de propina a quantia da US$ 12,5 ou 15 milhões a Fernando Soares; que essas transferências bancárias da conta do declarante mantida no banco Winterbothan, no Uruguai, em nome de uma offshore, para inúmeras contas indicadas por Fernando Soares”, diz o termo de delação.

No mesmo depoimento, Camargo relatou que, dois meses após o negócio ser finalizado, foi procurado por Fernando Soares novamente para a compra de outra sonda, dessa vez para o Golfo do México. Segundo o delator, na segunda compra, o valor pago de propina subiu para US$ 25 milhões.

Para pagar a segunda venda, o diretor disse que fez novos pagamentos em uma contra offshore na Suíça. Parte do valor também passou pelas contas da GFD Invesimentos, uma das empresas de Alberto Youssef.

“Os valores foram transferidos após a formalização de contratos simulados de prestação de serviços com as empresas do declarante e emissão de notas fiscais pelas contratadas. Somando pagamentos feitos a Fernando Soares no exterior e no território nacional, assim como por meio de Alberto Youssef também destinados àquele, o declarante efetivou o pagamento total do montante exigido de US$ 40 milhões de dólares”, declarou.

Leia Mais

Operador do PMDB diz que negocia com a Petrobras desde o governo FHC

Preso na Operação Lava Jato, o empresário Fernando Baiano diz que ajudou uma empresa espanhola a firmar contrato com a estatal em 2000. Ele nega ser operador de “qualquer partido”, mas admite que pediu a Alberto Youssef doações eleitorais

PSDB RN calado – Rogério Marinho com o finado, Sérgio Guerra acusado de supostamente receber propina do Petrolão

Com prisão preventiva decretada ontem (21) pela Justiça, o empresário Fernando Antonio Falcão Soares, mais conhecido como Fernando Baiano, declarou à Polícia Federal que começou a fazer negócios com a Petrobras ainda no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 2000. Apontado como operador do PMDB no esquema de fraudes de licitações e cobrança de propina na estatal, Fernando disse que ajudou, na época, uma empresa espanhola a firmar com a Petrobras um contrato de gestão de manutenção de termelétricas.

De acordo com reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, ele declarou que foi no governo FHC que conheceu o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, autor do documento considerado tecnicamente falho pela presidente Dilma que embasou a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Os investigadores suspeitam que Fernando tenha atuado nessa área internacional, o que ele rechaça. O empresário disse que soube apenas recentemente que Cerveró era indicação política do PMDB e que achava que o ex-diretor era vinculado ao PT.

Ainda segundo o Estadão, Fernando Baiano negou ser operador de “qualquer partido político”, mas admitiu que pediu ao doleiro Alberto Youssef, principal alvo da Operação Lava Jato, que fizesse doações para campanhas políticas. Ele também contou manter duas contas “declaradas” no paraíso fiscal de Liechtenstein, na Europa.

Fernando disse ainda que o empresário Júlio Camargo, ligado à Toyo Setal Empreendimentos e um dos delatores do esquema, lhe deve US$ 20 milhões por negócios relacionados a sondas de perfuração.

Leia Mais

Sujeira do Petrolão pode respingar no RN, diz o primo, Xerife

charge petro

Segundo contam lá do Distrito Federal, há nomes da política potiguar que podem surgir com mais força no esquema de corrupção na Petrobras, conhecido por Petrolão. E quem será? A resposta vai depender doSupremo Tribunal Federal (STF), que guarda os relatórios das delações premiadas do ex-diretor Paulo Roberto Costa e do doleiro Michel Yousseff.

Fonte: http://www.robsonpiresxerife.com/

Leia Mais

Operação Lava Jato: Fernando Baiano nega ter relações com PMDB

Caciques do PMDB do RN

O advogado Mário Oliveira Filho, que representa o empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), disse que seu cliente negou ter relações com o PMDB, em depoimento prestado hoje (21) à PF em Curitiba (PR).

Segundo o advogado, Soares respondeu a todas as perguntas formuladas pelos delegados durante a oitiva, que durou aproximadamente duas horas. Oliveira Filho preferiu não dar mais detalhes sobre o depoimento ao deixar a Superintendência da PF.

Fernando Soares entregou-se à PF na terça-feira (18), depois de ser considerado foragido. A prisão temporária de cinco dias vence amanhã (22) e caberá ao juiz federal Sério Moro, responsável pelas investigações, decidir se ele vai continuar preso.

Em depoimento de delação premiada, o doleiro Alberto Youssef disse que o investigado arrecadava propina para o PMDB por meio de contratos com a Petrobras. Em entrevista na quarta-feira (19), o advogado confirmou que o empresário tinha negócios lícitos com a Petrobras, mas negou que ele tenha qualquer ligação com o partido. Em nota, a legenda repudiou a acusação.

