Já tem pega pra capar no governo de Robinson

Com menos de um  mês de governo, a chaminé da governadoria já está soltando fumaça.. A coisa anda quente por lá..

A secretária-chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, já arrumou brigas com o consultor-geral do Estado, Eduardo Nobre e com o líder do governo na Assembléia, deputado, José Dias..

Segundo o soldado, Vasco, o deputado, José Dias não quer nem ouvir falar na interferência de Tatiana nas questões da Assembléia..

Leia Mais

Receita libera esta semana consulta a lote do Imposto de Renda retido na malha fina

A consulta ao primeiro lote residual de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2014 liberadas da malha fina será divulgado esta semana, conforme informações da Receita Federal. Os valores, normalmente pagos a cada dia 15, desta vez serão liberados até o fim de janeiro. O montante do lote depende das disponibilidades do Tesouro Nacional, que corrige o dinheiro pela taxa básica de juros (Selic).

Anualmente, a Receita libera sete lotes regulares de restituições – o primeiro em junho e o último em dezembro. Nos meses seguintes, à medida que as declarações retidas em malha são corrigidas pelos contribuintes, são liberados lotes residuais, normalmente a partir de janeiro. Em dezembro, a Receita Federal informou que 937.939 declarações estavam retidas em malha. São 740.760 com imposto a restituir, 174.301, com imposto a pagar e 22.878 sem imposto a pagar ou a restituir.

Os contribuintes nesta situação devem acessar o extrato da declaração para identificar os motivos que o levaram à malha fina e fazer as devidas correções para ter a situação resolvida. O documento fica disponível no e-CAC (Centro Virtual de Atendimento).

Leia Mais

Armínio: ‘Levy é uma ilha de competência num mar de mediocridade’

Ex-presidente do Banco Central no governo FHC disse, em entrevista ao O Estado de S. Paulo, que o ministro da Fazenda começou bem o governo, mas que precisa focar mais no corte de gastos que no aumento de receita.

 

Durante a campanha, Aécio Neves afirmou que Armínio seria o titular da Fazenda

Ex-presidente do Banco Central no segundo mandato presidencial de Fernando Henrique Cardoso, Armínio Fraga ficou sob ataque durante a campanha do ano passado. Quando o senador e candidato derrotado à presidência Aécio Neves (PSDB-MG) adiantou que nomearia o economista para o Ministério da Fazenda, virou um dos alvos da presidenta Dilma Rousseff.

Em entrevista exclusiva ao jornal O Estado de S. Paulo deste domingo, o economista fala pela primeira vez como foi virar o alvo predileto da campanha da petista. Disse estar se desintoxicando e rejeitou o título de vilão. Também afirmou que teve diversas declarações deturpadas durante o período eleitoral, e que o baixo nível o deixou irritado.

Mas é sobre seu amigo e ex-aluno Joaquim Levy, o atual ministro da Fazenda, que Armínio tem as principais declarações na entrevista dada à jornalista Eliane Cantanhêde. Ele elogiou Levy, classificando-o como uma “ilha de competência num mar de mediocridade no governo Dilma”. Neste rol também estão, de acordo com o economista, as ministras da Agricultura, Kátia Abreu, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

No entanto, Armínio diz faltar mudanças reais na política econômica. Para ele, questões como as novas regras editadas pelo governo para acessar direitos previdenciários foram vetadas durante a campanha. “São questões tão fora da curva global que nem deveria haver discussão”, afirmou. Ele ressalta que o ministro da Fazenda está focando mais na elevação da receita do que no corte de gastos.

Para o ex-presidente do BC, o que foi feito até agora é “pouco”. “Num governo carregado de ideologia, de corrupção e de incompetência, não há nada para cortar? É lógico que tem muita gordura para cortar e, se houvesse um corte de 10% em todas as instâncias, a população nem ia notar”, disparou o economista, que pintou um cenário feio para 2015, com recessão e aumento do desemprego.