Em relatório enviado quarta-feira (19) pelo Banco Central ao juiz federal Sérgio Moro, a instituição informou que foram bloqueados R$ 8,5 mil na conta do empresário no Citibank e R$ 304 em outra conta, no Santander. Em entrevista na quarta-feira, o advogado Mário Oliveira Filho disse que Fernando Soares faz “prospecção de negócios”. O representante do empresário disse ainda que não há obra sem propina no país.

Leia Mais

Carlos Eduardo Alves com medo do defunto, disse “que precisa rezar muito para administrar Natal”

O prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, que não é muito de frequentar a igreja, ele só participa de cerimonias religiosas quando tem finalidade politica, disse ontem(21), na celebração de missa na Pedra do Rosário, nas comemorações do dia da padroeira de Natal  “que precisa rezar muito para administrar Natal”.

Esta confissão do burgo-meste é porque ele sabe que o tempo fechou, além do povo de Natal perceber que sua administração é apenas maquiagem, chamado de prefeito AVON, Carlos Eduardo Alves tá rezando muito para o defunto não sair do túmulo..

Se o defunto levantar, a desgraça tá feita…

pedradorosario 037

Leia Mais

Advogados instituirão a Associação dos Advogados do RN

Em reunião marcada para a próxima segunda-feira (24), às 17h, na sede da OAB RN será anunciado ao presidente da casa, Sérgio Freire, a criação da mais nova entidade dos operadores de Direito do Rio Grande do Norte, a Associação dos Advogados do RN.

O objetivo da reunião é apresentar oficialmente a criação da nova entidade e obter o apoio da Secção da Ordem dos Advogados. A Associação  tem como propósito atuar na defesa dos interesses dos operadores do Direito no estado.

Para a fundadora e presidente da Associação, advogada Rossana Fonseca, a criação da entidade é necessária para o fortalecimento da classe profissional. A advogada destaca que “o intuito não é contrapor-se a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e sim, fundar um Associação que atenda e cuide especificamente dos interesses dos advogados do RN”, a exemplo do que faz a Associação dos Advogados de São Paulo (AASP) que atua há 71 anos e é referência para as demais Associações de Advogados no Brasil.

A Associação será composta por nomes importantes da Classe Jurídica potiguar, como: Aldo Medeiros, Adilson Gurgel de Castro, Magna Letícia, Priscila Fonseca, Elke Mendes Cunha, Marcílio Mesquita, além de Rossana Fonseca como presidente e Wlademir Capistrano como vice-presidente.

*Rossana Daly de Oliveira Fonseca – é advogada formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1997); Especialista em direito Tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários do Professor Paulo de Barros Carvalho; Conselheira estadual da Ordem dos Advogados Brasil, seccional do Rio Grande do Norte; e sócia do escritório Neves, De Rosso e Fonseca Advogados.

Blog do BG: http://blogdobg.com.br/criacao-da-associacao-dos-advogados-rn-sera-apresentada-oab-na-segunda-feira/#ixzz3JidPUVxR

Leia Mais

Deputado Agnelo Alves será o ‘ espirito tranca-rua’ do governo de Robinson Faria

Pai e filho torcendo e trabalhando para o governo de Robinson não dar certo

A missão do deputado estadual, Agnelo Alves no final desta legislatura e na próxima é criar dificuldades e embaraços para o governador eleito, Robinson Faria na Assembléia Legislativa..

Agnelo já começou propondo uma emenda na Constituição do Estado determinando que as emendas parlamentares no orçamento sejam impositivas, ou seja, o governador mesmo sabendo da impossibilidade financeira fica obrigado a liberar… Isso demostra apenas o embaraço que ele propõe,  visto que o velho deputado não fez isso quando era prefeito de Parnamirim, muito menos orientou seu filho prefeito de Natal, Carlos Eduardo alves a fazer o mesmo..

O jogo de Agnelo é muito claro, ele sabe que caso Robinson Faria realize um bom governo deverá ser reeleito governador em 2018, e certamente vai derrotar seu filho, Carlos Eduardo..

Para Agnelo, segundo o soldado Vasco, quanto pior para Robinson e para o RN, melhor para seu filho prefeito e candidato a governador..  isso se o defunto não acordar…

 

 

 

Leia Mais

Estudantes querem a cassação dos vereadores, Adão Eridan, Aquino Neto e Júlio Protásio

Júlio Protásio, líder do prefeito Carlos Eduardo Alves

Uma movimentação esta sendo programada para próxima quarta-feira pelos estudantes e partidos políticos em frente a Câmara Municipal para exigir o imediato afastamento dos vereadores, Aquino Neto, Adão Eridan e Júlio Protásio condenados pela Câmara Criminal do TJRN..

As entidades estudantis defendem o afastamento imediato pelo processo politico, uma vez que sendo eles condenado por um colegiados não tem condições morais de legislarem em nome do povo..

Embora eles só perderão o mandato quando o processo estiver transitado e julgado, a Câmara Municipal pode cassa-los por falta de decoro e conduta incompatível   com o mandato num processo interno da casa.. Para um vereador ser cassado precisa da abertura de um inquérito na Câmara e dois terços dos votos dos vereadores..

 

Leia Mais

Arrocha: Pesquisadores de Franca descobrem molécula 50% mais eficiente que o Viagra

Escrito por  Globo Rural -Marina SallesPesquisadores de Franca descobrem molécula 50% mais eficiente que o Viagra

No segundo semestre deste ano, pesquisadores da Universidade de Franca (Unifran) conseguiram nos Estados Unidos a patente do uso de uma planta para controle da disfunção erétil. Testada em laboratório para produzir um medicamento com a mesma função do viagra, a cubebina, também conhecida como pimenta-de java, pode ajudar a resolver o problema de 50% dos homens brasileiros com mais de 40 anos – que de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia apresentam queixas relacionadas à dificuldade de ereção.

Originária da Indonésia, a planta é usada como tempero e apresenta propriedades medicinais de combate a doenças parisitárias, tais como a malária. No caso dos pesquisadores brasileiros a aplicação ao campo da disfunção erétil aconteceu por acaso. Márcio Luís Andrade e Silva, coordenador dos estudos, afirma que sua equipe estava extraindo moléculas da pimenta seca para tratar o mal de Chagas quando percebeu que os camundongos receptores da substância passavam a apresentar ereção fora do comum. A partir disso, anos mais tarde, foi iniciada uma pesquisa a respeito do assunto.

Explicando de maneira simples, a ereção acontece quando o pênis está “cheio” de sangue, o que depende de estímulos hormonais e nervosos para acontecer. Em pessoas com disfunção erétil, distúrbios em um desses dois sistemas ou no sistema vascular dificultam o desencadeamento natural do processo que leva à turgescência do órgão sexual. Para mudar essa situação, uma reação química pode ser provocada intencionalmente.

Tanto no caso do viagra quanto da molécula descoberta pelos cientistas de Franca, o princípio é aumentar a quantidade de um composto específico nas células penianas.  Esse composto é o monofosfato de guanosina (GMPc), que não é o precursor da ereção em organismos saudáveis, mas pode ser direcionado para esse fim. Considerando o fenômeno, o viagra e a pimenta-de-java são degradados no lugar desse composto, que acabaria eliminado pela ação de uma enzima chamada fosfodiesterase-5. Essa substituição só é possível porque as estruturas da molécula da planta e da substância do viagra são muito parecidas com a do GMPc. A enzima, então, passa a degradar os medicamentos e com o aumento do GMPc acontece a ereção.

O próximo passo da pesquisa é desenvolver junto à indústria farmacêutica um medicamento para ser colocado no mercado. “Com os estudos que fizemos até agora é possível dizer que a pimenta-de-java é até 50% mais eficiente do que o viagra”, afirma o pesquisador. E além de mais potente, a molécula parece não causar efeitos colaterais. “O que percebemos é que em vez de aumentar a frequência dos batimentos cardiácos, que é a causa de muitos infartos de quem usa o viagra, a cubebina diminui essa frequência.” De acordo com ele, a redução não é preocupante e pode ser considerada uma vantagem em relação ao medicamento concorrente. “Nossa expectativa é lançar o produto em até 3 anos e meio”, completa Márcio.

Leia Mais

Lava Jato: empreiteiras doaram para 41% do novo Congresso

De acordo com levantamento da Folha de S. Paulo, empresas investigadas pelo esquema de lavagem de dinheiro e de propina contribuíram com R$ 49,8 milhões para campanhas eleitorais. PP, PMDB, PT e partidos da oposição foram beneficiado

 

As nova empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato foram responsáveis pelas doações de R$ 49,8 milhões na disputa por uma vaga no novo Congresso a partir de 2015. De acordo com levantamento do jornal Folha de S. Paulo, Camargo Corrêa, Engevix, Galvão Engenharia, Iesa, Mendes Júnior, OAS, Odebrecht, Queiroz Galvão e UTC doaram para 41% dos deputados e senadores eleitos em outubro.