Leia a íntegra da entrevista

Leia Mais

China foi o país que mais importou alimentos do Brasil em 2014

China, Estados Unidos, Países Baixos, Rússia e Alemanha foram os cinco países que mais importaram produtos agropecuários brasileiros, entre janeiro e dezembro de 2014, segundo dados do Sistema de Estatísticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro (AgroStat). Juntos, os países somaram 42,32 bilhões, o que representa 43,7% do valor total importado.

De acordo com o ranking gerado pelo sistema, a China ficou em primeiro lugar, com a soma de US$ 22,07 bilhões. O complexo soja foi o destaque, que atingiu a cifra de US$ 17,01 bilhões, sendo que US$ 16,62 bilhões foram de soja em grãos. O segundo setor brasileiro mais importado foram os produtos florestais, com o montante de US$ 1,89 bilhão. Nesse setor, o destaque foi a celulose, que somou US$ 1,71 bilhão.

Em segundo colocado estão os Estados Unidos, com o montante de US$ 7 bilhões em importações do Brasil. Os produtos florestais ficaram em primeiro lugar nas importações do país, com US$ 2,15 bilhões, sendo que US$ 974 milhões foram de celulose. Em seguida, veio o café, com a soma de US$ 1,30 bilhão.

Os Países Baixos ocuparam a terceira posição no ranking, com US$ 6,13 bilhões em importações. Deste valor, o complexo soja foi responsável por US$ 2,90 bilhões, com destaque para o farelo de soja, que alcançou a cifra de US$ 1,89 bilhão. O segundo setor que mais exportou para o país foi o de produtos florestais, com a soma de US$ 968 milhões, sendo US$ 906 milhões de celulose.

A Rússia ficou em quarto lugar, com importações que atingiram o montante de US$ 3,65 bilhões. O setor de carnes foi destaque e somou US$ 2,44 bilhões. Deste valor, US$ 1,31 bilhão foi de carne bovina, US$ 811 milhões de carne suína e US$ 303 milhões de carne de frango. O complexo sucroalcooleiro foi responsável por US$ 540 milhões das importações do país.

Com a cifra de US$ 3,48 bilhões, a Alemanha ficou com a quinta posição no ranking. O produto mais importado por esse país, no ano passado, foi o café, com a soma de US$ 1,30 bilhão. Em segundo lugar verificou-se o complexo soja, com US$ 1,12 bilhão, dos quais US$ 795 milhões são relativos ao farelo de soja.

Leia Mais

Reboliço na eleição da presidência da Assembléia Legislativa

No jogo da disputa pela presidência da Assembléia Legislativa uma peleja interna no grupo do governador, Robinson Faria..

O candidato, Ezequiel Ferreira de Souza(PMDB), tem o apoio do seu fraternal amigo e vice-governador, Fábio Dantas.. A amizade de Ezequiel com Fabinho vem desde o tempo que Arlindo Dantas, pai do vice-governador era deputado estadual.. Nos corredores da Assembleia observadores dizem que o primo, Fabinho está costurando a eleição de Ezequiel com fio de nylon..

 

Já o presidente, Ricardo Motta, além de ter o apoio de vários atuais deputados, como Agnelo Alves, Getúlio Rego, Kelps Lima, Raimundo Fernandes, Tomba Faria e Gustavo Microfone, tem o apoio declarado do deputado, José Dias(PSD) que é o líder do governo na Assembléia que tem total prestigio com o governador, Robinson Faria..  Zé Dias foi fundamental na vitória do governador..

 

Já o deputado, Álvaro Dias não tem apoio dos caciques do grupo de Robinson e nem mesmo dos caciques bacuraus, Garibaldi e Henrique Alves, mas, tem amizade pessoal com o governador e foi decisivo na eleição de Robinson para presidente da Assembleia..

O ex-candidato, Gustavo da Ponte, ex-wilmista e agora robista, não conseguiu atravessar a ponte..

Leia Mais

Dono da cerveja Itaipava doou para campanha de Dilma após favor milionário

De acordo com a revista Época, dono da cervejaria Itaipava contribuiu com R$ 17,5 milhões para o caixa da petista depois de ter sido beneficiado com empréstimo do Banco do Nordeste para construção de fábricas

 

Fábrica da Itaipava na Bahia foi inagurada após tomada de empréstimo no BNB

O empresário Walter Faria, dono da cervejaria Itaipava, contribuiu com R$ 17 milhões para a campanha de reeleição de Dilma Rousseff após ter sido beneficiado com mudanças em um contrato de empréstimo assinado com o Banco do Nordeste (BNB). A intenção de Faria, do grupo Petrópolis, era construir duas fábricas, uma em Pernambuco e a outra na Bahia.

No entanto, de acordo com reportagem da revista Época desta semana, o grupo possui nome sujo na praça por dívidas com a Receita Federal. Mesmo assim, o banco autorizou a emissão de dois empréstimos, totalizando R$ 827 milhões. Porém, o empresário teve que assinar uma carta-fiança em outro banco como garantia, o que exigiria o pagamento de R$ 17 milhões.

Segundo a semanal, em abril de 2014 o comando do BNB foi mudado após pressão do PT, que queria a presidência de volta. Cinco meses depois, o teor do contrato acabou alterado, beneficiando o grupo Petrópolis. O banco aceitou trocar a carta-fiança por outras garantias, da forma que Faria queria. Menos de duas semanas depois, começaram as doações. Até 3 de outubro, entraram R$ 17,5 milhões no caixa de campanha de Dilma.

Segundo a revista, o grupo afirmou que a dispensa da carta-fiança gerou economia para a empresa e que as novas garantias dadas ao empréstimo têm valores maiores do que o documento emitido por outro banco. Sobre os empréstimos, a cervejaria informou ter cumprido todas as regras previstas na legislação eleitoral. Já a atual diretoria do BNB nega qualquer ingerência política no caso.

Leia a íntegra da matéria

Leia Mais

Fracasso: Carlos Eduardo Alves, admite publicamente que a prefeitura de Natal está quebrada

O prefeito, Carlos Eduardo Alves, decretou um corte de 25% nas despesas de custeio de todos os órgãos da administração direta e indireta. A determinação foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial do Município (DOM).
Com o decreto, o prefeito reconheceu que sua administração atingindo a metade do mandato não conseguiu recuperar o município da tragédia administrativa da ex-prefeita, Micarla de Sousa.
Carlos Alves prometeu recuperar Natal em 100 dias de gestão, mas, até agora, o prefeito só conseguiu manter limpa a cidade nas principais vias plantando gramas e iluminando com recursos da COSIP – Contribuição Social de Iluminação Pública que representa 15% das contas de energias cobradas pela COSERN.
Com a publicação do decreto, os fornecedores que já estão recebendo seus pagamentos com atrasos estão com medo de continuar fornecendo seus produtos e serviços com medo de não receber..

Leia Mais

Casca de banana para o PSOL

Parece uma ação articulada em todo Brasil para depreciar e emparedar os parlamentares do PSOL..

O senador, Randolfo Rodrigues, a deputada estadual pelo RJ e agora o vereador de Natal, Marcos do PSOL, está sendo denunciado de cobrar pagamento aos seus assessores do seu gabinete ajuda financeira para o partido..

Todos sabem que isso é uma pratica no PC do B, PT, PSTU e PSOL, em outros partidos a cobrança é para a caixinha dos parlamentares..

Todo mundo sabe disso, menos o Ministério Público..

Se quiserem saber direito, basta procurar  como os vereadores pagaram suas Hilux, Pajeros e Land Rover’s…

Um recibo das contribuições dos assessores do gabinete de Marcos do PSOL

IMG_1744.PNG

 

Leia Mais