Das empresas investigadas, a OAS foi a que mais abriu o cofre para doações para candidatos: R$ 14,6 milhões. Ela é seguida por Odebrecht (R$ 11,7 milhões) e Queiroz Galvão (R$ 8,5 milhões). Já as que menos doaram foram a Mendes Júnior (R$ 200 mil) e Engevix (R$ 2,6 milhões). O senador eleito pelo PSD da Bahia Otto Alencar recebeu a maior fatia: R$ 2,9 milhões.

As doações não tiveram recorte partidário ou ideológico. De acordo com o levantamento da Folha, eleitos de PT, PMDB, PP e de partidos da oposição como PSDB e DEM receberam dinheiros das empreiteiras.

Leia Mais

Câmara Criminal do TJRN determina condenação para 17 réus da Operação Impacto

Do TJ-RN

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) manteve as condenações impostas na primeira instância pelo juiz da 4ª Vara Criminal de Natal, Raimundo Carlyle, aos 16 réus condenados na sentença judicial do processo da Operação Impacto.
A denúncia de autoria do Ministério Público Estadual apontou a existência de um esquema de compra de votos envolvendo parlamentares da Câmara Municipal de Natal e empresários do ramo imobiliário e da construção civil durante a votação do Plano Diretor de Natal em 2007.

Os membros da Câmara Criminal também reformaram a sentença no tocante à absolvição do ex-vereador Edivan Martins, agora condenado pelo crime de corrupção passiva. Ao final do julgamento, os desembargadores realizaram a dosimetria das penas, estabelecendo as punições definitivas de cada um dos réus.

Durante o julgamento da Apelação Criminal, os desembargadores Glauber Rêgo, Gilson Barbosa e Ibanez Monteiro reconheceram que os denunciados aceitaram vantagem indevida para que votassem pela derrubada dos vetos do prefeito de Natal ao Plano Diretor, conforme interesses de um grupo de empresários do ramo imobiliário e da construção civil.
O relator do processo, desembargador Glauber Rêgo, afirmou que restaram identificadas as culpabilidades dos envolvidos, seja por meio de interceptações telefônicas, provas materiais ou depoimentos de terceiros. O magistrado citou trechos de escutas telefônicas entre vereadores e assessores que comprovavam a existência do esquema. E observou que informação prestada por um dos delatores, o ex-vereador Sid Fonseca (absolvido no processo), dava conta de que o valor pago a cada parlamentar em troca da derrubada dos três vetos do prefeito era de R$ 30 mil.

Detalhes importantes do processo foram mencionados pelo desembargador Glauber Rêgo, relator do recurso. Entre eles, o de que a propina seria fatiada entre os parlamentares na residência da mãe de um dos assessores – Francisco de Assis Jorge, funcionário do então vereador Geraldo Neto.
Assis Jorge foi incumbido de receber a propina, por meio de dois cheques, sacá-los, e em seguida repassá-los aos vereadores.
Ao apresentarem as respectivas defesas, os ex e atuais vereadores, assessores e empresários alegaram falta de provas e, no caso de Ricardo Abreu, a justificativa de que o recurso alvo de investigação não detinha fins ilícitos.
Os desembargadores não reconheceram as argumentações e mantiveram as condenações.
Foram condenados por corrupção passiva os então vereadores Emilson Medeiros, Dickson Nasser, Aluísio Machado, Sargento Siqueira, Geraldo Neto, Renato Dantas, Carlos Santos, Salatiel de Souza, Júlio Protásio, Adenúbio Melo, Aquino Neto, Adão Eridan e Edivan Martins. Os desembargadores também mantiveram a condenação por corrupção ativa do empresário Ricardo Abreu, bem como a condenação dos ex-funcionários da Câmara Municipal, Hermes da Fonseca, Klaus Charlie e Francisco de Assis Jorge, então assessores, respectivamente, dos ex-vereadores Dickson Nasser, Emilson Medeiros e Geraldo Neto.

Perda de mandato e inelegibilidade
As penas dos condenados incluem a perda de cargo, função pública ou mandato, a inelegibilidade para os que detêm mandato eletivo e penas a serem cumpridas nos regimes semi-aberto (Emilson Medeiros e Dickson Nasser) e aberto (demais citados).
No primeiro caso, a punição somente se dará após o trânsito em julgado, ou seja, com o último recurso julgado. Quanto à inelegibilidade, a situação é outra. Neste caso, os condenados ficam impedidos de se candidatar a cargos eletivos com a publicação da decisão da Câmara Criminal no Diário da Justiça Eletrônico.

O desembargador Glauber Rêgo decidiu – e os demais magistrados acataram – pela exclusão do valor mínimo de reparação do dano a todos os condenados e estipulou uma multa de 10 salários-mínimos ao advogado Rafael Cruz, então representante de Klaus Charlie, por ter renunciado à defesa do réu.

CONFIRA AS PENAS:

Ricardo Abreu: pena de três anos e oito meses em regime aberto, com 51 dias-multa. A pena foi substituída por duas penas restritivas de direito que serão estabelecidas pelo juiz de Execução Penal.

Emílson Medeiros e Dickson Nasser: pena de quatro anos, três meses e dez dias, com 66 dias-multa em regime semi-aberto.

Geraldo Neto, Renato Dantas, Adenúbio Melo, Edson Siqueira, Aluísio Machado, Júlio Protásio, Francisco Sales, Salatiel de Souza, Carlos Santos, Edivan Martins: pena de três anos e oito meses e 51 dias multa, no regime aberto. As penas serão substituídas por duas penas restritivas de direito que serão definidas pelo juiz da Execução Penal.

Adão Eridan: pena fixada em dois anos, nove meses e 22 dias-multa, regime aberto. A pena foi substituída por duas penas restritivas de direito que serão estabelecidas pelo juiz de Execução Penal.

Klaus Charlie, Francisco de Assis Jorge Sousa e Hermes Soares Fonseca: pena de três anos e quatro meses e 43 dias-multa, regime aberto. As penas serão substituídas por duas penas restritivas de direito que serão definidas pelo juiz da Execução Penal.

Leia Mais

Assim como os negros foram comercializados, o comercio de Natal quer obter lucro no dia da Consciência Negra

dia-da-consciencia-negra_008

Lamentavelmente, o comercio de Natal, ao lado do prefeito, Carlos Eduardo Alves, através de um advogado, primo do prefeito de Natal, foram brigar até na justiça, para não deixarem ser decretado feriado municipal, em Natal, no dia da Consciência Negra..

Em mais de 1000 municípios brasileiro, o dia 22 de novembro é uma data para as pessoas comemorarem e sobretudo meditarem sobre a intolerância racial.. Eu decretei o meu feriado, faça o mesmo..

Leia Mais

Estão querendo queimar o primo, João Bastos

Tem gente querendo queimar o primo, Joãozinho ‘Trinta’, como é conhecido por seus amigos, ontem foi publicada em vários blogs uma condenação pelo juiz  Ivanaldo Bezerra Ferreira dos Santos, titular da 8ª Vara Criminal de Natal. Ocorre, que o juiz de direito da 5a Vara da Fazenda Pública, Airton Pinheiro, reformou decisão anterior e inocentou o ex-presidente da CEASA, João Alves de Carvalho Bastos e o servidor Liésio Correia de Andrade, do mesmo órgão, da acusação de improbidade administrativa feita pelo Ministério Público do RN, que questionava o processo de contratação de uma empresa de seguros, realizado em 2005. O juiz entendeu que eles não participaram do processo da concorrência e que João Bastos somente homologou-o depois de ser orientado a fazê-lo por um parecer jurídico, o que, de acordo com o magistrado, inocenta-o de qualquer dolo. A sentença da justiça que inocenta João Bastos e Liésio Correia foi publicada no Diário da Justiça no último dia 4 de novembro de 2014.

Ao reformar a sentença que condenava os dois réus que serviram na CEASA, o juiz Airton Pinheiro afirmou inexistir “improbidade administrativa”. Para o magistrado, a cautela que João Bastos teve de obter aconselhamento da Assessoria Jurídica da CEASA, antes de homologar a licitação, é um fator importante. “Não houve dolo ou culpa do demandado João Alves de Carvalho Bastos, uma vez que o mesmo somente homologou a licitação e celebrou o contrato porque houve recomendação expressa da assessoria técnica”, sentenciou. O juiz foi além e disse que não houve prova de que o então diretor da CEASA sabia que a concorrência havia sido tendenciosa. “Julgo improcedente a ação de improbidade administrativa”, sentenciou.

Joãozinho foi uma das pessoas impostantes na eleição que deu a vitória ao governador eleito, Robinson Faria, com isso o nome dele é ventilado para assumir um cargo de primeiro ou segundo escalão no governo..

Leia Mais

O defunto esquecido

Ninguém pense que a politica do RN estará tranquila até 2016, quando teremos eleições municipais..

Estou sabendo que estão desenterrando  um defunto que está mumificado numa sala escura e fria em algum lugar de Natal…

Quando o defunto for desenterrado,  muita coisa vai mudar…

O defunto anda meio esquecido, mas tem gente lembrando dele..

Leia Mais